TikTok Youth Council: uma iniciativa para o bem-estar digital das famílias

Em Portugal, os adolescentes (68%) e os pais de adolescentes (63%) consideram que as plataformas online devem criar fóruns de decisão inclusivos para os jovens.

Data:

Anunciamos que o TikTok lançou esta semana o Youth Council, uma iniciativa a nível global que reforçará a forma como desenvolve a aplicação para que seja segura para os adolescentes. O lançamento surge em simultâneo com um estudo, realizado com mais de 12.000 adolescentes (com idades entre os 13 e os 17 anos) e pais de adolescentes de todo o mundo, que concluiu que tanto os pais como os adolescentes ambicionam ter mais oportunidades para trabalhar em conjunto com as plataformas.

O Youth Council foi criado em parceria com a Praesidio Safeguarding, uma agência especializada em segurança online, e é composto por 15 adolescentes com idades entre os 15 e os 18 anos, representando várias comunidades e países, incluindo os EUA, Reino Unido, Brasil, Indonésia, Irlanda, Quénia, México e Marrocos.

O grupo reuniu-se pela primeira vez em dezembro de 2023 e concluiu recentemente a sua segunda reunião, que contou com a presença do CEO da TikTok, Shou Chew. Neste último, o Youth Council definiu as suas prioridades para 2024, que incluem um foco no bem-estar e na inclusão de adolescentes para ajudar a garantir que o TikTok continua a ser um espaço seguro e acessível para os jovens se mostrarem como são. Ainda nesse encontro, os adolescentes deram sugestões para o Youth Portal do TikTok, que está a ser reformulado, bem como solicitaram informações sobre denúncias e bloqueios para entender melhor o que acontece depois de uma denúncia ser feita.

O estudo realizado pela YouGov em colaboração com o TikTok analisou as conversas entre adolescentes e pais de adolescentes sobre segurança online em geral e concluiu que, em Portugal, os adolescentes não se sentem à vontade para falar sobre questões como a imagem corporal (30%) e o tempo de ecrã (30%) com os pais. Além disso, o estudo indica que 46% dos que se sentem desconfortáveis com a imagem corporal preferem não a discutir com ninguém e 23% evita o tema especificamente com os pais. Em contrapartida, os pais referem sentir-se mais à vontade para discutir temas como o consumo de álcool e de substâncias (56%), a religião (55%), a discriminação (54%) e o luto (35%) do que falar sobre segurança online.

Mais informações sobre os dados relativos a Portugal:

  • Um número significativo de pais portugueses considera que a cobertura do tema da segurança online por professores ou escolas (44%) ou a orientação de especialistas sobre o assunto (45%) os ajudaria a compreendê-lo melhor. Por outro lado, os adolescentes consideram que o aconselhamento de especialistas (38%) e a comunicação direta das plataformas de redes sociais (35%) ajudariam os pais nesta matéria.
  • A conversa em torno da segurança online entre pais e os seus filhos adolescentes é complexa e frequentemente reativa. A maioria dos pais (65%) inicia a conversa sobre este tema crítico quando observa uma mudança de humor ou de comportamento do seu filho, na sequência de incidentes preocupantes (51%) ou quando se depara com notícias alarmantes relacionadas com plataformas online (51%). Apenas 25% aborda o assunto quando o seu filho adolescente entra numa nova plataforma digital.
  • Para garantir um ambiente digital seguro para os seus filhos, os pais utilizam várias estratégias: 30% dos adolescentes dizem que os pais impõem limites ao tempo de ecrã, 34% dizem que os pais mantêm o acesso aos códigos dos seus telemóveis, 43% são seguidos pelos pais nas redes sociais e 34% dizem que os pais pedem para rever os seus perfis nas redes sociais, feeds ou mensagens diretas.
  • Apesar de 77% dos adolescentes manifestarem confiança na sua capacidade de navegar em segurança, muitos (68%) também acreditam que as plataformas devem criar fóruns que facilitem a participação direta dos jovens, dando-lhes a possibilidade de participarem no processo de tomada de decisões. Os pais partilham este sentimento e 63% apoiam a ideia.
  • A atenção é dirigida para a importância de ferramentas de gestão intuitivas, tal como assinalado por 63% dos pais e 50% dos adolescentes, juntamente com a exigência de formulação de regulamentos de conteúdo claros e simples de compreender, apoiada por 60% dos pais e 48% dos adolescentes.

Responder ao que descobriram

Quer seja através da criação do primeiro Advisory Council, em 2020, ou de dicas diretamente na aplicação com base no suporte que os adolescentes disseram que valorizam, há muito tempo que procuram uma perspetiva externa para que possam fazer mais.

Compreendem que pode ser desafiante navegar no mundo online e, por isso, o TikTok trabalha com os principais especialistas do setor para ajudar as famílias a aceder a informação. Ao visitar o Safety Center do TikTok online ou na aplicação, as pessoas podem encontrar uma série de guias, que vão desde prevenção do bullying até temas como imagem corporal. Nos últimos seis meses, estes guias foram vistos por mais de um milhão de pessoas todos os meses.

Para encorajar mais pessoas a consultar as ferramentas para pais, alertaram centenas de milhões de pessoas na aplicação para uma ferramenta denominada Family Pairing que permite os que pais associem a sua conta TikTok à do seu filho e, assim, definam os seus controlos parentais. Agora, mostram isto a todos os novos membros da comunidade com 35 anos ou mais quando entram na aplicação.

Durante a primeira reunião do Youth Council, os adolescentes falaram sobre a importância de implementar campanhas educativas e, ao longo de 2024, o TikTok lançará mais de 10 campanhas de literacia, a nível global, através da aplicação, com temas como desinformação e conteúdo gerado por IA.

Valiant Richey, Diretor Global de Divulgação e Parcerias, afirmou: “O TikTok é uma plataforma onde as famílias vêm para criar e desfrutar de momentos memoráveis, e queremos garantir que estamos a capacitar as famílias com as ferramentas para o fazer. Ouvir os adolescentes e depois fazer mudanças significativas com base no que eles têm a dizer é um dos passos mais importantes que podemos dar para continuar a construir uma plataforma segura”.

Um membro do Youth Council, com 15 anos de idade e residente nos Estados Unidos da América, acrescenta: “Fiquei entusiasmado e muito grato por ter sido nomeado para o Youth Council global do TikTok. É uma honra incrível e uma oportunidade única de contribuir para moldar a comunidade TikTok à escala mundial. Um dos meus principais objetivos é defender os interesses e as preocupações dos jovens criadores. Espero contribuir ativamente para debates que promovam a inclusão, a criatividade e um ambiente positivo. Achei a primeira reunião muito entusiasmante e positiva. Toda a gente estava entusiasmada e já tínhamos algumas ideias criativas e opiniões. Penso que este é um ótimo grupo de jovens e mal posso esperar para ver até onde este conselho vai”.

Partilhar

Revista Digital

Revista Pontos de Vista Edição 130

Popular

Mais Artigos deste tipo

“Ganhei clareza no meu propósito actual: Empoderar outras Mulheres”

Como advogada em prática individual, gostaríamos de começar por...

“Sonho e desejo a Mentanalysis como um espaço-tempo de crescimento”

Para começar, gostaríamos de conhecer um pouco mais da...

BGRR & Associados: uma visão experiente sobre o setor jurídico em Portugal

A BGRR & Associados, sendo uma sociedade generalista, fornece...