TikTok combate a desinformação nas eleições europeias

A promoção paga de conteúdos políticos não é permitida no TikTok. O TikTok não acredita que este tipo de publicidade conduza a uma experiência inclusiva, autêntica e criativa.

158

Mais de 134 milhões de pessoas em toda a União Europeia, dos 27 países dos Estados-Membros, acedem ao TikTok todos os meses, e muitas vão votar nas eleições europeias, marcadas entre 6 e 9 de junho de 2024. O TikTok tem disponível um Centro Eleitoral na plataforma, nas línguas locais, para garantir que os utilizadores podem facilmente separar factos de ficção. O Centro Eleitoral, que conta com a colaboração das comissões eleitorais de cada país e as organizações da sociedade civil, são um local onde a omunidade poderá encontrar informações fiáveis e fidedignas.

Esta iniciativa é apenas um elemento de uma estratégia mais alargada para garantir que o TikTok é uma plataforma criativa, segura e civilizada para a sua comunidade.

As políticas de combate à desinformação do TikTok

O TikTok conta com mais de seis mil pessoas dedicadas à moderação de conteúdos em línguas europeias. Estas equipas trabalham em conjunto com o setor tecnológico para garantir que a plataforma aplica consistentemente as regras para detetar e remover desinformação, operações de influência encobertas e outros conteúdos e comportamentos que possam aumentar durante um período eleitoral.

  • Combater a desinformação: No terceiro trimestre de 2023, 97% de todo o conteúdo que o TikTok removeu por desinformação eleitoral e cívica foi retirado antes de ser denunciado. A plataforma conta com moderadores especializados em desinformação que recebem ferramentas e treino aprimorados para detetar e remover conteúdo violento, bem como equipas no local que fazem parceria com especialistas para garantir que o contexto e as nuances locais sejam refletidos nesta abordagem.
  • Verificação de factos: O TikTok trabalha com nove organizações de verificação de factos na Europa, que avaliam a exatidão dos conteúdos em 18 línguas europeias diferentes, e rotulam todas as afirmações que não podem ser verificadas. Em Portugal, o TikTok trabalha com o Polígrafo, de forma a verificar e a clarificar a veracidade do que é publicado na plataforma.
  • Investir na literacia mediática: O TikTok tem investido em campanhas de literacia mediática como estratégia de combate à desinformação. Em 2023, colaborou com verificadores de factos para lançar campanhas de literacia mediática em 18 países europeus, gerando mais de 220 milhões de impressões e atingindo cerca de 50 milhões de pessoas na plataforma. Este trabalho estende-se ao presente ano.
  • Dissuadir operações de influência secretas: Por vezes, os agentes fraudulentos tentam atacar as plataformas durante as eleições e é, por isso, que o TikTok tem peritos dedicados a trabalhar para detetar e antecipar comportamentos fraudulentos. A plataforma comunica as remoções de redes de influência encobertas nos seus relatórios trimestrais de aplicação das Diretrizes da Comunidade. Atualmente, o TikTok fornece informações sobre a forma como avalia este comportamento no Centro de Transparência.
  • Combater os conteúdos falsos gerados por IA: O conteúdo gerado por Inteligência Artificial (IA) trouxe novos desafios em torno da desinformação. Os conteúdos gerados por IA são permitidos na plataforma, mas têm de ser identificados como tal. Ainda neste mês de maio, a plataforma tornou pública a exigência que os criadores identifiquem qualquer AIGC realista e o TikTok lançou recentemente uma ferramenta pioneira para ajudar as pessoas a fazê-lo: através de uma parceria com a Coalition for Content Provenance and Authenticity (C2PA).

Além disto, antes das eleições, a plataforma criará um espaço dedicado ao “controlo da missão” nas suas instalações em Dublin. Este espaço reunirá toda a equipa especializada em eleições do departamento de confiança e segurança, a fim de maximizar a eficácia deste trabalho no período que antecede e durante as eleições.

Encaminhar as pessoas para informações fiáveis é um dos objetivos do TikTok

Os Centros Eleitorais em cada língua baseiam-se no trabalho iniciado em 2021 e no trabalho alargado realizado no ano passado e no presente ano, quando o TikTok lançou centros eleitorais para as eleições europeias nacionais na Grécia, Países Baixos, Polónia, Eslováquia, Espanha e Portugal. Na plataforma, os vídeos relacionados com as Eleições Europeias serão identificados de modo a encaminhar as pessoas para o centro eleitoral relevante.

TikTok alarga esta abordagem às contas pertencentes a políticos, partidos políticos e órgãos de informação

O TikTok é uma plataforma de entretenimento definida pela diversidade da sua comunidade e pelos conteúdos com os quais se identificam. Para esse efeito, muitos líderes europeus, ministros e partidos políticos estão na plataforma, incluindo cerca de 30% dos deputados do Parlamento Europeu. Através das contas verificadas de políticos e instituições é possível proporcionar ao eleitorado outra via de acesso aos seus representantes e vozes de confiança adicionais na luta comum contra a desinformação.

O TikTok reconhece que existe uma apetência por este tipo de contas e conteúdos e, tal como qualquer outra pessoa na nossa comunidade, a plataforma acolhe essa expressão, desde que não viole as Directrizes da Comunidade. Para este tipo de contas, o TikTok adotou uma abordagem específica, nomeadamente uma política de longa data de não permitir publicidade política paga, e as contas pertencentes a políticos ou partidos políticos não podem fazer publicidade ou ganhar dinheiro no TikTok.

As contas que pertencem a políticos, partidos políticos, governos e organizações noticiosas também desempenham um papel único no discurso cívico e, embora o TikTok remova o seu conteúdo violador como faz com qualquer outra conta, também aplica políticas de aplicação de contas mais matizadas para proteger o interesse público. Por exemplo, se uma conta desse tipo publicar conteúdo que promova desinformação suscetível de prejudicar um processo cívico ou contribuir para danos reais durante um período eleitoral, a plataforma pode impedi-la de publicar conteúdo durante um período máximo de 30 dias, para além de remover o conteúdo por violar as regras.

O TikTok tem promovido uma série de iniciativas para tornar a plataforma segura durante as eleições de cada país, assim como, neste caso, as Eleições Europeias. O TikTok é co-presidente do Grupo de Trabalho sobre eleições do Código de Práticas sobre Desinformação e continuará a estabelecer parcerias com especialistas em toda a região, incluindo com o Conselho Consultivo de Segurança Europeu, para garantir que abordagem da plataforma evolui para enfrentar desafios ou ameaças emergentes.