“O nosso compromisso é com a Mulher de Hoje”

A Revista Pontos de Vista esteve à conversa com Miguel Coelho, Country Manager da Procare Health, e, entre outros assuntos, abordamos a importância da efeméride do Dia Mundial da Saúde da Mulher, celebrado a 28 de maio. Para o nosso interlocutor não existem dúvidas que ainda existem estigmas relativamente à saúde da mulher e preconceitos enraizados em determinados meios, que condicionam o acesso à saúde. Saiba mais.

249

A Procare Health é um laboratório farmacêutico, constituído em 2012, focalizado na saúde e bem-estar da mulher. Com estes (quase) dez anos de existência, como nos pode descrever o concretizar destes objetivos que se propõem diariamente?
O projeto Procare Health nasceu da vontade de um conjunto de executivos oriundos da Procter & Gamble Pharmaceuticals, muito incentivados pelo atual CEO, Yann Gaslain, um francês estabelecido em Barcelona.
Donos de um vasto conhecimento sobre a Saúde da Mulher, sabiam existir um espaço por preencher nas opções terapêuticas para diversas situações da saúde feminina. Deste modo, criaram a empresa em 2012, exclusivamente dedicados à Investigação de soluções terapêuticas inovadoras, altamente eficazes, com características específicas.
Uma data de primordial importância na vida da organização é o ano 2016, quando se iniciou a comercialização dos primeiros produtos oriundos das bancadas dos laboratórios de Investigação da empresa.
Desde então, a empresa tem perseguido os seus objetivos estratégicos, implementando um vasto plano de Investigação Clínica, com ensaios clínicos que estudam não só os novos produtos, mas também os que estão em comercialização, aumentando o rigor da informação sobre a eficácia e segurança dos produtos.
Outro objetivo da organização é a sua globalização. Assim, desde 2016, fomos alargando a nossa presença e temos atualmente operações em cerca de 55 países.
Em 2018, criámos a Procare Health Portugal. Desde então, temos vindo a trabalhar ativamente no crescimento consolidado da empresa. Estrategicamente, desenvolvemos uma estrutura muito otimizada, com processos que procuramos que sejam tão eficazes quanto possível, reduzindo o desperdício, seja de tempo, de recursos ou ainda de esforços.
Enquanto startup, enfrentámos as dificuldades normais de reconhecimento por parte dos decisores, profissionais de saúde e doentes, mas o nosso plano passa por dar a conhecer o que fazemos e como o fazemos, numa abordagem muito clara sobre os nossos objetivos que passam por crescer através do contributo que damos na Saúde da Mulher.
Todavia, não basta dispormos de produtos, ainda que estejamos a falar de verdadeira inovação. É fundamental envolvermo-nos e envolvermos todos os stakeholders que interferem na Saúde da Mulher. Para tal, estendemos o nosso programa de Investigação Clínica a Portugal, desafiando diversos hospitais para estudarem os nossos produtos.
Noutra vertente, estamos ativamente presentes em todas as iniciativas relacionadas com a discussão técnico-científica, através de congressos a nível nacional, mas também nos encontros internacionais de referência para a comunidade científica.
Finalmente, procuramos alcançar os nossos objetivos através de um plano de comunicação assente na diversidade que carateriza cada elemento da nossa organização. Recorremos a estratégias clássicas de comunicação, conjugamo-las com abordagens inovadoras e o produto final resulta numa equipa altamente competente, com condições de abordar com rigor todos os temas relacionados com os nossos produtos e patologias associadas.

Com um modelo de inovação ativo, os produtos da Procare Health são, na sua maioria, constituídos por princípios terapêuticos de origem natural. De que produtos estamos a falar? Quais são as áreas que precisam de ser melhoradas no que diz respeito à oferta?
A criação da Procare Health tinha por objetivo desenvolver soluções terapêuticas inovadoras, com determinadas características. Do profundo estudo da Saúde da Mulher foi possível identificar a oportunidade de desenvolver princípios ativos com componentes naturais ou de síntese não química. Outra condição era a de desenvolver produtos 100% não hormonais. Assim, o desafio foi identificar a sinergia da ação de diversos componentes para determinadas indicações.
Em termos de oferta terapêutica estamos fortemente apostados numa nova abordagem ao vírus papiloma humano, promovendo a prevenção e tratamento de lesões no colo do útero causadas por este agente patogénico. Morrem em Portugal cerca de 300 mulheres por ano com cancro do colo do útero. Muito há por fazer e o nosso objetivo é contribuir para erradicar este vírus do planeta.
Dispomos de soluções para dar resposta em áreas como a atrofia vulvovaginal, tão comum na menopausa, ou a disfunção sexual feminina, um problema que afeta o casal, não apenas a mulher, e que deve ser abordado de forma séria, sem tabus. Dispomos atualmente de uma oferta diversificada, mas a nossa investigação não para e brevemente estaremos envolvidos noutras patologias ou disfunções, promovendo a saúde da mulher.
O nosso mote para futuros projetos passa por preencher lacunas terapêuticas ou melhorar face às opções existentes. Deste modo, temos um plano de investigação elaborado, mas atuaremos em todas as áreas em que sabemos que podemos oferecer melhores soluções.

“Comprometidos com a mulher de hoje”, é um dos motes da Procare Health. Considera que as necessidades na saúde da mulher se alteraram significativamente nos últimos anos? O que mudou?
Mesmo no mundo ocidental, existem ainda alguns tabus relativamente à saúde da mulher. No entanto, é absolutamente notável o quanto se evoluiu nos últimos anos no que diz respeito ao papel da mulher. As necessidades de saúde na mulher de hoje estão intrinsecamente relacionadas com o seu papel atual.
As mulheres estão cada vez mais presentes na sociedade, ocupando cargos de topo nas organizações, nos centros de decisão, revelando marcadas características de liderança. Já não existe a necessidade de “acinzentar” uma mulher que chega ao poder. Hoje a mulher pode exercer qualquer função sem ter de abdicar da sua feminidade.
Naturalmente que as exigências com a saúde e bem-estar do seu corpo são maiores, lidando de modo natural com as especificidades da sua condição de mulher.

O Dia Mundial da Saúde da Mulher, celebrado a 28 de maio, procura alertar, entre outros temas, para a desigualdade entre mulheres e homens no acesso aos cuidados de saúde. Concorda que, de facto, existe discrepância no acesso aos mais variados tratamentos atualmente? Será esta também uma das problemáticas que a Procare Heath pretende colmatar?
Não podemos negar que ainda existem estigmas relativamente à saúde da mulher e preconceitos enraizados em determinados meios, que condicionam o acesso à saúde. Uma mulher após a menopausa não perde a sua condição de mulher, por perder a capacidade de gerar filhos. A essência da mulher não é apenas procriar e as mulheres de 50 anos de hoje são as de 40 anos de ontem, logo com toda uma vida para ser vivida.
A celebração deste dia não terá o mesmo objetivo que tinha nos anos 80 (do século passado). Contudo, deve ser assinalado para chamar a atenção para a necessidade de, definitivamente, quebrar silêncios e estigmas em torno da saúde feminina.
As doenças específicas da mulher não estão relacionadas com falta de cuidados, menos higiene, falta de conhecimentos ou ser silenciada por se tratar da intimidade da mulher.
Enquanto empresa, temos a responsabilidade social de alocar recursos para um maior conhecimento da anatomia da mulher e lutar contra mentalidades que ainda limitam a liberdade ou a vontade das mulheres de falar sobre os seus problemas. Uma área onde esta questão é premente é a disfunção sexual da mulher, que ocorre por múltiplos fatores, como o stress, a pós-gravidez, vestuário desadequado, excesso de exercício físico, tabagismo, entre outros. Ao dar à mulher espaço para que ela partilhe a falta de prazer sexual estamos a contribuir para a reposição da harmonia do casal.
Promover hábitos de saúde e aumentar a literacia em saúde faz parte dos planos de comunicação da Procare Health e qualquer data ou evento que nos dê espaço para o fazer será sempre aproveitada.

A terminar, que investigações/trabalhos ou produtos a Procare Health pretende dedicar-se no futuro, de modo a complementar a oferta dos cuidados da saúde da mulher?
Temos um plano ambicioso para a empresa e o seu papel social. Iremos continuar a estudar as terapêuticas existentes, reforçaremos todo o trabalho de investigação e desenvolvimento, em busca de mais e melhor inovação, e por esses motivos temos uma responsabilidade social cada vez maior: Se sabemos desenvolver novos instrumentos de combate à doença, é nossa obrigação continuar a fazê-lo com total empenho e dedicação.
Por outro lado, ao construirmos a Procare Health, reunimos um grupo de pessoas que partilham dos mesmos valores, pugnam pelos mesmos objetivos e são detentores de parte deste projeto, que resulta da singularidade de cada um de nós. O nosso compromisso é com a Mulher de Hoje, para tal comprometemo-nos a construir uma organização saudável, inclusiva e respeitadora dos valores e da missão que diariamente construímos.