Maria João Nascimento, o rosto por detrás do sucesso do ITG Engenharia

A Revista Pontos de Vista teve a oportunidade de conversar com Maria João Nascimento, Engenheira de formação (e vocação), cujo percurso profissional é tão robusto quanto inspirador. Desde os dias em que se deixava encantar pelo cheiro do ferro e do aço na metalomecânica vizinha, até tornar-se uma referência na gestão de processos e qualidade, a própria trilhou um caminho preenchido por desafios, conquistas e experiências enriquecedoras. Hoje, à frente do ITG Engenharia, revelou-nos como a paixão pela área e a determinação para inovar moldaram a sua carreira e a sua visão para o futuro da empresa. Conheça tudo sobre a história que levou a nossa entrevistada ao topo da Engenharia em Portugal.

146

Maria João Nascimento é um exemplo de paixão e determinação – de alguém que transformou cada desafio numa oportunidade de crescimento e aprendizagem. A sua história, ligada à área que hoje a preenche, começou com uma escolha que contrariava as expetativas familiares: “No secundário, quando fiz os testes para saber as minhas aptidões, indicavam-me sempre a área da saúde. A minha mãe gostava que eu fosse Médica ou Enfermeira, mas a minha primeira opção foi, de facto, a Engenharia Metalúrgica”, relembrou a nossa entrevistada com um sorriso nostálgico, confidenciando ainda que a faísca para essa paixão surgiu nas traseiras da casa da sua avó, onde uma metalomecânica difundia no ar o cheiro inebriante do ferro e do aço. Esta casualidade demonstrou ser, anos mais tarde, a fragrância da sua criação e vocação.

Determinada a seguir o seu coração, mergulhou, por isso, no curso de Engenharia Metalúrgica, ciente de que estava a ingressar num campo predominantemente masculino. “Sabia que à partida era um ramo muito masculino, que poderia ter dificuldades nesse sentido, mas como também era desafiante, decidi continuar”, explica Maria João Nascimento.

O desafio nunca lhe fez sombra – pelo contrário, conferia cor à sua vida. Depois de várias experiências profissionais, percebeu que era uma Mulher de múltiplas facetas. Compreendeu que a sua vocação ia muito além da técnica e descobriu um talento nato para a gestão de processos. Com essa mentalidade, aprofundou-se na ISO 9001, a norma de sistemas de gestão mais utilizada mundialmente e uma referência internacional para a Certificação de Sistemas de Gestão da Qualidade, e implementou sistemas em empresas dos mais variados setores.

Mas não fiquemos por aqui. A paixão pela sua vocação levou-a a abrir a sua própria empresa, onde nunca parou de aprender, seja com os desafios inerentes do negócio, seja em conhecimentos adquiridos em cursos que sempre se interessou em frequentar.

Certo é que, a sua caminhada levou-a a ocupar cargos de extrema importância em multinacionais, como a SGS. “O universo das multinacionais sempre me fascinou”, afirma a própria, refletindo sobre a sua decisão de aceitar, à época, este desafio, mesmo com um salário inicial menor daquele que tinha na sua empresa. Aqui, rapidamente se destacou, ascendendo a Diretora da área da Certificação. Mas a sua «sede» por novos estímulos levaram-na até Moçambique, um país que sempre despertou em si um sentimento inexplicável de pertença.

Em Moçambique, Maria João Nascimento não só trabalhou – também floresceu. “Foi uma grande aprendizagem a nível pessoal e profissional”, realça destacando a importância desta fase na sua vida. Apesar disso, após um período de instabilidade política, decidiu voltar a Portugal, trazendo uma mala rica de experiências e uma visão global e humanizada da sua área de atuação, e não só.

Hoje, na Direção do ITG Engenharia, aplica todo o conhecimento adquirido ao liderar com paixão e com uma abordagem centrada no bem-estar da sua equipa. “Folgo em ter uma empresa onde as pessoas estão felizes. Atualmente todos falam da importância da felicidade no local de trabalho, mas eu sempre considerei fundamental”, assinala a Diretora-Geral da empresa, com a certeza de que o sucesso do seu negócio começa na satisfação, na partilha e na união dos Recursos Humanos.

O ITG Engenharia e a sua distinção do mercado

O ITG Engenharia foi fundado em 2021 sob a liderança de Maria João Nascimento, como uma extensão do ITG – Instituto Tecnológico do Gás, uma marca que possui mais de 40 anos de história no mercado. A empresa oferece uma vasta gama de serviços, incluindo soldadura, auditoria e inspeção, ensaios não destrutivos e consultoria técnica. A missão da mesma é fornecer serviços de Engenharia de alta qualidade com base em talentos humanos qualificados e técnicas avançadas e a sua visão é ser a fornecedora preferencial de serviços de Engenharia, reconhecida pela independência, integridade e compromisso com o crescimento conjunto com os clientes.

Na área de soldadura, o ITG Engenharia oferece certificação de soldadores, qualificação de procedimentos, coordenação de soldadura e certificação de pessoas e equipamentos. Em auditoria e inspeção, realizam inspeções, auditorias a sistemas de gestão, auditorias ao processo produtivo e inspeções de pintura. Os ensaios não destrutivos incluem métodos como inspeção visual, líquidos penetrantes, magnetoscopia, ultrassons, radiografia e PMI. Na consultoria técnica, o ITG Engenharia trabalha na otimização de custos em soldadura, estudos de corrosão, apoio documental, análise de falhas e implementação de normas.

A equipa da empresa é composta por profissionais altamente qualificados, incluindo, claro está, a Diretora-Geral e nossa entrevistada, Maria João Nascimento, o Diretor Técnico Elmano Almeida, especialistas como David Moreira e Luísa Carvalho e a Administrativa Carla Gomes. Todos contam com uma vasta experiência e conhecimento técnico.

O encontro de Maria João Nascimento com o ITG Engenharia foi uma confluência do seu desejo de empreender e a necessidade do ITG – Instituto Tecnológico do Gás de expandir as suas atividades para a área da Engenharia. “Aqui, consigo aplicar a minha forma de gerir, tenho total liberdade para o fazer”, releva a mesma, demonstrando a confiança e a autonomia que encontrou nesta parceria. A liberdade para implementar a sua abordagem de gestão foi um dos fatores decisivos para a sua entrada no projeto.

Para si, a chave do sucesso do ITG Engenharia está nas pessoas que o integram. “Este é um mercado bastante competitivo e a nossa distinção são os recursos humanos. É a nossa equipa”, afirma, com convicção. É essa combinação de recursos humanos altamente qualificados e equipamentos de ponta que posiciona o ITG Engenharia como uma alternativa diferenciada no mercado, especialmente na área da soldadura.

Assim, compreendemos que o ITG Engenharia se destaca não só pelo seu know-how técnico, mas também pela gestão humanizada e visionária de Maria João Nascimento, que acredita firmemente que “as pessoas, se tiverem capacidade de aprendizagem, conseguem integrar-se em qualquer empresa”.

Uma liderança diferenciada

Como Diretora-Geral do ITG Engenharia, Maria João Nascimento descreve o seu estilo de liderança baseado em pilares sólidos de confiança e honestidade. “O grande pilar é a confiança, sem dúvida nenhuma”. Para si, a confiança é o alicerce sobre o qual todas as outras práticas de liderança são construídas. Valoriza a honestidade, tanto por parte dos seus colaboradores quanto de si mesma, e incentiva um ambiente onde as críticas construtivas são bem-vindas. Além disso, a Líder do IGT Engenharia coloca grande ênfase no valor da família e do equilíbrio entre a vida pessoal e profissional.

“A minha preocupação é que as pessoas que compõem a equipa estejam bem. Que as mesmas se sintam à vontade. Posso garantir, por exemplo, que não controlo os seus horários. Todos têm de ser responsáveis por aquilo que fazem. Além disso, folgo em dizer que não tenho reclamações de clientes. Tenho, pelo contrário, clientes a ligar e a dar os parabéns pelo trabalho desenvolvido”, garante.

Uma das práticas mais distintivas de Maria João Nascimento e da qual tem surtido um efeito extremamente positivo é a sua abordagem para as reuniões. Contrariamente às reuniões formais, a mesma organiza almoços para a sua equipa. “As pessoas quando estão dentro da empresa sentem-se pressionadas e têm o pensamento em variados pontos distintos. Não é isso que se pretende. Num almoço ou convívio, por exemplo, tal não acontece”. Estes encontros informais não promovem só um ambiente mais descontraído – também proporcionam oportunidades para ouvir as preocupações e ideias da sua equipa de forma mais genuína e transparente.

A igualdade de oportunidades no universo da Engenharia

A igualdade de género no universo da Engenharia é um tópico que continua a gerar debates e reflexões profundas. Embora tenham sido feitos progressos significativos ao longo dos anos, ainda há muito a ser feito para alcançar uma verdadeira igualdade de oportunidades e representação. Enquanto Mulher Engenheira de sucesso em Portugal, Maria João Nascimento partilhou a sua perspetiva sobre esta questão crucial.

A própria relatou as suas experiências pessoais ao enfrentar desafios de discriminação de género no início de sua carreira. “Quando tirei o curso, a minha vocação era a Engenharia de Fundição”, relembra, acrescentando ainda que “na altura, não consegui trabalho em nenhuma empresa por ser Mulher”. Certo é que, essas dificuldades iniciais moldaram a sua história profissional e levaram-na a procurar caminhos alternativos para concretizar as suas ambições e demonstrar, igualmente, que o sucesso profissional não tem – ou não devia ter – género ou cor.

Apesar dos avanços que têm sido feitos, Maria João Nascimento confirma que ainda há muito trabalho a ser feito para alcançar a igualdade de género no campo da Engenharia. Embora, hoje, existam Mulheres na área técnica, como a Qualidade e Segurança, ainda é raro encontrá-las em cargos de liderança e direção. “Falta mudar a mentalidade da sociedade. Ainda há muito que Portugal tem de fazer”.

Quando questionada sobre a mensagem que gostaria de transmitir às jovens que estão a iniciar as suas carreiras na Engenharia, Maria João Nascimento realça a importância da humildade e da resiliência. “Gostaria de dizer para darem um tempo a si próprias,” aconselha. “Sejam humildes para aprenderem. A humildade traz sempre de volta a aprendizagem, a capacidade para dar a volta a todas as situações”. Além disso, destacou também o valor da educação e do pensamento crítico que a faculdade proporciona. “A faculdade dá-nos muitas ferramentas e orienta o nosso cérebro para raciocinar. É um dos grandes trunfos”.

Para o futuro…

Fazendo uma reflexão à sua história de vida, Maria João Nascimento expressa uma profunda gratidão pela realização que encontrou ao longo do caminho. “Sou uma mulher muito feliz, sinto-me absolutamente realizada. Se me reformasse hoje, diria que tive uma vida cheia”, partilha. Esta sensação de plenitude conduz a nossa entrevistada a encarar o futuro da empresa com confiança e serenidade.

Relativamente ao ITG Engenharia, a Diretora-Geral realça a sua abordagem passo a passo e sustentada para o crescimento da empresa, priorizando a satisfação dos clientes e dos colaboradores. “Não quero defraudar as expetativas de ninguém”, destaca. Este ênfase dado ao cuidado e à qualidade orienta as decisões futuras da empresa e assegura que cada passo é cuidadosamente planeado e executado.

Apesar de manter um olhar atento às oportunidades que o futuro reserva, Maria João Nascimento enfatiza a importância de permanecer fiel aos valores e visão da empresa. “Chegando ao patamar de estarmos realizados, tudo o que vem é um bónus”, observa. Esta abordagem pragmática e determinada é complementada por uma visão ambiciosa para o futuro da empresa.

Daqui a cinco anos, a líder do ITG Engenharia visualiza-o como uma empresa mais abrangente em termos de áreas de atuação, explorando nichos de mercado ainda não totalmente desenvolvidos. “Mas, acima de tudo, sei que vai continuar a ser uma empresa leve, com uma equipa leve, bem estruturada e com muita capacidade de aprendizagem até ao fim”, termina a nossa interlocutora.