Ciphra, enquanto parceira de confiança

Confiança é a melhor palavra que define a Ciphra – Contabilidade, Gestão e Recursos Humanos. Uma confiança que, ao longo dos anos, foi conquistando clientes e parceiros e trilhando o seu caminho no mercado português em todas as suas frentes. Maria João de Figueiredo, o rosto por detrás desta empresa – de acordo com a sua experiência e know-how - contou à Revista Pontos de Vista, a sua perspetiva no que diz respeito à economia nacional, tendo em conta os tempos em que vivemos.

117

Sendo uma empresa de natureza especializada, a Ciphra defende que a contabilidade não é, nem pode ser vista como um mero cálculo das obrigações fiscais, mas sim um meio para tomar decisões de extrema relevância. Quem o garante é Maria João de Figueiredo, CEO desta marca que visa, sobretudo, antecipar as crescentes exigências de prestação de serviços de aconselhamento financeiro, contabilidade, fiscalidade e ainda recursos humanos e novos investimentos.
Enquanto parceira efetiva dos seus clientes, a grande missão da Ciphra passa por os ajudar a crescer, a inovar ou simplesmente consolidar o seu negócio. Para isso, existem recorrentemente iniciativas criadas pela empresa para que os mesmos conheçam a situação atual do seu negócio, tal como a nossa entrevistada afirma: “O cliente habituou-se a não tomar nenhuma decisão importante sem, primeiro, perceber com a nossa ajuda se é o momento ideal ou não. Para que esteja sempre a par de tudo, enviamos ainda informação mensal da posição da sua empresa e, a partir daí, qualquer decisão se torna mais clara e eficaz”.
Certo é, este facto só é possível porque existe uma relação de confiança e transparência trabalhada e consolidada durante anos, não apenas com Maria João de Figueiredo, mas também com toda a sua equipa. Para a própria, a equipa é tão ou mais essencial nesta caminhada de sucesso. “Eu tenho uma forma de estar muito frontal no que diz respeito à liderança. Olho para isso como algo positivo, porque todos sabem com o que podem contar. Transparência é tudo e nesta área é essencial”, afirma a nossa entrevistada.
Confiança, transparência e frontalidade são características que fizeram – e têm feito – toda a diferença em tempos complexos como o que vivemos, particularmente porque tem sido fundamental, com a ajuda e know-how da Ciphra, planear e equilibrar as contas da economia.

Programas de apoio às empresas

O crescimento interrompido da economia devido à COVID-19 provocou um abanão às contas nacionais. Desde a restauração ao turismo, muitas foram as áreas de atividade que viram a sua capacidade de resiliência posta à prova. Capacidade essa que, a economia portuguesa teve de resistir dentro das suas possibilidades.
Ninguém melhor do que Maria João de Figueiredo para fazer uma análise mais profunda sobre o verdadeiro impacto dos tempos em que vivemos. Assim, a pergunta que se impõe é: em tempos de pandemia, como planear e equilibrar as contas?
Para a nossa entrevistada, e de forma generalizada, “houve muitas empresas que rapidamente conseguiram adaptar-se e reinventaram o seu negócio. Por outro lado, houve outros vários setores que sofreram e continuam a sofrer com a situação. Posso dizer que as empresas que tinham uma contabilidade organizada, onde tinham tudo naturalmente estipulado, puderam recorrer a inúmeras ajudas do Estado. Penso que esta questão trouxe, sem dúvida, uma consciencialização maior à sociedade sobre o tema. Cada vez mais, os empresários, têm de repensar a forma como estão a gerir as próprias empresas”.
Neste contexto, várias foram as medidas excecionais de apoio às empresas e ao emprego por parte do Governo, como o layoff simplificado, a retoma progressiva, apoios dos salários pelo IEFP, as moratórias, entre outros, mas será que foram aplicadas a tempo de evitar o inevitável? A CEO da Ciphra afirma que “apesar de tudo ter acontecido depressa e sem avisar, na minha opinião, penso que alguns destes apoios chegaram tarde e pouco fundamentados. Tudo devia ter sido melhor estruturado e aplicado no tempo certo”.
Apesar de toda a incerteza, a Ciphra colocou à disposição dos seus clientes todas as informações referentes aos programas de apoio e manteve-se disponível para os acompanhar e ajudar a tomar as melhores decisões para o futuro dos seus negócios.
Para fazer face à crise que se instalou em Portugal, a chamada Bazuca Europeia, ou seja, o Mecanismo de Recuperação e Resiliência ganhou força de lei, mas na prática o que mudou? De acordo com a sua experiência, e enquanto contabilista especializada, Maria João de Figueiredo assume que um dos grandes desafios com que se deparou aquando do anúncio do programa, foi a sobrecarga de trabalho. “Muitos clientes, assim que ouviram a existência deste apoio quiserem desde logo obter mais informações – e o nosso dever é, obviamente, expor toda e qualquer situação referente a estas temáticas. Contudo, e depois de uma profunda análise, percebi que este apoio de que tanto falavam não era eficaz. Sou da opinião que houve bastante marketing por detrás deste programa e às vezes gerir a informação da comunicação social e, simultaneamente, transmitir a veracidade dos factos aos clientes, é complexo”.
Aqui, é novamente essencial voltar a frisar a confiança que se vive e transmite no seio da Ciphra. Em toda e qualquer situação, há um aconselhamento real das informações que, muitas vezes com ruído, acabam distorcidas e mal interpretadas.

INICIATIVAS CIPHRA

De forma a chegar a todos os clientes e parceiros que se viam interessados em estar a par de diversos temas relacionados com a economia, como os programas de apoio já mencionados, a Ciphra recorreu a diversas iniciativas: “Fizemos vários workshops online, onde explicámos tudo o que tinha a ver com layoffs e com outros programas. Criámos ainda uma linha de apoio que chamámos de Get Help Here para empresas que eventualmente necessitassem de ajuda, entre outras. No fundo, tivemos de nos adaptar muito rapidamente ao que estava a acontecer, sem descurar, em momento algum, do acompanhamento diário aos que confiam em nós”, assume Maria João de Figueiredo.
“Outra iniciativa recente na Ciphra, é a formação criada à medida para os nossos empresários. A experiência de vários anos com centenas de clientes das mais diversas atividades, percebemos que os nossos empresários têm um know-how de excelência na sua área de negócio, mas a maioria tem pouco conhecimento ao nível da gestão e organização de empresas, assim, desenvolvemos 4 módulos de formação, essenciais para que o negócio dos nossos clientes evolua e cresça da melhor forma”.
Hoje e no futuro, a Ciphra é e será o parceiro ideal para ouvir, aconselhar e apoiar nas tomadas de decisão.