Qualidade como agente diferenciador no setor da Contabilidade

Com uma estreita ligação à contabilidade, consultoria e mais recentemente à fiscalidade, foi pelas mãos de Elisabete Oliveira Martins e Fernando Jorge Martins, que em 2017 nasceu a SRS Consulting. No seio desta instituição a palavra de ordem é só uma: Qualidade. Em conversa com a Revista Pontos de Vista, os empreendedores revelaram a importância da Transição Digital no setor e de que forma a empresa se manteve firme face às adversidades impostas pela pandemia da Covid-19.

311

Foi em 2012 que a CEO, Elisabete OIiveira Martins, com a ajuda do companheiro, Fernando Jorge Martins, decidiu desbravar este caminho da contabilidade. Um projeto que começou em casa e em nome individual, rapidamente se tornou numa função a tempo inteiro quando em 2015 o casal comprou a primeira carteira de clientes. “Aí começámos a crescer efetivamente e em 2017 constituímos uma empresa porque já estávamos num patamar acima. Portanto a SRS Consulting enquanto empresa só existe desde 2017, o que acabou por ser o produto do trabalho de vários anos”, confessa a interlocutora. Hoje em dia a prestigiada SRS Consulting é uma empresa de contabilidade e consultoria que todos os dias procura garantir um serviço de excelência.

SRS Consulting e o compromisso com a qualidade

Quatro anos se passaram e a realidade é que a SRS Consulting ainda não estagnou a sua evolução no mercado, – atualmente contam já com oito funcionários e a caminho de um novo espaço de trabalho. Nunca contentes com o seu posicionamento e donos de uma ambição saudável em realizar sempre mais e melhor, os fundadores da empresa têm já um novo projeto em mente. “No próximo patamar, queremos ter um novo espaço com a parte jurídica, que será assegurado pelo Fernando Jorge Martins”, revelam os entrevistados. Isto porque segundo os mesmos “é uma necessidade que existe por parte dos clientes. Termos este setor dentro da empresa acaba também por ser uma mais-valia nos serviços que oferecemos”.
Ao presenciar tamanho sucesso num mercado que todos sabemos ser competitivo, rapidamente se percebe que neste caso, o fator-chave é só um: Qualidade. A verdade é que o setor da contabilidade requer a devida importância, e a SRS Consulting, não descura nem por um segundo de oferecer um serviço digno de ser recomendado. Aquando da pandemia da Covid-19 e sem mãos a medir com a numerosa procura pelos serviços, Elisabete Oliveira Martins e Fernando Jorge Martins admitem mesmo que se viram obrigados a recusar clientes. Isto porque, mais uma vez, a qualidade do serviço está em primeiro lugar. “Tivemos que salvaguardar a qualidade dos nossos serviços, porque ao aceitarmos todos os clientes, iria existir uma maior pressão e isso iria desviar-nos daquele que é o nosso foco: trabalhar com qualidade”, sustentam.
Esta primazia por serviços de excelência confere obviamente um posicionamento com valor acrescido à organização, uma vez que a publicidade que lhes é concebida passa pela recomendação dos próprios clientes. Segundo a CEO, “isso para nós tem sido ótimo e a nível de mercado temos visibilidade porque nos recomendam, somos uma referência. Os nossos próprios colegas procuram a nossa ajuda para esclarecimento de dúvidas”.
Certo é que o desenvolvimento de uma cultura baseada na qualidade de diferenciação e competitividade de serviços abre caminho à eficácia organizacional. Por esse motivo, para os nossos entrevistados, é fundamental que no setor da contabilidade se aposte firmemente na Certificação de Qualidade. “O próximo patamar que queremos atingir é precisamente obter uma Certificação de Qualidade. Porque é uma salvaguarda para os nossos clientes e cada vez mais aquilo que nos acrescenta valor é apostar na qualidade. Cada vez mais a nível de gestão, é necessário que a contabilidade tenha padrões de qualidade. Se primarmos sempre por um trabalho exímio, estaremos preparados para lidar com qualquer adversidade sem nunca deixar qualquer cliente desamparado”, garantem.

A importância da Transformação Digital

A verdade é que o mundo se encontra em constante evolução no que diz respeito à Transição Digital – que cada vez mais é um fator-chave no seio de qualquer empresa. As mais-valias de acompanhar esta tendência são inúmeras e para a SRS Consulting é imprescindível investir nesta ordem, e por isso têm “procurado sempre ter o equipamento mais moderno possível e que facilite uma rápida e eficaz resposta”.
“Efetivamente sabemos que o digital é o futuro”, garantem Elisabete Oliveira Martins e Fernando Jorge Martins. Mas tal como em todas as mudanças, existe sempre quem ofereça alguma resistência, “não conseguimos ter todas as empresas no digital, porque há clientes que não são recetivos. Mas temos tentado mostrar da melhor forma as vantagens que o digital tem para o cliente”, asseguram.
Mais uma vez, o foco nesta adaptação à era digital, prende-se com a continuidade de uma oferta de serviços com particular cuidado. “Todo o equipamento que temos é de forma a diminuir o erro humano, porque isso na nossa área é o mais problemático. Essa possibilidade de erro pode efetivamente levar a um prejuízo que será sempre nosso. Por isso temos vindo a investir bastante nesta parte, para diminuir esta possibilidade de erro, mas também para fazer com que os nossos colaboradores sintam que o trabalho é muito mais fácil e eficiente”, sustentam.
E se muitos foram os dissabores que a pandemia da Covid-19 acarretou, no reverso da moeda está a transição digital – um dos grandes impactos positivos da mesma. Entre a adaptação a esta nova realidade e os entraves colocados às empresas, a SRS Consulting já se encontrava preparada para enfrentar todas as adversidades. “No ano anterior nós já tínhamos investido num sistema que nos permitia ter a equipa toda em teletrabalho. Fomos fazendo investimentos parcelarmente que nos permitiram dar uma resposta muito eficiente aquando desta pandemia. Nunca deixámos de trabalhar, e conseguimos dar uma resposta bastante positiva. Sem nunca esperar, acabámos por preparar a equipa e a empresa de uma forma muito boa para todo o caos que surgiu a seguir”, revelam os interlocutores.
E se dúvidas existiam no que concerne à importância da transformação digital a que cada vez mais se assiste, a Covid-19 veio acabar com elas, quem o garante é Elisabete Oliveira Martins, “a pandemia veio mostrar-nos todas as mais-valias que o digital tem. E temos vindo a ganhar clientes por causa disso também, porque os clientes sabem que numa eventualidade nós vamos estar aqui prontos para dar resposta da melhor forma”.
Apesar de toda a facilidade de trabalho que as tecnologias oferecem, no outro lado está a impessoalidade que esta transformação acarreta. Para a SRS Consulting, o maior problema foi mesmo manter a equipa motivada, principalmente no período de pandemia. “Tivemos que fazer uma gestão de expetativas e tentar que as coisas fossem o mais normais possível. A nossa maior dificuldade foi mesmo passar o enorme e constante fluxo de informação à equipa e aos clientes, numa situação em que todos estávamos esgotados e saturados, e as alterações legislativas eram constantes. Basta ver o número de diplomas aprovados e publicados, neste período”, confessam os donos da empresa
Além do cansaço mental que a Covid-19 trouxe a todos, existe também quem ainda ofereça alguma resistência quando confrontado com a nova realidade digital, e no mundo da contabilidade não é diferente. Elisabete Oliveira Martins afirma que “os obstáculos prendem-se por uma certa oposição que alguns clientes oferecerem quando confrontados com este novo método de trabalho digital. O serviço 100% digital sabemos que não é possível para todos os clientes. E nós temos que ter a sensibilidade de perceber com que clientes o podemos fazer ou não. Nós sabemos que o digital é o futuro, no entanto, temos que ter a salvaguarda de que há clientes, nomeadamente de faixas etárias mais avançadas, que não vão querer os serviços dessa forma. É muito importante respeitar essa escolha do cliente, até porque temos que ser uma mais-valia ao cliente”.
Já todos sentimos a certa altura da vida a complexidade que existe em ter que gerir uma montanha de papel, desde faturas a declarações. Hoje em dia, – felizmente – isso já não é uma realidade para a maioria das pessoas, e essa é precisamente a maior vantagem que a SRS Consulting sente nos clientes: não existir documentação em papel. Esta solução de os serviços serem realizados e entregues digitalmente aumenta a eficiência do trabalho. Além disso, os interlocutores garantem que “outra coisa muito interessante para o cliente é o facto de que tendo tudo anexado digitalmente, não correm riscos de perder nada. Torna todos os processos e a gestão mais fácil para ambos os lados. Para nós, enquanto empresa, também é ótimo porque também facilita bastante o nosso trabalho”.

Plano de Recuperação e Resiliência no futuro da SRS Consulting

Sabemos que o Plano de Recuperação e Resiliência é um programa de âmbito nacional, com um período de execução até 2026. Várias medidas e investimentos serão implementadas com o propósito de impulsionar ao país um crescimento económico, primando pelo conceito de sustentabilidade. A questão que se impõe é: será esta uma estratégia eficaz para tornar o setor da contabilidade mais moderno e digital? Para os nossos entrevistados não há dúvidas de que será. “Cada vez mais, para dar uma boa resposta, as empresas precisam de poder aceder aos fundos europeus. Estamos numa ótima fase para quem quer investir de uma forma diferente e inovadora, mais sustentável. Portanto o Plano de Recuperação e Resiliência vai ser fundamental agora, e deve ser aproveitado”, sustentam.
Para a SRS Consulting, estes fundos serão aproveitados para colocar em prática um projeto que já se encontra em andamento, onde oferecem um serviço mais inovador. Sem nunca descurar de quem mais valor lhes dá, para os interlocutores, é fundamental que os seus clientes também seja contemplados com esta ajuda.
Com os olhos postos no futuro, o foco da SRS Consulting será sempre o seu crescimento enquanto empresa com serviços exímios. Para isso, “vamos adquirir um novo espaço para conseguirmos dar uma melhor resposta e queremos fazer um novo serviço que passe pela ajuda às pessoas a conseguirem colocar em prática as suas ideias e começar o seu próprio negócio. Ou seja, inserir novos empresários no mercado”.
Para terminar, se Elisabete Oliveira Martins e Fernando Jorge Martins pudessem descrever a SRS Consulting seria: “uma empresa a desenvolver-se com mente jovem”.