Ser Mulher na Indústria Metalomecânica

À conversa com a Revista Pontos de Vista esteve Margarida Bento, Engenheira Mecânica de formação e uma das Fundadoras de uma empresa de produção na área da Metalomecânica, a MetalMab. Nas linhas que se seguem, falamos sobre a história de sucesso de uma pessoa, mulher e profissional que vincou e continua a conquistar um setor predominantemente dominado por homens.

178

A MetalMab é uma empresa que se dedica ao fabrico de peças de precisão, à medida das necessidades dos seus clientes. Dentro daquilo que é o seu setor e os serviços que apresenta, de que forma a marca se destaca?
A marca Metalmab destaca-se pelo serviço e acompanhamento dedicado ao cliente, muito para além de apenas produção. Acompanhamos muitas vezes a fase de projeto, apresentando soluções que possam ser uma mais valia para ambas as partes.

Sediada em Coimbra, a MetalMab está conectada com o mundo enquanto parceira na construção de projetos ambiciosos. É legítimo afirmar que as empresas consideram a MetalMab muito mais do que um fornecedor, um parceiro de confiança e um apoio incondicional no cumprimento dos seus objetivos e garantia de prazos? O que fomenta esta ideia?
A Metalmab é uma empresa maioritariamente de exportação que trabalha sobretudo para os mercados Alemão, Francês e Austríaco. São mercados muito exigentes a nível de qualidade, rigor técnico e cumprimento de prazos e o nosso comprometimento para respeitar estes pontos e fazer com que façam parte da cultura da empresa tem sido fundamental para cimentar a relação muito mais como parceiro, que apenas como fornecedor, criando relações de proximidade entre nós e os nossos clientes.

Além disso, a marca procura conseguir um aperfeiçoamento contínuo em todas as fases dos processos. Em que medida a inovação é uma peça fundamental nas soluções da MetalMab?
A Inovação é e será sempre a chave mestra do sucesso e da continuidade da Indústria e nesse sentido a MetalMab encara a Inovação como um ponto essencial do seu desenvolvimento tecnológico, estando em constante atualização de tecnologia e de desenvolvimento e formação dos seus colaboradores permitindo que a empresa tenha um desempenho positivo cada vez maior a nível produtivo e humano.

Sabemos que a Margarida Bento é licenciada em Engenharia Mecânica e que, há mais de cinco anos, é Plant Manager da MetalMab. Olhando para trás, mais especificamente para o momento em que estudava, o que significa integrar esta empresa reconhecida no mercado?
A Engenharia Mecânica foi uma escolha que teve por base o fascínio que tinha pelo Indústria, pelo “como se faz as coisas e porquê”.
Ser uma das fundadoras e gerir uma empresa de produção na área da Metalomecânica foi um grande desafio profissional e pessoal que me faz sentir realizada e que me permite falar, muitas vezes com os nossos colaboradores mais novos, a incentiva-los a aceitar desafios que os faz crescer como profissionais e pessoalmente e que lhes pode ser muito gratificante.

Sabendo que outrora a Engenharia Mecânica era uma área tradicionalmente escolhida e frequentada por homens, pela experiência que hoje tem no mercado, considera que as mulheres ainda se debatem contra desafios maiores? O avanço na procura por espaço das mulheres neste ramo ainda está em curso e tem muito a ser conquistado, na sua opinião?
Na minha opinião, os desafios que a mulher de hoje tem nesta área não serão os mesmos que há 30 anos, em que a mulher, à partida, pelo facto de ser mulher, era delegada para funções mais secundárias ou mais administrativas, apenas pela sua condição de género, mesmo que muitas vezes mostrasse mais capacidades que um homem para determinada posição.
Ainda se sente pontualmente que a mulher é encarada como uma pessoa que não está preparada para estas coisas técnicas, bem como para os negócios, mas rapidamente a ideia desaparece porque a mulher habituou-se a ter que se preparar muito bem, melhor muitas vezes que o homem, para todos os desafios que aparecem, inclusive até para aqueles que eventualmente ainda a tentem diminuir por ser mulher.
Hoje os desafios são muito mais com a dificuldade que a própria mulher tem para conseguir conjugar a parte profissional cada vez mais exigente com a outra parte mais familiar, que continua ainda muitas vezes a ser apenas encarada como sendo uma responsabilidade feminina.
Eu tive a sorte de ser acompanhada pelo meu marido que me apoiou e apoia nesta caminhada do empreendedorismo e que tem estado sempre do meu lado apoiando todas as minhas decisões e que o facto de ser mulher é uma mais-valia e não um “defeito”.

A verdade é que a Margarida Bento é um caso de sucesso e um exemplo de liderança feminina. Neste sentido, como procura inspirar a sua equipa e, em particular, as suas colegas de profissão?
Na nossa equipa temos uma percentagem significativa de mulheres, na área administrativa e no processo de produção e, em ambas as áreas, procuro que na MetalMab as mulheres se sintam valorizadas pelo que são como pessoas e como profissionais e que nada lhes está vedado por serem mulheres.
Procuro falar com todas elas pessoalmente para que se sintam bem por serem mulheres e até orgulhosas por serem pessoas fortes, capazes de enfrentar algum estigma que possa existir nesta área, e sinto que isso lhes dá de alguma maneira motivação e força para sentirem orgulho nelas próprias.

Para terminar, observando o futuro da MetalMab e em simultâneo da Margarida Bento, que novidades podemos esperar? O que nos pode confidenciar?
A MetalMab no final do ano passado lançou uma nova área de negócio, no fabrico de fachadas para edifícios e que, portanto, será uma área em que queremos atingir o nível que atingimos na maquinação de peças de precisão e que exigirá da minha parte e da nossa equipa um trabalho árduo de organização e produção em que continuarei a investir para que sejamos um exemplo.