“Cuidamos de Nós, dos nossos Colaboradores, Parceiros, Produtos e em consequência dos Consumidores”

Um quarto de século! São 25 anos a promover Valor! Este é o período de presença no mercado da DHC FOOD EXPERIENCE, uma marca que assenta a base do seu sucesso no rigor, na qualidade dos seus produtos e nas «Suas Pessoas». Embarcamos nesta «viagem» de descoberta por dentro da DHC e fomos conhecer aqueles que diariamente fazem desta marca melhor. Ana Paula Teixeira, CEO e Carla Martins, Sales & Marketing Manager, são os «rostos» principais do conceito «made in» DHC e deram-nos um valioso testemunho sobre o que significam estes 25 anos e como as Pessoas são essenciais para o êxito que a mesma tem tido nesta aventura.

Data:

A DHC FOOD EXPERIENCE é uma marca familiar fundada em 1997 por Ana Paula Teixeira. Após os desafios, oportunidades e conquistas destes 25 anos de atividade, quem é hoje esta empresa?
Ana Paula Teixeira (APT)
Hoje a DHC é uma empresa que tem a satisfação de ver reconhecido o seu percurso por todos os que a têm acompanhado: colaboradores, parceiros de negócios e consumidores. É com muita gratidão que vejo a minha dedicação de 25 anos, contribuir para a melhoria de vida de todos os que se dedicam com alma e coração ao crescimento e sustentabilidade da empresa. é também um grande sentido de responsabilidade continuar a liderar uma equipe tão forte e uma imagem de marca reconhecida no mercado nacional e internacional.
Carla Teixeira (CT) A DHC é hoje uma empresa que encara com muita gratidão e satisfação todas as conquistas e desafios superados ao longo destes 25 anos. Neste processo a colaboração de todos os nossos Parceiros de Negócio, colaboradores e Consumidores foram naturalmente fundamentais para o nosso crescimento.
Este desenvolvimento foi sempre pautado por um forte espírito de coesão e equipa que ainda hoje nos caracteriza.

A verdade é que, atualmente, a DHC se posiciona em categorias de produtos que falam por si e se diferenciam no mercado quer pela inovação, quer pelo valor acrescentado. Qual é o papel que acredita que a marca tem tido na vida dos consumidores?
APT Em primeiro lugar, aumentar a oferta com produtos que proporcionam não só inovação e diversidade, como também bem-estar e confiança. Gostamos de inovar porque é uma forma de dinamizarmos e potenciarmos os hábitos de consumos em casa, com a família e amigos. Os consumidores, ao longo destes 25 anos, têm correspondido muito bem à nossa oferta de produtos, o que nos dá um forte alento e motivação para melhorar todos os dias.
CT Um dos nossos principais objetivos é disponibilizar produtos para o mercado nacional, que pela sua originalidade e pela sua qualidade, permitam dar a conhecer aos nossos consumidores as novas tendências de consumo.
Para mantermos esta dinâmica de inovação e garantia de satisfação, tanto eu como a Ana Paula viajamos muito para acompanhar as industrias com que trabalhamos e antever as tendências nos diversos mercados Europeus.

Mas mais do que impactar positivamente a vida dos consumidores, também o faz na vida dos seus Recursos Humanos. Em que medida a satisfação dos colaboradores está intimamente relacionada com o seu desempenho na DHC e, consequentemente, em linha com o sucesso da empresa?
APT Em toda a medida, ou seja, não faria sentido ter e desenvolver uma empresa se não fosse com vista ao bem comum. As empresas são algo abstrato para além das pessoas, por outras palavras, as empresas são as pessoas e não podemos ter bons Parceiros de Negócio, produtos, nem a confiança dos consumidores, se essa confiança não existir internamente. Para ter a confiança tem de se ser confiável e para se ser confiável é preciso cuidar. Cuidamos de nós, dos nossos colaboradores, parceiros, produtos e em consequência dos consumidores.
CT Sem dúvida que o reconhecimento dos nossos consumidores desafia-nos a fazer sempre mais e melhor.
A empresa são as pessoas. Manter uma equipa motivada e acompanhar todo o seu crescimento e evolução profissional é muito gratificante. É também uma aprendizagem constante e uma grande inspiração.

Aspetos como a motivação, a aposta no talento em equipa e o potenciar a evolução do percurso profissional da mesma são alguns dos pontos primordiais na distinção das empresas no mercado. No que diz respeito à DHC, de que forma coloca estas vertentes em prática?
APT Desde logo em identificar os pontos fortes de cada colaborador e a partir de aí colocar à sua disposição todos os meios para os potenciar. A motivação vem com o reconhecimento e o rigor que é pedido a todos, mas também pelo exemplo. Ouvi, ao longo dos anos, por parte de alguns dos nossos colaboradores, que com a minha dedicação e exemplo, seria impossível não se dedicarem de coração. Claro que todas as pessoas gostam de reconhecimento e a esse nível, tenho tido o cuidado de não defraudar ninguém. Isto não significa que seja permissiva a erros desnecessários, excessos de confiança e egos. Também gosto de ser reconhecida. Sou bastante exigente, mas sempre com sentido de justiça e de responsabilidade. Claro que é impossível agradar a todos, faz parte da vida, mas ficam e seguem connosco os que sabem reconhecer também o que a empresa representa para os seus Recursos Humanos e a responsabilidade que é ser uma parte desta equipa. Não negligencio ainda assim todo o contributo de todas as pessoas que ao longo que ao longo do tempo, passaram pela DHC. Todos tiveram o seu papel e contribuíram de algum modo para sermos cada vez melhores. A aprendizagem e maturidade (enquanto pessoa e empresária), permite-me hoje gerir as pessoas de uma forma mais tranquila e confiante, sobretudo quando temos um conjunto de pessoas que nos acompanham há 25, 17, 15, 10 anos e por aí a fora e que vão tornando a empresa mais sólida, forte e que nos ajudam a receber e integrar os novos colegas. Temos muitos colaboradores novos, já de segunda geração, que com satisfação vejo terem o mesmo espírito de equipa, entrega e confiança. É o efeito dominó desses sentimentos positivos que é dominante e que ainda ontem ficou bem espelhado no jantar de Natal da DHC. Quando se fala numa família, posso afirmar que na DHC esse espírito existe efetivamente e que ninguém se sente só.
CT Cada colaborador tem o seu perfil e personalidade. A vontade e a capacidade de encarar cada desafio com otimismo é uma atitude que sempre pautou a cultura da DHC e que tentamos incutir a cada dia na nossa equipa, que correspondem com toda a dedicação e empenho.

A paixão e a vontade de arriscar são duas das muitas qualidades que se encontram no centro da DHC. Considera que ambas são transversais à equipa que a compõe? Quais diria que são as competências humanas e profissionais da mesma?
APT A vontade de arriscar na DHC é sempre com moderação e sentido de responsabilidade. Os riscos são sempre calculados e muitas vezes guiados pela intuição. São quase sempre partilhados com a equipa que nos incentiva e motiva, pois sem o apoio de todos não faz qualquer sentido e seria irresponsável tomar decisões que não são sustentáveis. São as oportunidades, competências humanas, a estrutura e os meios disponíveis, que ditam se devemos ou não avançar para determinados desafios. Intuição e pragmatismo, paixão e competências, meios e oportunidades, tudo em combinação e em equilíbrio associados às potencialidades e limites que nos guiam.
CT Ao longo destes 25 anos temos de facto arriscado, mas sempre com uma grande ponderação e avaliação prévias, face à conjuntura do momento. A equipa acolhe, como sempre, com muito entusiasmo todos os novos desafios.

A Ana Paula Teixeira e a Carla Teixeira são as duas principais «vozes» desta equipa e marca que prospera a cada dia. Assim, e sendo agora tempo de reflexão, que mensagem gostariam de deixar aos Recursos Humanos da DHC, por tudo o que constituem para o sucesso da marca no mercado?
APT Uma mensagem de gratidão e votos de podermos estar sempre à altura de tão excelentes colaboradores. Que os mesmos continuem a sentir a confiança e motivação de hoje e que continuem a crescer como pessoas e profissionais na DHC.
CT Sem dúvida uma palavra de agradecimento extensível a toda a equipa pela dedicação, entrega e empenho ao longo de todos estes anos.

Já com os olhos postos em 2023, quais são as expetativas para estes meses que se seguem? Que novidades e projetos nos podem confidenciar?
APT Para 2023, vamos crescer em meios e expandir em termos de categorias de produtos. Vamos concluir o projeto de inovação da nossa marca PASTA DO DIA (que foi interrompido e adiado pela COVID-19 e depois pela instabilidade de preços devido à conjuntura Mundial) e vamos estar atentos aos desafios e oportunidades com a mesma paixão e entrega que nos caracteriza desde o primeiro momento.
Muito Obrigada a todos os que através da confiança nos ajudam a crescer e a querer fazer cada vez mais e melhor. Festas Felizes e um Excelente Ano Novo.
CT Sempre atentos às novas tendências e inovação. Iremos trabalhar com novas categorias de produtos, sempre com o entusiasmo que nos caracteriza.
Na marca PASTA DO DIA para 2023 vamos lançar igualmente muitas novidades.

Partilhar

Revista Digital

Revista Pontos de Vista Edição 117

Popular

Mais Artigos deste tipo

Royal Palace vai realizar uma festa alusiva ao Carnaval

A Royal Palace, marca conhecida por organizar a melhor...

Repsol incorpora nos seus combustíveis mais de 100.000 m3 de biocombustíveis em 2022

A Instalação da multienergética no Terminal de Líquidos de...

MB WAY simplifica os pagamentos autorizados e a gestão de subscrições

“O nosso investimento em soluções que acompanhem uma tendência...

Marina de Vilamoura recebe certificação 5 Gold Anchor Platinum

A Marina de Vilamoura anunciou, esta quinta-feira, num comunicado...