“Para mim, ouvir e apoiar o outro era uma necessidade”

Conversámos com Luísa Leal, uma proeminente Psicóloga Clínica e da Saúde, Diretora do Centro Clínico Dra. Luísa Leal Saúde Mental e Bem-estar, situado em Guimarães, e Líder de uma equipa de 20 profissionais. A própria partilhou connosco a origem da sua paixão pela área que pratica, revelando que tudo começou aos 13 anos, quando percebeu que ouvir e ajudar o próximo lhe trazia felicidade e um brilho no olhar. Conheça, assim, o seu percurso profissional e a grande diferenciação da sua Clínica no mercado.

183

Sabemos que a sua paixão pela Psicologia começou quando percebeu que ouvir o outro e entender os seus pensamentos lhe trazia uma felicidade extrema. Para começar, pode contar-nos mais sobre esse momento decisivo e o que a fez apaixonar-se por esta área tão importante?
O momento decisivo deu-se no 7º ano de escolaridade, tinha 13 anos, quando nos intervalos da escola ouvia de amigos meus, frases como, “- falo contigo e fico sempre melhor”, “- tu mostras que não me julgas”, “- parece que tens sempre uma frase contigo que apoia e fortalece”, “- sei que posso confiar em ti”, “- para ti a diferença não assusta”, “- obrigada por me ouvires, fez-me bem falar contigo”.
Tentei perceber o que estava a acontecer e o porquê de algo que para mim era tão natural, e ao mesmo tempo motivador, ter um impacto tão positivo no outro.
Depois percebi que eu gostava de participar nas situações que pareciam não ter solução, para os outros, e dizia sempre a frase “nada é impossível”, quando ocorriam problemas na escola, com as outras pessoas, situações de conflito entre pares, dor emocional e eu agia sempre com uma função de “orientadora de pessoas”. Foi quando percebi que isso era uma profissão, não tive dúvidas que era o que eu iria escolher. Foi imediato. Eu era feliz a fazer aquilo, era uma necessidade. Sinto que podia ter sido dançarina, seguir artes, trabalhar com música, mas mesmo tendo feito ao longo da minha vida, muitas atividades ligadas às artes, aquilo que me unia até mesmo às artes, era chegar até ao outro, com uma mensagem que pudesse mudar o seu interior. E como me sentia segura, nessa minha capacidade e interesse, tomei a decisão de seguir em frente.

O seu percurso profissional é vasto e diverso, tendo passado por experiências em Portugal e no estrangeiro. Quais foram as experiências mais enriquecedoras ao longo da sua carreira e de que forma, as mesmas, contribuíram para o seu desenvolvimento pessoal e profissional?
As experiências mais enriquecedoras ocorreram logo quando iniciei o meu estágio profissional, há 10 anos, quando começo o meu trabalho na área clínica e da saúde, numa das melhores clínicas para trabalhar na minha área, em Portugal. Eu estava em Londres a viver e fui selecionada para o estágio profissional, para trabalhar nessa clínica, em Lisboa. Tendo sido convidada a continuar na clínica, no final do estágio, mas a atender no norte do País. Foi nesse ano, que vim para o norte trabalhar e que depois criei o meu projeto na área clínica, na zona de Guimarães, para atender pessoas no Norte e em formato online. Depois também posso salientar o meu trabalho no contexto de internamento, numa Comunidade Terapêutica com Adictos em recuperação e nos Cuidados Continuados, com as Perturbações Neurocognitivas. Ter estado em Londres, permitiu-me tornar-me uma pessoa mais resiliente. Todas as cidades em que trabalhei, ofereceram-me conhecimento e capacidade de superar desafios, com positivismo e realismo.

Enquanto Psicóloga Clínica e da Saúde, Diretora do Centro Clínico Dra. Luísa Leal Saúde Mental e Bem-Estar e Líder de uma equipa de 20 profissionais – a maioria Psicólogos Clínicos e da Saúde – o que considera que diferencia a sua Clínica no mercado atual? Quais são os principais valores e abordagens que promovem?
As maiores diferenças entre a nossa clínica e a oferta geral atual, é que a nossa clínica, pela diversidade de profissionais formados, oferece um atendimento para um leque grande de problemas, com ou sem psicopatologia, que possam ocorrer em qualquer faixa etária, porque tem Psicólogos formados em muitas áreas distintas e com uma excelente formação, como por exemplo, atendimento individual a adultos para problemas como a Ansiedade, a Depressão, o Trauma, com intervenção como o EMDR, por exemplo, e outras. Também para problemas com o Uso de Substâncias e Jogo Patológico, o atendimento a Casais com Terapia de Casal e a vertente da Sexologia Clínica, os problemas de violência, Perturbações Neurocognitivas e do Neurodesenvilviento como as Demências, o Autismo e a PHDA. Os nossos profissionais têm formações complementares nestas áreas, entre outras, e, experiência clínica. Temos o cuidado de ouvir o pedido do cliente e de escolher o Psicólogo com a formação indicada para o tipo de pedido de ajuda, neste caso, a idade do cliente e as preocupações, em questão.
Os valores mais importantes na nossa clínica são a honestidade, a empatia, a diversão, o respeito (principalmente pela diferença e igualdade), a dedicação e a resiliência.

A sua experiência abrange várias abordagens terapêuticas, desde o Mindfulness até ao EMDR (Eye Movement Desensitization and Reprocessing) e a Terapia Focada nas Emoções. Como é que escolhe a abordagem adequada para cada cliente e de que forma estas terapias complementam a prática psicológica no contexto atual?
Escolho a abordagem mais indicada, descobrindo o cliente. Se eu conhecer o cliente e o seu sofrimento, então eu sei exatamente, que terapias usar. As terapias devem ser usadas, por profissionais (psicólogos) que têm a formação indicada para as realizar e complementam muito bem um processo terapêutico, porque todos os casos são únicos. Se possuirmos uma formação específica e uma experiência clínica específica, cada psicólogo, vai utilizar a terapia mais adequada a cada caso. Quero eu dizer, que não há uma terapia melhor ou pior ou uma que trata todas as patologias. As terapias usam-se para facilitar o processo de mudança e de tratamento. Cada terapia deve ser utilizada dependendo do contexto e do cliente, mas ajudam porque são específicas e direcionadas para problemas reais.

Certo é que, a sua Clínica está em expansão, passando, em breve, de quatro para seis consultórios. Como vê esta expansão e que benefícios espera trazer aos clientes com estas novas instalações e serviços?
Esta expansão é o resultado da procura que a nossa clínica tem atualmente, por vários clientes espalhados pelo País. Procuram-nos tanto para consultas presenciais como para consultas online.
Os benefícios que trago para setembro de 2024 na nossa clínica, é a junção da Medicina com a Psicologia, com várias especialidades da Medicina que irão atuar na clínica. Outras áreas da saúde também vão iniciar ao mesmo tempo, junto de nós, como a acupuntura, a osteopatia e a nutrição clínica.

A Saúde Mental e o Bem-Estar têm sido temas cada vez mais discutidos em Portugal. Na sua opinião, qual é o estado atual da Saúde Mental no nosso país e que desafios ainda precisam de ser superados para melhorar o acesso e a qualidade dos serviços nesta área?
Portugal tem tido cada vez mais pessoas com problemas de saúde mental e embora tenha conseguido trabalhar para garantir uma melhoria, nos serviços, ainda podemos investir mais na área da Saúde Mental, oferecendo ainda mais serviços nesta área. Há também pouco conhecimento na área da saúde mental, o que aumenta o estigma, não há muitos acessos e respostas comparativamente com o número gigantesco de necessidades e falta integrar os serviços de saúde mental nos cuidados primários. Estamos com serviços escassos para o número de pessoas que procura os serviços na área da Saúde Mental. Em algumas zonas começam a surgir mais, mas mesmo assim, é insuficiente. Penso que nas escolas e nas empresas, a promoção da saúde mental e os serviços deviam ser uma prioridade para prevenirmos patologias instaladas e gerações traumatizadas e sem recursos para um tratamento eficaz.

Olhando para o futuro, quais são as suas grandes ambições profissionais? O que falta concretizar na sua carreira e quais são os próximos passos que pretende dar para continuar a promover a Saúde Mental e o Bem-Estar em Portugal?
Tenho mesmo muitas. Mas essa resposta não poderei ser eu a dar, ahahah. As minhas ambições são satisfazer as pessoas e as suas necessidades, com a maior qualidade possível e criatividade. Para já os meus serviços e do Centro Clínico Dra. Luísa Leal Saúde Mental e Bem-estar, são aquilo que quero realmente apostar e desenvolver, por ter percebido serem o que as pessoas mais procuram e precisam, para garantirem o bem-estar e a sua saúde mental. Para o futuro, só o futuro dirá.