“Sempre fui persistente e focada nas minhas metas”

Nora Cavaco é, hoje, Presidente do International Center of Neuropsychology & Austim e Diretora do Centro Clínico Algharb e uma Pessoa que se dedicou, em todo o seu percurso profissional, ao próximo. A própria, conversa com a Revista Pontos de Vista e destacou alguns dos momentos mais significativos da sua vida e contou-nos sobre a sua perspetiva enquanto empreendedora em Portugal.

226

Para começar, gostaríamos de conhecer um pouco mais sobre a jornada que a trouxe até aqui. Que momentos significativos da sua vida pessoal e profissional, moldaram o seu caminho até se tornar a líder que é hoje?
A capacidade de liderança evidencia-se nos mais pequenos detalhes. No lugar que ocupamos na família, nas conversas e abertura que nos permitem ter nos mais diversos assuntos; na escuta atenta e na oportunidade de fazer uso da palavra, utilizando esta mesma, como a maior ferramenta motivacional e de agregação. Senti a oportunidade com os meus pais; sempre com o meu marido e filhos que, numa dialética saudável de vida, me foi possível obter o equilíbrio para avançar profissionalmente até aos dias de hoje, crescendo a nível nacional e internacional como pesquisadora, docente e profissional de saúde mental. Família que construí e esteve sempre comigo nesta caminhada, com o seu apoio e amor incondicional, o que sempre me permitiu acreditar que era possível ser eu mesma. Posteriormente com amigos, colegas, alunos, que até à atualidade, dão muito do seu tempo, para ouvir-me e com a mesma fidelidade continuam a acompanhar-me neste percurso. Desde muito pequena que me percebi como uma pessoa resiliente, perseverante e focada nas metas a que me propunha. Tive o privilégio de nascer numa família onde sempre me senti uma criança feliz, apoiada e valorizada desde as mais pequenas conquistas. Ouvir os outros nas suas mais diversas dimensões; com espaço e tempo para a escuta ativa, onde a empatia a humildade e a segurança nunca faltaram, possibilitaram-me crescer e ser respeitada a nível pessoal e profissional.

Como Fundadora e Presidente do International Center of Neuropsychology & Austim e Diretora do Centro Clínico Algharb, acreditamos que pode ter desbravado caminhos desafiantes. Poderia partilhar connosco algum momento particularmente desafiador da sua carreira? Mais importante do que isso, como o superou?
Sempre fui persistente e focada nas minhas metas. Acreditei desde sempre que é nas dificuldades e nos obstáculos que nos fortalecemos, e assim foi. Considero que sair do meu país, viver semanas no Brasil, com uma família que não conhecia, pais de uma criança autista, foi um enorme desafio. Mas a paixão pela psicologia, pela saúde mental, pelas famílias e pelo autismo levou-me a fundar o International Center of Neuropsychology & Austim escola de formação e intervenção especializada, a nível nacional e internacional, com a realização de dezenas de seminários e congressos a nível mundial, na área do desenvolvimento e seus transtornos. Como mulher, sinto-me hoje reconhecida e realizada.

Ser empreendedora em Portugal, especialmente em áreas tão especializadas como aquelas onde atua, também pode apresentar os seus próprios desafios. Quais foram os maiores desafios que enfrentou ao construir as suas marcas?
As marcas criadas tinham e têm um propósito maior, o de servir e formar as pessoas, os profissionais, as famílias, as crianças e os jovens que necessitam de uma avaliação de qualidade, de uma intervenção e formação qualificada e ajustada às suas necessidades. Hoje vejo que os desafios surgem diariamente pelas exigências sociais e mundiais, mas sinto que valeu a pena, pois foram superados pela afluência, pela procura e pelas evidências dos resultados.

O Dia Internacional da Mulher, celebrado a 8 de março, é um momento oportuno para refletirmos sobre a igualdade de género em diferentes setores. Na sua experiência, acredita que as mulheres têm as mesmas oportunidades que os homens na sua área de atuação? Que obstáculos ainda precisam de ser superados?
Ainda precisamos de trabalhar arduamente. Ser mulher nos tempos de hoje no mundo empresarial e nesta prática especifica da psicologia e saúde mental implica uma constante renovação do profissional. Sinto-me respeitada e acolhida pelos colegas independentemente do género, na área da psicologia e da psiquiatria (área de especialidade). Mas o estudo permanente, a entrega total à causa, a comprovação e a necessidade de validação imposta pela sociedade é ainda uma realidade diária, que não podemos ignorar, pois ela existe e está ainda muito viva. Mas é importante acreditar. Todas as mulheres devem continuar a trabalhar e a afirmar-se.

À medida que celebramos as conquistas das mulheres ao longo dos anos, também reconhecemos que há muito a ser feito para alcançar a verdadeira igualdade de género. Como líder nas suas áreas de atuação, que passos considera essenciais para promover uma maior igualdade e inclusão?
Considero importante a manutenção da democracia no seu mais verdadeiro sentido. As oportunidades implicam trabalho, dedicação, respeito e equidade nos diversos processos. A Inclusão implica a quebra de barreiras externas, mas principalmente as internas; só assim podemos realmente perceber o nosso espaço e ceder espaço numa igualdade equitativa, verdadeira de oportunidades, onde o saber ser e o saber fazer, independentemente do género terão o seu valor reconhecido.

Dada a sua posição e conquistas, certamente é uma inspiração para muitas mulheres em Portugal e não só. O que sente em relação ao impacto que a sua carreira e liderança podem ter na próxima geração de mulheres que aspiram seguir os seus passos?
Espero deixar o melhor de mim, transmitir o melhor que sei para que as novas gerações de mulheres sejam mais fortes mais confiantes e mais abertas para enfrentar este mundo tão heterogéneo. Num lançamento de um dos meus livros uma jovem mulher disse-me que gostaria de ser como eu… eu respondi-lhe que o meu desejo é que se tornasse melhor, muito melhor… pois ela estava a receber os meus saberes e a agregar aos dela. Só desejaria que fosse melhor que eu.

Por fim, olhando para o futuro, quais são as suas perspetivas para o International Center of Neuropsychology & Autism e para o Centro Clínico Algharb? Existem planos ou iniciativas que gostaria de nos contar?
As minhas aspirações é que consigamos alcançar cada vez mais pessoas, no sentido de divulgar os nossos serviços de especialidade como avaliação e intervenção no autismo, no Tdah, na dislexia, nos transtornos de personalidade, no tratamento de traumas, da ansiedade e da depressão; estes sediados no Algarve, mas com células e parceiros na América Latina, Brasil, Argentina, Miami, Ásia como no Dubai entre outros. A nossa formação é personalizada centrada na pessoa acreditada e qualificada; assim como a nossa prática clínica baseada em evidências e ajustada a cada pessoa. Os nossos planos são construídos com os nossos alunos e os nossos clientes tendo como base uma visão de saúde integrativa, moderna com os olhos postos num futuro mais promissor e feliz. O projeto de intervenção e estimulação multissensorial com recurso às novas tecnologias – o método NC@autismsenses-uma abordagem de 3ª geração, é uma das iniciativas implementadas e a desenvolver.

Biografia
Nora Cavaco

  • Psicóloga especialista em Psiquiatria e saúde Mental;
  • Doutora em Educação Infantil e Familiar, Intervenção e Desenvolvimento Psicopedagógico;
  • Pós Doutora em Intervenção Precoce em Autismo;
  • Mestre em Psicologia da Educação e Reabilitação;
  • Pós-graduada em Neuropsicologia e Demências;
  • Formação Avançada em TREC e DBT.