O papel da Stampstar e da Inovação na proteção de incêndios

Entre as incertezas que existem hoje, vive a certeza de que o tema da inovação e da tecnologia está a chegar a todos os cantos do mundo – e Portugal não é exceção. Nas linhas seguintes falamos da Stampstar – uma empresa que atua na área das Tecnologias de Informação, Comunicação, Telecontrolo e Monitorização, cujo core business é o serviço SADI Connect, um sistema utilizado para a receção de alertas de incêndios e que é, na sua génese, vanguardista. Luís Teodoro, Sócio Gerente da marca, contou-nos as valias desta solução. Saiba tudo.

438

Fundada há 12 anos, a Stampstar é uma empresa integradora de produtos e serviços que atua nas áreas das Tecnologias da Informação, Comunicação, Telecontrolo e Monitorização. Nasceu com a vontade de possibilitar às organizações agirem de forma mais inteligente e eficiente, através de um forte empenho na área de I&D e da formação de recursos humanos.

A Stampstar foi adquirida, em 2018, pela Administração da SoftFinança – uma empresa que transforma ideias em tendências, desenvolve produtos de referência e oferece soluções que contribuem para o sucesso dos clientes. Aproveitando o know-how forte e consolidado desta marca, a Stampstar sofisticou e modernizou aquele que é, hoje, o seu core business: o SADI CONNECT.

Face aos desafios inerentes do mercado e às mudanças que se dão no mundo, Luís Teodoro, Sócio Gerente da Stampstar, afirma que, ao longo dos tempos, a marca “foi-se especializando na área da finalização de monitorização de eventos de segurança e o SADI Connect está, hoje, mais vanguardista do que nunca”.

O SADI Connect é um sistema utilizado pelas corporações dos bombeiros, cuja sinalização de alarme de incêndio está integrada nos sistemas de informação e monitorização de incêndios existentes e permite identificar de forma imediata um conjunto de características essenciais ao desenvolvimento das operações de combate ao incêndio, socorro e reação rápida ao fogo, uma vez que, sempre que a Unidade detetar um alarme de incêndio a partir da Central de Deteção de Incêndio de um edifício, este é imediatamente transmitido de forma automática e direta à corporação de bombeiros mais próxima.

Para que isto seja um processo possível, cada edifício precisa de ter um sistema de deteção de incêndio instalado, ao qual estará ligado o SADI Connect, que por sua vez está integrado na aplicação do Centro de Monitorização da corporação de bombeiros.

O nosso entrevistado assegura que “cumulativamente, temos uma solução de comunicações com geolocalização, distribuição de internet e mais algumas funcionalidades para colocar nos carros de socorro ou nos carros da polícia, consoante aquilo que os municípios queiram, e que lhes permite também complementar esta interação podendo partilhar alguma informação que caracteriza os edifícios que nós monitorizamos”. Com este complemento, é possível enviar, para estes carros de intervenção, a planta do edifício para onde se dirigem ou outras informações pertinentes que os proprietários têm na base de dados.

“Imagine um edifício que tenha, por exemplo, uma grande reserva de papel. Se houver um incêndio, é conveniente que os bombeiros saibam que há ali uma capacidade de combustão e de aumento da temperatura acima do normal”, refere Luís Teodoro.

Devido às vantagens claras do SADI Connect, são vários os municípios que já contam com a sua presença e apoio na proteção de incêndios.

Particularidades únicas no mercado

Se observarmos as catástrofes que têm existido ao longo do tempo, no que concerne a incêndios em edifícios, sabemos que aquele que é um dos fatores mais determinantes para o sucesso neste combate, consiste na rapidez de alerta às autoridades responsáveis e no tempo que decorre até ao início de intervenção.

Muitos afirmam que, através dos modems telefónicos ou linhas analógicas, é possível prestar um serviço rápido e eficaz, contudo, alguns, não têm mecanismos de controlo e de garantia de receção – e é aqui que entra a eficácia do SADI Connect, uma que vez que este sistema utiliza uma tecnologia inteligente para verificar ativamente se os meios de comunicação estão a funcionar e deteta eventuais problemas. Falhas de comunicação ou avarias são sinalizadas para o Centro de Receção de Alarmes em poucos segundos. Assim, ganha-se tempo.

O SADI Connect permite, portanto, uma redução do tempo de resposta em caso de sinistro e aciona os meios adequados no combate a incêndios ao identificar de forma imediata características fundamentais, como a entidade, a morada do edifício e contacto de verificação, características dos materiais de construção, número de pisos, elementos críticos e sua localização, entre outros.

“Não sendo capaz de garantir que sejamos uma solução única, não conheço outras que apresentem as mesmas características que nós. O que é importante aqui é sinalizar o alarme, fazer chegar o mesmo à corporação dos bombeiros e garantir que alguém tomou conta da ocorrência, começando a tomar todas as medidas face a uma situação de incêndio. Esta atuação pressupõe uma interação nos dois sentidos, ou seja, no sentido de quem alerta a ocorrência e de quem a receciona. Isto nós fazemos e é a garantia da qualidade do nosso serviço”, assegura Luís Teodoro.

Um caminho de tecnologia, inovação e sustentabilidade

Certo é, a tecnologia e a inovação são realidades que terão cada vez maior impacto da vida de todos nós.

Embora os meios de socorro sejam, por norma, utilizadores de tecnologias sofisticadas e modernas, apenas preferem recorrer a soluções que tenham garantias seguras. É exatamente por este motivo que a Stampstar tem vindo, ao longo dos anos, a refinar o SADI Connect, tornando-o cada vez mais confiável, seguro e eficiente – e o feedback e experiência de quem o utiliza tem sido inequívoco quanto a estas qualidades.

“A nossa expansão ao longo do país não tem sido rápida, por uma série de características que estas contratações implicam, mas até hoje não houve uma corporação de bombeiros que não nos tivesse reconhecido os méritos da solução”, confirma o nosso interlocutor.

Contudo, não é só a tecnologia, a inovação e a consolidação do projeto que têm ganho destaque na companhia. Ainda que exista a necessidade clara de inovar, a Stampstar pretende ser sustentável e consciente dos impactos que tem na sociedade e no ecossistema, tendo sempre em mente esta matéria na escolha dos meios em que realiza as suas intervenções.

Aquando da sua constituição e, em particular, a partir da gestão de Luís Teodoro, ficou delineado que esta não seria uma empresa sprinter. Apesar de ter os olhos postos no futuro e de saber a verdadeira importância da inovação, é ao presente que se dedica.

“Ainda temos uma solução bastante inovadora, que não está de forma alguma ultrapassada ou consolidada. Continua a ser vanguardista para aquilo que existe na realidade hoje em dia e, portanto, temos pela frente o desafio de levar esta modernidade, esta inovação e esta eficiência a uma quantidade de organizações ou a uma quantidade de corporações de bombeiros e municípios onde ainda não existe”, reitera o Sócio Gerente da Stampstar, concluindo ainda que “sem prejuízo de olharmos para novas abordagens e novas funcionalidades que farão sentido integrar no futuro da solução, já trazemos tanto benefício com aquilo que disponibilizamos atualmente, que o nosso objetivo é promovê-lo como está”.

Numa perspetiva a longo prazo, este é o compromisso da companhia e do SADI Connect no mercado, enquanto principal parceiro de apoio aos Bombeiros de Portugal.