Como calcular a sua Taxa de Esforço para o Crédito Habitação?

Explicamos-lhe de seguida como pode calcular a Taxa de Esforço e perceber até que valor pode ir a sua prestação de Crédito Habitação.

424

A Taxa de Esforço é um indicador fundamental para que o seu pedido de Crédito Habitação seja aprovado, permitindo avaliar qual a sua capacidade financeira para cumprir com os encargos que um empréstimo para compra de casa envolve.
Explicamos-lhe de seguida como pode calcular a Taxa de Esforço e perceber até que valor pode ir a sua prestação de Crédito Habitação.

O que é a Taxa de Esforço?
Quando começar a tratar do seu Crédito Habitação, rapidamente começará a ouvir falar em Taxa de Esforço ou em Debt Service-to-Income (DSTI) e é importante que saiba do que se trata, porque será um indicador importante na avaliação do seu processo.
A Taxa de Esforço representa o esforço que terá de fazer para cumprir com o pagamento da prestação do seu Crédito Habitação. Tem por isso em conta a totalidade dos seus rendimentos mensais, bem como, que percentagem desses rendimentos terá de ser aplicada no pagamento dos seus encargos mensais com créditos bancários e, portanto, com quanto ficará do seu rendimento para fazer face às despesas do dia-a-dia.
O objetivo, é evitar situações de sobre-endividamento, em que, não tendo recursos suficientes para todas as despesas, acabe por entrar em situação de incumprimento, o que acarreta consequências graves. Por isso mesmo, o Banco de Portugal, nas suas recomendações macroprudenciais relativas à concessão de Crédito Habitação, estabelece o limite de 50% como o máximo aceitável para a Taxa de Esforço.

Como calcular a sua Taxa de Esforço?
Para calcular a sua Taxa de Esforço use a seguinte fórmula:

(Encargos Financeiros / Rendimento Líquido Total do Agregado) x 100
Os encargos financeiros devem incluir todos os compromissos com créditos, como por exemplo: as prestações do crédito habitação que pretende contrair, as prestações do crédito pessoal, do crédito automóvel ou as despesas com cartão de crédito.
O seu rendimento mensal será calculado pela entidade financeira tendo em conta os últimos 3 meses do seu ordenado, podendo ser-lhe pedido extratos bancários que sirvam de comprovativo.
Há alguns cuidados extra que o Banco de Portugal recomenda no cálculo da Taxa de Esforço, como considerar cenários em que exista um aumento da taxa de juro para avaliar se a Taxa de Esforço seria comportável caso existisse esse aumento, assim como, considerar a redução de rendimentos gerada pela reforma no caso de clientes que tenham mais de 70 anos no final do empréstimo. Estas são algumas formas de garantir uma maior segurança na concessão do Crédito Habitação e que é capaz de cumprir com as suas responsabilidades de crédito no futuro.

Como melhorar a sua Taxa de Esforço?
Há algumas decisões que pode tomar e que podem ajudar a reduzir a sua Taxa de Esforço, nomeadamente, reforçar o valor de entrada que vai dar na compra do imóvel, uma vez que isso reduzirá o valor de crédito solicitado e irá resultar numa prestação mais baixa. Outra alternativa é liquidar outros empréstimos que tenha, de forma a reduzir os encargos mensais com o pagamento de prestações de créditos.
Acima de tudo, precisa perceber que se a Taxa de Esforço for muito alta, provavelmente terá de procurar uma casa com um valor mais baixo e que lhe permita chegar a uma taxa de esforço e a um encargo mais realista para a sua situação financeira.
Não encare a Taxa de Esforço como uma dificuldade, mas sim como uma defesa, porque ao fazer uma análise exigente deste indicador, poderá assumir os compromissos inerentes ao Crédito Habitação bem como, outros compromissos relacionados com o seu dia-a-dia, com um maior nível de garantia de que os vai conseguir respeitar.