A CodeFQ enquanto impulsionador dos empreendedores do futuro

A excecionalidade da situação atual que vivemos poderá recomendar ou, em muitos casos, forçar as empresas a propor ou criar planos sociais que tenham como objetivo reduzir o seu quadro de colaboradores, criando planos de outplacement. Será hoje este conceito mais relevante do que nunca? Bruno Costa, Partner da CodeFQ – uma empresa recente e inovadora no mercado – explicou-nos todos os detalhes deste processo e de que forma a sua marca o simplifica.

299

Com um período de preparação longo e com uma metodologia arrojada e inovadora, a CodeFQ integra o mercado, inicialmente a partir de Espanha, no passado mês de fevereiro. De seguida estabeleceu-se em Portugal e é já em Maio que irá avançar no Brasil, no México e no Reino Unido.
A crescer rapidamente, a empresa nasceu essencialmente de uma necessidade estrutural no mundo do emprego, onde o desenvolvimento de uma carreira tradicional é cada vez mais raro. Assim, para a sua concretização, juntou-se uma entidade especialista em franchising e um Merchant Bank Espanhol, com o objetivo de promover junto do seu targhet as ferramentas necessárias para se tornarem empreendedoras por via do franchising.
E porquê a vertente do franchising? O Partner da CodeFQ, Bruno Costa, explicou-nos que “tem a ver com o facto de nós acreditarmos que em plena crise, é mais seguro para as pessoas apostarem num negócio que o mercado já conheça, que seja sólido e reconhecido. Nós entendemos que, realmente, é o que faz mais sentido numa altura com uma grande instabilidade e incerteza, poderem investir em marcas que já sejam conceituadas e que lhes traga segurança”.
Fundamentalmente, podemos afirmar que a CodeFQ é um programa de emprego, onde se criam ferramentas que tornem o processo de despedimento – um caminho que muitas empresas são obrigadas a tomar neste período de pandemia – menos doloroso e que, ao mesmo tempo, se criem postos de trabalho através do empreendedorismo. Esta é a missão número um: transformar um desempregado em empreendedor.

Como funciona?
Na prática, a CodeFQ oferece ao empreendedor um serviço integral de acompanhamento técnico e humano, até à abertura do seu negócio. Além de um programa de formação, é também considerado um programa de desenvolvimento de talento e de responsabilidade social.
Assim, e segundo o nosso entrevistado, existem dois tipos de abordagem: a primeira surge quando a empresa que está a dispensar colaboradores contrata a CodeFQ para participar nesse processo de saída e identificar aqueles que, efetivamente, podem integrar o programa e dar continuidade à sua carreira enquanto empreendedor; a segunda, é a título individual, ou seja, uma pessoa que já se encontra nesse processo de transição e que não encontrou até ao momento emprego mas que tem, na opinião dela, a vocação para ser empreendedora. Certo é, em ambas as abordagens, existe um acompanhamento do candidato até à abertura do seu próprio negócio.
O programa de formação, que tem uma duração de 120 dias, inicia-se com uma entrevista “one on one”, tal como Bruno Costa esclarece: “é entregue um questionário com 75 perguntas ao candidato e que resultará na matriz do perfil do mesmo. Esta entrevista é feita presencial ou virtualmente e é conduzida por um mentor da CodeFQ que vai perceber quais as suas características e ambições. Depois temos de ter um cuidado adicional que é de percebermos que, a pessoa que temos à nossa frente e que queremos ajudar, encontra-se em processo de despedimento e por isso não está com a sua confiança firme como estaria numa outra altura, por isso o modelo de avaliação tem também em conta a parte psicológica que o candidato vive naquele momento. Não queremos dar apenas ferramentas técnicas e práticas, mas também recuperar um candidato que está a passar uma fase complexa da sua vida”.
No fim, o programa de formação CodeFQ faz jus àquele que é um serviço que permite ao empreendedor obter o suporte profissional necessário à aquisição de um franchising, skills de liderança e capacidades de negociação.

Um apoio inovador ao outplacement
O outplacement é um processo que procura ajudar o funcionário demitido a recolocar-se mais rapidamente no mercado de trabalho, orientando-o durante esse período, tal como é realizado pela CodeFQ. A grande diferença é que, tradicionalmente, coloca-se o colaborador numa função similar à que ele já desempenhava e às vezes até mesmo dentro do próprio setor.
Sabemos que atualmente, devido à pandemia que se instalou mundialmente, consequentemente muitas empresas estão a despedir e o mercado não se encontra capacitado para absorver todos os profissionais que ficaram sem o seu trabalho. A variante inovadora da CodeFQ vem, por isso, colmatar essa lacuna, dando-lhes, tal como foi referido anteriormente, as ferramentas e os meios para criarem o próprio negócio.
As mais-valias para a pessoa que irá integrar e usufruir do programa de formação já foram mencionadas, mas quais são afinal os benefícios para as empresas? Bruno Costa responde que “o processo de despedimento torna-se muito mais humanizado e muito menos difícil. As empresas vão saber que aquele colaborador não vai ficar em situação de desemprego com tudo o que isso implica na sua vida pessoal, familiar e social, mas sim que vai conseguir ter uma nova vida e vai reinventar-se. Em segundo lugar, sendo um programa de formação, existe um componente que acaba por ser fiscal e contabilisticamente muito interessante para as empresas que nos contactam. Por fim, existem apoios a nível de fundos públicos que as empresas podem recorrer para suportar o custo deste programa. Portanto, para quem nos contrata, existem mais-valias significativas, tanto do ponto de vista humano como de ponto de vista financeiro”.

Futuro CodeFQ
Quando se lida diretamente com as pessoas e as suas emoções, é fundamental que se tenha em atenção vários elementos. Para a CodeFQ, um deles, passa por solidificar a sua implementação para melhor responder às pessoas que mais necessitam. O Partner da marca afirma que “infelizmente, acredito que os próximos dois trimestres nos vão trazer um volume significativo de reduções nas empresas por via da resposta à pandemia e do ajuste que a economia terá de fazer e é importante que estejamos lá para apoiar e ajudar a dar-lhes rumo”.
Além disso, a CodeFQ está já a trabalhar na resolução de constituir uma sociedade gestora de investimento que, no fundo – para aqueles projetos empreendedores que são válidos, mas que o candidato não tem capacidade financeira para o concretizar – irá financiar e ajuda-las a avançar com a sua vida.
A marca pretende, numa fase já pós-crise, continuar a apoiar os projetos de empreendedorismo, tendo já números suficientes para que o mercado a reconheça como o apoio essencial para potenciar ideias e projetos em Portugal e no mundo.
Por fim, Bruno Costa deixou uma mensagem de esperança a todos os que, neste momento, se encontram em situação incerta: “primeiramente, às empresas que estão num processo de redução de colaboradores, quero que pensem que podem contar com a CodeFQ para tornar essa ação mais humana e que não resulte em 100 por cento de despedimento, porque nós podemos recuperar alguns desses profissionais. Às pessoas que também estão nesse processo, gostaria de dizer que por vezes, quando se fecha uma janela, abre-se uma porta enorme, por isso, acreditem que esta pode ser uma altura de oportunidade. Não percam a confiança e acreditem que, efetivamente, há sempre um caminho que nos ajuda a dar a volta numa situação complexa”.