“A minha Paixão são as Pessoas”

O propósito é “ajudar os outros a encontrarem-se” e é esta visão nobre que diferencia Fátima Flores no dia a dia enquanto mulher e profissional. É através da empresa Fátima Flores, Consultores e da marca F.RH - das quais é fundadora – que estabelece uma relação com os clientes baseada na empatia e proximidade. Numa agradável conversa com a Revista Pontos de Vista, a entrevistada revelou mais acerca daquilo que a faz sonhar, bem como da forma com que atinge os seus objetivos. Desfrute.

Data:

Com mais de duas décadas de experiência profissional, Fátima Flores, é desde sempre uma mente inquieta movida por um propósito tão nobre como elevar o outro ao seu melhor. Foi na área da contabilidade, em França, onde começou o seu “entendimento sobre aquilo que é ultrapassar barreiras, preconceitos e julgamentos”, inicia a entrevistada. Rapidamente percebeu que não era nesta área que pretendia trilhar o seu caminho, portanto, mudou-se para Portugal, onde se candidatou na Universidade do Minho ao curso de Psicologia. Passados cinco anos, decidiu juntar “o melhor dos dois mundos” ao especializar-se em organizações, onde fundiu a formação em contabilidade com a de psicologia. Auto-Sueco, foi a empresa onde começou a sua carreira. “Estive na Auto-Sueco durante 20 anos. Dez anos em Portugal, dois em Angola e oito no Brasil”, afirma. Passado todo este tempo, – e apesar de um trajeto inigualável – percebeu que estava a desviar-se daquela que era a sua missão: desenvolver pessoas, equipas e organizações para que consigam alcançar os seus sonhos e o futuro que ambicionam, sem que nunca deixem de voar.

A mente inquieta de uma mulher sonhadora

Há quatro anos, decidiu iniciar o seu próprio negócio, aquele que durante décadas desenhou. Segundo a interlocutora, “passados estes quatro anos, consigo reconhecer que estou a construir aquilo que idealizei, com uma evolução inesperada. A minha paixão são as pessoas. Portanto segui o meu caminho e propósito, que é ajudar as pessoas e as empresas, principalmente as PME’s com gestores visionários, que sabem que uma boa gestão do seu capital humano, pode alavancar o seu negócio. Foi dessa forma que eu entrei no mercado da consultadoria de recursos humanos, mostrando aos meus clientes que ao cuidar das suas pessoas, o retorno deste investimento é imediato e a longo prazo. O impacto do meu trabalho nos meus clientes, e nas suas equipas, começou a ter grande visibilidade, e evoluir de tal forma que percebi, que apesar de trabalhar mais do que 12 horas por dia, já não conseguia dar resposta a todas as solicitações”.  O que começou com uma estrutura pequena e individual, rapidamente ganhou dimensão, o que levou a que em 2018 fosse concebida a marca F.RH, onde o foco principal é recrutamento e seleção. E se ainda existe quem duvide da importância que tem a área dos Recursos Humanos, que se desengane. Isto porque vários são os aspetos que diferenciam esta marca das restantes. “Em dois anos tivemos uma evolução extraordinária. O nosso trabalho junto das PME’s, através de um acompanhamento exímio dos clientes e candidatos, tem sido o nosso diferencial. Portanto, as empresas com quem trabalhamos têm vindo a reconhecer que este é um serviço muito mais valioso do que a própria contratação. A nossa taxa de satisfação e sucesso é elevada e, é aí que nos distinguimos, no follow-up constante”, garante a interlocutora. A verdade é que, quando se fala de sucesso, o fator-chave prende-se com o facto de gostar daquilo que se faz, do discernimento de saber que várias são as personalidades com quem se vai ter de lidar ao longo do percurso. O que para Fátima Flores, está longe de ser um problema, isto porque a mesma se compromete a transformar mentes. Sabemos que no que diz respeito à área dos recursos humanos, “a procura de emprego é um dos momentos mais críticos na vida de uma pessoa, por isso é preciso ter muita atenção quando temos uma pessoa nessa situação, portanto a nossa abordagem com os candidatos tem também isso em consideração e, fazemos questão de ter uma ligação de proximidade com o candidato, sendo o nosso foco a pessoa e o entendimento do seu momento. E, isso faz com que as pessoas nos sejam muito gratas e, mais uma vez, aqui se denota qual é o nosso verdadeiro propósito: fazer a diferença na vida das pessoas. Somos transparentes também quando uma pessoa não é selecionada, nunca deixamos ninguém no vazio. Isto, para que futuramente esses erros já não sejam cometidos e dessa forma evoluam enquanto profissionais e potenciais candidatos. A nossa preocupação é sempre a Pessoa”, garante a líder. “A Fátima Flores, Consultores”, é o segundo negócio da nossa entrevistada. Com o seu próprio nome, esta é a marca que a interlocutora tem para fornecer serviços de formação e coaching e, aquela que é uma das suas maiores paixões – desenvolvimento de pessoas. A interlocutora explica que durante toda a sua jornada sempre adorou formar pessoas, vê-las crescer. Portanto, em maio de 2020, em plena pandemia, iniciou os seus próprios cursos presenciais, ao lado do seu amigo e parceiro Rui Sousa. “Sou formada pelo Instituto Internacional do Ned Herrman na metodologia das Preferências Cerebrais, e atualmente a nossa oferta formativa assenta neste modelo, que é algo que divide o nosso cérebro: o lado direito é o cérebro emocional e global, e o lado esquerdo o racional e concreto. Ned Herrmann foi quem desenvolveu esta “teoria” depois de 40 anos de experiência”, realça. E, acrescenta ainda “tive a sorte de conhecer esta metodologia no início da minha carreira, tanto o meu crescimento profissional como a minha história de sucesso está ligada a esta experiência formativa que mudou a minha vida, por isso é que quero tanto partilhar esta minha experiência com as pessoas, porque é de facto real”.  Fátima Flores acredita que o equilíbrio entre bem-estar emocional e a racionalidade é um aspeto determinante no sucesso de uma empresa. Dá formação aos líderes e às suas equipas, começando por um auto – conhecimento de quem somos, tendo plena consciência do impacto que o perfil cerebral de cada pessoa tem nos seus relacionamentos e na sua comunicação. Esta é a melhor maneira que a interlocutora encontra para ajudar aqueles que se cruzam no seu caminho a ultrapassar um dilema tão enraizado na sociedade: o preconceito do desconhecido e do diferente. Este é, sem dúvida, o maior desafio e luta na carreira de Fátima Flores. “Os maiores desafios com que tive que lidar foram os julgamentos e os preconceitos ao longo da minha vida e, continua hoje a ser o mais difícil e desafiador – quebrar os preconceitos das pessoas. Olhar para o outro, para quem nos rodeia como se fossem uma página em branco, chamo-lhe o nirvana da empatia”, sustenta. Para uma mulher dedicada a realizar os sonhos dos outros, a questão que se debate é: qual é o sonho de Fátima Flores? Na nossa entrevista, confessa que o seu maior sonho é criar uma empresa-escola, fundir num só tudo aquilo que a realiza enquanto ser humano e profissional. “E acho que estou no bom caminho. Felizmente, estou a trabalhar com uma equipa fabulosa, com uma trajetória inigualável e que realmente me permite sonhar com o desejo que tanto quero realizar. O meu sonho é ver esta empresa crescer, enquanto empresa-escola”, termina.

Partilhar

Revista Digital

Revista Pontos de Vista Edição 116

Popular

Mais Artigos deste tipo

Ano novo no Porto celebrado ao som de Fernando Daniel e Diogo Piçarra

Os grandes concertos da festa de Passagem de Ano...

Mais de um quinto do valor gasto na Black Friday foi em compras online

Em linha com este crescimento do comércio online, o...

Mais 70% de clientes ‘Plug&Charge’ e 40 lojas

“Este incremento resulta da abertura de novos pontos em...