“A região do Algarve é, e continuará a ser, um dos Melhores Destinos Turísticos do Mundo”

Apesar dos tempos adversos que o universo do turismo e da hotelaria enfrentaram nos últimos tempos, o Castro Marim Golfe & Country Club, enquanto empreendimento turístico de quatro estrelas, soube ser audaz nas suas decisões – e hoje esta história de sucesso fala por si. Em conversa com a Revista Pontos de Vista, David Martins, General Manager do projeto, abordou não só este crescimento sustentado, como a valorização da equipa ao longo dos tempos, a mentalidade inovadora que recai sobre o espaço e ainda a preocupação com o meio ambiente. Saiba tudo.

553

O Castro Marim Golfe & Country Club tem vindo a crescer, nos últimos anos, em dimensão e qualidade sendo que hoje a sua oferta passa por inúmeros projetos, como o golfe, o alojamento, a restauração, entre outros. Como nos pode descrever esta evolução até ao momento?
Somos um empreendimento turístico de quatro estrelas situado no município de Castro Marim, junto à fronteira entre Portugal e Espanha. Dispomos de um campo de golfe com 27 buracos (três percursos de nove buracos –  Guadiana, Atlântico e Grouse); vários campos de prática; uma Academia de Golfe; moradias individuais de elevada qualidade com piscina privada e barbecue; excelentes moradias T2 e T3, integradas num Aldeamento Turístico, com uma área de piscinas comuns, snack-bar para bebidas e refeições ligeiras, parque infantil e clube para crianças; um Clubhouse que associa diversos serviços de restauração e bebidas, receções e um ginásio. Como costumamos mencionar, temos todos os ingredientes certos para que os nossos clientes possam desfrutar de umas férias de sonho, sejam elas de golfe, o nosso produto-âncora, ou para as famílias que nos procuram em lazer. A evolução tem sido a mais sustentável possível, sempre com o foco na qualidade de serviço prestado e na satisfação dos nossos clientes.

Sabemos que o turismo português tem brilhado cada vez mais com o passar dos tempos e que o Algarve esteve até então entre os principais destinos turísticos da Europa. Porém, é certo também que a pandemia da Covid-19 lançou uma «tempestade» no setor. Considera que, atualmente, estas «nuvens» podem ter chegado ao fim? Como analisa a recuperação do turismo em Portugal?
A região do Algarve é, e continuará a ser, um dos melhores destinos turísticos do mundo. Disso nunca tive quaisquer dúvidas! Temos condições patrimoniais e climáticas únicas; um nível de segurança percecionado muito positivo; produtos de elevada qualidade, como o golfe, e tudo isto satisfaz as motivações mais exigentes dos turistas que nos visitam anualmente e querem regressar. Sobre o impacto que a Pandemia teve no destino e nas empresas, é manifesto que ainda não conseguimos recuperar pois, sendo a indústria do turismo algarvia tão dependente dos mercados externos e das condições económicas gerais, os graves efeitos ocorridos continuam a sentir-se nos vários ramos de negócio. É verdade que as restrições são cada vez menores, mas existem ainda muitas dúvidas face ao futuro próximo e essas podem retirar a confiança necessária para que voltemos ao indicadores pré-pandemia onde registámos valores históricos. Para complicar os cenários de recuperação expectáveis, continuamos com uma guerra indesejável, sem fim à vista, e que tem criado enormes dificuldades aos países e, por conseguinte, aos consumidores. A subida da inflação e a perda de poder de compra por parte dos turistas, assim como, para piorar ainda mais, a falta de recursos humanos para trabalharem na indústria de Viagens e Turismo são problemas que nos preocupam diariamente. É um cenário muito preocupante, talvez uma “nuvem” ainda muito “negra” que necessita dissipar-se, mas, estou convicto que, com muito trabalho e resiliência vamos conseguir ultrapassar as dificuldades e voltar aos anos do passado. Temos de ser positivos e acreditar!

Neste processo de recuperação houve, com certeza, prioridades essenciais para que a mesma fosse mais célere. De que forma o Castro Marim Golfe & Country Club vincou a sua competitividade e qualidade no mercado?
O turismo é uma indústria de serviços, de pessoas para pessoas. Esse é, portanto, o capital mais importante que qualquer empresa na nossa área possui. Tendo presente este facto, a nossa prioridade foi garantir a estabilidade dos nossos colaboradores e não deixar que a estrutura existente se degradasse. Sempre soubemos que era fundamental estarmos preparados para o regresso à “normalidade” e que dessa forma conseguiríamos manter, ou se possível, ultrapassar, as expetativas dos nossos clientes.

Os Golden Visa sofreram alterações no início do presente ano, porém ainda se aplicam a cinco concelhos do Algarve. Qual a importância de os Golden Visa ainda se aplicarem à zona onde o Castro Marim Golfe & Country Club está situado?
Pelas suas caraterísticas únicas, nomeadamente a luminosidade e qualidade ambiental, a qualidade de vida, a cultura e tradições seculares e a hospitalidade do seu povo, a região do Sotavento algarvio tem sido assumida por inúmeros estrangeiros como o destino perfeito para se instalarem e gozarem a sua reforma. Com as alterações que entraram em vigor ao regime do Golden Visa em Portugal, resultantes do Decreto-Lei 14/2021, de 12 de fevereiro de 2021, somente as propriedades licenciadas para habitação nos municípios de baixa densidade, como são Alcoutim, Aljezur, Castro Marim, Vila do Bispo e algumas freguesias do município de Loulé, são enquadráveis neste regime especial. Para nós, que somos uns dos principais empreendimentos turísticos com oferta residencial em Castro Marim, pensamos ser uma boa oportunidade e esperamos obter bons resultados. Desde o início do ano que temos sentido o aumento da procura por este tipo de produto e esperamos que mais negócios se possam concretizar num futuro próximo. Em termos de oferta imobiliária, o nosso portefólio inclui moradias geminadas com uma área de 220m2 e piscina privada; moradias individuais com dois e três quartos, integradas num Aldeamento Turístico; e lotes de terreno onde é possível construir a casa de sonho. Todas com vistas deslumbrantes para o Rio Guadiana, para o Oceano Atlântico ou para as colinas onduladas a norte. As nossas propriedades estão totalmente equipadas e são uma boa aplicação do dinheiro quer a intenção seja comprar um imóvel para fins de investimento, quer seja para passar umas belas férias em família ou para residência permanente.

Tendo em conta as preocupações de sustentabilidade mundiais e as novas tendências que privilegiam destinos e empresas que respeitem o ambiente, o Castro Marim Golfe & Country Club tem optado por caminhos cada vez mais direcionados para a responsabilidade tendo, nomeadamente, um projeto em curso para a utilização de água da ETAR. O que é que esta iniciativa significa para a marca e para o ambiente?
A nossa preocupação com os princípios de sustentabilidade, quer seja a nível ambiental, sociocultural ou mesmo económico tem sido uma realidade desde o início deste projeto, há mais de duas décadas. Sobre a questões ambientais que tanto nos afetam presentemente, mormente no que se refere à disponibilidade dos recursos hídricos, e que são seguramente motivadas pelas alterações climáticas crescentes, é indiscutível que vivemos hoje um dos períodos mais complicados da nossa história. É um problema que a todos deve preocupar e que a todos deve comprometer numa solução. Uma melhor utilização da água potável disponível deve dizer respeito a todos, desde o cidadão comum, às empresas, às entidades públicas, aos Governos, às entidades internacionais. É, nesse sentido, que corroboro com o senhor Presidente da Federação Portuguesa de Golfe quando recentemente destacou que o problema da seca não é uma responsabilidade exclusiva dos campos de golfe como muitos pretendem dar a entender, por ignorância ou por maldade. Como é público, o consumo de água por parte dos campos diz respeito a uma percentagem residual do que se consome globalmente. No caso da região do Algarve, onde existem 40 campos de golfe, esse valor representa cerca de 6%, ficando muitíssimo aquém dos consumos realizados por outros setores como seja a agricultura (cerca de 60%!), ou para consumo humano, distribuído pelos municípios. A este propósito e como veio a público recentemente num jornal de tiragem nacional “A água que se perde na distribuição do Algarve daria para regar 40 campos de golfe”, ou seja, para regar a totalidade dos campos de golfe que geram 500 milhões de euros de riqueza para a região e asseguram o emprego de milhares de pessoas bastaria evitar essas perdas. Sugestão pouco especializada, mas que talvez tenha algum resultado: porque não reduzir a pressão na distribuição pública? Sobre a Água para Reutilização (ApR), com aproveitamento da água produzida pela Estação de Tratamentos de Águas Residuais, estamos neste momento a desenvolver os estudos e projetos necessários para que se concretize. Se nada de excepcional ocorrer, no próximo ano talvez já seja possível utilizarmos este tipo de água tratada. É, sem dúvida, uma mais-valia e estou convicto que terá bons resultados, como já acontece em dois campos de golfe na região. Esta medida vem já no seguimento de outras que tomámos no passado e que a maioria dos campos de golfe nacionais têm desenvolvido, como a rega noturna; a utilização de sistemas de gestão inteligente de rega; o aproveitamento de águas pluviais através de lagos; a instalação de estações meteorológicas; a redução de áreas regadas, por exemplo, nos fairways; a utilização de relvas mais adequadas ao território, entre muitas outras.

Por todas estas componentes de resiliência e atributos comprovados, o Castro Marim Golfe & Country Club tem procurado trazer novidades a cada verão que começa. Tendo este verão o campo aberto à modalidade de Footgolf, que novidades e informações necessárias os praticantes (e os curiosos) deverão saber?
Desde há vários anos que, em estreita colaboração com a Federação Portuguesa de Footgolf, temos vindo a acolher provas nacionais e internacionais desta modalidade no nosso campo de golfe. Destaco, pela sua dimensão internacional, o ETF Portugal Open 2021-FIFG 500 onde participaram mais de 320 jogadores de 21 países diferentes. Nesse sentido, de forma a promover ainda mais a modalidade, uma vez que o nosso campo é homologado pela respetiva Federação, decidimos abrir diariamente o campo aos jogadores. Esta possibilidade está disponível desde o dia 1 de junho até ao final do mês de agosto, das 14:30 às 20:00, através do pagamento de um free geral de 15€ para o público geral e 10€ para membros da FPFG. É necessário efetuar reserva com 24 de antecedência.

O Castro Marim Golfe & Country Club tem, como é possível verificar, uma história de sucesso. Mas a verdade é que, esta cronologia sólida, só é possível devido ao esforço e dedicação dos colaboradores. Na qualidade de General Manager da marca, quão importantes têm sido os mesmos no crescimento do empreendimento?
Como referido anteriormente, os nossos recursos humanos são o pilar da empresa. São eles que diariamente dão o seu contributo para que possamos cumprir a nossa função e garantir o sucesso e satisfação dos clientes. Sinto-me honrado por fazer parte desta grande equipa, com muitos trabalhadores que iniciaram funções há mais de vinte anos, ou mesmo com os mais recentes que reforçam os serviços que vamos criando. Aqui todos “vestem a camisola” do Castro Marim Golfe & Country Club.

De que forma o Castro Marim Golfe & Country Club tem apoiado e valorizado os seus Recursos Humanos em todas as fases da «vida» da marca?
A nossa política de recursos humanos sempre teve subjacente uma aposta na qualificação dos colaboradores, valorizando-os profissionalmente, na facilitação da relação entre a vida pessoal e profissional, na retribuição justa e pontual, na proximidade de relação entre a direção e todo o pessoal, ouvindo as suas preocupações e tentando encontrar as melhores soluções, na partilha de benefícios em temos de melhores resultados, entre outras medidas.

Para terminar, estando desde já na época do ano onde o turismo ganha uma nova forma, que expetativas tem para os próximos meses do Castro Marim Golfe & Country Club e que (mais) novidades nos pode confidenciar?
Como anteriormente referi, os tempos que se avizinham trarão consigo novas dificuldades e novos desafios. Acredito, porém, que a vontade das pessoas viajarem, aproveitando da melhor forma possível a sua vida – uma das lições positivas que a COVID-19 nos trouxe foi demonstrar que a liberdade que temos é um dos melhores bens, e com a resiliência, capacidade de empreendedorismo e inovação das empresas e empresários, vamos voltar ao caminho que interrompemos em 2019. Talvez só ocorra daqui a um, dois ou três anos, mas o rumo será crescente, sem dúvida! Da nossa parte, continuaremos a trabalhar afincadamente para que o empreendimento seja cada vez melhor e mais atrativo. Temos alguns projetos em curso, alguns dos quais ainda não posso aprofundar por se encontrarem em fase de análise e decisão, mas que, com certeza, nos elevarão a um patamar acima. A quem nunca teve oportunidade de nos visitar, seja golfista ou não, deixo o convite: surpreenda-se com Castro Marim Golfe & Country Club!