Estes resultados dizem respeito a parte do concurso de 2021 do cluster 5, e correspondem a 17% do financiamento total a concurso. Em Portugal este cluster é acompanhado pela Agência Nacional de Inovação, no âmbito da rede PERIN.

Os nove projetos com participação nacional:

  • ADVAGEN: Desenvolvimento de baterias avançadas de próxima geração em estado sólido para aplicações de eletromobilidade – com participação do INEGI
  • BOLSTER: Construir pontes com comunidades marginalizadas para transições de sustentabilidade local na Europa – com participação da SPI;
  • DUT: Parceria Europeia para as Transições Urbanas – com participação da CCDR-N, CCDR-C, DGEG, DGT e FCT;
  • GIGAGREEN: Rumo à giga-fábrica sustentável: Desenvolvimento de processos de fabricação de células verdes – com participação do INEGI;
  • GREENET: Pontos de Contacto Nacional para a transição verde: clima, energia e mobilidade – com participação da ANI;
  • PULSELiON: Tecnologia de deposição de laser pulsado para fabricação de baterias de estado sólido suportada por digitalização – com participação do INEGI e da Universidade do Porto;
  • RELiEF: Reciclagem de lítio de matérias-primas secundárias e outras – com participação do INEGI, Pegmatítica e Universidade Nova de Lisboa;
  • SPINMATE: Linha piloto escalável e sustentável baseada em tecnologias de fabricação inovadoras para a industrialização de baterias de estado sólido para o setor automóvel – com participação do INEGI e da INOVA+;
  • SSTAR: Transformador de estado sólido de alta tensão inovador para maximizar a penetração de energia renovável em sistemas de distribuição e transmissão de energia – com participação da Efacec Energia.

“No espaço de pouco mais de um mês, estes são os segundos resultados do Horizonte Europa que anunciamos. Estes resultados dos concursos dos clusters 4 e 5, no seu conjunto, financiam 39 projetos com a participação de 34 entidades portuguesas. No total, estas angariaram financiamento para os seus projetos I&D no valor acumulado de 26,7 M€. Considero, portanto, que estamos no bom caminho para aquela que é uma meta que a ANI considera alcançável, que Portugal consiga captar cerca de dois mil M€ até 2027, ou seja, o dobro do que captou no Horizonte 2020”, afirma Joana Mendonça, presidente da ANI.

A concurso estavam 16 tópicos com um orçamento total de 251 M€, 2,3% dos quais atribuídos a 17 entidades portuguesas com participação nos nove projetos inovadores que obtiveram financiamento.