Em 2024 a procura por talento em cibersegurança irá exceder em 50% a oferta

O número necessário de profissionais de cibersegurança para 2024 irá ultrapassar as 83.000 pessoas, enquanto a previsão de especialistas que irão procurar emprego em cibersegurança em 2024 será de apenas 42.283.

Data:

A digitalização em massa verificada nos últimos anos provocou uma necessidade premente de reforçar a cibersegurança entre as empresas e as instituições, um setor que está em franca expansão devido ao aumento e à sofisticação dos ataques informáticos a nível global. Esta transformação tem sido acompanhada por um crescimento na procura por talento especializado em novas tecnologias e cibersegurança. Assim, a S21sec, uma das líderes europeias em serviços de cibersegurança adquirida pelo Grupo Thales em 2022, aumentou a sua força de trabalho em 4% em 2023 face ao ano anterior.

Este crescimento, motivado pelo aumento da procura, tem sido possível graças às políticas de conciliação que a empresa tem, desde o modelo de trabalho híbrido à sua inovadora iniciativa “free fridays”, baseada na possibilidade de contar com um dia de folga por mês para colaboradores sem dedução salarial, permitindo-lhes distribuir a jornada de trabalho com o objetivo de proporcionar uma maior flexibilidade no seu dia a dia.

Apesar disso, a empresa reconhece que existe uma lacuna global de talento neste setor, que é cada vez maior devido à falta de profissionais especializados e ao rápido crescimento da indústria. Isto é confirmado por Ana Baliña Pérez, HR Director da S21Sec, “a lacuna continuará a crescer, pois serão necessários cada vez mais perfis. O aumento da digitalização pós-Covid e o teletrabalho são as principais causas, além disso, as matrículas nos centros de formação profissional e nas universidades não só não se mantêm, como estão, inclusivamente, a diminuir, e devemos também ter em consideração a diminuição da natalidade, que terá um grande impacto”. Relativamente aos requisitos exigidos pelos novos perfis, Ana Baliña Pérez reconhece que “o que é mais procurado é, sem dúvida, o teletrabalho, bem como o desenvolvimento da carreira profissional e a maturidade em termos de conhecimento da cibersegurança da empresa”.

Promoção do talento feminino em cibersegurança

Da mesma forma, o Instituto Nacional de Cibersegurança (INCIBE) em Espanha prevê que o número necessário de profissionais do setor até 2024 irá ultrapassar as 83.000 pessoas, enquanto a previsão de especialistas que irão procurar emprego em cibersegurança em 2024 será apenas de 42.283, aumentando ainda mais a lacuna de talento. A retenção de talento feminino é outro dos desafios que o setor enfrenta, uma vez que apenas 24% dos cargos em cibersegurança são ocupados por mulheres, segundo dados do INCIBE.

Nesse sentido, é necessário promover programas específicos que motivem o talento feminino em cargos tecnológicos, bem como incentivar o estudo das carreiras STEM desde a infância, uma vez que a disparidade de género já se reflete na fase universitária, em que apenas 18% dos licenciados especializados neste assunto são mulheres.

Partilhar

Revista Digital

Revista Pontos de Vista Edição 128

Popular

Mais Artigos deste tipo

Xiaomi e Leica aprofundam a parceria com lançamento de Instituto Ótico Xiaomi x Leica

Xiaomi, líder global em inovação tecnológica, e Leica Camera...

MVGM inova na gestão de ativos imobiliários

A MVGM, líder global em gestão de ativos, alcança...

Músico Bryan Adams atua em novembro em Portugal

De acordo com a Ritmos & Blues, o concerto...

Esta semana há greve dos Técnicos Sup. de Diagnóstico e Terapêutica

No dia 21, serão abrangidas pela greve as entidades...