Baixas temperaturas e humidade fez aumentar a procura dos portugueses por aquecedores e desumidificadores

O frio que se fez sentir em quase todo o mês de janeiro aumentou a procura dos portugueses pelos equipamentos de aquecimento e climatização em quase 50%, face a dezembro do ano transato.

257

Uma análise realizada pelo KantoKusta revelou que a procura dos portugueses por equipamentos de climatização e aquecimento cresceu aproximadamente 50%, em janeiro, comparativamente com dezembro de 2022. Esta realidade, agora divulgada, deveu-se ao facto de no mês transato terem-se registado temperaturas baixas e humidade.

“Os portugueses não estão só a passar frio fora de casa. Às baixas temperaturas, tem-se somado o problema de humidade instalado em muitas habitações em Portugal, que só se consegue resolver com o aquecimento do ar ou a utilização de desumidificadores.” explicou Ricardo Pereira, diretor de marketing do KuantoKusta, que foi citado em comunicado de imprensa.

De acordo com os dados do KantoKusta, metade do top 10 de artigos mais pesquisados, entre 1 e 28 de janeiro, foram desumidificadores. Logo, a procura por este equipamento aumentou 62%. Mas, não foi o único. Segundo a mesma entidade, também foi registado um crescimento de 107% por salamandras, 88% por ares condicionados portáteis, 81% por aquecedores a óleo e 66% por emissores térmicos.

Relativamente aos custos relacionados com o aquecimento e climatização das casas, os cidadãos portugueses que compraram novos equipamentos gastaram, “em média, 109 euros, ao qual acrescem as despesas de utilização destes aparelhos, quer sejam aquecedores ou lareiras”, como destacou o KantoKusta.