“Considero e comprovo por experiência própria que o que nos faz crescer são os Desafios”

Maria João de Figueiredo, CEO da Ciphra, define o seu percurso, enquanto mulher, profissional e líder da sua marca, como gratificante. Gratificante nos momentos em que foi preciso “arregaçar as mangas” e lutar, gratificante nas horas de abraçar oportunidades e de celebrar as mais vigorosas conquistas – que já são tantas. Mas também por poder romper mentalidades e mostrar ao mundo que a mulher pode sim ser o que ela quiser. Saiba mais.

Data:

A Ciphra é uma empresa na área da Contabilidade, fundada há 17 anos, vocacionada para auxiliar o tecido empresarial na Gestão Fiscal e Financeira. Sabendo que está, atualmente, num novo espaço, com diferentes estruturas e em crescimento, o que tem vindo a mudar até então?
Eu diria antes, que mais do que temos vindo a mudar ao longo destas quase duas décadas, será mesmo o que temos vindo a manter, pois é isso que nos distingue. Isto é, a aposta num serviço diferenciador e à medida de cada cliente, o tratarmos a gestão, a fiscalidade e os recursos humanos como um todo, o considerar “as minhas pessoas” e das empresas clientes como um dos pilares para o sucesso, o foco em conhecer cada cliente e ajudar cada empresário a crescer, inovar ou consolidar o seu próprio negócio. Diria que o crescimento do negócio, o novo espaço e as diferentes estruturas espelham a robustez da paixão pelo que faço, o respeito pelas pessoas (em quem acredito), o não me resignar à minha zona de conforto e a vontade de dar sempre o meu melhor.

Assim, a Ciphra oferece uma gama completa de serviços financeiros, produtos e soluções empresariais que ajudam os clientes a desenvolver a sua atividade de forma eficaz e profícua. Quão desafiante tem sido a arte de ajustar estas soluções às tendências do mercado?
Tem sido inspirador. Considero e comprovo por experiência própria que o que nos faz crescer são os desafios. Quanto mais formos capazes de os aceitar e estar um passo à frente, mais rápido será o processo de adaptação, crescimento e capacidade de liderança. De entre várias estratégias, a Ciphra aposta, desde cedo, na formação (interna e para os clientes). Torna-nos mais capazes de apresentar soluções diferenciadas, proporcionando uma antecipação e preparação para superar os desafios com sucesso.
O desafio da transformação digital nas empresas, por exemplo, exigiu-nos mais investimento e conhecimento por um lado, mas proporcionou-nos uma maior e mais célere capacidade de resposta. De tal forma, que muitos empresários passaram a externalizar o payroll dos serviços. Ao entregar a gestão financeira e administrativa dos recursos humanos à Ciphra, reduziram os custos fixos com equipas internas, libertaram-se de tarefas administrativas e passaram a ter mais tempo para se dedicarem ao core business do seu negócio. O que seria um desafio, tornou-se, para a Ciphra e para as empresas, como uma oportunidade de fazer acontecer.

Certo é, além de adequar os serviços às necessidades dos clientes, a empresa também se preocupa em desenvolver outros, mais modernos e eficazes – e o Escritório Virtual é um exemplo disso mesmo. No que consiste este novo serviço e quais as suas vantagens para empresas e empreendedores?
O escritório virtual e o domicílio fiscal nascem de uma visão do mercado, junto de clientes nacionais e internacionais e pretende oferecer uma solução económica, flexível e profissional para pequenas empresas e empreendedores. Uma resposta que consegue reduzir custos pois não precisa pagar por um espaço de escritório ou comprar material de escritório, móveis, equipamentos e recursos humanos, economiza em impostos e pode registar o seu negócio numa localidade que ofereça incentivos fiscais mais vantajosos. Para além disso, com um endereço comercial respeitável, pode melhorar a credibilidade do seu negócio e aumentar a confiança junto dos clientes e fornecedores, trabalhando a partir de qualquer lugar.
Na procura de mais e melhores soluções, a Ciphra dispõe, ainda, de parceiro, a nível nacional, para os empresários que procuram no coworking uma estratégia de proximidade.
Soluções diferenciadas, sempre à medida de cada negócio.

A verdade é que, a Ciphra, nasceu a assumir que a Contabilidade não é vista como um mero cálculo das obrigações fiscais, é um meio e não um fim. Considera que foi esta visão que permitiu à empresa destacar-se no mercado? Por que motivo?
Sim, essa visão aliada ao reconhecimento das pessoas. Reduzir a contabilidade a números e obrigações, aliena a paixão no mundo dos negócios e somente quando estamos apaixonados pelo que fazemos e com quem estamos, conseguimos fazer acontecer. Na Ciphra, cada empresa não encerra apenas mais um número, mas o sonho de um empreendedor, com todas as suas áreas de atividade, dificuldades e potencialidades. Por isso, depois de conhecer o nosso cliente e objetivos, aconselhamos, partilhamos conhecimento e dicas, apresentamos cenários e respostas diferenciadas, damos formação. Para nós, o seu sucesso é o nosso sucesso.

Além desta visão diferenciadora, a história da Ciphra também nos remonta à vontade e determinação da Maria João de Figueiredo em «fazer acontecer». Dado o sucesso e reconhecimento da marca no mercado, quão gratificante é olhar para trás e observar este trajeto de conquistas somadas?
Para mim é extremamente gratificante. O reconhecimento, sinónimo de confiança e credibilidade pelos nossos clientes, e os seus resultados fazem valer toda a dedicação e trabalho árduo. Fechar projetos de investimento com sucesso, assistir ao crescimento do volume de negócios, participar nos processos de internacionalização, partilhar a concretização de novos investimentos e a consolidação dos negócios, permite-nos confirmar que quando acreditamos e com as pessoas certas é sempre possível fazer acontecer, cientes de que este trajeto ainda está no início e muito temos ainda por desbravar.

Mais do que as conquistas somadas, importa mencionar que as mesmas foram conseguidas por uma mulher, profissional e empreendedora, capaz de «rasgar» mentalidades e ser líder da sua própria organização. Considera que este caminho foi mais difícil pelo facto de ser mulher? Face à sua experiência, como analisa a questão da igualdade?
Eu tenho uma visão muito própria, pois considero que homens e mulheres são iguais na sua diferença e diferentes na sua igualdade. Para mim, o género não define um posto, uma profissão, um cargo. Desde sempre, marquei presença em áreas onde o masculino era a figura mais presente, passando pelo desporto, enquanto primeira presidente de um clube, a empresária no mundo dos números. Tal não me impediu de deixar a minha marca e de ser reconhecida, pois não encarei a resistência masculina como um problema, mas sim como um desafio.

O Dia Internacional da Mulher, 8 de março, “obriga-nos” a refletir sobre todas as mulheres que ainda hoje encaram adversidades maiores pela desigualdade que persiste. É importante que o caminho da consciencialização, da igualdade e representatividade não fique estagnado? Que atitudes se deveriam adotar?
Dar voz às situações de injustiça, para que se continue a valorizar a igualdade, assumindo-se nesta matéria, que não há género melhor ou pior, apenas diferente. Incentivar a uma educação e formação que, desde cedo, permita as mesmas oportunidades, sem juízos de valor e promover condições de conciliação familiar que respeitem as diferenças e potenciem as igualdades.

Fundadora e CEO da Ciphra e, por isso, um exemplo de liderança feminina na sociedade, que mensagem gostaria de deixar a todas as mulheres que também gostariam de traçar o seu caminho de sucesso?
A palavra-chave consiste em acreditar em si mesmas e nos seus sonhos e transformarem os obstáculos em desafios. Conheçam quem são, descubram os vossos pontos fortes e trabalhem as áreas ondem podem ser mais e melhores. Escrevam os vossos objetivos e tracem datas para os concretizar. Planeiem e coloquem lembretes a cada semana, mês, trimestre para se assegurarem de que não está esquecido e tudo estão a fazer para o conseguir.
Não baixem os braços perante as primeiras adversidades, lembrem-se que quanto mais conseguirem ultrapassar, mais fortes e resistentes se irão tornar. Por vezes, o melhor que nos pode acontecer é mesmo o pior e somente mais tarde percebemos isso mesmo. Finalmente, façam-se rodear das pessoas que vos querem bem e vos acrescentam confiança, positividade e respeito. Palavras de ordem: fé e foco.

Partilhar

Revista Digital

Revista Pontos de Vista Edição 129

Popular

Mais Artigos deste tipo

Cinemas portugueses com o melhor mês de março em receitas desde 2018

No entanto, o número de espectadores necessário para chegar...

Consignação do IRS fica mais simples com o “Ser Solidário” do MB WAY

Todos os anos, milhões de contribuintes em todo o...

APCC distingue os melhores profissionais da Indústria de Contact Centers

Estes prémios de caráter anual, organizados pela APCC (Associação...