“Portugal oferece um contexto muito interessante para investimentos, o que poderá potenciar as operações de F&A”

A Revista Pontos de Vista esteve à conversa com Bernardo Maciel, CEO da Yunit Consulting, uma marca de excelência que tem como desiderato principal apoiar as PME lusas a estarem bem preparadas, promovendo a sua competitividade e capacidade inovadora. O tema principal passou pela vertente das Fusões e Aquisições em Portugal e o papel que a Yunit Consulting tem neste setor de enorme crescimento e potencial, até porque Portugal é um dos países que promove um cenário interessante no domínio de investimentos numa lógica de proximidade, o que poderá potenciar as operações de F&A no nosso país.

293

A Yunit Consulting é o principal parceiro das empresas portuguesas, do pensamento estratégico à implementação da mudança, inspirado no estado da arte e nas melhores práticas de gestão. Com um percurso pautado por ousadia, confiança, transparência e compromisso, quem é hoje esta empresa?
A Yunit é hoje uma PME, com 37 colaboradores com experiências e percursos distintos que tem como foco a criação de valor nas empresas. Sermos uma PME e termos contextos e desafios semelhantes aos dos nossos clientes, coloca-nos numa posição privilegiada para conseguir identificar e diagnosticar as mudanças no mercado, traduzi-las para o contexto de cada empresa, apoiar a sua mudança e continuar a criar valor nos nossos clientes. Fazemos da diversidade de competências e da sua melhor combinação em cada projeto/cliente uma das nossas principais vantagens competitivas. A abordagem holística às necessidades das empresas é um imperativo critico pois já não há soluções fechadas e estanques. A capacidade de diagnosticar o momento de intervenção e projetar o impacto desta nas diferentes áreas do negócio exige competências diversas e complementares. Este tem sido o nosso compromisso.

A missão da Yunit Consulting é apoiar as PME portuguesas a estarem bem preparadas, tornando-as mais competitivas. Que soluções específicas e orientadas para o crescimento e a eficiência dos clientes a marca apresenta no mercado?
O nosso propósito é apoiar as empresas a tomar melhores decisões para um crescimento contínuo da sua competitividade. Por isso, a nossa oferta está focada no apoio à Capitalização e ao Investimento, sobretudo através de incentivos financeiros e fiscais, Gestão da Inovação, Eficiência Operacional e Consultoria Financeira. Com este posicionamento procuramos reunir competências o mais complementares ajustando a resposta às necessidades das empresas. Temos por isso pessoas das mais diferentes áreas: economia, finanças e gestão ou engenharia (Biomédica, Mecânica, Física, Eletrónica, etc.) Adicionalmente, temos uma equipa especializada em Corporate Finance com serviços que vão desde a Avaliação de Empresas às Fusões e Aquisições.

As empresas têm de continuamente criar valor no mercado em que atuam e as Fusões e Aquisições representam uma das opções estratégicas mais rápidas e eficazes para as organizações diversificarem as suas atividades e se tornarem mais inovadoras e competitivas. De que forma a Yunit Consulting atua nesta área de forma a ajudar as empresas a alcançar sinergias financeiras?
Há dois grandes desafios históricos e críticos para a competitividade e sobrevivência no mercado que as empresas têm vindo a adiar enfrentar: a capacidade de inovar e a descapitalização estrutural. A boa notícia é que hoje as PME nacionais têm um contexto altamente favorável à sua transformação e ao investimento, seja pelos imperativos de um novo contexto na economia e no mundo, mas também pelo conjunto de medidas e estímulos que a União Europeia e o Governo têm disponibilizado: Portugal 2020, PRR e o novo Portugal 2030. Olhando de forma desinibida para diferentes formas de atuação, pode estar aí o segredo do crescimento: ponderar alianças estratégicas, equacionar fusões e aquisições e avaliar outros instrumentos para financiar o investimento (Venture Capital e outros). Este “olhar com novas lentes” pode ser potenciado apoiado em especialistas como a Yunit que proporciona às empresas a rede e o conforto necessários para avaliarem estas alternativas estratégicas, determinantes e decisivas para a inovação e competitividade do nosso tecido empresarial.

Sabe-se que o mercado português de Fusões e Aquisições registou 553 transações no valor de 19.200 milhões de euros em 2021 – mais 31% das operações e 2% do capital mobilizado do que em 2020. Na sua perspetiva, quais os motivos que fomentaram este aumento?
Destacaria alguns fatores que contribuíram para este crescimento: maior apetência por negócios com dimensão inferior a 10M€ (26% das transações em 2021 vs 20% em 2018); crescimento do mercado de Private Equity (51 transações em setores como a cerâmica, papel e plásticos, distribuição e saúde); sucesso no desinvestimento das Sociedades de Capital de Risco em projetos maduros aportando mais liquidez no mercado e um elevado dinamismo de investimento em start-ups e negócios com elevado potencial de crescimento (113 operações, maioritariamente na área da tecnologia e saúde). Saliento, também, o contributo do Banco Português de Fomento, com a abertura de novas linhas de financiamento: Linha de Recapitalização Estratégica destinada a PME e MidCap de interesse estratégico nacional e que pretendam promover a sua expansão, consolidação e o desenvolvimento de novas áreas de negócio e produtos; Linha de Fundos de Capital de Risco que apoia projetos que ainda não tenham operado no mercado e até 7 anos desde a primeira venda comercial ou empresas que pretendam entrar num novo mercado; Programa Consolidar para PME e MidCap impactadas pela pandemia, mas economicamente viáveis e com potencial de recuperação.

Com todas as lições que a pandemia nos trouxe, os empresários deverão manter-se atentos à forma como o acelerado ritmo de mudança pode impactar o mercado. Assim, após um ano recorde F&A, considera que o nível de atividade poderá continuar robusto em 2022? Quais são as perspetivas da Yunit para os próximos meses?
As alterações estruturais ao longo da última década em Portugal que referi atrás (elevada liquidez e processos de desinvestimento bem-sucedidos das Private Equity e novas dinâmicas de capitalização introduzidas pelo Banco Português do Fomento) mantêm um contexto favorável à sua dinâmica, principalmente em  alguns setores: TIC (foco na digitalização e cibersegurança); Imobiliário (visando reduzir risco – setor da hotelaria); Agrícola (especialmente nas culturas de olival, vinha e amêndoa); energias renováveis e empresas compliance com os critérios ESG. Por último, as alterações macroeconómicas com impacto nos custos das empresas (subida dos preços dos transportes, energia e outras matérias-primas) que pode gerar um aumento dos níveis de endividamento das empresas. As recentes alterações legislativas efetuadas no âmbito do Programa Especial de Revitalização (PER) e do Regime Extrajudicial de Recuperação de Empresas (RERE) proporcionam um contexto favorável à sua revitalização, estimulando movimentos de aquisição de empresas para posterior reestruturação. É exemplo disso o crescimento do número de Fundos de Private Equity em Portugal focados neste tipo de operações. Numa altura em que os investidores têm liquidez e procuram estabilidade e confiança, Portugal oferece um contexto muito interessante para investimentos numa lógica de proximidade, o que poderá potenciar as operações de F&A no nosso país.

Do ponto de vista da atividade da Yunit Consulting face às constantes mudanças que temos vindo a assistir, de que forma irá continuar a acompanhar a evolução de cada empresa, seja na captação de fundos, na otimização de custos, na expansão para novos mercados ou outras necessidades?
Dada a descapitalização histórica das empresas portuguesas, mas também como consequência do contexto dos últimos dois anos, tem havido um foco na melhoria dos rácios económico-financeiros por forma fazer face a um novo ciclo de investimento. Reforçamos o nosso posicionamento enquanto parceiro das empresas na melhoria da performance estratégica, financeira e na criação de valor. Fazer crescer um negócio não é tarefa fácil, exige dedicação, persistência e atenção permanente, por isso, o nosso papel é encontrar soluções para aumentar a capacidade das empresas nos seus projetos de investimento, permitindo-lhes foco total no seu negócio melhorando a sua competitividade num mercado global.