DECORHOTEL regressa à FIL em outubro

“A DECORHOTEL surgiu devido ao meu conhecimento quando construi o primeiro hotel, HOTEL LIS BAIXA de Lisboa e me deparei com uma lacuna neste mercado, o que me levou a equacionar uma feira para o setor”, afirma José Vieira Frazão, CEO da Exposalão, ao preparar aquela que é já a quarta edição do evento profissional de projeto, construção, decoração, equipamentos, produtos e serviços para hotelaria. De 21 a 23 de outubro na Feira Internacional de Lisboa.

130

Como desenvolveram a ideia de realizar uma feira com as características da DECORHOTEL?
Desde o seu começo que a Exposalão procura ir ao encontro das exigências do turismo e está a par do desenvolvimento dos diversos setores e mercados empresariais, pelo que, ao acompanhar a evolução do setor, e num cenário em que os níveis de crescimento do turismo bateram records em 2019 o que esperamos que volte a acontecer em 2022. Conseguimos percecionar que se tornou quase numa necessidade para as empresas que se movimentam no ramo da hotelaria, a atualização constante das soluções e novidades. A DECORHOTEL surgiu devido ao meu conhecimento quando construi o primeiro hotel, HOTEL LIS BAIXA de Lisboa e me deparei com uma lacuna neste mercado, o que me levou a equacionar uma feira para o setor.

Nesta vinda a Lisboa, quais serão os destaques do evento?
A vinda para Lisboa trouxe um maior número de expositores de qualidade e certamente de visitantes, continuamos a aumentar o nosso programa de seminários e debates, permitindo um maior leque de atividades durante os dias de feira, assim como de interação e debate entre profissionais, que vai enriquecer o evento. Destaque para os nossos expositores, que durante 3 dias apresentarão uma grande diversidade de propostas e soluções, o que de melhor existe no setor da hotelaria e similares.

Qual a importância de um evento como este, a considerar que Portugal se tem destacado cada vez mais no setor turístico?
Esperamos que a procura e interesse pelo turismo seja crescente nos próximos momentos, quer no plano nacional, quer no plano internacional e que se desenacdeie um natural aumento dos investimentos turísticos e número de unidades hoteleiras e alojamentos locais. Neste contexto, a DECORHOTEL apresenta-se como uma montra privilegiada de opções para os investidores e promotores hoteleiros de criarem hotéis diferenciados, que cada vez mais representam experiências que vêm valorizar a marca de Portugal no mundo.

Há algum setor/tipo de produto que se destaque em termos de exposição e de procura?
Não, a feira contempla todas as áreas necessárias para a construção de um Hotel ou um Alojamento local, e Remodelação e Decoração de unidades hoteleiras. Destacamos as seguintes áreas: Construção (sanitários, portas, janelas, pavimentos e revestimentos e iluminação); Arquitetura e design de interiores, com projetos integrados de chave na mão; Decoração (mobiliário, colchões, estofos, alcatifas e tapeçarias); Têxteis: tecidos, atoalhados (cama, banho e mesa) e vestuário profissional; Equipamentos: cozinha, lavandaria, spas e fitness; Gestão e tecnologia: domótica; controlo de acessos, softwatre, fechaduras, cofres e sinalética; Amenities e produtos de higiene e limpeza; e para o exterior, mobiliário e iluminação.

Tencionam internacionalizar o evento? De que forma, e para que mercado?
Sim, trabalhamos no sentido de dinamizar e enriquecer o mercado nacional e os seus negócios, tendo também como foco a exportação. Os expositores procuram cada vez mais e chegar ao mercado internacional é sem dúvida um objetivo. Nesta nova era digital em que vivemos é mais fácil fazer crescer uma feira como a DECORHOTEL. Já estamos também a convidar a visitar compradores internacionais. Contamos ainda ter visitantes como arquitetos e decoradores, administradores a diretores e hoteleiros.Os produtos e serviços presentes em feira são preferencialmente procurados no mercado Português, como a Europeu e Norte de África. Os expositores têm vindo a surpreender os visitantes profissionais, edição após edição no sentido de os presentear com novas propostas de decoração, quer a nível de visitantes como de players do mercado.

Quais as expetativas de público para esta quarta edição do evento?
As expetativas ficaram valorizadas a partir do momento que as marcas de referência nacional se inscreveram na feira. Um aumento do número de expositores em relação à primeira edição, que tem vindo a enaltecer o sucesso da feira junto dos profissionais. Por todos estes motivos a DECORHOTEL foca-se num setor muito específico, que se encontra em crescimento em todo o território nacional – o Turismo, com a necessidade de remodelação e construção das novas unidades hoteleiras.

Quais são os objetivos futuros do certame?
Acompanhar o setor e a sua dinâmica. A nossa perspetiva é alternar a feira entre Lisboa e Porto, e fazer com que seja o evento do setor, onde a oferta e a procura se encontram, com a perspetiva de atualização de propostas seguindo as tendências do design e decoração, com vista à concretização de negócios. Por outro lado, pretendemos dar a conhecer o potencial dos expositores na feira. Vamos promover ações junto dos mercados externos, nomeadamente junto dos arquitetos e decoradores para visitarem a feira com o principal objetivo de fazer crescer o potencial da DECOHOTEL que tem na base muitos fabricantes e criadores de soluções para o sector hoteleiro e similar. Para além disto iremos ter atividades paralelas durante a feira num programa a divulgar futuramente, como é hábito. Uma das atividades será o concurso internacional DECORHOTEL DESGIN AWARDS 2021 – Organização da IF- IDEAS FORWARD em conjunto com a DECORHOTEL, levando o nome além-fronteiras.