“Defendemos a máxima de que os Colaboradores Felizes são mais produtivos”

Mais do que uma organização se focar na sua distinção no mercado e nos resultados positivos inerentes à mesma, é cada vez mais prioritária a atenção dada aos colaboradores que compõem as equipas – e a Crossjoin é um exemplo claro disso mesmo. Susana Pires, Consultora Sénior da área de Recruitment, Fidelization & Recognition, contou à Revista Pontos de Vista tudo aquilo que se tem vindo a desenvolver para e com o vetor mais importante do crescimento da marca em Portugal e além-fronteiras: as suas pessoas.

Data:

A Crossjoin é uma empresa internacional de tecnologias de informação que vive e respira performance. Tendo em conta a dimensão da marca, de que forma tem sido possível conquistar o mercado, sem descurar dos seus Recursos Humanos?
A Crossjoin desde o seu início, no final de 2009, que tem uma forte preocupação com as suas pessoas e com o passar dos anos e, consequentemente, com o seu crescimento tem tido um maior investimento nas áreas de Well-being facilities e Recruitment, Fidelization & Recognition, assim como introduzindo e melhorado continuamente as práticas de gestão de pessoas.
É fundamental também estar atento às mudanças na sociedade e modelos de trabalho, saber ouvir os colaboradores e perceber que os seus interesses mudam de geração para geração e mais do que isso perceber que cada pessoa tem a sua singularidade. É preciso saber adaptar-nos.
Tendo em conta a situação atual do País face à crise mundial, com a inflação a atingir os 10%, a Crossjoin decidiu aumentar toda a tabela salarial em 10% já em 2022 e assim ajudar todos os seus colaboradores de forma a não sentirem tanto o impacto financeiro.
Recentemente, reestruturamos algumas das nossas áreas de backoffice, a de Well-being facilities que se dedica a melhorar as condições de trabalho dos nossos colaboradores, assim como a promover o bem-estar dos mesmos e a área de RFR que tem como prioridade a atração, gestão, fidelização e reconhecimento de talentos.
As práticas implementadas que têm sido aperfeiçoadas demonstram um resultado bastante positivo, quer na satisfação como na produtividade dos nossos colaboradores.

Mais do que atrair colaboradores de qualidade, importa perceber como os manter. No caso da Crossjoin, que estratégia tem sido aqui aplicada para que a retenção de talentos seja, de facto, uma realidade?
Atração e retenção estão interligados.
Passa pela nossa estratégia contratar os melhores talentos e para isso procuramos atrair pessoas que façam fit com os nossos valores e princípios. A nossa Academia CrossMind On-the-job tem tido efeitos bastante positivos, pois durante este período o colaborador tem a oportunidade de conhecer a cultura, práticas e metodologias da Crossjoin Solutions, através do contacto com a realidade atual da entrega da empresa, mentorando e trabalhando lado a lado com as pessoas mais séniores da Crossjoin.
Quer seja um recém-licenciado ou um perfil mais sénior, todos passam por um período de conhecimento e assimilação das nossas práticas e metodologias, garantindo assim um trabalho de fidelização, no que diz respeito ao sentimento de pertencer a uma cultura própria. Depois de um trabalho de trazer novos colaboradores a sentirem-se parte de um projeto futuro onde a sua contribuição é fundamental, apostamos no desenvolvimento, bem-estar e reconhecimento de todos.
Os talentos que atraímos anseiam por desafios e novos conhecimentos.
Acreditamos que a natureza do nosso negócio está a nosso favor, pois somos uma empresa internacional focada na performance dos sistemas de informação e atuamos em diversos setores de atuação. Os desafios são constantes, assim como a aprendizagem de novas tecnologias e ferramentas, quer seja pela experiência adquirida, quer seja pelas várias formações que oferecemos.
Na Crossjoin dispomos de um plano de carreira que contém critérios e objetivos que visam a promoção e a atribuição de benefícios, como por exemplo: carro elétrico e prémios/profit sharing. Todos os colaboradores têm um plano de desenvolvimento individual para orientar o Crosser em relação ao seu percurso e promover o feedback e reconhecimento.
Estamos muito atentos às questões de bem-estar e saúde mental.
Em 2021, abrimos o nosso Polo Tecnológico em Almada com o intuito de oferecer as melhores condições de trabalho e potenciar a excelência das nossas equipas. Estamos a ampliá-lo e em breve vamos ter mais espaços de descontração e lazer. Também estamos a proceder a melhorias no nosso hub em Aveiro para terem exatamente as mesmas condições de trabalho.
Temos criado várias parcerias que vão ao encontro das necessidades dos nossos Crossers, oferecemos a mensalidade do ginásio, consultas nas áreas da psicologia, nutrição e financeira. Possuímos uma rede de parcerias em várias áreas, como restauração, óticas, dentárias, farmácia entre outros, para termos preços e serviços mais competitivos para todos.
Quer estejam a trabalhar onsite ou em home office, queremos que os colaboradores tenham ao seu dispor benefícios que os façam sentir bem, tanto a nível físico, como mental. Estes benefícios são transversais a todos os Crossers, assim que entram na Crossjoin, falamos desde presentes de aniversário e natal, a oferta da mensalidade no ginásio, outros são conquistados à medida que evoluem no nosso plano de carreira.
Organizamos ainda vários eventos ao longo do ano, temos o nosso evento anual de fim de semana, que já tivemos como destino Marrocos, por duas vezes, entre outros locais dentro de Portugal. Temos eventos nas datas comemorativas como: Santos Populares, Jantar de Halloween, S. Martinho, Almoço de Ano Novo, entre outros. Todos estes eventos têm como objetivo o Team Building que reforça a união de todos e nos deixam ainda mais fortes.

Na procura por atrair e reter os melhores talentos do mercado, as empresas estão a implementar o Employer Branding. Olhando para o quadro atual dos colaboradores da Crossjoin, qual a importância que esta estratégia tem vindo a ter e de que forma tem sido aplicada?
Tendo em conta a competitividade nesta área das tecnologias ao nível dos recursos humanos, podemos dizer que a Crossjoin orgulha-se de ter profissionais na empresa desde o início da sua criação. De ano para ano, temos vindo a diminuir a taxa de turnover e temos contratado bastante nos últimos anos.
Os nossos Crossers valorizam as nossas práticas. Fomos considerados, pelo segundo ano consecutivo, como um dos Melhores Locais para Trabalhar em Portugal.
Este estudo baseia-se num questionário anónimo feito por uma empresa externa, a Great Place to Work, que avalia aspetos como a credibilidade, orgulho, camaradagem, respeito e imparcialidade. Tanto em 2021, como em 2022, obtivemos um Index Trust acima dos 90%.
Temos uma cultura centrada nas pessoas, no seu desenvolvimento, bem-estar e reconhecimento e toda a nossa estratégia e práticas têm sido aplicadas com este foco, aliado sempre a dois aspetos também fundamentais: a comunicação e o feedback.
Trimestralmente, promovemos reuniões com o Board, com os porta-vozes de equipas de Backoffice e com os líderes de projetos, onde são apresentados resultados, melhorias e pontos de situação. Todos os Crossers estão convidados a participar, colocar questões, fazer sugestões e depois todos estão convidados para o almoço.
Esta prática não surge para “melhorar a reputação” da empresa, mas sim com o facto de querermos que os nossos colaboradores sejam os primeiros a estar a par de todos os resultados e mudanças e que se sintam à vontade para questionar.
Até poderíamos enviar apenas um e-mail com estas informações, mas se assim fosse não estávamos a dar a importância que, fazemos questão de dar, a cada um dos nossos colaboradores. Queremos que os Crossers assimilem a mensagem, sintam-se integrados, envolvidos e queremos ouvir as suas opiniões. Em todas as nossas práticas, procuramos que estejam refletidos os nossos cinco valores: integridade, sustentabilidade, transparência, comunicação e diligência estejam refletidos. O feedback que obtivemos tanto aqui, como ao nível de projetos são fundamentais para avaliar a satisfação das nossas equipas.
Melhor do que nós para dizermos se fazemos um bom trabalho, só os nossos Crossers!
Se uma empresa tem os colaboradores a falar bem de si e das suas práticas, só pode ser um local onde outros talentos se querem juntar. Procuramos através das nossas redes sociais e outras iniciativas demonstrar isso mesmo e captar a atenção de talentos com o mesmo fit cultural.

Já no que diz respeito à evolução da Crossjoin do mercado, de que forma esta estratégia de marketing tem melhorado a própria produtividade e competência, que lhe permite hoje atingir o sucesso que lhe é reconhecido?
A evolução da Crossjoin no mercado traz consigo novos desafios e obriga a uma constante adaptação das nossas equipas. É fundamental a aposta no recrutamento de talentos e numa formação diferenciada, que vise potenciar a excelência dos mesmos traduzindo-se assim num aumento de competências das equipas.
A forte aposta em infraestruturas e equipamentos combinada com uma estratégia bem delineada de Marketing contribui para atingir excelentes níveis de motivação, resultando assim num aumento de produtividade.
Defendemos a máxima de que os colaboradores felizes são mais produtivos.

Por mais que o intuito do Employer Branding seja atrair, reter talentos, transformar e fortalecer os laços com os Recursos Humanos de cada organização, considera que atualmente as ferramentas utilizadas são facilmente compreendidas e aceites no mercado em Portugal? Qual foi o maior desafio em aplicar estas estratégias numa empresa como a Crossjoin?
Existem muitas empresas com um modelo hierárquico em pirâmide e onde certas práticas e ferramentas não são compreendidas.
A Crossjoin Solutions é uma empresa self managed, onde não existem chefes, hierarquias, nem burocracias. Todos conduzem os seus projetos, tendo em conta o que foi acordado em equipa e todos têm as suas tarefas e objetivos bem definidos. A autonomia ganha-se assim como o poder e a responsabilidade de gestão do seu tempo e trabalho.
O maior desafio que temos tido é manter a coesão e identidade da Crossjoin devido ao crescimento da empresa e ao facto de estarmos dispersos geograficamente. Tentamos colmatar através da adaptação, melhoria e reforço das nossas práticas que promovem a nossa cultura, união, espírito de equipa. Algumas práticas já foram mencionadas, tais como as reuniões trimestrais com o Board, eventos anuais e mensais onde promovemos iniciativas de team building e onde partilhamos várias experiências.
Mas temos outras também. Todas as sexta-feiras, durante a fase de integração do trainee, decorre uma sessão de CrossMind com o nosso CEO e os Trainees mais recentes. O nosso CEO ouve cada trainee, partilha a sua experiência, reforçando os nossos valores, princípios, ferramentas e metodologias que constituem os ensinamentos do programa da Academia.
Cada trainee tem ainda o acompanhamento de um mentor que o orientará nesta fase de integração.
Todos os colaboradores contam ainda com o acompanhamento do nosso departamento de Gestão da Qualidade, que os apoia nos projetos para garantir o alinhamento e a qualidade dos quatro quadrantes: cliente, staff, budget e a conformidade da documentação.
É muito importante o acompanhamento e a comunicação regular para garantirmos a coesão que tanto nos tem caracterizado ao longo dos anos, assim como manter a nossa identidade.

A verdade é que, a crise provocada pela pandemia teve impacto em inúmeras atividades e, consequentemente, nas estratégias das empresas. Se por um lado podemos concordar que foi um momento difícil, por outro é legítimo considerar que foi uma ótima oportunidade para as marcas repensarem os seus processos e como olham para os colaboradores? Como trabalhar o Employer Branding nestes momentos?
Antes da pandemia já tínhamos o nosso modelo de Competence Center a desenvolver projetos remotamente, por isso a adaptação a toda a empresa acabou por se tornar mais fácil.
Foi precisamente durante a pandemia que iniciámos o nosso processo IDP, um plano de desenvolvimento individual, que já estava pensado e foi implementado enquanto estávamos todos remotos. Foi um grande passo na Crossjoin e hoje em dia todos conhecem o nosso plano de carreira e todos têm o seu IDP que é atualizado anualmente.
Implementámos também de forma mais regular ferramentas para que o Crosser possa obter feedback do seu desempenho em diferentes fases dos projetos.
Foi também durante a pandemia que sentimos a necessidade de realizar as reuniões de kickoff com o board mais regularmente e implementámos mais ações para obter feedback dos nossos colaboradores.
Sempre tivemos happy hours mensais presenciais e com a pandemia não deixamos de ter, pelo contrário, organizamos ainda mais iniciativas e vimos que, efetivamente, os eventos presenciais são importantes, mas também é fundamental continuar a manter iniciativas para quem está mais disperso geograficamente possa participar também de forma regular.
A pandemia fez-nos adaptar e sem dúvida que abriu mais portas para que o trabalho remoto seja mais constante e embora possamos estar longe não sintamos a distância física e possamos continuar a cuidar de todos.

Tendo comprovadamente uma equipa diversificada, apaixonada e motivada, que planos tem para o futuro da mesma na Crossjoin?
Os planos para o futuro é continuar a crescer como temos vindo a fazer, mas sempre de forma sustentada e focada no alto rendimento das equipas. O nosso crescimento não depende do número de pessoas, mas sim na performance que as mesmas alcançam e na resposta eficiente que damos ao mercado. O foco continuará, deste modo, a ser a aposta na retenção dos nossos colaboradores, melhorando as nossas práticas, mantendo o nosso ADN e garantindo que todos sabem a sua importância na empresa.
Vamos continuar a apostar na contratação de jovens talentos. O objetivo é o de criar um legado para que, passem os anos que passarem, a empresa continue a ser identificada como uma das melhores empresas para trabalhar pelas melhores práticas no seu setor.
A Crossjoin é uma empresa internacional que está no mercado há 13 anos, com vastos clientes consolidados em diversos setores de atividade, tais como a banca, seguradoras, telecomunicações, saúde, entre outros, e estamos neste momento a crescer em Portugal e queremos expandir para novos setores, nomeadamente o setor alimentar. Sendo a nossa equipa diversificada, orientada para desafios, garantimos assim que teremos sempre dentro da nossa empresa a motivação de que todos necessitam para crescer profissionalmente, não havendo a necessidade de procurar outras oportunidades.

O que dizem os Crossers…

André Bela, Arquiteto sénior
“Estar num projeto a 10 mil quilómetros de distância era um desafio enorme para mim. Essa distância sempre acompanhada dos meus fellows Crossers nunca pareceu existir e tomou tudo mais fácil, transformando o difícil numa das melhores experiências que já tive. Desafios, oportunidades, aventuras, companheirismo e crescimento. É isto que encontramos na Crossjoin”.

João Cotralha, Consultor 
“A identidade de uma empresa é definida pelos seus colaboradores, que por sua vez criam e aplicam os valores e culturas da empresa. Quando é cultivada a entreajuda e camaradagem, não só aumenta a qualidade e eficiência dos resultados apresentados, como também a satisfação da equipa. Este tem sido o esforço contínuo da Crossjoin que a beneficia não só a si mesma, mas também a todos os Crossers que a constituem, e quer seja presencialmente ou por remote, este espírito mantém-se perante todos os desafios e oportunidades!”

Érica Matias, Trainee
“Uma empresa onde é possível crescer e sentir o apoio de toda uma equipa. A entreajuda é constante, orientados pelos valores seguimos diariamente a metodologia que nos motiva a chegar aos objetivos desejados. Através da academia somos preparados para integrar qualquer projeto mantendo um raciocínio claro e conciso”.

https://www.crossjoin.pt/

Partilhar

Revista Digital

Revista Pontos de Vista Edição 131

Popular

Mais Artigos deste tipo

Sites de notícias locais falsos superam os reais nos Estados Unidos, revela investigação

Nos últimos meses surgiram centenas de sites que se...

CARRIS e SIBS disponibilizam pagamento com MB WAY

A partir de hoje, viajar na CARRIS é ainda...

Workshop “Plano Nacional de Prospeção no âmbito do CRM Act”

No âmbito da recente aprovação, pela Comissão Europeia, do...