“A minha equipa é a razão do nosso sucesso”

Os membros que compõem o «corpo» da Procare Health Portugal contaram-nos, em entrevista, não só as mais-valias desta marca enquanto elemento e agente da saúde da mulher, mas também de que forma se promove e valoriza a equipa, no seio da sua atividade.

461

Miguel Coelho, Country Manager na Procare Health Portugal

A Procare Health é um laboratório farmacêutico, constituído em 2012, focalizado na saúde e bem-estar da mulher. Com 11 anos de experiência e conquistas somadas, quem é hoje esta marca?
Esta empresa biotecnológica, especializada em produtos de base natural ou síntese não química nasceu em 2012, por iniciativa do seu fundador e atual CEO. Nessa altura, o objetivo era o de desenvolver soluções terapêuticas de base natural e isentas de hormonas, dedicadas à saúde da mulher, que viessem preencher lacunas de tratamento ou melhorar as ofertas existentes. Era propósito da organização alcançar a globalização e não apenas concentrar a sua presença em países específicos.
Passados estes anos, podemos afirmar que os objetivos iniciais estão plenamente alcançados. Temos uma vasta oferta de produtos para múltiplas patologias, em todas as idades da mulher. Por outro lado, estamos em todos os continentes, com presença em mais de 60 países.
Contudo, cedo percebemos que podemos fazer muito mais, daí a nossa forte aposta em investigação de novos produtos, o permanente estudo de mais e melhor evidência clínica dos produtos já em comercialização. A área de I&D constitui o maior investimento da Procare Health.

Enquanto membro da sociedade em que a Procare Health se insere e agente da saúde, a marca afirma ter uma responsabilidade que vai muito além do desenvolvimento de novos produtos. De que missão estamos a falar?
A presença da empresa nas sociedades em que se insere é de extrema importância. Pensamos o rigor económico não apenas com base no lucro, mas também fortemente apostados em sermos um membro ativo da sociedade. É verdade que com mais dinheiro poderemos fazer mais, ajudando quem precisa, criando oportunidades para quem connosco partilha o mesmo espaço. Essa é uma variável de enorme relevância para a empresa.
Dando como exemplo, a Procare Health Portugal, criada em meados de 2018, enfrentou no período em que deveria ter um forte desenvolvimento, uma pandemia que afetou o nosso negócio em 82%, no seu pior momento. Ora, o que fizemos nesse período, fruto de uma total entrega de todos os colaboradores, foi apoiar tanto quanto possível os profissionais de saúde, oferecendo melhores condições para trabalhar, desde máscaras altamente sofisticadas, um gel desinfetante criado nos nossos laboratórios, até fardas de transição, iniciativa de uma colega.
Hoje, quando temos já uma posição mais consolidada, não podemos virar costas a quem nos procura ou a situações com que nos deparamos. Como exemplo, refiro o apoio que damos ao trabalho solidário desenvolvido pela Associação de Estudantes da Faculdade de Medicina de Lisboa, que assegura que todos os alunos poderão terminar os seus estudos, o que não poderiam fazer por limitações financeiras. E mais está para acontecer.

Além do bem que a Procare Health faz pela saúde da mulher, também abriu portas para uma equipa de profissionais coesa e dedicada. A verdade é que não seria possível caminhar sozinho. Enquanto Country Manager, em que medida os Recursos Humanos têm sido a fórmula do sucesso desta marca? Quais diria que são os valores humanos e as competências profissionais que estas pessoas possuem?
Se existisse algum segredo no nosso negócio, a nossa equipa e a forma como interagimos seriam a razão do nosso sucesso.
Quem me conhece, sabe que tenho algum cuidado quando falo publicamente de gestão de Recursos Humanos, principalmente porque em todo o lado leio ou ouço falar de coisas fantásticas que se fazem nas organizações. Será mais fácil para mim se essas questões forem endereçadas às pessoas que trabalharam ou trabalham comigo.
Cedo aprendi que se caminhar sozinho o meu percurso será curto. A minha equipa é a razão do nosso sucesso.
Sei que sou um agregador de pessoas, mas tenho dificuldade em explicar os motivos por que as pessoas se juntam a mim. Não sou uma pessoa fácil já que procuro a excelência e sou exigente quanto a tudo o que espero das minhas equipas. Contudo, acredito nas pessoas e dou sempre um voto gratuito de confiança.
O mundo é muito exigente e a necessidade de sermos competitivos traz uma exigência acrescida, que resulta numa componente de stress inerente à nossa atividade. Uma equipa só pode ser responsável se for autónoma, não pode ser de outro modo. É necessário ouvir o que as pessoas têm para dizer.
Procuro ir o mais longe possível e sei que para alcançar objetivos ambiciosos precisamos de caminhar seguros e com a tranquilidade de sabermos que confiam em nós e que entendem as nossas limitações.
Para tal, ao falar de valores humanos, a minha equipa é o resultado da soma das diferenças de cada um. Defendo uma pessoa sem barreiras quanto à forma como estão no trabalho, na família, com os amigos. Numa palavra, quero que cada um seja genuinamente o “seu próprio”. É dessas idiossincrasias que parte a chave do nosso sucesso.

A Procare Health tem, hoje, um conjunto de elementos necessários para o seu sucesso – uma equipa determinada, mentalidade inovadora e soluções para que as mulheres se possam sentir acompanhadas. Assim, onde gostaria de observar a marca daqui a cinco anos? Que metas gostaria de cumprir?
Como referi anteriormente, temos objetivos ambiciosos, que se estendem no tempo. Daqui a cinco anos quero estar como estamos hoje, na construção de um projeto que visa melhorar a saúde das populações com melhores soluções terapêuticas. Quero manter uma equipa com a excelência da que tenho hoje. Quero continuar a garantir que a Procare Health é um espaço onde as pessoas se sentem bem e dão o seu melhor. E quero estar a falar do que já fizemos e do que queremos fazer nos cinco anos seguintes.