O contributo do Investimento Francês no crescimento Português

A presença económica francesa abrange vários setores de forma expressiva com cerca de 800 empresas, mais de 60.000 trabalhadores e um volume de negócios anual de cerca de 15 mil milhões de euros.

271

Laurent Marionnet, Diretor Geral da CCILF – Câmara de Comércio e Indústria Luso-Francesa

Do setor ambiental (Veolia e Suez) à energia (Engie e EDF) passando pela subcontratação automóvel (Faurecia, Renault, PSA, Norauto e MGI Coutier) pelo setor dos equipamentos elétricos e das instalações (Alcatel-Lucent, Legrand, Schneider Electric, Schlumberger, Alstom e Thales), pelo setor do gás (Air Liquide) e da aeronáutica (Lauak e Mecachrome) são quase 150 empresas industriais francesas estabelecidas no território, 20 das quais se encontram entre as 200 maiores empresas portuguesas.
No setor dos equipamentos de construção, a Saint-Gobain, Vinci, Eiffage e SPIE são os representantes do “know-how” francês, tais como os laboratórios farmacêuticos Servier, Sanofi, Pierre Fabre e Uriage ou os grupos agroalimentares, como a Bonduelle, a Bel e a Lactalis. As empresas francesas estão também presentes em setores mais surpreendentes como o fabrico de alimentos para animais (Roullier e InVivo) e o fabrico de rolhas (Oeneo e Lafitteou).
Além disso, nos últimos anos, a presença francesa ganhou mais expressão no setor dos serviços, incluindo o retalho (supermercados e lojas Auchan, Intermarché, E.Leclerc, Conforama, La Redoute, Fnac, Decathlon e Leroy Merlin), o turismo (grupo Accor), os transportes (Transdev), a logística (DPD) e os sistemas de informação (Altran, GFI/Inetum e Capgemini). O seu crescimento continua ascendente no setor dos serviços financeiros com a presença do BNP Paribas, Crédit Agricole, Natixis e Cofidis. Portugal é também o hub de muitos projetos franceses no setor digital.
No setor imobiliário, a pandemia ainda não teve impacto nos investimentos franceses, particularmente no setor residencial de luxo, e a França permanece no ranking dos principais investidores estrangeiros em Portugal.
Durante a crise, a França manteve o seu papel de parceiro comercial de relevo para Portugal. Assim, em 2020, França tornou-se, segundo a Embaixada Francesa, “o principal excedente comercial de Portugal”. Foi já em período de crise na zona euro que a França ocupou o 1º lugar; tal facto pode ser interpretado como o resultado da resiliência dos laços económicos e humanos entre estes dois países.
Neste contexto, a CCILF assume um papel importante nas relações económicas entre os dois países, acompanhando as empresas francesas que desejam fazer negócios em Portugal (criação da sua empresa, procura de clientes, fornecedores…) ou as empresas portuguesas que desejam exportar para França (organização de missões para encontrar agentes comerciais) ou investir, trabalhando em parceria com a Business France.
Por fim, para celebrar estas boas relações, a CCILF organiza a sua cerimónia anual dos Troféus. Esta noite de gala reúne a comunidade empresarial luso-franceses contando com a presença dos embaixadores dos dois países e representantes do Governo português. No decorrer da noite, serão atribuídos troféus em seis categorias (PME, Exportação, Startup, Investimento, Desenvolvimento Sustentável e Inovação), permitindo assim destacar empresas francesas e portuguesas (de todas as dimensões).
Este ano, o evento terá lugar no dia 28 de outubro, em Lisboa. As candidaturas aos Prémios já se encontram abertas e é possível descarregar os ficheiros no website: www.ccilf.pt.