“É com enorme orgulho e gratidão que partilho o meu percurso”

Carla Monteiro, Sócia Fundadora e Administradora da CMA - Carla Monteiro & Associados, Sociedade de Advogados, RL., sonhou desde sempre ser Advogada. Em conversa com a Revista Pontos de Vista, esclareceu como a força de vontade é um fator-chave para o sucesso, e ainda deu a conhecer a marca que orgulhosamente fundou.

133

Há 13 anos fundou aquela que é hoje a sua “segunda casa”, um gabinete de advocacia que prima pela obtenção do reconhecimento por parte dos clientes com o elevado grau de profissionalismo expresso no trabalho que desenvolve. Em que altura da sua vida surge esta paixão pela advocacia aliada ao empreendedorismo? Quem é a Carla Monteiro como mulher e como profissional?
Desde os dez anos já dizia que iria ser advogada. Aliciada a escolher outra profissão por um amigo da família porque, segundo ele, já haviam muitos advogados no mercado, aos 14 anos, eu disse-lhe que cada um conquista o seu espaço. A minha grande inspiração para o empreendedorismo é sem dúvida o meu pai, que é o meu maior exemplo de empreendedorismo e que sempre me incentivou a ter o meu negócio próprio e ser responsável pela minha vida. Considero-me uma mulher dedicada, amiga, leal, apaixonada pela minha família e muito feliz. Já como profissional sou exigente, atenta ao cumprimento das regras éticas, realizada e grata por fazer o que mais gosto: auxiliar os meus clientes a solucionar os seus problemas ou mesmo prevenir boa parte deles.

Com o passar dos anos, foi cimentando algumas parcerias com dimensão internacional, e o culminar de todo este sucesso resultou então na sociedade à qual hoje dá nome: CMA – Carla Monteiro & Associados, Sociedade de Advogados, RL. Quais são as características que considera fundamentais na obtenção de tamanha conquista no mundo da advocacia? Quais são as suas maiores inspirações?
Acredito que as minhas principais características, que potenciaram esta projeção, são a determinação, organização, espírito de sacrifício, honestidade, ter boa retórica e uma visão alargada do meu negócio. As minhas maiores inspirações são sem sombra de dúvidas os meus pais, a quem devo tudo o que sou como pessoa. O meu pai foi um grande empreendedor, trabalhando desde os 12 anos como mecânico e tendo construído o seu império ainda muito jovem. A minha mãe é o pilar da nossa família, uma mulher de armas que nos transmitiu princípios sólidos e formou a minha personalidade com base em valores positivos. Para a área do direito tive uma forte influência do meu avô materno, que foi escrivão no tribunal de comarca e desempenhou as funções de defensor oficioso durante vários anos, quando não havia muitos advogados em exercício na sua comarca.

A igualdade de género e o empreendedorismo feminino é cada vez mais um tema merecedor de atenção. Durante todo o seu vasto percurso profissional quais foram os maiores obstáculos que se viu obrigada a enfrentar devido ao facto de ser mulher?
Desde a faculdade senti esta tendência. Mas optei por lutar pelo meu espaço, ignorando este pré-julgamento em função do género e procurando sempre uma oportunidade para mostrar o meu trabalho. Sou muito prática, traço os meus objetivos e trabalho com o foco no sentido de os atingir sem equacionar a possibilidade de falhar pois esta é uma hipótese natural. O mais interessante é que, ao longo da minha trajetória, eu tenho a experiência oposta, pois alguns clientes demonstraram uma preferência pelo meu trabalho exatamente por ser mulher e por isso ter um trato mais atencioso quando o assunto é mais delicado e/ou sensível, seja a nível emocional seja a nível económico para o cliente.

Quais são os maiores desafios que encara ao ser líder de uma sociedade de advogados como a da Carla Monteiro? E qual é a parte mais gratificante do mesmo?
Para mim os maiores desafios à frente da minha sociedade de advogados são a gestão do pessoal e a constante busca pelos meios que permitem a prestação de um serviço mais eficiente e célere.  Efetivamente formar uma equipa competente e merecedora da confiança dos clientes é um processo complexo e longo. Mas, por outro, manter esta equipa motivada é outro desafio a considerar, pois uma das funções de um líder é empoderar a sua própria equipa para que haja um bom equilíbrio em prol do sucesso da empresa. Já a parte mais gratificante é a satisfação e o sucesso dos nossos clientes. Um simples “obrigado pelo vosso trabalho”, faz o dia da minha equipa.

A nível pessoal, é coautora do guia do direito imobiliário. O que significa esta realização para a Carla Monteiro?
Na altura, foi um grande desafio para mim integrar a equipa de preparação e elaboração do guia no escritório onde trabalhava. Eu estava no início da minha carreira e ser prestigiada com este convite, que para mim foi mais uma responsabilidade, motivou-me a dedicar e a dar o meu melhor. Sinto-me envaidecida com o trabalho que desenvolvemos. Esta realização permitiu-me ganhar experiência na área da escrita, que serviu de base à elaboração de outros artigos legais para revistas jurídicas durante estes anos, estando atualmente a elaborar um novo guia prático na área laboral.

Felizmente cada vez menos, mas ainda há quem afirme que a sociedade impõe limitações à mulher e ao seu papel no mundo do empreendedorismo. Para si, ter uma carreira profissional com todo o mérito que a Carla Monteiro tem significa descurar do sucesso na vida pessoal? Porquê? Quão difícil é conciliar os dois mundos?
Nunca descurei da minha vida pessoal em prol da minha profissão. Consigo conjugar as duas vertentes, pois são elas que me completam como pessoa. Sou mãe de gémeas, trabalhei até a véspera do parto e amamentei as duas até os seus dois anos, continuando a trabalhar e a gerir um escritório com uma dezena de colaboradores e centenas de clientes e ainda, em paralelo, sou presidente da direção de um clube desportivo que compete na primeira divisão regional, com possível acesso ao campeonato nacional, tanto na modalidade de futebol como de andebol e ao nível do atletismo. Efetivamente não é fácil mas também não é impossível, desde que se estabeleçam bem as prioridades e, como é óbvio, impor-se a si mesmo algumas limitações. Temos (ainda) uma sociedade bastante machista, que naturalmente atribui algumas tarefas à mulher, devendo esta acumular o trabalho, a organização da casa e o cuidado e educação dos filhos. Contudo, cabe à mulher reverter esta tendência e obter ajuda do seu companheiro para que possa ter uma profissão e obtenha sucesso nas suas atividades. O segredo para mim é a organização e a força de vontade para superar o cansaço físico, e por vezes mental, para não negligenciar nenhum dos dois mundos.

Qual o sentimento que prevalece ao ver que vingou na área que a apaixona? Que mensagem quer deixar a todas as mulheres?
É com enorme orgulho e gratidão que partilho o meu percurso, que foi e está sendo trilhado com muito trabalho e dedicação. Deixo uma mensagem de motivação a todas as mulheres: sonhem, acreditem, lutem pelos vossos objetivos com a convicção de que a competência irá sempre vencer. Façam as coisas acontecer, procurem as oportunidades para demonstrar o vosso talento e trabalhem com brio, seja qual for a atividade que desenvolvam. O esforço valerá sempre a pena.