Desempenho da Mercedes-Benz no segundo trimestre marcado por fortes vendas de modelos topo de gama e de comerciais ligeiros premium

A atenção da Mercedes-Benz Group (símbolo de registo: MBG) concentrada no crescimento sustentável por meio das vendas de carros desejáveis e comerciais ligeiros premium, combinada com um controlo rigoroso dos custos, aumentou o lucro antes de juros e impostos (EBIT) em 8 % para 5.0 mil milhões de euros (2T 2022: 4.6 mil milhões de euros) e as receitas em 5 % para 38.2 mil milhões de euros (2T 2022: 36.4 mil milhões de euros).

349

Na divisão Mercedes-Benz Cars, o retorno de vendas ajustado atingiu os 13,5 % no trimestre (2T 2022: 14.2 %) graças à disciplina de preços e às fortes vendas de veículos topo de gama, bem como dos modelos SUV da Mercedes-Benz, incluindo variantes elétricas. Na divisão Mercedes-Benz Vans, o retorno de vendas ajustado do segundo trimestre subiu 15.5 % (2T 2022: 10.1 %) graças a preços favoráveis e ao aumento das vendas.

Transformação
No segundo trimestre, a empresa continuou a sua transformação com várias inovações tecnológicas.
A Mercedes-Benz lançou um programa beta para a integração do ChatGPT nos veículos ligeiros de passageiros da Mercedes-Benz na América do Norte. Os utilizadores do MBUX podem utilizar o ChatGPT para melhorar o assistente de voz, não só para aceitar comandos de voz naturais, mas também para conduzir conversas com respostas abrangentes. Os dados mostram que os participantes têm o dobro da probabilidade de interagir com o MBUX quando utilizam a funcionalidade ChatGPT.

O novo Classe E, que vem equipado com um precursor do sistema operativo MB.OS, recebeu excelentes críticas e chegará aos concessionários portugueses a partir do final de setembro. A Mercedes-Benz irá disponibilizar a função “Mudança Automática de Faixa” na Europa, um sistema inteligente de assistência à condução SAE de Nível 2, a tempo da entrega das primeiras unidades do novo Classe E.

A empresa continua a expandir as opções de carregamento para os seus clientes. Além de avançar com os planos para a sua própria rede de carregamento de alta potência, a Mercedes-Benz irá adotar a norma de carregamento norte-americana (NACS), disponibilizando aos clientes o acesso à rede de supercarregadores da Tesla na América do Norte em 2024, e esta semana revelou planos para desenvolver uma nova rede de carregamento de alta potência em toda a América do Norte, juntamente com a Hyundai, Honda, Kia, General Motors, BMW e Stellantis.

Em setembro, a Mercedes-Benz apresentará a sua plataforma MMA (Mercedes Modular Architecture), concebida para redefinir o segmento de entrada na marca com o MB.OS e outras características para elevar a importância e a qualidade do produto.

Investimentos, fluxo de caixa e liquidez
O fluxo de caixa da atividade industrial aumentou para €3.4 mil milhões (2T 2022: €1.4 mil milhões). A evolução positiva do fundo de maneio deveu-se principalmente a uma menor acumulação de existências em comparação com o ano anterior. A acumulação de existências é o resultado da introdução do modelo de vendas diretas em mercados adicionais, da aceleração da produção devido aos novos modelos e à elevada quantidade de veículos em processo de entrega. A liquidez da atividade industrial aumentou para €25.8 mil milhões (final de 2022: €26.6 mil milhões). Os investimentos do grupo em propriedades, fábricas e equipamentos no segundo trimestre ascenderam a €0.8 mil milhões (2T 2022: €0.8 mil milhões). As despesas em investigação e desenvolvimento ascenderam a €2.4 mil milhões (2T 2022: €2.2 mil milhões) devido aos maiores investimentos nas futuras plataformas e tecnologias, incluindo o MB.OS. A Mercedes-Benz anunciou a sua terceira emissão de obrigações verdes dois anos após a última emissão na Europa.

Resultados por divisão
A procura por veículos elétricos e veículos do segmento topo de gama impulsionaram as vendas da divisão Mercedes-Benz Cars em 6 %, para 515,700 unidades no segundo trimestre, e em 5 % para 1,019,200 unidades no primeiro semestre de 2023. As vendas foram impulsionadas pela forte procura na Alemanha e nos Estados Unidos em particular, e pelo crescimento em todas as regiões e segmentos. A Mercedes-Benz continua a manter a disciplina com uma atenção especial no crescimento sustentável, mesmo num ambiente de mercado dinâmico. As vendas de veículos elétricos da divisão Mercedes-Benz Cars quase duplicaram para 61.200 unidades (+96 %) no segundo trimestre. Excluindo os modelos da marca smart, as vendas de veículos elétricos registaram um aumento de 123 %. As vendas no segmento topo de gama cresceram 12 % para as 84,800 unidades no segundo trimestre e 15 % para os 176,600 veículos nos primeiros seis meses de 2023. No segmento core, as vendas subiram 2 % para as 276,800 unidades no segundo trimestre, afetadas pela renovação dos modelos GLC e Classe E. As vendas no segmento de entrada na marca aumentaram 11 % para as 154,100 unidades no segundo trimestre e até cresceram 19 % no primeiro semestre de 2023, atingindo os 317,500 veículos.

A divisão Mercedes-Benz Vans aumentou significativamente as suas vendas globais no segundo trimestre de 2023 para 119,500 unidades (+19 %) devido à contribuição particularmente forte de veículos comerciais pesados. As vendas globais de comerciais ligeiros totalmente elétricos subiram significativamente no segundo trimestre de 2023 para 5,100 unidades (2T 2022: 4,300). Desta forma, a quota de modelos totalmente elétricos representou 4.2 % das vendas totais. Com o recente início das vendas do EQT e do eCitan, a carteira de produtos oferece agora uma variante elétrica em cada segmento. Os sólidos preços líquidos e as vendas unitárias mais elevadas ajudaram a compensar o aumento dos custos e a inflação, enquanto a base de custos fixos registou uma forte melhoria. No geral, o retorno de vendas ajustado na divisão Mercedes-Benz Vans subiu para 15,5 % (2T 2022: 10,1 %). Em maio, a divisão apresentou a sua Atualização da Estratégia para fortalecer a sua posição como fabricante líder de veículos comerciais ligeiros e recebeu críticas favoráveis de representantes do mercado de capitais e da comunicação social. O segmento de comerciais ligeiros de tamanho médio será alvo de um facelift para dar aos veículos do segmento de clientes particulares um design mais atrativo e para aguçar o apelo premium no segmento comercial.

Comparativamente ao segundo trimestre do ano passado, a Mercedes-Benz Mobility mais do que triplicou o volume de novos contratos de veículos elétricos para €1.8 mil milhões (2T 2022: €0.6 mil milhões). No total, com 15,4 mil milhões de euros, os novos contratos da Mercedes-Benz Mobility cresceram em comparação com o trimestre do ano anterior (2T 2022: 14,1 mil milhões de euros). Num ambiente de mercado desafiador, especialmente na China, o volume de contratos da Mercedes-Benz Mobility totalizou € 131,4 mil milhões (Ano fiscal de 2022: € 132,4 mil milhões). O EBIT ajustado de 448 milhões de euros (2T 2022: 624 milhões de euros) foi afetado principalmente pela descida das margens, que foi parcialmente compensada por um custo normalizado do risco de crédito. A rentabilidade foi afetada por margens mais baixas devido a taxas de refinanciamento mais elevadas e à intensificação da concorrência no setor dos serviços financeiros, bem como a investimentos mais elevados na rede de carregamento. Como resultado, o retorno de capital ajustado diminuiu para 12,8 % (2T 2022: 17,1 %).

Perspetivas
Com as diferenças regionais, é provável que a dinâmica global de crescimento da economia mundial permaneça bastante moderada no segundo semestre do ano. Apesar da contínua diminuição mensal da taxa de inflação, prevê-se que a inflação se mantenha acima da média em muitos países, o que deverá resultar na continuação de políticas monetárias restritivas por parte dos principais bancos centrais. É provável que estes desenvolvimentos continuem a pesar sobre os consumidores e as empresas e a enfraquecer o crescimento económico como consequência. Além disso, os imponderáveis geopolíticos continuam a ser outro fator de incerteza. Em contrapartida, prevê-se que os preços da energia se mantenham a um nível significativamente inferior ao do ano anterior durante o resto de 2023 e também, em média, durante o ano no seu conjunto. A situação notoriamente melhorada da cadeia de aprovisionamento deve continuar a beneficiar o desenvolvimento do mercado automóvel no segundo semestre do ano, embora a procura do mercado deva permanecer moderada em mercados importantes.

Perspetivas de vendas da divisão Mercedes-Benz Cars: a entrada de pedidos está a estabilizar com uma forte substância de produto no mercado e também considerando os lançamentos de produtos que irão ocorrer em 2023 e 2024. A taxa de vendas do primeiro semestre de 2023 permaneceu aproximadamente ao mesmo nível e prevê-se que as vendas do ano global tenham um registo ao nível das do ano anterior.

Prevê-se que as vendas unitárias e as receitas da divisão Mercedes-Benz Cars fiquem “ao” nível do ano anterior. O retorno de vendas ajustado está previsto situar-se no intervalo de 12-14 % e a taxa de conversão de caixa ajustada no intervalo de 0.8-1.0. Prevê-se que os investimentos em propriedades, instalações e equipamento sejam significativamente superiores aos do ano transato.

Na divisão Mercedes-Benz Vans, prevê-se que as vendas unitárias sejam “significativamente superiores” às do ano anterior, acima da expetativa anterior de um ligeiro aumento nas vendas. O retorno de vendas ajustado deverá agora situar-se no intervalo de 13-15 %, acima do intervalo de 11-13 % anteriormente estimado. A taxa de conversão de caixa ajustada está agora prevista situar-se no intervalo de 0.7-0.9, acima do intervalo anterior de 0.6-0.8. Prevê-se que os investimentos em propriedades, fábricas, equipamentos, investigação e desenvolvimento continuem a ser “significativamente superiores” aos do ano passado.

Na Mercedes-Benz Mobility, o retorno de capital ajustado permanece inalterado no intervalo de 12–14 %.

A Mercedes-Benz Group prevê receitas “ao” nível do ano anterior. O EBIT do grupo está agora previsto ficar “ao nível do ano anterior”, uma subida da anterior estimativa de “ligeiramente abaixo”, resultante da orientação ajustada da divisão de comerciais ligeiros. Prevê-se agora que o fluxo de caixa da atividade industrial seja “ligeiramente superior” ao do ano passado.