Servilusa inaugura o seu 10º crematório

A Servilusa inaugurou no dia 15 de janeiro 2022, o Crematório de Guimarães, no âmbito do concurso público lançado pela Câmara Municipal para a concessão da gestão do espaço, durante 25 anos.

249

Um investimento de oitocentos mil euros da Servilusa, que gerou dois postos de trabalho diretos, com uma previsão de 740 cremações no primeiro ano de operações. O novo equipamento, edificado no Cemitério Municipal de Monchique, na cidade-berço de Portugal, tem uma capacidade instalada até cinco cremações por dia, operando em regime normal. A nova aposta da Empresa na economia nacional e regional representa uma resposta às necessidades identificadas no distrito, sendo por isso importante para toda a comunidade presente na região do Minho, que tem vindo a mostrar cada vez maior apetência pela cremação como opção de funeral, em linha com a tendência verificada a nível nacional, nos últimos anos. Paulo Moniz Carreira, diretor geral de negócio da Servilusa, destaca que «com este investimento damos continuidade ao nosso plano de expansão na área da cremação, no Minho, cumprindo igualmente o compromisso histórico da Empresa: contribuir para o desenvolvimento do setor e das comunidades onde operamos, investindo e criando emprego!». O líder da Servilusa sublinha ainda que «com este compromisso vamos ao encontro da maior procura que se tem verificado no mercado, com a cremação a assumir um peso crescente como opção nos funerais realizados em Portugal e agora a partir de Guimarães».

Portugal regista já uma taxa média acima dos 20% para funerais com cremação, e fica a partir de agora dotado com 37 crematórios, no total, 33 dos quais estão instalados no continente e dez são geridos pela Servilusa! Valores que têm vindo a contribuir significativamente para o desenvolvimento deste sector no nosso país. Juntamente com os restantes crematórios sob sua gestão, em Cascais, Elvas, Faro, Figueira da Foz, Leiria, Porto, Póvoa de Santa Iria, Santarém e Rio de Mouro, a inauguração em Guimarães vem reforçar a liderança da Servilusa na gestão de crematórios. A unidade de Guimarães veio ocupar um edifício com 350 metros quadrados de área coberta, e conta ainda um com espaço exterior de 150 metros quadrados, para estacionamento e jardim. O edifício de dois pisos com forno crematório possui uma entrada e uma zona técnica independente, permitindo desta forma que o acesso das viaturas funerárias, seja distinto do utilizado pelas famílias, que poderão acompanhar e fazer a despedida até ao último momento, do familiar ou amigo, através de um ecrã.

As principais valências de apoio ao serviço do novo crematório, como é já tradicional na rede da Servilusa, incluem espaços para Receção, Sala de Estar, Cafetaria, Capela Ecuménica, sala de Preparação de falecidos com câmara frigorifica e um Jardim da Memória ou Cendrário. Com esta inauguração a Servilusa confirma-se, uma vez mais, como um operador com todas as competências necessárias para liderar a atividade nos crematórios, desde a conceção e planeamento, à construção, operação e manutenção de cada um dos seus crematórios. Cada novo projeto beneficia da qualidade e rigor provados noutros projetos concretizados pela Empresa, e com características únicas, que diferenciam o serviço prestado e reforçam a sua liderança no setor.