Bâloise – Vie Luxembourg na Vanguarda da Mudança

É do conhecimento geral que o mundo moderno caminha em direção a culturas e serviços inovadores e sustentáveis. Neste processo de mudança encontra-se a Bâloise Vie Luxembourg – uma marca seguradora que está a dar passos largos de distinção no seu setor de atividade. Olga Soares, Legal & Tax Expert desta marca, assumiu, assim, o compromisso da mesma perante a inovação e a sustentabilidade e ainda o seu posicionamento enquanto entidade cujo valor poderá impulsionar e desenvolver os países onde atua, nomeadamente Portugal.

286

A marca Bâloise Vie Luxembourg presta serviços de seguros no Grão-Ducado do Luxemburgo desde 1890 e, desde então, está firmemente ligada ao tecido económico e social do país. Como tem vindo, a mesma, a elevar o seu (bom) nome até ao topo do reconhecimento, ao longo dos seus 132 anos de história?

O crescimento e desenvolvimento da Bâloise até ao seu reconhecimento foi efetuado em quatro etapas. A primeira etapa foi a criação, implementação e fomentação da Bâloise no mercado segurador Europeu, seguido da fase de desenvolvimento a partir dos anos 1900 e seguintes. Nesta segunda fase, a Bâloise procurou criar e desenvolver novas soluções e produtos que melhor respondiam à procura do mercado segurador da altura.

Consequentemente, a terceira etapa foi marcada pela expansão da marca Bâloise e que visou sobretudo o crescimento da empresa, através da aquisição e desenvolvimento de novas atividades. É nesta altura que se desenvolve a atividade em Livre Prestação de Serviços, através de um passaporte europeu que nos possibilitou proceder à oferta dos nossos produtos em vários países da Europa, entre os quais Portugal.

Assim, e nos últimos anos, a Bâloise vive a sua quarta etapa, mais focada em servir os seus Clientes e procura, essencialmente, o desenvolvimento de estratégias e soluções que permitam tornar o mundo dos seguros uma experiência humana e agradável para os nossos Clientes e Parceiros. Na Bâloise, acreditamos que para cada problema existe uma solução que responde plena e rapidamente à situação dos nossos Clientes e Parceiros, nomeadamente através de um suporte próximo e de qualidade, como a i) criação de produtos simples e claros e que melhor correspondem às necessidades dos nossos Clientes e Parceiros, ii) criação de processos claros, autónomos e digitais para que possamos dedicar mais tempo ao que realmente importa, e também através  de uma iii) comunicação mais transparente.

Graças a uma gama completa de produtos, a Bâloise Vie Luxembourg procura todos os dias cobrir as necessidades de seguro dos seus clientes. De que forma a marca tem acompanhado as tendências do mercado?

A verdade é que o mundo de hoje é demasiado volátil e instável, pelo que acompanhar as tendências do mercado nunca se apresentou tão difícil, até porque o que é hoje tendência, pode já não o ser amanhã. Assim, a Bâloise conta com equipas e grupos de trabalho que têm por objetivo acompanhar as evoluções e tendências do mercado, de forma a fomentar soluções e produtos que respondam às necessidades e objetivos do mercado de forma duradoura e sustentável.

A verdade é que a Bâloise Vie Luxembourg não está apenas presente no mercado luxemburguês: oferece também os seus seguros de pensões e serviços de investimento além-fronteiras, nomeadamente em Portugal. Qual diria que tem vindo a ser o papel da empresa na ligação com o mercado português e o seu crescimento?

A Bâloise foi uma das primeiras Seguradoras estrangeiras a distribuir os seus produtos e soluções no mercado Português e desde aí este mercado tem ocupado um lugar de relevo no seio da nossa empresa. Procuramos ser pioneiros não só na abordagem que fazemos do mercado; através da oferta de soluções que melhor respondem às necessidades dos Clientes, até porque o Cliente Português é um Cliente bastante exigente que procura soluções eficazes, inovadores e duradouras, que asseguram a proteção e planeamento do seu património.

Sabemos que, atualmente, a imprevisibilidade domina diversas áreas de atividade – os tempos mudaram e o setor segurador também mudou. Que análise faz do setor onde a Bâloise Vie Luxembourg integra, no Luxemburgo e em Portugal?

O setor é hoje em dia um setor marcado pela inovação, digitalização e sustentabilidade, que procura adaptar-se de forma célere e eficaz, através da oferta de produtos e soluções eficazes, sustentáveis e rentáveis, tendo sempre presente que vivemos tempos bastante conturbados, marcados pela instabilidade, entre crises económicas, pandemias mundiais e guerra com grande impacto para o setor segurador.

O digital é um dos temas de fundo para a indústria dos seguros de há uns tempos para cá. A utilização do digital perante clientes, fornecedores e parceiros, a par da digitalização também para a própria resiliência do setor é hoje uma realidade? O que mudou?

Efetivamente, o mundo de hoje está como nunca esteve no passado muito associado ao mundo digital, onde tudo se encontra acessível através do nosso telemóvel. Consequentemente, também o próprio Cliente é hoje em dia um Cliente mais exigente não só nas soluções de índole patrimonial e “tailor made” que procura, mas também nos serviços que são oferecidos pelas Empresas de Seguros.

Aliado a isto, tivemos a pandemia da Covid-19 que desencadeou um frenético desenvolvimento da digitalização nos diversos setores, uma vez que a tecnologia era a pricipal aliada das empresas para garantir a continuação da sua atividade num contexto de isolamento social global.

Assim, o desenvolvimento de soluções digitais tornou-se hoje uma das prioridades do sector.

A Bâloise não foi exceção e este foi o momento que desencadeou a mudança mais significativa ao nível do digital dos últimos tempos. A necessidade de rápida adaptação e o grande desafio de assegurar a continuidade da sua atividade potenciou a implementação de diversos procedimentos digitais ao nível das relações com Clientes, fornecedores e parceiros que, devido ao seu sucesso, mantêm-se ainda hoje em prática.

Face aos tempos modernos, a inovação tornou-se um fator de sucesso para a competitividade de uma empresa. Considera que a Bâloise Vie Luxembourg está na vanguarda da mudança? Em que medida?

Nos últimos anos, a Bâloise adotou uma forte cultura de transformação digital implementando e desenvolvendo largamente a inovação e agilidade no seio da empresa e, em especial, no espírito das equipas. Consequentemente, o desenvolvimento e inovação da empresa ao nível do digital fez despoletar, com bastante sucesso, uma mudança significativa no Grupo.

A Bâloise é uma empresa cujo foco e orientação é servir os seus Clientes e Parceiros de forma eficaz, digital e simples.

De igual forma, a Bâloise continua a promover e incentivar o desenvolvimento de projetos inovadores, sendo que ao longo dos últimos anos já foram realizadas diversas parcerias com empresas externas, feitos investimentos em start-ups e fundadas start-ups próprias com bastante sucesso.

Neste contexto, podemos concluir que a Bâloise se encontra na vanguarda da mudança e destaca-se no mercado pela sua forte cultura de inovação.

A verdade é que o mundo evoluiu também na sua posição no que diz respeito à sustentabilidade. Com extrema preocupação sobre o tema, a Bâloise Vie Luxembourg inspira-se diariamente nas metas de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas para construir a sua política de sustentabilidade. Neste sentido, o que tem sido concretizado?

A sustentabilidade é hoje em dia um dos temas inegáveis da nossa sociedade e da nossa cultura, resultado das mudanças climáticas causadas pela atividade humana. A Bâloise tem desde há alguns anos procurado desenvolver políticas, e atividades que tenham em consideração os critérios sociais, económicos e ambientais que permitam assegurar a perenidade da nossa atividade num mundo que se quer mais sustentável.

A Bâloise dispõe nomeadamente de uma política de sustentabilidade ao nível do Grupo Bâloise que se concentra na implementação de medidas de sustentabilidade nos respetivos mercados nacionais.

Nos últimos anos temos vindo a impulsionar projetos e soluções com uma índole cada vez mais sustentável, como por exemplo, prioritizamos investimentos em produtos que visam não só proteger e assegurar o funcionamento de empresas, economias, comunidades e indivíduos, mas também a promoção de uma sociedade centrada no longo prazo, por forma a impulsionar ativamente uma mudança sustentável.

De forma a espelhar a nossa cultura, bem como os nossos ideais, a Baloise irá em breve mudar-se para a sua nova sede num dos primeiros edifícios eco-responsável do Luxemburgo “Wooden”.

Acredita que é possível o setor segurador conseguir ser inovador e sustentável na mesma medida? O que é que, na sua perspetiva, urge aprimorar?

Na mesma medida que a inovação se destaca como um fator imprescindível no setor, a sustentabilidade é sem dúvida um aspeto fundamental cada vez mais relevante no cenário atual.

A implementação de princípios de sustentabilidade é hoje uma realidade do setor que tem vindo a contribuir para o foco nas questões socioambientais e de governança por parte das seguradoras, proporcionando o desenvolvimento de políticas direcionadas para um mercado e sociedade mais resilientes e sustentáveis.

O maior desafio reside, essencialmente, na consciência ambiental de todos os intervenientes. Certo é que se as Seguradoras têm hoje em dia um papel fundamental no desenvolvimento de atividades e soluções que assegurem a sustentabilidade e proteção do nosso planeta, tal só pode ser assegurado com a colaboração de todos os intervenientes (parceiros, clientes, entre outros).

Neste processo de mudança, desenvolvimento e crescimento do setor, de que forma a relação entre o Luxemburgo e Portugal terá como denominador comum a digitalização, a inovação e a sustentabilidade?

Tanto Portugal como o Luxemburgo fazem parte da comunidade Europeia, e vimos nos últimos anos um reforço e proliferação de legislação, que visa impor medidades de sustentabilidade aos seus países membros.

Por exemplo, vimos recentemente a entrada em vigor do Regulamento (UE) 2019/2088 de 27 de novembro de 2019 sobre relatórios de sustentabilidade no setor dos serviços financeiros. Este regulamento visa alcançar os objetivos de sustentabilidade da ONU, através do impacto de investimentos financeiros. Não se trata apenas de combater as alterações climáticas, mas também, de adotar comportamentos para alcançar objetivos ecológicos, sociais e de boa governação empresarial.

Assim é de esperar que influenciados pelas novas medidas europeias que a relação entre ambos os países, quer ao nível da digitalização, inovação e sustentabilidade, se mantenha certamente convergente e harmoniosa neste contexto de mudança, desenvolvimento e crescimento do setor.

Com os olhos postos no futuro, e tendo em conta os vários mercados onde a Bâloise Vie Luxembourg tem atividade, em particular no Luxemburgo e Portugal, que novidades podemos esperar por parte da marca, no sentido de garantir inovação e qualidade diária?

A Bâloise tem procurado nos últimos anos lançar produtos inovadores e sustentáveis, quer no âmbito das nossas soluções de seguros para o ramo “não vida”, quer no âmbito de soluções para o ramo “Vida”.

Nos últimos anos, lançamos por exemplo soluções sustentáveis tais como os fundos Baloise Eticx, produtos seguros para as famílias, fundos de pensões e reforma, seguros à medida para carro elétrico, entre outros.

Obviamente, a Bâloise está constantemente a estudar, desenvolver e criar novas soluções e produtos. Temos alguns projetos em curso, para os quais estamos muito entusiasmados com a sua conclusão e que verão a luz do dia brevemente.