INCM e Presidência do Conselho de Ministros prestam homenagem às vítimas do Holocausto

Diário da República veste-se de amarelo no Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto.

117

No dia 27 de janeiro, Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto, a Imprensa Nacional-Casa da Moeda (INCM), em conjunto com a Presidência do Conselho de Ministros, presta homenagem a todos os que foram vítimas do poder Nazi e, em especial, a Aristides de Sousa Mendes, português responsável pelo salvamento de milhares de vidas judias.

Numa atualidade marcada por atos de antissemitismo, racismo, xenofobia, a INCM e a Presidência do Conselho de Ministros relembram a importância da liberdade de pensamento e intolerância para com a violência, vestindo o Diário da República eletrónico da cor da Estrela de David, símbolo que ficou para sempre associado à comunidade Judia durante o Holocausto. Haverá ainda uma edição especial em papel, única, também amarela.

A página eletrónica do Diário da República vai ainda destacar, de forma simbólica, todas as medidas até agora publicadas em Diário da República que trazem, até ao dia de hoje, o reconhecimento do trabalho e da valentia de Aristides de Sousa Mendes, como a Resolução da Assembleia da República n.º 47/2020, de 24 de julho, que concedeu Honras de Panteão Nacional a Aristides de Sousa Mendes ou ainda a Portaria n.º 639/2000, de 7 de abril, que reconhece a Fundação Aristides de Sousa Mendes. São ainda divulgadas outras iniciativas do Estado e da Sociedade Civil, diretamente relacionadas com este tema e publicadas em Diário da República.

Com esta iniciativa, a empresa de capitais públicos relembra a importância do combate a extremismos, do respeito pelo outro e dos direitos humanos, considerando o exemplo de Aristides de Sousa Mendes, que pôs em causa a sua vida e a sua liberdade em prol de um bem maior e de uma conquista digna de herói de grandes epopeias.

Em 2021 assinalam-se 76 anos do término oficial do Holocausto, onde mais de seis milhões de pessoas perderam a vida às mãos do ódio propagado pelo Regime Nazi, comandado por Adolf Hitler, um dos maiores ditadores da História.