“A Mudança para o novo Escritório é mais um passo no nosso Crescimento”

Inovação é hoje, e cada vez mais, a palavra de ordem no seio de qualquer empresa. Por esse motivo, a Revista Pontos de Vista rumou até aos novos escritórios da myPOS, no coração de Lisboa. Em entrevista, Pedro Osório de Castro, Country Manager da marca em Portugal, deu a conhecer o novo espaço, sublinhando que este é mais um grande passo no crescimento da mesma. Saiba mais acerca de uma empresa que está empenhada em oferecer as melhores soluções de pagamento integradas, acrescentando valor aos seus clientes.

473

A myPOS “nasce” em Portugal no ano de 2016, com a missão de oferecer ao mercado e aos clientes – tipicamente comerciantes – uma solução de aceitação de pagamentos em cartão, proporcionando-lhes os benefícios da inovação e tecnologias modernas. Muito resumidamente “o cliente abre uma conta de moeda eletrónica connosco, essa conta está numa plataforma, o cliente compra os seus terminais, ativa-os nessa mesma plataforma, recebe o dinheiro instantaneamente nessa conta, e tem um cartão para a movimentar”, inicia o interlocutor. Além disso, os clientes têm ainda a possibilidade de criar uma loja online e fazer envio de pagamentos por link, tudo dentro da plataforma criada pela myPOS. Até porque, segundo o Country Manager da marca em Portugal, “o nosso propósito é proporcionar ao cliente ter uma única solução para todos os canais de pagamento”.

Um dos desideratos da marca é solucionar os desafios de pagamento, inovando das mais robustas formas. O que exige que todos os dias, a equipa trabalhe no sentido da inovação e procure reinventar os serviços que já oferecem. O entrevistado revela que “do ponto de vista da solução de aceitação de pagamentos, temos procurado adicionar mais funcionalidades àquilo que temos e alargando cada vez mais as funcionalidades, até porque um dos nossos objetivos é termos de facto integrações com vários softwares para que a solução tenha cada vez mais valor. No caso de funcionalidades, o lançamento da loja online é um caso paradigmático porque um pequeno comerciante que não tenha um site, não precisa de ter, através da nossa plataforma cria a sua loja online e, portanto, divulga a sua loja. No ponto de vista da expansão de atividade temos – além da abordagem direta ao mercado – desenvolvido uma rede de negócio indireta, que é uma rede de negócio que está a ganhar imensa tração e pretendemos assim desenvolver a atividade com o crescimento de uma equipa própria, mas também através de parceiros”.

O reforço e evolução da marca

Fruto da pandemia que em muito transformou todos os setores de atividade, a empresa deparou-se com uma necessidade de alterações relevantes, e foi no ano de 2021 que se procedeu ao seu reforço em Portugal. É então pela construção de uma nova equipa, que a “nova” myPOS, se tem vindo a consolidar no mercado. “Desde essa altura que temos vindo sempre a reforçar a equipa, porque a evolução da marca assim o exige. O que temos vindo a fazer é precisamente o relançamento da empresa e da atividade em Portugal. O que mudou essencialmente foi o construir uma equipa nova, e depois consolidá-la com o reforço da marca”, revela o entrevistado.

Além disso, uma das maiores e mais recentes apostas é o canal de vendas indireto, que está a proporcionar à empresa um crescimento bastante significativo. Segundo Pedro Osório de Castro, “contamos triplicar o volume de negócio do ano passado, todos os meses excedemos os objetivos, e a ideia é chegar ao fim de outubro com os objetivos do ano cumpridos e a partir daí ser acima dessa bitola”.

A verdade é que, passo a passo, a myPOS foi crescendo significativamente, e com isso, surgiu a necessidade de mudança de espaço. “A mudança para o novo escritório é mais um passo no nosso crescimento. Porque apesar de funcionarmos em modelo híbrido e flexível, sentimos a necessidade de um espaço maior e com melhores condições. No meu entender devemos ter as condições flexíveis para que cada pessoa trabalhe da melhor maneira. Porque a minha ótica de liderança é dar as condições que cada um precisa, desde que ao fim do mês os resultados sejam positivos”, garante o líder.

A importância da sustentabilidade empresarial

A verdade é que a problemática da sustentabilidade empresarial está cada vez mais na ordem do dia de qualquer organização, presente nas suas estratégias e no relacionamento interno e externo. Para a myPOS, a sustentabilidade empresarial é fundamental, e, portanto, o que procuram é evoluir paulatinamente. Isto é “temos vindo a aumentar a equipa de forma gradual e conforme as nossas necessidades, não temos tido uma postura excessivamente agressiva, porque não faz sentido colocar de um dia para o outro uma equipa de 50 pessoas, para depois não as conseguir manter”, confessa o interlocutor. Até porque, como sabemos, atualmente assistimos a um conjunto de empresas inovadoras em várias áreas do mercado, que devido à sua postura “agressiva”, estão neste momento a regredir.

Na ótica da myPOS, o mais importante é ser uma empresa rentável. O Country Manager não tem dúvidas “fazer as coisas desta forma tem resultado bastante bem. Step by step, é assim que temos funcionado e é assim que vamos continuar”. Precisamente porque, a expansão e crescimento de uma empresa, se não for feito de forma sustentável, será uma questão de tempo até falhar. Atualmente, e mais do que nunca, é fundamental ter responsabilidade corporativa, tendo em conta que vivemos um momento delicado, com subidas de preços impensáveis.

“Se olharmos para trás três anos, vamos perceber que tivemos um período de crescimento interessante, depois tivemos uma pandemia, mal saímos da pandemia entrámos numa guerra, e a seguir não sabemos como será. Acho provável que venhamos a ter alguns ajustamentos em várias áreas de negócio que cresceram desmesuradamente. Neste momento é fundamental ser ponderado, mais do que nunca”, sustenta Pedro Osório de Castro.

Novo escritório: uma lufada de ar fresco ao desenvolvimento da myPOS

Para uma empresa, mudar de espaço, só pode ser bom sinal. No caso da myPOS, não foi diferente. O entrevistado revela, que “esta mudança foi feita porque efetivamente a empresa está a ter um crescimento muito significativo. A equipa está a crescer, precisamos de mais espaço, e, portanto, procurámos um espaço que albergasse as necessidades para os próximos tempos. É uma mudança que decorre exatamente desta necessidade e penso que é um bom sinal, significa que estamos no bom caminho”.

Para o líder da equipa, numa fase de crescimento e consolidação como a que se encontram, é fundamental uma opção com flexibilidade. Portanto, um dos critérios das quais não prescindiu, foi instalar os novos escritórios em espaços de cowork. Mas porquê? “Porque esses espaços são altamente flexíveis, e essa flexibilidade na fase em que estamos faz todo o sentido. Optamos por um espaço que é onde está também instalada a comunidade Fintech House, porque nós também somos uma Fintech. A Fintech House é uma comunidade muito dinâmica e que é do nosso setor de atividade, e, portanto, consideramos que a nossa presença nesta comunidade faz todo o sentido”, sustenta.

Em menos de dois anos de relançamento da marca, os bons resultados estão a aparecer. Quem o garante é Pedro Osório de Castro, “o reforço da marca tem vindo a correr bastante bem, estamos de facto a conquistar clientes todos os dias e estamos a conseguir crescer muito significativamente”.

No que diz respeito a expectativas, o mais importante é manter os pés assentes na terra. O objetivo da marca passa por continuar a crescer de forma consistente e reforçar a equipa, não apenas em Lisboa, como noutras zonas do país.  “Queremos pegar no trabalho que temos vindo a desenvolver e ampliá-lo. Esta mudança de escritório foi bastante pensada, até porque , do ponto de vista da gestão, pensamos  que faz sentido investir quando esse investimento tem retorno. E quanto mais retorno direto tiver, melhor”, confessa o interlocutor.

Tendências futuras: o que esperar?

Todos sabemos que o mundo está em constante mudança e, tendo a convicção deste facto, é necessário que os players consigam acompanhar as tendências do mercado e preparar o futuro. Para Pedro Osório de Castro, “o caminho tem que ser sem sombra de dúvida, o de servir as necessidades dos clientes. A indústria da aceitação de pagamentos, é uma indústria que tem tido imensa transformação nos últimos anos, e vai continuar a ter nos próximos. Aos dias de hoje, servir um cliente meramente com um terminal de pagamento, já não é suficiente. Portanto, atualmente, um comerciante mesmo que seja pequeno, precisa de uma ferramenta de gestão para gerir a sua aceitação de pagamentos, que passa por um terminal de pagamento, ter uma ferramenta de gestão onde tem toda a sua informação, servir todos os canais, aceitar as principais marcas internacionais, e ter integração com softwares diversos para ter uma grande amplitude, e é nesse sentido que estamos a caminhar”.

Além de tudo isso, a myPOS tem uma solução “all in one”, na qual estão a trabalhar todos os dias, para a tornar o máximo inovadora e funcional possível, por dois motivos: valor acrescentado para os clientes e diferenciação face à concorrência.

Pedro Osório de Castro terminou com um agradecimento especial à Fintech House e ao Sítio pela utilização do espaço, na certeza de que lidera uma equipa coesa e uma marca com um crescimento sustentável, satisfeito por saber que, na myPOS, “temos a possibilidade de oferecer ao cliente uma única solução para tudo”.