Compromisso e Qualidade: O sustento da Quirónprevención

A Revista Pontos de Vista esteve à conversa com Joana Nobre, Engenheira do Ambiente e Técnica Superior Segurança do Trabalho, e com Luís Ferreira, licenciado em Saúde Ambiental e em Segurança do Trabalho. Com uma vista deslumbrante sobre o rio Guadiana, foi na Barragem do Alqueva, local onde está a ser construída a maior estação de painéis fotovoltaicos flutuantes da Europa, que os dois revelaram a importância deste setor no seio empresarial e ainda de que forma a Quirónprevención, marca onde trabalham, tem vindo a implementar cada vez mais o conceito na sociedade.

858

A Quirónprevención é uma empresa de prevenção de riscos profissionais na qual as empresas mais confiam a nível internacional. Um caminho que só tem vindo a ser traçado porque a mesma se pauta por valores que sustentam a sua forma de agir, trabalhar e realizar. Paixão pelo trabalho, entreajuda, proximidade, inovação e compromisso, são fatores cruciais no seio da Quirónprevención, o que resulta num produto final caracterizado por uma qualidade sem igual. “A Quirónprevención em Portugal foi adquirida pela mesma marca em Espanha. O fator-chave para nos destacarmos é mesmo a qualidade do serviço que prestamos ao nosso cliente e esse tem vindo a ser sempre o ponto fulcral para despoletar o sucesso”, inicia Joana Nobre.

“Atualmente temos um conjunto de serviços a oferecer ao cliente bastante distintos daquilo que já tínhamos anteriormente. Trata-se de inovar e ir ao encontro das necessidades do mesmo, isto é, de acordo com o tipo de atividade de cada cliente. A inovação é sem dúvida a palavra de ordem na Quirónprevención Portugal. Outro valor que insistentemente tentamos passar ao cliente é o compromisso. Se nos comprometemos com eles, eles também devem assumir esse compromisso para connosco. E quando se desviam daquele que é o nosso propósito e aquilo que lhes tentamos incutir, o que fazemos é dar mais formação e mais acompanhamento”, afirmam os Técnicos Superiores de Segurança do Trabalho.

São cinco os serviços oferecidos pela marca. Em primeiro lugar, a saúde ocupacional, algo tão necessário não apenas no seio empresarial, como na sociedade em geral. Neste segmento a marca defende que a existência de locais de trabalho seguros e saudáveis possibilita uma boa organização, motivada, produtiva, aberta à inovação e ao empreendedorismo e impulsionadora da sustentabilidade do trabalho. Por esse motivo, contam com uma rede de clínicas com cobertura em todo o território nacional e 14 unidades móveis, para que dessa forma esteja garantida a proteção e promoção da saúde de todos os trabalhadores através de equipas especializadas nesta área. Ainda dentro da mesma linha, o segmento da segurança no trabalho, igualmente importante. A Quirónprevención cumpre rigorosamente a legislação em vigor. De que forma? Ora, avaliam e propõem melhorias para as condições de segurança do trabalho focadas nos trabalhadores, infraestruturas, equipamentos e procedimentos. Segundo Joana Nobre, “o nosso core business é mesmo a segurança e saúde no trabalho, mas também temos serviços na área da segurança alimentar. Dentro da segurança do trabalho temos vários setores: o setor do comércio, da indústria e a construção civil, e também todo um conjunto de produtos que oferecemos ao cliente direcionados para o serviço em si. Como os equipamentos de extinção, sinalética e tudo o que é relacionado com este tipo de segurança”.

Desengane-se quem pensa que a segurança do trabalho não se relaciona com a segurança alimentar. Isto porque, a gestão da segurança alimentar é fundamental para a promoção da saúde pública e visa o consumo de alimentos seguros que inclui o controlo de perigos e riscos microbiológicos ao longo da cadeia alimentar. “Estão relacionadas e há situações em que se tocam. No entanto, a segurança alimentar tem regras muito diferentes da segurança do trabalho. Ou seja, são dois tipos de trabalhos diferentes embora existam situações em que se relacionam. Como é o exemplo da higiene”, sustenta Joana Nobre. Para além disso, a educação e a formação são os pilares na manutenção da empregabilidade, redução do desemprego, combate à exclusão social e promoção da igualdade de oportunidades. Quer no seio empresarial, quer em termos individuais. Contudo, não é tarefa fácil incutir esta mentalidade em todas as pessoas, que muitas vezes oferecem resistência. “Junto dos nossos clientes e dos potenciais clientes tentamos explicar por meios de informação e formações, as obrigatoriedades legais, e para além disso, aquilo que é mais importante é o bem-estar dos trabalhadores. Então fazemos todo um conjunto de “explicação” a esse respeito com palestras, workshops, webinars, entre outros”, afirma joana nobre.

Dia Mundial para a Segurança e Saúde no Trabalho

A 28 de abril celebra-se o Dia Mundial para a Segurança e Saúde no Trabalho, uma comemoração que tem como objetivo a prevenção de acidentes e doenças profissionais a nível mundial. Isto porque, todos sabemos que uma cultura forte é aquela em que o direito a um ambiente de trabalho seguro e saudável é valorizado e promovido pela gestão de topo e trabalhadores. Quer pelo envolvimento de todas as partes na melhoria contínua das condições, quer através de uma comunicação aberta e um diálogo assente na confiança e no respeito mútuo, a realidade é que este é um conceito que cada vez mais tem vindo a ganhar relevância.

Para a nossa interlocutora, “o mês de abril é sem dúvida um mês importante. Nesse dia temos sempre comemorações, todos os anos. Este ano, para mim, é bastante desafiador porque o mote será preparar os trabalhadores de amanhã. E neste sentido, iremos às escolas e junto do 1º, 2º e 3º ciclos vamos fazer ações de sensibilização. Cultivar a segurança e apresentar aos mais pequenos a cultura de segurança. Isto porque nas atividades letivas curriculares não está incluída esta “formação”. Este é um caminho que queremos muito traçar, para fomentar cada vez mais aspetos tão importantes como estes no seio dos locais de ensino”. Por não ser uma unidade curricular nas escolas, é que surge a vontade de realizar uma ação de sensibilização junto das crianças e adolescentes, “para que, desde cedo, consigam perceber quando mesmo em casa lhes dizem que o pai ou a mãe têm um trabalho de risco, eles consigam ter a perceção de que tipo de trabalho estamos a falar. O objetivo é fomentar uma cultura de segurança a nível da sociedade também”, conclui. Neste sentido, os temas centrais desta ação terão como base os riscos e perigos para os mais novos, e os adolescentes, algo mais prático e que desperte a curiosidade dos mesmos. Sem nunca esquecer que “tudo isto é com base na prevenção. Nós, neste setor costumamos dizer que é a chamada prevenção primária, e é isso que vamos fazer nas escolas”.

O dia a dia e o futuro da marca

Certo é que os valores defendidos pela Quirónprevención são o sustento na forma de agir e trabalhar. Afirmam mesmo que esta é a forma como querem ser hoje e futuramente. Assim, é importante traçar metas e objetivos futuros para que cada vez mais, se eleve a segurança e saúde no trabalho a outro paradigma. Segundo Joana Nobre, “os próximos passos serão sem dúvida a sociedade acreditar na segurança. E acreditarem que de facto isto não é apenas uma obrigação legal, mas sim uma melhoria considerável no bem-estar dos trabalhadores e de nós enquanto pessoas. Portanto, o próximo passo – e tenho esperança – é esse”.

Luís Ferreira explica que no dia a dia, “fazemos um acompanhamento do cliente, propomos todas as alterações necessárias ou ajudamos a cumprir tudo o que é legal numa primeira fase. Numa segunda fase que é já uma luta diferente, tentamos que o cliente vá para além daquilo que a legislação nos pede. E é aqui que entramos na fase da prevenção e na melhoria das condições mínimas. Ao mesmo tempo, este é um trabalho com uma condicionante muito transversal que é o facto de termos de conhecer um pouco de todos os setores de atividade, porque trabalhamos com todos. Isto é, numa manhã podemos começar num café e à tarde estarmos numa serralharia. Vamos tendo sempre uma grande rotatividade, porque todos os setores de atividade são muito distintos uns dos outros. Independentemente de num setor existirem mais riscos do que noutros, é imprescindível que todos tenham claro de que a segurança é fundamental”.

No reverso da moeda, existem os desafios e obstáculos, tal como em todas as atividades. Neste caso, o principal é a constante adaptação que é exigida pelo trabalho. Isto porque, os profissionais desta área acabam por “ter que estudar e aprender sobre cada setor e cada projeto. Os clientes cada vez mais têm certificações diferentes a nível da Comunidade Europeia e tudo isso exige de nós, enquanto técnicos, outro tipo de responsabilidade e outro tipo de documentação, o que torna o trabalho muito desafiante”, sustentam os Técnicos Superiores de Segurança do Trabalho.

Projeto Barragem do Alqueva

O projeto para um parque com cerca de 12 mil painéis fotovoltaicos na albufeira do Alqueva, no qual a Quirónprevención presta serviços de Segurança do Trabalho, tem como objetivo produzir energia e abastecer muitas famílias desta região. O parque solar está integrado com a central hídrica do Alqueva e é um dos maiores sistemas de armazenamento de energia do país. Esta Barragem está, portanto, a tornar-se numa espécie de laboratório vivo, ao permitir que se teste a complementaridade entre tecnologias de produção de energia hidroelétrica e fotovoltaica.

Por ser um dos projetos com maior escala na qual a marca já participou, “estamos presentes o dia todo, fazemos um acompanhamento contínuo, passamos por todos os contratempos e ultrapassamos de imediato, precisamente por estar presentes, em tempo real. Portanto estamos a crescer de uma maneira diferente”, afirma Joana Nobre. Aqui a grande mais-valia é o facto de esta ser uma novidade no nosso país, o que acresce valor aos técnicos. “Construir documentação para dar apoio a este projeto e aos trabalhadores que aqui passam todos os dias foi desafiante. Partimos do ponto zero, no ponto de vista da componente água. Em termos de projetos nacionais, este foi o que se iniciou como sendo o de maior escala. Mas ultimamente, temos sentido que, por termos ficado aqui a acompanhar o projeto, as empresas que estão cá a trabalhar também nos indicam e nos procuram, o que é ótimo em termos de crescimento dentro da atividade” terminam os Técnicos Superiores de Segurança do Trabalho.