LACS e MadreMedia apresentam “It’s ok not to be ok”, um podcast sobre saúde mental e bem-estar nas empresas

O nome do podcast, “It’s ok to not be ok”, é nada mais nada menos que um empréstimo à frase repetida durante os jogos olímpicos a propósito da decisão de Simone Biles de não participar na maior parte das provas em Tóquio.

173

A saúde mental é um dos problemas mal resolvidos que a pandemia deixou a descoberto e, quando uma atleta olímpica de topo o trouxe para o espaço público, apenas reforçou a urgência de conversar e partilhar experiências e para que se encontrem novas respostas. Por isso, nesta série de conversas Rute Sousa Vasco, jornalista e publisher da MadreMedia, e M. Inês Cabral, Head of Marketing do LACS – Community of Creators, desafiaram empresários e gestores a partilhar as suas histórias de como a pandemia mudou a forma como trabalhamos e como nos vemos no mundo do trabalho. As conversas são gravadas no edifício do LACS, nos Anjos, em Lisboa, onde a MadreMedia tem instalado o estúdio “Next” de produção de conteúdos.

O primeiro episódio do podcast conta com Roberta Medina, a empresária e rosto do Rock in Rio, que chegou “bagunçando o coreto” com o seu otimismo e fé inabalável no bem que todos nós podemos fazer uns pelos outros. “Somos todos parte desse projeto único, que é a vida nesse planeta. Cada um de nós tem uma função, mas o projeto é um só. Se a gente olhar dessa forma, a gente começa a se preocupar mais com o vizinho”, diz Roberta Medina. É com esta esperança que a produtora de eventos encara a 9.ª edição do festival Rock in Rio Lisboa, que já foi adiada duas vezes desde o início da pandemia da Covid-19. Explica que é fácil desmotivar e que ficou “de luto” com o segundo adiamento, especialmente por ter de trabalhar a moral dos colaboradores sem certezas do que ia acontecer.

Para Roberta Medina, o período que estivemos em casa “acentuou a necessidade [de falarmos uns com os outros]” e “reforçou a importância do ser humano”. “De alguma forma fomos obrigados a desacelerar um pouco. Eu adorava fazer o deslocamento casa-trabalho porque sempre foi um tempo de baixar a poeira. Eu agora não quero ficar 50 minutos no engarrafamento. Passei a ser muito mais mãe agora porque eu posso jantar com os meus filhos”, revela.

Ouça o primeiro episódio do podcast “It’s ok to not be ok” com Roberta Medina no Spotify.