85% dos consumidores europeus preferem produtos que utilizam a menor embalagem possível

O líder de packaging DS Smith alerta as marcas e retalhistas de que a pandemia de Covid-19 não significa que possam descuidar os seus esforços de proteção ambiental. Esta recomendação surge no seguimento de um estudo europeu que revela que os consumidores continuam a priorizar o packaging sustentável.

152

O recente estudo, realizado pela DS Smith e Ipsos MORI, líder global em estudos de mercado, mostra que, apesar da crise global de saúde, os consumidores continuam a ter em conta o ambiente: 85% dos inquiridos querem comprar produtos que utilizem a menor embalagem possível e cerca de um terço (29%) admitem que deixaram de comprar determinadas marcas porque as suas embalagens não eram sustentáveis.

A análise envolveu a participação de 9000 pessoas de 12 países europeus, incluindo Portugal, e revela que, embora os hábitos de compra possam ter mudado, a sustentabilidade continua a ser fundamental.

Devido à pandemia, dois terços (68%) admitiram que tentam passar o mínimo de tempo possível nas lojas, o que originou um crescimento considerável do e-commerce. Por isso, é importante realçar que metade (48%) dos compradores online afirmaram terem recebido embalagens “não sustentáveis” provenientes do canal e-commerce e um em cada cinco (22%) diz que deixou de comprar a alguns retalhistas online porque o seu packaging não era sustentável.

Stefano Rossi, CEO da DS Smith Packaging, afirma: “Durante os últimos oito meses, temos ajudado os nossos clientes a adaptarem-se a uma transformação radical do comportamento dos consumidores e aos desafios em constante evolução da pandemia. Enquanto líderes em soluções inovadoras de packaging, precisamos de compreender como mudam as atitudes dos consumidores para podermos prestar um melhor serviço aos nossos clientes e à sociedade. Esta novo estudo não só revela as modificações causadas pela Covid-19, como também mostra as prioridades que se têm mantido e que a sustentabilidade continua a ser bastante importante para os consumidores em toda a Europa. Neste momento tão determinante, os retalhistas e as marcas devem adotar packaging sustentável, de modo a garantir que colhem benefícios para o ambiente e para os consumidores.”

A higiene é outra preocupação para os consumidores, com mais de metade (57%) a dizerem que lavam cuidadosamente as mãos depois de tocarem em produtos recebidos via e-commerce e 30% a afirmarem que deitam as embalagens fora mais rapidamente – destacando a necessidade de dispor de informações visíveis e claras sobre o descarte.

56% dos compradores preocupam-se relativamente à quantidade de pessoas que tocaram nos produtos na loja (78% em Portugal, 68% em Espanha e 65% no Reino Unido). Como consequência, alguns escolhem artigos que estão no fundo das prateleiras, com menores probabilidades de terem sido tocados.

Um em cada três (33%) também lava ou desinfeta todos os produtos vendidos a granel, como frutas e legumes, e 12% evitam comprar produtos não embalados (22% na Finlândia e 19% no Reino Unido). Para responder a esta situação, a DS Smith desenvolveu uma série de novos designs de packaging inovadores, tais como covetes em cartão canelado para frutas e legumes, caixas ecológicas para ovos e soluções para transportar garrafas e produtos lácteos.

A DS Smith prevê que a necessidade de novas soluções sustentáveis de packaging aumente nos próximos meses e continuará a aplicar os seus Princípios de Design Circular – desenvolvidos em colaboração com a Fundação Ellen MacArthur – para criar soluções circulares de packaging, que respondam aos desafios em constante mudança do mercado.

Os referidos princípios refletem o objetivo da DS Smith, incluído na nova estratégia de sustentabilidade ‘Now and Next’, de usar o packaging e a reciclagem para fomentar a economia circular. Duas das áreas de foco da empresa são produzir packaging 100% reciclável ou reutilizável e substituir os plásticos problemáticos por alternativas sustentáveis.