Campanha das Aldeias de Crianças SOS pretende alertar para a importância da família

Em Portugal registaram-se mais de 40 mil pedidos de ajuda para crianças que crescem sozinhas. A mais recente campanha das Aldeias de Crianças SOS, lançada com o objetivo de celebrar o Dia da Família, que se comemora no dia 15 de maio, pretende alertar para a importância do conceito família.

137

Com o mote O que é a família? É o melhor lugar para uma criança crescer, as Aldeias de Crianças SOS querem sensibilizar para a importância da família como núcleo fundamental para o desenvolvimento da criança.

De acordo com Luís Cardoso de Meneses, Secretário Geral das Aldeias de Crianças SOS Portugal, “é com a família que a criança começa a ser o autor da sua vida e a escrever a sua própria história. No entanto, em Portugal registaram-se mais de 40 mil pedidos de ajuda para crianças negligenciadas que crescem sem o apoio de uma família. Crescem sozinhas. As Aldeias de Crianças SOS existem e trabalham diariamente, em Portugal e em mais de 138 países do mundo, para mudar esta realidade. Para que cada criança possa pertencer a uma família, crescer com amor, respeito, segurança e ser autora da sua própria história.

Com esta campanha solidária, as Aldeias de Crianças SOS pretendem demonstrar a importância que uma família pode ter no crescimento de uma criança ou jovem e o melhor exemplo é um caso real. A Maria quando era apenas uma criança teve um pai abusivo e alcoólico, e, sem proteção, foi vítima de violência no seio da sua própria família. Atualmente é mãe e está feliz, mas quando chegou aos cuidados das Aldeias de Crianças SOS, a sua ideia de família era imperfeita pois faltava-lhe bons exemplos dos seus próprios pais.

Quando questionada sobre o verdadeiro significado de “família”, a Maria afirmou que “Família é partilha e afeto. Fui aprendendo com as Aldeias de Crianças SOS a construir esta ideia, porque nunca tive referências. O CAFAP (Centro de apoio Familiar e Aconselhamento Parental) da Guarda é como se fosse a extensão da minha família. Ajudou-me na organização do meu tempo para cuidar da minha filha, a perceber a importância da estabilidade na família e, principalmente, a importância da rotina”. “Hoje tenho uma boa relação com a minha filha e ela conta-me tudo, desde as suas ambições até aos seus medos na vida. Estou muito orgulhosa por ela estudar e querer ser uma jogadora de futebol”, conclui.