Repsol e PLD Space desenvolvem combustíveis renováveis para micro-lançadores

A aliança destas duas empresas espanholas, sem precedentes no segmento espacial, combina tecnologia e sustentabilidade.

Data:

A Repsol e a PLD Space, empresa europeia líder na indústria dos micro-lançadores, assinaram um acordo de colaboração pioneiro para o desenvolvimento conjunto de combustíveis renováveis para veículos espaciais. O acordo inclui, tanto estudos de viabilidade para substituir os atuais combustíveis por outros produzidos com matérias-primas sustentáveis, como a conceção de novos combustíveis renováveis, que serão feitos à medida no Laboratório de Tecnologia da Repsol para os propulsores de foguetes fabricados pela PLD Space, especificamente para os micro-lançadores recuperáveis MIURA. Desta forma, ambas as empresas estão a fazer progressos em direção ao objetivo da União Europeia de neutralidade climática até 2050.

Com este acordo, as duas empresas estão a revolucionar o futuro dos combustíveis para foguetes, que atualmente utilizam querosene líquido semelhante ao utilizado na aviação civil, ou um combustível específico para foguetes chamado RP-1.

A Repsol irá formular os novos combustíveis a partir de matérias-primas renováveis ou recicladas, especificamente, a partir de biocombustíveis avançados feitos a partir de resíduos como matéria-prima ou utilizando combustíveis sintéticos que são produzidos a partir de hidrogénio renovável e CO₂ removidos da atmosfera. Desta forma, será possível alcançar uma redução da pegada de carbono de até 90% ou mesmo negativa.

Javier Aríztegui, Diretor Sénior de Design de Produto da Repsol no Laboratório de Tecnologia da Repsol, vê este projeto como “uma grande oportunidade, uma vez que a Repsol aplicará o profundo conhecimento que adquiriu ao longo dos anos na formulação de todos os tipos de combustíveis, incluindo combustíveis de corrida, para desenvolver um combustível sustentável para veículos espaciais. É um desafio e sentimo-nos preparados para o enfrentar com sucesso”. Raúl Verdú, CBDO e cofundador da PLD Space, salientou que “fomos a primeira empresa na Europa a comprometer-se publicamente com a recuperação dos seus micro-lançadores como prova do seu compromisso com o ambiente. Queremos continuar a investigar todas as alternativas que nos permitam reduzir a nossa pegada de carbono, também na propulsão”.

A PLD Space está a desenvolver dois micro-lançadores reutilizáveis, o suborbital MIURA 1 e o orbital MIURA 5, destinados a fornecer serviços de lançamento comercial a clientes em todo o mundo. A família de motores alimentados por líquidos, denominada TEPREL, é alimentada por querosene e oxigénio líquido (KeroLOX). Para MIURA 1, a empresa utiliza atualmente combustível Jet-A1, o combustível normalmente utilizado na aviação, sendo que o propulsor – a combinação de um combustível e o comburente, que é geralmente oxigénio – planeado para MIURA 5, é o RP-1, o padrão para motores de foguetes.

“Um dos desafios do projeto é manter o mesmo nível de desempenho do micro-furo MIURA lançadores”, diz Francesco Spalletta, Gestor de Propulsão Espacial PLD. “A nossa responsabilidade é a de manter o desempenho dos veículos, minimizando ao mesmo tempo, o seu impacto ambiental”.

Combustíveis renováveis, uma solução completa

Há anos que a Repsol fabrica biocombustíveis nos seus complexos industriais. Estes são produzidos a partir de óleos vegetais sustentáveis, biomassa, resíduos agrícolas e florestais e óleos alimentares usados, entre outros. Os biocombustíveis, juntamente com os combustíveis sintéticos, são uma opção sustentável e uma das principais soluções para reduzir as emissões dos transportes nos próximos anos. Podem ser utilizados em veículos existentes sem necessidade de modificações nos motores ou infraestruturas de distribuição e reabastecimento existentes, e são adequados para todos os segmentos de transporte, especialmente em setores como a aviação, a navegação e o transporte rodoviário pesado, onde a eletrificação não é atualmente uma alternativa viável.

Durante a primeira metade de 2023, a Repsol vai arrancar com a primeira fábrica de biocombustíveis avançada de Espanha, em Cartagena, e irá fabricar 250.000 toneladas de biocombustíveis avançados a partir de resíduos. A empresa multienergética está também a fazer progressos na sua fábrica de combustíveis sintéticos em Bilbau, que iniciará a produção na fase de demonstração em 2024. Estas instalações desempenham um papel fundamental no objetivo da Repsol de atingir uma capacidade de produção de 1,3 milhões de toneladas de combustíveis renováveis em 2025 e mais de 2 milhões de toneladas em 2030, liderando assim este mercado na região ibérica. Península e avançando decisivamente para emissões líquidas zero em 2050.

A PLD Space é uma referência na Europa no desenvolvimento de foguetes reutilizáveis, com um prestígio reconhecido no setor e um projeto sólido que se materializa nos seus veículos de lançamento: o suborbital MIURA 1 e o orbital MIURA 5. Estes micro-lançadores colocarão Espanha entre o pequeno número de países com capacidade para enviar com sucesso pequenos satélites para o espaço.

Com uma década de história, a PLD Space planeia lançar o seu protótipo MIURA 1 na segunda metade de 2022 e realizar a sua primeira verdadeira missão de transporte espacial com o MIURA 5 em 2024. A empresa, sediada em Elche (Alicante) e com instalações técnicas em Teruel, Huelva e Guiana Francesa, já levantou mais de 45 milhões de euros de investimento para impulsionar o seu projeto no setor espacial.

Partilhar

Revista Digital

Revista Pontos de Vista Edição 116

Popular

Mais Artigos deste tipo

STCP passa a disponibilizar pagamentos por MB WAY

A partir desta segunda-feira, 28 de novembro, na STCP...

Desinfestação de empresas: a Truly Nolen explica

A Truly Nolen, líder mundial em controlo de pragas,...

Surfista Inês Tralha desenvolve método de ensino do SURF

A surfista Inês Tralha, nome de referência no surf...

Montar e decorar uma casa em 90 minutos? LEROY MERLIN desafiou os portugueses nesta Black Friday

O desafio testou duas equipas, lideradas por Mafalda Castro...