Marcelino Sambé eleito personalidade do ano pela Associação da Imprensa Estrangeira em Portugal

O bailarino português foi distinguido pela Associação da Imprensa Estrangeira em Portugal, “pelo seu percurso artístico ímpar e pelo caminho percorrido como português de raízes africanas, dos chamados “bairros sociais” ao maior palco de dança da Europa”.

178

No passado dia 9 de dezembro, a Associação da Imprensa Estrangeira em Portugal anunciou o vencedor da 33ª edição do prémio Personalidade do Ano/Martha de la Cal que, este ano, foi entregue a Marcelino Sambé, bailarino na Royal Ballet de Londres.

A entidade referiu, em comunicado no seu website oficial, que distingui Marcelino Sambé “pelo seu percurso artístico ímpar e pelo caminho percorrido como português de raízes africanas, dos chamados “bairros sociais” ao maior palco de dança da Europa”. Caroline Ribeiro, Presidente da AIEP acrescentou que o bailarino “tem sido motivo de orgulho para Portugal, desde que alçou voo para a profissionalização em Londres. Tem uma carreira brilhante e, este ano, pudemos acompanhar ainda mais atentamente as suas conquistas”.

“É um orgulho ser distinguido pela minha arte, mas confesso que ainda me orgulha mais ser distinguido no meu país, Portugal, pela Associação da Imprensa Estrangeira em Portugal (AIEP). Vivemos num mundo globalizado, mas cada vez mais, infelizmente, cada um na sua bolha. É importante que a informação circule e que esta dê palcos a diferentes formas de arte. Ser distinguido por esta Associação de meios íntegros e de relevância a nível internacional é uma enorme honra, devemos todos, na qualidade de cidadãos, sermos rigorosos na informação que escolhemos consumir”, sublinhou o jovem bailarino, citado na nota divulgada pela AIEP.

A mesma nota destaca que além dos agradecimentos à Associação de Imprensa Estrangeira em Portugal, pela nomeação e distinção, Marcelino Sambé também endereçou palavras à Companhia Nacional de Bailado pelo papel que teve na sua formação, tendo contribuído “para o profissional que sou atualmente”.

É de referir que esta distinção anual é efetuada desde 1990, “pelos cerca de 50 jornalistas estrangeiros acreditados em Portugal e inscritos na Associação, tendo como objetivo distinguir a pessoa, ou a instituição que contribuiu para promover a imagem do país no estrangeiro durante o ano”, tal como pode ler-se no comunicado da entidade.