“O nosso objetivo é Promover Soluções Microeconómicas”

Orientar as empresas luxemburguesas na adoção de práticas empresariais responsáveis é a missão do Instituto Nacional de Desenvolvimento Sustentável e Responsabilidade Social Empresarial (INDR). Em conversa com a Revista Pontos de Vista, o Secretário-Geral, Norman Fisch, revelou qual tem vindo a ser o papel da entidade no que diz respeito à transição para uma economia verde num país como o Luxemburgo.

Data:

O Instituto Nacional de Desenvolvimento Sustentável e Responsabilidade Social Empresarial (INDR) foi criado com o objetivo de promover a Responsabilidade Social Empresarial (RSE). Para melhor compreendermos, qual tem sido, ao longo dos anos, o papel da entidade?
O INDR foi criado há 15 anos pela Union des Entreprises Luxembourgeoises (UEL), a Associação Nacional de Empregadores, com a missão de orientar as empresas luxemburguesas na adoção de práticas empresariais responsáveis. A RSE ajuda empresas individuais a contribuir para o desenvolvimento sustentável e melhorar o seu desempenho e reputação, ao mesmo tempo em que melhora a competitividade do país e a sua marca nacional. Como ator normativo, primeiro elaboramos uma definição comum, juntamente com os principais atores do ecossistema de sustentabilidade no Luxemburgo e compartilhamos a nossa experiência através do diálogo institucional. Em seguida, desenvolvemos um programa nacional de RSC chamado ESR – ENTREPRISE RESPONSIBLE para promover as novas ideias entre as empresas. Inclui sensibilização e construção de competências, uma ferramenta de avaliação online e um selo atribuído após uma verificação independente de terceiros no local. O INDR atua, assim, como uma plataforma entre as questões de sustentabilidade identificadas e as soluções adequadas que podem ser adotadas pelas empresas. Também criamos o ProRSE, a primeira associação de profissionais de RSE. Mais de 1500 empresas já utilizaram os nossos serviços e 250 empresas já possuem o selo ESR, identificando-as como empresa responsável.

Sabemos que o INDR é a porta de entrada para todas as empresas luxemburguesas que desejam contribuir para o desenvolvimento sustentável. Nesse sentido, quais habilidades considera que as mesmas precisam para esse desenvolvimento?
Para integrar a responsabilidade e melhorar o comportamento corporativo, as empresas precisam primeiro de estar cientes dos desafios e oportunidades apresentados pela sustentabilidade. Promovemos principalmente os benefícios da RSE em termos de gestão de risco e reputação, inovação, otimização de recursos e marca do empregador, mas é aconselhável entender o business case completo da RSE e as suas implicações estratégicas. O INDR contribui para o aumento da conscientização através de conferências, contribuições dos média e publicações e desenvolvemos uma referência abrangente sobre RSE em Luxemburgo, o Guia ESR. A iniciativa de RSC pode ser desencadeada por qualquer departamento (RH, qualidade, produção) mas, em última análise, a liderança do CEO e do conselho é necessária para fazer qualquer mudança estratégica duradoura. A configuração de uma governança de RSC e uma pessoa responsável pela RSC com as competências, autoridade e recursos necessários são igualmente essenciais, pois esse empreendimento transformacional precisa de ser dotado de pessoal como um projeto de gerenciamento de mudanças que afeta todos os departamentos. Em colaboração com a Casa da Formação, o INDR oferece também um ciclo de formação certificadora. Para iniciar o processo, é indispensável ter um profundo conhecimento da maturidade da empresa nas diversas questões de sustentabilidade. O INDR propõe um checklist de mais de 100 tópicos de RSE para avaliar o desempenho de uma unidade de negócios e oferece um plano de ação com ideias de implementação. O nosso selo ESR também ajudará a alinhar o empreendimento CSR da empresa, mas, em última análise, é um projeto de médio a longo prazo baseado na melhoria contínua.

A missão do Conselho de Administração da organização é validar a estratégia do INDR e propor áreas de melhoria e desenvolvimento. Como Secretário-Geral, quais considera que são os maiores impactos sociais e económicos no caminho de transição do Luxemburgo para uma economia verde?
Estudar as relações entre empresas e sociedade é um amplo campo académico. Embora precisemos de entender as repercussões macroeconómicas da melhoria do comportamento corporativo na economia, na sociedade e no meio ambiente, o INDR concentra-se principalmente na pesquisa para melhorar as práticas gerenciais de negócios. Como uma instituição neutra, não desejamos desempenhar nenhum papel político e não comentaríamos ou recomendaríamos quaisquer decisões políticas. O nosso objetivo é promover soluções microeconómicas: diálogo com as partes interessadas, foco estratégico, melhoria contínua, governança aprimorada, processos de due diligence, relatórios transparentes, gestão da diversidade, abastecimento regional, economia circular, energia renovável… Parece-me claro que as nossas empresas devem ser ajudadas e orientadas nos seus esforços para entender as questões e tomar as decisões corretas de investimento. No entanto, o Luxemburgo é um país pequeno com poucos recursos locais, uma economia aberta com um forte setor financeiro e uma população culturalmente muito diversificada. A nossa força de trabalho educada e multilinguística, caminhos curtos de decisão política e a nossa liderança em finanças sustentáveis ​​podem ajudar-nos a obter uma vantagem de pioneirismo se pudermos manter condições equitativas para bens e serviços eco-responsáveis ​​no mercado europeu.

O INDR afirma que as empresas no Luxemburgo demonstram um comportamento responsável ao integrar o desenvolvimento sustentável na sua estratégia. De que forma?
Uma empresa depende inteiramente de insumos da sociedade: recursos naturais, clientes, funcionários, investimentos, fornecedores… Assim, a melhor estratégia para uma empresa é proteger os ativos necessários existentes na sociedade. A única estratégia sustentável é criar valor para a empresa, preservar e desenvolver valor na sociedade. O valor é muitas vezes mal interpretado como apenas valor financeiro ou monetário. Mas o retorno do investimento para os acionistas é apenas o resultado de uma sequência de criação de valor de outros tipos dentro de uma empresa: gestão de intangíveis (por exemplo, conhecimento ou alinhamento organizacional), execução de processos (a eficácia e eficiência do trabalho realizado), oferta de valor aos clientes (através dos atributos percebidos dos produtos e serviços). As ações e decisões de uma empresa podem impactar igualmente, positiva ou negativamente, outros tipos de valor existentes na sociedade: capital natural (recursos, ecosserviços), capital social (saúde, populações diversas de seres humanos), capital financeiro, entre outros. A RSE torna-se, assim, uma ferramenta estratégica para ajudar uma empresa a tomar decisões e investimentos que criem valor compartilhado. O INDR incentiva a empresa a desenvolver uma estratégia de RSC baseada numa metodologia que inclui a identificação de stakeholders e uma análise de materialidade para determinar como lidar com as questões de sustentabilidade mais importantes.

Como player de referência em RSE no Luxemburgo, quais diria que são os próximos passos que a organização dará neste caminho de transição para uma economia verde?
Nem todos os setores e atividades enfrentam os mesmos desafios de sustentabilidade. As empresas precisam de concentrar os seus esforços nos temas de RSE que são importantes e urgentes para elas. O INDR aumentará a ênfase na materialidade na sua nova plataforma esr.lu para ajudar as empresas a concentrarem-se em questões estratégicas, tornar a sua prática de RSC mais eficaz e melhorar os seus relatórios. Até agora, os nossos serviços estavam disponíveis apenas em francês, mas uma tradução em inglês do nosso Guia ESR e da nossa ferramenta de avaliação está em preparação. Também estamos a trabalhar para aumentar a visibilidade e o reconhecimento do nosso selo ESR. Somos membros fundadores da Responsibility Europe, a principal rede europeia de agências de rotulagem CSR. O selo Responsibility Europe é atribuído a qualquer empresa que tenha obtido um dos selos das organizações membros: Label engagé RSE by Afnor, THQSE, UNICEM (França), Certification EcoEntreprise (Suíça). Mais de 700 empresas já foram premiadas com este novo selo. Por fim, desejamos melhorar ainda mais a colaboração entre os diferentes atores do ecossistema nacional de sustentabilidade, cofundando a Casa da Sustentabilidade de Luxemburgo.

Partilhar

Revista Digital

Revista Pontos de Vista

Popular

Mais Artigos deste tipo

AutoClássico Porto 2022 de regresso já este mês

O maior evento ibérico de veículos clássicos e de...

JCDecaux e Sonae Sierra reforçam parceria para 17 centros comerciais em Portugal

Mais de 20 anos depois do primeiro contrato, assinado...

Programa de Trainees “DESAFIA-TE+” da LEROY MERLIN já arrancou

O processo de candidaturas e seleção decorreu durante o...