“Encantar quem nos visita e tornar cada um deles um Embaixador Dark Sky®”

No anterior mês de setembro, o Dark Sky® Alqueva conquistou o Europe’s Responsible Tourism Award 2023, na cerimónia dos World Travel Awards, ou seja, mais um galardão a juntar aos inúmeros já conquistados e que são um enorme motivo de orgulho para a nossa interlocutora, Apolónia Rodrigues, Presidente da Dark Sky® há seis anos e que é uma Mulher feliz, pois o seu trabalho e da sua equipa têm sido bem-sucedidos e têm tido um enorme reconhecimento de todos. Saiba mais!

170

No ano de 2007 nasceu, em Portugal, o primeiro destino de astroturismo – o Dark Sky® Alqueva. Como surgiu a ideia de criar este projeto pioneiro e inovador?
O conceito e marca destino Dark Sky® nasceu em 2007 e tendo sido materializado no Dark Sky® Alqueva. Este conceito surge da conjugação da experiência na criação da Genuineland – Turismo de Aldeia, do interesse em conseguir colocar em prática o modelo integrado de desenvolvimento sustentável de destinos que fui desenvolvendo na sequência da minha participação no Tourism Sustainability Group da DG GROW, e das tendências futuras da procura turística, elemento de especialização.
O Alqueva enfrentava um potencial de crescimento muito para além da sua capacidade de carga despoletado pela criação do Grande Lago de Alqueva. Esta novidade acentuou o desejo de contrapor, em ritmo acelerado, a perda de população, e de atividade económica. Assim, a par da agricultura intensiva, o Alqueva passou a ser sinónimo de projetos de grande dimensão, maioritariamente em estilo resort, e que na verdade poderiam ter alterado a identidade da região.
Foi neste cenário que o Dark Sky® Alqueva surgiu em 2007 como alternativa à massificação e com o objetivo de juntar os concelhos de Alqueva em torno de um desenvolvimento sustentável, compatível com a sensibilidade do sistema lacustre que se estava a criar e capaz de assimilar as mudanças de uma forma coerente e temporalmente aceite.
O recurso comum e diferenciador, capaz de levar este destino aos quatro cantos do mundo, era o seu céu noturno escuro. Mas a preservação da qualidade do céu noturno até 2007 não resultou de uma preocupação com este recurso, mas sim devido à perda de população e dispersão dos povoados, que levaram a uma menor proliferação da iluminação pública. Ou seja, a existência de um céu noturno de qualidade está associada na região a algo negativo, neste caso à perda de população. Mas também resulta da dispersão de povoados, comum nesta região e que no litoral não acontece. No litoral é fácil vermos que o crescimento urbano foi realizado em linha e isso resulta em grandes manchas urbanas e centenas de quilómetros quase sem interrupção de iluminação pública.
Assim, o conceito nasceu e foi criado para responder à necessidade de implementar uma estratégia integrada e com foco no desenvolvimento sustentável, com um elemento diferenciador que a distinguisse de outros destinos sendo que esse elemento diferenciador, neste caso a proteção do céu noturno, seria o “trigger” da estratégia de sustentabilidade de longo prazo.

No passado dia 29 de setembro decorreu a cerimónia dos World Travel Awards, no Hotel Sheraton Batumi e o Dark Sky® Alqueva conquistou o Europe’s Responsible Tourism Award 2023. O que é que este prémio significa para a marca?
Todas as distinções recebidas até hoje são muito importantes para o Dark Sky® Alqueva pois representam uma confirmação do caminho seguido e que o mesmo é reconhecido por diversas entidades e organizações internacionais e nacionais. Também é de referir que devido à abrangência do trabalho desenvolvido, os prémios são igualmente abrangentes desde reconhecimentos no âmbito da sustentabilidade, enquanto destino turístico, ou mais específico enquanto destino de astroturismo, de natureza ou de luxo, mas também ao nível da experiência turística, da diversidade e da responsabilidade, a que se refere este último prémio dos World Travel Awards, considerados os “Óscares do Turismo”. Já no final do mês de outubro, o Dark Sky® Alqueva recebeu mais um World Travel Luxury Award, na categoria de “Best Sustainable Tourism Destination” o Continente Europeu.

Estes reconhecimentos são uma ferramenta de divulgação e atribuem mais segurança aos consumidores quando estão na fase de escolha e têm de decidir qual o destino a visitar. Quais os fatores que fomentam a distinção do Dark Sky® Alqueva ano após ano?
Sim, sem dúvida pois contribuem para o aumento da reputação do destino e das atividades com selo Dark Sky® Alqueva.
Manter os reconhecimentos é sempre difícil porque cada vez exigem mais de nós e do destino, mas se mantivermos o foco na qualidade e na essência da experiência, mas acima de tudo se estivermos alinhados com o caminho que traçámos, esse trabalho acabo por dar os seus frutos.

A Apolónia Rodrigues é Presidente da Dark Sky® há seis anos. Como é que descreve estes tempos de liderança de uma marca indiscutivelmente reconhecida no mundo do turismo?
O Dark Sky® Alqueva nasceu em 2007 e para o colocar em prática foi necessário vencer muitos obstáculos, seja devido ao tema, seja pelo facto de estar a criar um destino fora do ambiente público, ou porque estava a trabalhar numa tendência futura, ou mesmo por ser mulher. A realidade é que desde 2007 e mais tarde com a criação da Associação Dark Sky, o caminho foi sempre muito difícil e penoso onde apenas com muita resiliência, resistência e vontade foi possível colocar em prática aquilo que idealizei em 2007. Felizmente, entre amigos, conhecidos, voluntários e família, cada um ofereceu aquilo que tinha à disposição e pouco a pouco foi possível criar o destino que temos hoje.

2023 foi um ano de desafios para muitas marcas e inúmeros setores de atividade. Para o Dark Sky® Alqueva, o que é que este ano destacou? Que análise faz deste ano que está a pouco tempo de terminar?
Depois de passarem os primeiros dois anos de pandemia, a que se somaram uma guerra, pensámos que 2023 seria mais calmo, mas na verdade foi um ano bem desgastante porque o cansaço do prolongamento dos constrangimentos acabaram por se começar a sentir com grande efeito. Continuamos a crescer, a atrair o público que desejamos para o nosso destino, mas foi um ano mais complexo, incerto e desafiante.

É, também, tempo de olhar para o futuro. Quais diria que são os grandes desafios e oportunidades que 2024 trará ao Dark Sky® Alqueva?
Acima de tudo manter o crescimento que tem sido com base em critérios de sustentabilidade, continuar a atrair mercados com poder de compra para que o retorno seja mais compensador para o destino e continuar a fortalecer a missão de proteção do céu noturno.

A propósito dos seis anos enquanto Presidente da Dark Sky®, que mensagem gostaria de deixar não só aos turistas que visitam este destino, mas também aos residentes da região?
A missão de proteção do céu noturno que faz parte do trabalho de criação do destino Dark Sky® Alqueva promove benefícios ao nível económico, ambiental e social, e por isso é muito importante que os residentes sejam os primeiros a estarem alinhados com esse objetivo.
Aos turistas que nos visitam ou poderão visitar, espero que sejamos capazes de os encantar e tornar cada um embaixador Dark Sky®.