Início Atualidade “É na Diferença e na Diversidade que se encontram as Soluções Criativas”

“É na Diferença e na Diversidade que se encontram as Soluções Criativas”

0
“É na Diferença e na Diversidade que se encontram as Soluções Criativas”

A Teresa Barreira é um exemplo de pessoa, mulher e profissional persistente que ocupa um cargo de Administração na Crédito Agrícola Seguros. Desta forma, gostaríamos de conhecer mais aprofundadamente a sua história. Nestas três vertentes, o que nos pode contar?
Nasci em Angola há 49 anos, mas desde muito cedo regressei a Portugal, país de origem de toda a família. Até aos 18 anos vivi no distrito de Vila Real, tendo ainda neste período morado três anos em França. Sempre fui curiosa, com vontade de aprender e de crescer. Frequentei o ensino superior em Lisboa e acabei por assentar a minha vida pessoal e profissional nesta cidade que considero encantadora.
Nunca me intimidei com a diferença. Pelo contrário, gosto de ideias novas, de ser surpreendida pela diversidade, de estar com pessoas que me ensinem e gosto de refletir sobre os assuntos. Acredito que a aprendizagem multivariada ao longo da vida, o chamado lifelong learning, é determinante para o sucesso pessoal e profissional. Quero continuar a atualizar-me, através de formações, certificações e experiências em diversos domínios.
No mundo corporativo, sei que o todo é maior que a soma das partes e que as pessoas e o trabalho em equipa são verdadeiras forças motrizes que nos levam mais longe. Nos projetos e nas equipas com quem trabalho advogo a participação, a responsabilidade e a tomada de decisão factual e fundamentada.

Integra há mais de 20 anos a empresa Crédito Agrícola Seguros (CA Seguros), tendo passado, ao longo deste tempo, por variadas posições – em grande parte de liderança. Como tem vindo a ser a sua caminhada profissional nesta que é uma marca reconhecida no setor?
Tem sido um percurso transversal, feito em diversas áreas da Companhia sempre com o denominador comum de ser enriquecedor e gratificante.
Comecei a trabalhar na CA Seguros em 1998, quando ainda assumia a designação de Rural Seguros. Literalmente, posso dizer que comecei a dobrar: dois part times, uma parte do dia na Área Financeira, a outra parte na Área de Acidentes de Trabalho.
Com o crescimento da empresa, rapidamente fiquei a tempo inteiro na área Financeira, onde trabalhei com o atual CEO e fui responsável por toda a cobrança dos prémios de seguro e reconciliação contabilística com as Caixas Agrícolas.
Mais tarde, fui convidada para criar o departamento de auditoria interna, num momento em que as boas práticas de governação e de controlo interno tendiam para instituir autonomamente esta função. Criar do zero o departamento de Auditoria Interna da CA Seguros foi um projeto desafiante. O meu foco foi assentar a auditoria nas melhores práticas. Fiz várias formações e assentei a função no referencial COSO, para criar valor e para melhorar a eficácia dos processos de gestão de risco e de controlo.
Aproximadamente há 12 anos, integrei o grupo de trabalho que tinha por objetivo adaptar a estratégia e a estrutura da Companhia às exigências de crescimento, aos imperativos de qualidade e eficiência e aos enormes desafios regulatórios que se perspetivavam. Foi um projeto transformador, durante o qual adotámos um sistema de gestão de qualidade baseado na ISO 9001 e que, a par com a nossa gestão de Recursos Humanos, ainda hoje é a chave para o sucesso que consistentemente verificamos. Não tardou a que ficasse responsável pela Qualidade e Controlo Interno e, mais tarde, responsável de Organização e Compliance, com temas tão vastos como o desenvolvimento estratégico, a conformidade, a qualidade, a continuidade de negócio, a proteção de dados, para citar alguns. Em 2020 tive o privilégio de integrar o Conselho de Administração Executivo onde trabalho com os restantes colegas num ambiente de total parceria, coesão e alinhamento a causas comuns.

Assim, atualmente, é Membro do Conselho de Administração Executivo na CA Seguros. Aquando de assumir esta posição, quais foram as metas que se propôs a concretizar perante a marca e os clientes da mesma?
Começo por referir o objetivo de aumentar a segurança e consolidar a gestão dos riscos associada às tecnologias de informação e comunicação (TIC). A nossa atividade utiliza intensamente as TIC para o funcionamento operacional e para prestar serviços de seguros e as tecnologias são cada vez mais complexas e determinantes para que se atinjam objetivos estratégicos, operacionais e de reputação. Assim, é fundamental garantir que temos um sistema de governação adequado e uma estratégia de TIC definida que nos prepare para evitar e gerir os incidentes relacionados, incluindo os incidentes de cibersegurança.
Na CA Seguros, bem como no Grupo Crédito Agrícola que integramos, a segurança de informação é olhada como um ativo essencial ao funcionamento e desenvolvimento do negócio. Por isso, é fundamental ter um quadro de segurança lógica e física das TIC sólido, que integre o sistema global de gestão de riscos e que proteja os ativos de informação conforme a sua criticidade.
Também a continuidade de negócio é um sistema que pretendemos robustecer ainda mais, adotando as melhores práticas nesta matéria, designadamente as previstas na ISO 22301, que possam ser avaliadas e certificadas. No atual contexto económico, sabemos que a resiliência e a estabilidade são especialmente importantes sendo fundamental dispor de planos de contingência que permitam operar numa base contínua. Na CA Seguros respondemos prontamente e com elevada eficiência à pandemia da Covid-19 e sabemos que as capacidades de gestão de continuidade de negócio são determinantes para dar resposta a uma eventual perturbação grave da atividade, seja na vertente operacional, humana ou tecnológica.
Consolidar a sustentabilidade na CA Seguros é também outro compromisso. Destaco, entre outros, o objetivo que fixámos para este ano de orientar os nossos investimentos financeiros para uma componente ESG e que vamos monitorizar periodicamente. Enquanto grande investidor institucional, o setor segurador poderá dar um importante contributo para o financiamento sustentável da economia, o que é compatível com preocupações relacionadas com o equilíbrio na gestão de ativos-passivos e com o binómio rentabilidade/risco.

Certo é, ao longo de 28 anos de atividade, a CA Seguros tem realizado um percurso de solidez, crescimento, qualidade e afirmação no mercado. Na sua perspetiva, quais são os fatores que têm conduzido a empresa a este patamar?
O facto de fazermos parte de um grupo financeiro que tem características muito próprias e distintas, nomeadamente o conhecimento pessoal e a relação especial de proximidade e confiança com os Clientes, faz com que desde cedo tivéssemos especial cuidado com a qualidade e nos orientássemos para a máxima eficiência na prestação de serviços ao Cliente. Em 2011 fomos certificados pela Norma ISO 9001 (Certificação de Qualidade), que abrange a totalidade dos nossos sistemas de gestão.
Com este foco, desenhámos soluções muito completas que garantem uma proteção efetiva aos nossos segurados, minimizando reclamações e insatisfação na regularização de sinistros e contribuindo para elevados níveis de satisfação e recomendação sendo comprovados pelos nossos resultados e crescimento.
Outro fator importante é o forte alinhamento dos nossos Colaboradores e das Caixas Agrícolas com os objetivos da empresa, assegurando níveis de serviço elevados aos Clientes.
Não menos relevante é o acompanhamento das tendências e o reconhecimento da inovação como parte fundamental da nossa estratégia e do nosso investimento. Incluímos na nossa estrutura um Gabinete de Resseguro e Inovação que tem a responsabilidade de encontrar e avaliar fatores inovadores, incorporando-os nos produtos e serviços e nos processos e modelo de negócio.
Os nossos resultados devem-se ainda à nossa política de subscrição que se baseia numa gestão sã e prudente dos riscos visando garantir uma carteira equilibrada.

O portefólio de produtos da CA Seguros é muito completo e visa responder às mais diversas necessidades dos seus clientes. De que forma, através das soluções seguradoras, a marca tem mantido um nível de qualidade superior e distintivo no mercado onde opera?
Como referi, temos um conjunto completo de produtos que procura responder às mais diversas necessidades de proteção dos nossos Clientes nas suas diversas fases de vida, seja de âmbito pessoal ou empresarial. Temos a preocupação em dotá-los de características próprias e essenciais aos Clientes que, por essa razão, nos procuram e nos recomendam.
Não menos importante é o facto de trabalharmos com os melhores parceiros na prestação de assistência e apoio em caso de sinistro, o que se traduz num reconhecimento por parte dos sinistrados e do mercado.
Outro fator que nos diferencia é o serviço de excelência e a relação que temos de proximidade com os Clientes e com as Caixas Agrícolas, que são a nossa rede de distribuição.

A CA Seguros foi, no passado 2021, pela quarta vez consecutiva, a Melhor Empresa para Trabalhar no setor da banca, seguros e serviços financeiros. Estas conquistas são o reflexo do empenho, qualidade e envolvimento da equipa? Enquanto Administradora da mesma, quão gratificante é, para si, observar o resultado positivo da causa/efeito que cria neste meio?
Sem dúvida que as distinções que nos têm sido atribuídas no âmbito dos recursos humanos são fruto do envolvimento da equipa. Na CA Seguros valorizamos as práticas de gestão de recursos humanos e preocupamo-nos em criar condições para que todos os Colaboradores se sintam bem, com um excelente ambiente de trabalho e que estejam motivados e alinhados com a estratégia e os objetivos que a Companhia implementa. São os Colaboradores que avaliam a CA Seguros enquanto empresa de excelência e demonstram o seu sentimento de orgulho retribuindo com empenho, dedicação e reconhecimento público através das distinções.
Enquanto administradora é gratificante constatar que o investimento que fazemos nos nossos Colaboradores é reconhecido pelos próprios e que existe um enorme envolvimento das equipas e uma entrega diária que depois se reflete nos resultados e reconhecimentos da CA Seguros.

Outro tema que importa ser discutido é a questão da igualdade. Apesar do maior envolvimento das mulheres em funções públicas de tomada de decisão, sabemos que a mesma proporção de géneros está longe de ser uma realidade. Considera que o facto de ser mulher é, de alguma forma, um desafio acrescido no mundo da liderança?
É um facto que, a nível mundial, a igualdade de género e a capacitação das mulheres não é, infelizmente, uma realidade e permanecem muitas formas de discriminação. Em muitas geografias, há políticas e culturas organizacionais que não promovem um tratamento equitativo de género, verificando-se uma grande desigualdade e disparidade salarial entre homens e mulheres.
Assim, à escala global, apesar dos progressos conseguidos em termos de habilitações académicas e experiência profissional, efetivamente considero que o facto de ser mulher representa um desafio acrescido no mundo da liderança e é fundamental combater os estereótipos de género.
Normalizar o papel da mulher em funções de administração, executivas, de empreendedorismo, inovação e de tecnologias de informação é fundamental pois é na diferença e na diversidade que se encontram as soluções criativas.
Na CA Seguros a igualdade de género sempre foi uma prática intrínseca à gestão e promovemos um tratamento igualitário. Cerca de 60% das funções de coordenação são exercidas por mulheres, estas representam um terço nos lugares de direção e o próximo mandato do Conselho de Administração Executivo terá uma maioria de elementos femininos.

Neste sentido, é fundamental dar «voz» a todas as mulheres para que, também elas, possam inspirar outras a seguirem o seu caminho, seja ele na liderança ou não. Assim, tendo em conta a sua experiência, que mensagem gostaria de deixar a todas as mulheres que, tal como a Teresa Barreira, pretendem traçar um caminho livre de preconceitos?
Não há uma só regra, um só caminho e cada caso é único e particular, mas genuinidade, perseverança, otimismo e olhos postos no futuro são as minhas recomendações, seja para uma carreira no mundo empresarial ou não. Acredito na capacidade que temos, como mulheres, de gerar novas perspetivas, de trazer prosperidade para as empresas onde trabalhamos ou propósito nas empresas que criamos.

Não menos importante, o que a motiva, a si, a ser cada dia melhor profissional?
Motiva-me trabalhar para a Atividade Seguradora e para o Grupo Crédito Agrícola.
O Crédito Agrícola é um grupo financeiro moderno e dinâmico que, desde há mais de cem anos, tem vindo a contribuir para o desenvolvimento económico e social de Portugal, das nossas regiões e comunidades. Além da sua solidez financeira apresenta também um património imaterial inegável edificado por associados, Clientes e Colaboradores, que está próximo das pessoas e as apoia nos seus projetos.
Já os seguros são uma pedra basilar na vida moderna, sem os quais segmentos da nossa sociedade e economia não funcionariam. A atividade seguradora oferece proteção contra riscos e permite que as pessoas vivam o seu dia a dia e que empresas operem, inovem e se desenvolvam. A constatação de qua a atividade que escolhi faz sentido e agrega valor para a sociedade é um motivo de grande satisfação.