• next generation event
Inicio Autores Posts por Ana Rita Silva

Ana Rita Silva

4345 POSTS 0 COMENTÁRIOS

BOAS PRÁTICAS DE DISTRIBUIÇÃO DELIBERAÇÃO 47/CE/2015

As BPD são aprovadas por regulamento do INFARMED, I.P., considerando sempre as diretrizes aprovadas pela Comissão Europeia.

A nível europeu, ocorreu em 2013 a publicação de novas Guidelines para as Boas Práticas de Distribuição de Medicamentos que, ao nível da realidade portuguesa, resultou na aprovação e consequente publicação da Deliberação n.º 47/CD/2015, a 19 de março de 2015. Esta nova deliberação vem revogar a Portaria n.º 348/98, do dia 15 de junho, no que respeita às BPD de medicamentos face às atuais exigências do mercado e pelos modelos de distribuição existentes e praticados pelos operadores.

Dentro das novas alterações previstas pela Deliberação 47/CD/2015, destacamos o maior ênfase que é dado ao Sistema de Gestão da Qualidade das operações dos grossistas. De acordo com a Deliberação mencionada, todos os procedimentos operacionais deverão estar claramente escritos e definidos, sendo que está também prevista a sua revisão sistemática. Qualquer alteração ao nível dos processos de distribuição deverá passar a ser devidamente validada e, posteriormente, documentada no seu Manual de Boas Práticas.

Adicionalmente, a Deliberação institui que, à semelhança das operações, também os equipamentos chave, para o decorrer da atividade do grossista, deverão ser alvo de qualificação e validação. Existem também novas considerações no que respeita à armazenagem dos medicamentos, sendo que os medicamentos com maior probabilidade de serem contaminados deverão ser armazenados de forma segregada. Os grossistas deverão ainda ser capazes de monitorizar as temperaturas de transporte dos medicamentos, preservando a qualidade dos mesmos e da Saúde Pública. A Deliberação 47/CD/2015 vem ainda inserir um novo conceito, no que respeita à atividade de intermediação de medicamentos. Passa-se então a considerar como intermediário a pessoa responsável pela representação de pessoa singular ou coletiva em processos de negociação. Para além de não poder comprar ou vender medicamentos, interessa sublinhar que este player não está autorizado a distribuir medicamentos por grosso.

Pelos exemplos supramencionados, é facilmente percetível que a nova legislação visa obter maior rigor operacional no setor da Distribuição Farmacêutica com a finalidade de assegurar a autenticidade dos medicamentos que circulam na Cadeia Normal de Abastecimento.

Paralelamente, as novas diretrizes visam adequar a legislação existente à realidade atual e às novas práticas de um mercado em constante transformação.

Em suma, a maior responsabilização dos grossistas pelas suas atividades vem aumentar a importância e o relevo que estes operadores têm na manutenção da saúde dos utentes portugueses. O maior rigor exigido pela legislação poderá traduzir-se em maior eficiência num setor já por si altamente efetivo e automatizado (elevados índices de robotização), com consequente impacto na relação e atividade dos outros stakeholders do setor do Medicamento.

Na sua globalidade a Deliberação n.º 047/CD/2015, encontra-se alinhada com os requisitos contantes das Diretrizes Europeias destacando-se contudo alguns aspetos de grande importância conforme exposto, e cuja adaptação para Regulamento Interno viram o seu grau de exigência desajustado ao mercado nacional e em alguns casos desnecessariamente reforçados.

A GROQUIFAR tem presente que se pretende com estas Diretrizes uma uniformização das normas a nível comunitário, para que um novo certificado de Boas Práticas seja reconhecido em todo o espaço europeu.

Contudo, importa também salientar que a aplicação de requisitos mais exigentes tem onerado o custo das operações de distribuição em Portugal, sem que esse facto seja traduzido numa vantagem competitiva para as empresas nacionais face às restantes empresas europeias, através da perceção do nível da qualidade a que estão vinculadas. Na defesa dos interesses das empresas do setor, a Groquifar tem trabalhado conjuntamente com o Infarmed no sentido de estreitar a colaboração e esclarecer as dificuldades na implementação do Regulamento.

RELACRE 25 ANOS NA VANGUARDA

Player fundamental, a RELACRE tem vindo a estabelecer relações sustentadas, sólidas e de confiança com o universo de associados e a comunidade de entidades que atuam no contexto da avaliação da conformidade, em geral, desenvolvendo atividades que resultam da pesquisa sistemática das suas necessidades, atuais e potenciais, tendo um impacto na atividade desenvolvida em Portugal e no contexto europeu e internacional. Abaixo apresenta-se uma retrospetiva das atividades da RELACRE, uma marca que celebra este ano 25 anos de existência.

A ação da RELACRE

A RELACRE – Associação de Laboratórios Acreditados de Portugal tem como missão apoiar e promover a comunidade portuguesa de entidades de avaliação da conformidade acreditadas, contribuindo para o seu reconhecimento na sociedade e para o desenvolvimento e credibilização da sua atividade.

Assim, a RELACRE, com a colaboração de uma bolsa de Espacialistas (Formadores, Responsavéis Técnicos, Auditores e Assessores) com vasta experiência e reconhecida competência, disponibiliza, desde a sua criação, um conjunto alargado de atividades particularmente vocacionadas para dar resposta às solicitações de natureza técnica, de organização e de gestão identificadas pelos Laboratórios seus Associados.

Formação intra-Empresas

  • N.º de ações: 526
  • N.º de horas: 9 732,50
  • N.º de Formandos: 5 542

Formação inter-Empresas

  • N.º de ações: 1 188
  • N.º de horas: 24 837,50
  • N.º de Formandos: 13 463

Assessoria técnica e auditorias

  • N.º de auditorias: 319
  • N.º de ações de assessoria: 193

Eventos

  • N.º de eventos: 164
  • Participantes: 9 568

Certificação (OCP)

  • N.º de certificados: 1 451
  • Setores de águas, alimentar e END

Ensaios de Aptidão

  • N.º de Ensaios de aptidão e auditorias
    de medição: 941
  • N.º de participantes: 10 122
  • Comissões Técnicas e Setoriais
  • N.º de reuniões: 382
  • Participações: + de 4 500

Publicações

  • N.º de publicações: + 200
  • Guias RELACRE: 25

Relações institucionais

Entidades de Regulação da Atividade Económica; Organismos que atuam no contexto da Qualidade, Normalização, Acreditação e Certificação, na Indústria e no Quadro da CPLP. Protocolos e Parcerias (nacionais e internacionais).

Objetivos estratégicos

  • Desenvolver um sistema de gestão de informação e comunicação, por forma a consolidar a harmonização de procedimentos associadas à organização interna.
  • Desenvolver a componente associativa e promover a importância da atividade laboratorial na sociedade, bem como a valorização da acreditação como um elemento diferenciador.
  • Consolidar o posicionamento da RELACRE como entidade de referência na representação dos Laboratórios Portugueses, a nível nacional e internacional.
  • Posicionar a RELACRE como elemento congregador na rede de entidades que atuam no âmbito da avaliação da conformidade.
  • Assegurar a sustentabilidade da associação e contribuir para a competitividade da comunidade de Laboratórios.

ALGUMAS MUDANÇAS RECENTES

  • Mudança de instalações com criação de novas oportunidades de atuação
  • Modelo comunicacional interno de integração das diferentes áreas e da área financeira
  • Modelo comunicacional externo com os Associados, Clientes e Entidades com interesse na atividade laboratorial
  • Internacionalização (ensaios de aptidão e OCP)
  • Acreditação da atividade de Ensaios de Aptidão e ECI’s
  • Posicionamento internacional + relevante e com maior intervenção
  • Reorganização da estrutura da RELACRE (Comissões Setoriais)~

PROJETO EUROPEU DE CRIAÇÃO DA EUROLAB E A SUA MISSÃO

Este espírito europeísta encontra-se na visão dos criadores da EUROLAB, lembrando as palavras de Alan Bryden, primeiro Presidente desta organização: “Quando um grupo de Diretores de eminentes Laboratórios públicos e privados tomaram a iniciativa de criar a EUROLAB em 1990, eles partilhavam uma visão comum: que a harmonização do Mercado Interno Europeu só poderia prosperar se fosse suportado na qualidade e segurança dos produtos, dos bens e do ambiente, servindo simultaneamente os Cidadãos Europeus e promovendo a competitividade das empresas europeias e seus serviços no mercado mundial”.

Hoje, a EUROLAB aisbl, enquanto Federação Europeia de Associações Nacionais de Laboratórios de Medição, Ensaios e Analíticos, é uma Entidade sem fins lucrativos com sede em Bruxelas, representando Associações Nacionais de 25 Países Europeus e de Regiões vizinhas, incorporando mais de 2 000 organismos com atividade de avaliação da conformidade e mais de 100 000 profissionais. A EUROLAB dispõe-se numa rede de cooperação institucional com relações estabelecidas com diversos Organismos e Entidades a nível mundial, com uma atuação relevante no diálogo com a Comissão Europeia e com as diferentes partes interessadas na atividade económica que desenvolve.

Assume particular importância a cooperação que existe atualmente entre diferentes Organismos internacionais associados ao Setor TIC (Testing, Inspection and Certification), designadamente a CEOC e a IFIA, bem como, a relação com diversas outras Organizações onde se encontra representada e onde tem intervenção ativa promovendo a justa concorrência e a importância deste Setor. Neste contexto, destaca-se a sua participação em comissões consultivas e técnicas da ILAC (International Laboratory Accreditation Cooperation), EA (European Cooperation for Accreditation), ISO (International Organization for Standardization), EURAMET ( European Association of National Metrology Institutes), entre outras.

A EUROLAB AISBL é, hoje, uma entidade de referência a nível europeu e internacional, destacando-se na sua ação a elevada participação de peritos europeus em projetos que promovem o desenvolvimento de um mercado global com competitividade justa e transparente e onde exista o reconhecimento do papel e da contribuição deste Setor para a Economia e para dar resposta às crescentes expectativas da Sociedade. ▪

PHARMAISSUES: O Parceiro de Excelência da Indústria Farmacêutica

Vivemos num mercado global marcado por evoluções e revoluções constantes. O mercado atual é o reflexo da alteração constante das necessidades e paradigmas económicos ao longo do tempo. A PHARMAISSUES é uma empresa de consultoria farmacêutica que pretende dar resposta às constantes e novas necessidades deste setor, através da prestação de serviços globais e especializados nas áreas de Assuntos Regulamentares, Assuntos Médicos e Científicos e Assuntos Farmacêuticos.

A emergente necessidade de adaptação das empresas a um ambiente cada vez mais regulado está a criar aos principais intervenientes do setor farmacêutico a obrigatoriedade de adaptação a novos modelos de negócio. Ao mesmo tempo, a imposição de serem cada vez mais bem-sucedidos colocam a PHARMAISSUES como ferramenta preferencial por ser uma empresa que resolve os principais desafios enfrentados pela indústria, através da disponibilização de serviços, com foco na satisfação, qualidade e excelência.

Dado o ambiente dinâmico, competitivo e altamente regulado da indústria farmacêutica, para muitas empresas o aumento da complexidade dos requisitos legais consome recursos financeiros avultados. O recurso a serviços de outsorcing altamente especializados apresenta-se como uma possibilidade altamente vantajosa pois permite libertar as empresas para se focarem nos seus processos mais críticos, ao mesmo tempo que reduz as necessidades e os custos de recrutamento com diferenciação.

A PHARMAISSUES está apta a oferecer uma gama diversificada de serviços, capaz de desenvolver atividades com especial enfoque nas áreas dos assuntos regulamentares e assuntos farmacêuticos, assuntos médicos e científicos, medical writing, traduções técnicas (Inglês, Francês, Alemão, Espanhol, Italiano, Japonês), testes de legibilidade, licenciamento de entidades entre outras.

Possui como garantia uma equipa de colaboradores composta por profissionais de diferentes áreas que se complementam (Médicos, Farmacêuticos, Engenheiros e Tradutores), a PHARMAISSUES apresenta-se ao mercado como um parceiro estratégico e vantajoso, com um alto nível de conhecimento técnico e científico capaz de dar resposta às modernas necessidades do mercado.

Pela Qualidade e Boas Práticas Científicas

Atualmente, na sua opinião, quais são as maiores preocupações para a atividade laboratorial?

Desde que o laboratório seja acreditado para a pesquisa de Legionella pelo IPQ (Instituto Português da Qualidade) não há qualquer tipo de preocupações. O laboratório tem de obedecer às regras impostas através de auditorias, se estiver tudo de acordo com o que é proposto as preocupações são praticamente eliminadas pois não há margem para erros.

O que é a Legionella? Estas são perguntas ainda sem resposta para muitas pessoas. Que trabalho tem sido desenvolvido no Laboratório de Microbiologia do CNC/Biocant sobre a doença dos legionários?

Não lidamos com as pessoas mas sim com as fontes de contaminação. A Legionella é uma bactéria que vive em água e é extremamente resistente ao calor. Normalmente encontramos legionelas em águas com temperaturas superiores a 17ºC e inferiores a 60ºC. Apesar de não trabalharmos diretamente junto das pessoas já fizemos alguns exames para descobrir Legionella em doentes. Quando solicitados, vamos aos locais como hotéis, hospitais colhemos água, biofilmes de vários sítios e de seguida cultivamos os microrganismos e identificamos as bactérias. Os procedimentos são específicos para Legionella. Passados quatro dias já conseguimos obter um resultado preliminar. Também colhemos amostras para determinar a presença de legionellas mas aquilo que procuramos não são legionellas vivas e infeciosas mas sim ADN de Legionella.

Quais as maiores lacunas no mercado e de que forma o Laboratório de Microbiologia do CNC/Biocant as combate?

É difícil apontar lacunas do mercado uma vez que há regras para os procedimentos. Quando há erros são algo como as temperaturas de incubação, as estufas microbiológicas a uma temperatura errada, são alguns exemplos do que pode acontecer, de modo a que não aconteça erro nenhum, tudo o que é feito é anotado.

A qualidade e as boas práticas científicas são um compromisso para o Laboratório de Microbiologia do CNC/Biocant que investiga e fornece serviços para empresas, organismos públicos e privados na área da saúde, laboratórios de investigação, empresas de biotecnologia, indústria farmacêutica, alimentar e agro-pecuária, empresas de águas termais e Câmaras Municipais. Dada a diversidade dos serviços prestados, como descreveria o contributo da prática da atividade laboratorial para com a sociedade?

O nível de qualidade é elevado porque trabalhamos sob o controlo de várias acreditações, e com tantos anos de experiência o difícil é cometer um erro. Temos 30 anos de experiência, com artigos publicados sobre os nossos procedimentos. Relativamente ao contributo da prática laboratorial para a sociedade, as pessoas não têm grande noção do trabalho dos laboratórios, porém, quando surge um problema em que o único recurso são os laboratórios aí apercebem-se da importância e do nosso papel.

ENGENHARIA BIOMÉDICA

Esta mudança criou a necessidade de um novo conjunto de profissionais que consigam articular as áreas mais tecnológicas com a medicina e com as ciências da saúde em geral. É nesta necessidade crescente do mercado que se enquadra o engenheiro biomédico.

A Engenharia Biomédica é uma das áreas da engenharia que apresenta atualmente uma das maiores evoluções tecnológicas. O ensino deste tipo de profissionais tem de ser, portanto, dinâmico, atual e inovador, ministrado por docentes que geram conhecimento nas áreas da engenharia e da saúde. Deste modo consegue-se formar profissionais competentes e empreendedores com capacidade de usar os conhecimentos apreendidos de forma criativa, inovando e acrescentando em áreas estratégicas do setor da saúde.

Com o objetivo de promoção da Engenharia Biomédica, o ISEL fomentou a instalação de um novo Laboratório de Investigação e Desenvolvimento (I&D) nas áreas de interface Engenharia-Saúde, o Laboratório de Engenharia e Saúde (ES), no qual se desenvolve investigação com foco na BioEngenharia aplicada à Medicina.

O Laboratório resulta de um protocolo de colaboração, entre o Instituto Politécnico de Lisboa e a Universidade Católica Portuguesa (UCP), com o objetivo principal de servir a sociedade portuguesa através da promoção de investigação em Engenharia Biomédica e cujas linhas principais de ação resultaram de projetos iniciados na Faculdade de Engenharia da UCP.

O Laboratório apresenta infraestruturas e equipamentos para realizar trabalho em engenharia biomolecular (como de engenharia genética), microbiologia e de engenharia de células e de tecidos e análises baseadas em eletroforese (1 e 2D), western-blotting, imunocitoquímica, cromatografia, espectroscopia (VIS, UV, IV, Raman e de fluorescência) e de microscopia ótica, de fluorescência e de infravermelho.

Com o apoio deste laboratório e dos restantes laboratórios e professores e investigadores do ISEL, nomeadamente das áreas da engenharia química, eletrónica, de computadores e de mecânica, foram concebidos e criados no ISEL dois novos cursos: a Licenciatura em Tecnologias Biomédicas e o Mestrado em Engenharia Biomédica, este último em parceria com a Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL), acreditados pela Agência de Acreditação e Avaliação do Ensino Superior (A3ES) pelo período máximo, seis anos. Mais recentemente foi também criado o curso de Licenciatura em Engenharia Clínica e Hospitalar que entrará em funcionamento em setembro de 2016.

O desenvolvimento de vacinas é focado contra infeções para as quais ainda não existe solução devido à variabilidade genética do agente patogénico. É exemplo disto, a infeção gástrica por Helicobacter pylori, que atinge 50% da população e que é o principal fator de risco de diversas patologias gástricas como as úlceras e cancro.

Uma outra área relevante de investigação é a identificação de biomarcadores espectrais e moleculares de doenças, que permitam o aumento de conhecimento do mecanismo da patogénese, mas também a monitorização da patologia e apoio ao diagnóstico. Neste âmbito o grupo de I&D tem efetuado investigação na área do diagnóstico de infeções e de cancro.

O laboratório tem também capacidade de implementação de técnicas analíticas multiparamétricas, aplicáveis em high-throughput ou em tempo real no local de produção, dentro da perspetiva da tecnologia analítica de processos. O Grupo tem trabalhado em processos de produção de plasmídeos utilizados em vacinas de DNA e terapia génica.

A Prof.ª Cecília Calado, coordenadora do Laboratório ES, detém uma vasta experiência em projetos de I&D nacionais e internacionais e procura agora alicerçar o funcionamento do laboratório em mais parcerias, nomeadamente com a indústria farmacêutica, hospitais e outras instituições de saúde, com vista ao desenvolvimento de projetos inovadores na área da Engenharia Biomédica.

Normalização como fator de competitividade

 

Estas funções deverão ser complementadas pela informação tecnológica, as tecnologias de gestão (com ênfase inicial em gestão da qualidade) e a propriedade intelectual, áreas denominadas genericamente como serviços de infraestrutura tecnológica.

Assim a adequada observação, análise e incorporação destas ciências, em cada negócio, possibilita, ao empresário, a internacionalização dos seus produtos através da adequação do seu produto às exigências técnicas obrigatórias, em cada respetivo mercado, na melhoria da qualidade dos seus produtos, bem como da agregação de valor através de certificações voluntárias.

Neste contexto, as atividades de metrologia, normalização, regulamentação técnica e avaliação da conformidade, bem como outras ações de suporte à pesquisa, desenvolvimento e engenharia, passaram a ser vitais para garantir a modernização tecnológica da empresa, bem como para viabilizar a inovação tecnológica de forma a aumentar sua capacidade competitiva.

Cabe ressaltar que nos principais mercados é cada vez mais frequente a exigência de certificações, algumas com recurso a ensaios realizados por laboratórios acreditados e conduzidos segundo normas e regulamentos técnicos.

Portugal, tem como um dos pontos fortes para a sua competitividade empresarial, uma rede de serviços tecnológicos cada vez melhor estruturada e equipada para dar suporte à indústria e aos demais setores da economia no sentido de apoiar as empresas a cumprir com as exigências técnicas e incrementar sua capacidade de competir no plano internacional.

Aproveitemos todo o potencial desta rede de serviços tecnológicos e ganharemos todos, empresas, certificadores e laboratórios e naturalmente Portugal e os portugueses.

High Leverage Network Laboratory

Este projeto, resultado de uma parceria entre o Instituto Superior de Engenharia de Lisboa (ISEL) e a Alcatel-Lucent (atual NOKIA) foi inaugurado oficialmente em 2013, e é um dos mais avançados e completos do país em tecnologia IP/MPLS de última geração e um dos primeiros do mundo a serem dotados com a tecnologia Software Defined Networks (SDN) sendo uma referência na área das Tecnologias de Informação e Comunicação.

O objetivo principal do laboratório passa por assegurar uma formação sólida e prática nas novas tecnologias de comunicação, suportada por um conjunto de equipamento de última geração de nível de operador IP/MPLS e service routers, contribuindo para a empregabilidade e competitividade dos alunos e quadros portugueses no país e no mundo e abrangendo um universo de mais de 150 estudantes por ano, repartidos pelos diversos cursos de licenciatura e mestrado em eletrónica e comunicações; informática e computadores; informática e multimédia; informática, redes e telecomunicações. O projeto potencia igualmente a participação do ISEL em projetos inovadores nacionais e internacionais nas diferentes áreas suportadas pelo laboratório, com diferentes entidades públicas e privadas. Esta infraestrutura tem permitido igualmente responder a diversas empresas que pretendem uma formação de qualidade baseada em prática laboratorial, preparando e reciclado os quadros técnicos nas novas tecnologias de comunicação.

O High Level Network Lab  integra atualmente quatro áreas. A área principal é o IP/MPLS, constituída por um conjunto de service routers de core e edge que suportam protocolos avançados em IP e MPLS; mobile backhauling 2G, 3G e LTE; transporte de conteúdos multimédia através de IP/MPLS; redes de transmissão de média e longa distância; análise e desenho de soluções de comunicações; políticas de gestão de QoS e gestão de assinantes.

A área de acesso é constituída por uma rede de acesso e distribuição ótica e de cobre, de equipamento ativo para suporte de redes de acesso GPON e xDSL, desde a componente de operador até aos equipamentos terminais de assinante. Esta área de acesso está diretamente relacionada com a área das infraestruturas de telecomunicações em edifícios e urbanizações (ITED e ITUR), tendo sido criada uma infraestrutura para o ensino nesta área. Esta componente foi resultado de uma parceria com a TEKA Eletronics e a EFAPEL, tendo sido acreditada pela ANACOM como laboratório de suporte à formação de projetistas e instaladores ITED e ITUR.

Finalmente o laboratório conheceu recentemente uma nova e importante fase de desenvolvimento com a instalação de uma infraestrutura computacional e de plataforma de gestão de serviços que permite a investigação e experimentação de infraestruturas computacionais na área da Cloud e em redes SDN.

O High Level Network Lab constitui atualmente um ecosistema para o ensino, formação e desenvolvimento de projetos inovadores e parcerias com indústria, contribuindo para um fortalecimento das competências técnicas dos futuros engenheiros.

 

PARCEIRO DE EXCELÊNCIA

Com mais de duas décadas de atividade, a A. Jorge Lima Lda, é hoje um player de relevo pelo elevado desempenho em áreas tecnológicas específicas. Neste sentido, que balanço perpetuam do percurso realizado pela marca?

A A. Jorge Lima sempre se pautou por princípios de ética e profissionalismo bem enraizados, que foram passando de dia para dia e de ano para ano, tanto para os seus colaboradores como para os seus clientes e parceiros. O balanço de duas décadas é extremamente positivo para uma empresa da nossa envergadura. A aposta constante na atualização de competências, recursos humanos qualificados e com vontade de progredir, assim como, equipamentos de ultima geração; permitem sem dúvida fazer um balanço positivo da evolução constante da A. Jorge Lima e subsequentemente a facilidade de adequação às exigências dos novos mercados globais.

De que forma é que prestam o vosso apoio a setores da economia como a energia, a química e petroquímica, indústrias transformadoras e transportes?

Sendo a nossa postura de adequação imediata aos novos mercados e setores emergentes, temos uma postura de parceria e desenvolvimentos de serviços, que permitem aos nossos clientes ter sempre a Solução! A nossa vasta gama de serviços, consegue abarcar vários setores de atividade, pois somos possuidores de um Know How alargado e transversal em vários setores:

– Inspeção de fabrico, Ensaios Não Destrutivos, qualificação e requalificações de soldadores e processos de soldadura.

– Inspeções de 3ª parte, NDT, marcação CE Marking, qualificações, consultoria.

Refinarias, petroquímicas e produtores de energia, instalações Hidro e Eólicas

Inspeção de condição de materiais e equipamentos (estudos de degradação / ensaios).

Fabricantes de componentes, fundições, indústria automóvel e ferroviária.

– NDT, coordenação de soldadura e suporte a certificações CE, Norsok, Lloyd’s, DNV, etc. aprovação de tipo (modelo) ou aprovação de fabricantes (apoio – consultoria)

Ensaios NDT e verificação de proteção anti corrosivo.

– Inspeção, ensaios e controle de qualidade como subcontatados de sociedades internacionais de inspeção e certificação:

– Inspeções de 3ª parte e fabricantes – para exportação de produtos e equipamentos, com especial incidência na indústria dos Petróleos. (SGS, B. Veritas, ApplusVelosi, Qatar Petroleum, Total, ENI, BP, Sonamet ).

Levando-nos a abranger vários países como Portugal, Angola, Ghana, Espanha, Alemanha, Cabo Verde, Moçambique.

A base do negócio da marca é constituída pela prestação de serviços “in house” e “in situ” de Ensaios Não Destrutivos (NDT); Consultoria e Certificação em Soldadura; Formação Profissional em áreas de Tecnologias de Fabricação, Ensaios e Materiais. Em que consistem estas metodologias?

Sendo a A. Jorge Lima uma empresa com:

Formação Profissional – Certificação DGERT (Entidade Gestora Portuguesa de Formação)

Técnicos de Ensaios Não Destrutivos Certificados de acordo EN ISO 9712 / ASNT TC 1A – Níveis l 1, 2 e 3,  em Ultra Sons , Radiografia, Líquidos Penetrantes,  Visual, Partículas Magnéticas,  Ensaios de Fuga e Correntes Eddy.

Engenheiros Internacionais e Europeus de Soldadura Certificados (EFW / IIW).

Inspetores e supervisores de soldadura  certificados de acordo (EWF / IIW), AWS e CSWIP

Inspetores de pintura certificados FROSIO Nível 3

Auditores Técnicos de equipamentos de pressão (PED / ASME) , soldadura e atividades de ensaios   não destrutivos.

Acreditação de Laboratório de Ensaios Não Destrutivos de acordo EN ISO 17025

Empresa aprovada para Ensaios ND por Siemens e DB

Fornecedor aprovado para grupo Repsol, âmbito de Inspeções e Ensaios e Certificação de atividades de Soldadura, Ensaios Não destrutivos, e Investigação e Desenvolvimento de acordo EN ISO 9001-2008 – pela TUV ; temos metodologias definidas para cada tipo de serviço, como:Ensaios correntes Não Destrutivos de acordo Normas EN / ISO, ou ASTM /ASME (Em bunker ou em campo usando Raios X e Gama, radiografia clássica ou digital direta; Sistemas de Ultra sons, manuais e semi automáticos com apresentação – A, B scan ; Phased Array  e TOFD; Sistemas fixos e portáteis de Líquidos Penetrantes, incluindo técnica  para altas temperaturas; Ensaios por Partículas Magnéticas usando todos os tipos de magnetização; Correntes Eddy Currents para soldaduras e tubulares; Ensaios de fugas de He , (alta precisão ) e técnicas de comuns ( caixa vácuo); Inspeção visual remota ou direta, ou mecanizada (laser scanning).

Ensaios Especiais de Suporte e Controlo de Pintura (Ultra sons para controle de soldadura por pontos (Industria automóvel); Campo elétrico diferencial para avaliação profundidade de fissuras; Ensaios de dureza (Microdur) ou Micro Dureza; Metalografia e análise Metalográfica; Avaliação / medição da ferrit δ; Microanálise e microscopia eletrónica SEM e EDS; Análise de Refletometria de Pulsos sonorous (RPA) em tubagem; Avaliação de superfícies e condições / qualidade de pintura e revestimentos; Espetrometria para Identificação de Materiais (PMI); Spark Test – para verificação de isolamentos).

Serviços de Soldadura e Consultoria Técnica (Aprovação de processos e operadores de Soldadura de acordo EN -ISO -ASME standards  e igualmente  PED / ASME , como organismo ( parceria com ITG); Estudo de novos métodos e procedimentos ; Suporte a projeto de equipamentos e reservatórios e piping,   PED ou ASME ou API); Suporte e serviços de coordenação para aprovação de estruturas soldadas de acordo diretiva Europeia  e normas  EN 1090- 1, 2 and 3 ( Execution of steel structures and aluminium structures); Implementação e inspeção de partes soldadas para industria ferroviária de acordo Diretiva europeia e norma EN15085 (1 a 5); Consultoria e coordenação da implementação requisitos de normas Norsok como M 630 e M650). Inspeções de 3ª parte e comissionamentos, com objetivo de : Assegurar qualidade dos produtos e equipamentos; Detetar desvios às especificações / contrato, atempadamente; Monitorar cumprimento de normas, procedimentos e especificações; Elaborar relatórios precisos e atempados para cliente (Na hora se necessário); Disponibilizar inspetores competentes e treinados para as inspeções requeridas.

Na vossa orgânica, onde «entra» a vertente da Inovação? Em que ponto é a mesma essencial nos vossos desideratos?

Nos dias de hoje, empresas como a nossa têm obrigatoriamente que ter presente a inovação no contexto dos serviços prestados.

Serviços como Análise das causas de Anomalias (Corrosão generalizada, Corrosão localizada, Corrosão por picadas, Fissuras por fadiga e outras ( em serviço ou de processo), Delaminações, Deformações locais, Indentações, Danos provocados por sobre aquecimento, Degradação microestrutural, Ataque químico).

O Uso de novas técnicas e métodos e a Melhoria de desempenho de sistemas, são uma parte da “inovação” nos nossos serviços. Com as exigências dos mercados externos, ao nível da qualidade dos produtos e serviços prestados pelos nossos clientes, nós, A. Jorge Lima somos os parceiros que em conjunto com os nossos clientes, conseguimos ter uma visão alargada e além-fronteiras das metodologias e técnicas aplicadas, que nos permite estar sempre em constante evolução. Dando resposta cabal às necessidades dos nossos clientes.

Disponibilizam ainda um leque alargado de soluções de formação. Qual a relevância desta vertente para a marca e como tem sido desenvolvida?

AJL é empresa Certificada para Formação Profissional para largo espetro de áreas, possuindo soluções à medida.

Em especial:

– Área da Soldadura.

– Ensaios Não Destrutivos (NDT), e Destrutivos (DT).

– Materiais, corrosão e tecnologias.

– Conta com monitores altamente especializados e com facilidade intervenção in loco ou em qualquer local.

A capacidade de adaptação aos requisitos dos clientes, é sem sobras de dúvida uns dos nossos pontos fortes. Apesar de termos no nosso portfólio formação standard, temos também a capacidade de ouvir os nossos clientes, e de conseguir adaptar a formação às suas exigências e expetativas.

Isto leva-nos por uma caminho de excelência na área da formação, pois já muitos disseram que “as empresas são as pessoas” e como tal se não as qualificarmos, as orientarmos, as formarmos… não poderemos posteriormente exigir excelência dos nossos produtos ou serviços prestados!

A nossa Certificação DGERT e o Reconhecimento pela RELACRE são dois dos pilares onde assentamos a nossa mais-valia em termos de formação.

Conseguimos ao longo do tempo evoluir rapidamente nesta área, dadas as competências adquiridas nacional e internacionalmente dos nossos formadores; que para além de qualificação e certificação em diversas áreas, têm também uma vasta experiencia em campo. O que leva para a formação um adicional contributo que enriquece a formação de novos talentos.. ▪

A A. Jorge Lima, Lda. É, desde 2010, reconhecida pela RELACRE como centro de formação e exames para a certificação de operadores de ensaios não destrutivos. Que importância tem esta ligação à RELACRE?

A RELACRE é uma instituição independente de todos os laboratórios, como tal o nosso reconhecimento por parte Desta é de extrema importância, pois atesta as nossas competências que permitem assegurar a formação das novas gerações de técnicos de ensaios não destrutivos e a certificação dos nossos operadores. É para nós um orgulho sermos uma das poucas empresas cuja formação é reconhecida pela RELACRE, o que nos trás uma forte capacidade técnica e reconhecimento das nossas capacidades.

A RELACRE comemora este ano 25 anos. Que mensagem gostaria de deixar?

Desejamos que esta parceria se prolongue pelo menos por mais 25 anos, com tanto vigor, profissionalismo, excelência e dinâmica característica desta indústria. Mantendo o estatuto que a RELACRE conseguiu conquistar nacional e internacionalmente.

 

CREDIBILIZAÇÃO: O CONTRIBUTO DOS LABORATÓRIOS PARA O ECOSSISTEMA EMPRESARIAL

Tenho insistido que o imperativo de relançar o crescimento depende das empresas, pois são elas quem produz riqueza e quem emprega. Contudo, uma empresa não é uma ilha isolada num mar de clientes.

Assim, a condição de empresário exige, por um lado, que ele seja o líder de uma equipa, mas, por outro, exige que ele próprio faça parte de outra equipa, uma equipa que se entende entre si, cujos membros confiam um nos outros. Esta grande equipa é constituída pelas empresas, pelas entidades que lhes prestam uma grande diversidade de serviços e pelas instituições que têm a seu cargo a governação e a regulação das atividades económicas e sociais. Entidades e instituições que são parte fundamental daquilo a que alguns teóricos designam por ecossistema empresarial.

Retirando todas as consequências da analogia com o mundo das ciências da natureza, diria que a riqueza e o dinamismo de um ecossistema, não se afere apenas pelo número e pela diversidade dos seus elementos, mas sobretudo pelas interações e equilíbrios que estabelecem entre si e com o meio exterior. Além disso, a falta ou eventuais fraquezas de um só elemento comprometerão o bom desempenho de todo o ecossistema.

É nesta perspetiva da sua participação no ecossistema empresarial que destaco a importância dos laboratórios acreditados para a Sociedade.

De facto, há muito que não basta o recurso às tradicionais técnicas de marketing para que um bem ou serviço tenha aceitação no mercado, ou possa mesmo ser comercializado, tanto no mercado interno como no exterior.

É necessário produzir com qualidade, e qualidade é conformidade com o uso, é durabilidade, e é respeito pelas especificações, sejam dimensionais ou relativas à natureza dos materiais utilizados. A confiança no relacionamento entre empresas não dispensa formas de verificação e, para isso, as empresas precisam de recorrer a laboratórios, sejam eles internos à própria empresa ou laboratórios terceiros. Mas não basta produzir com qualidade: é preciso garantir essa mesma qualidade e, em muitos casos, garantir a sua conformidade com normas aplicáveis, bem como com a legislação, nomeadamente toda a legislação europeia relativa à segurança, saúde e proteção dos consumidores ou do ambiente. Essa garantia, requer o recurso a laboratórios acreditados, eles próprios sujeitos a severos e frequentes processos de verificação e auditoria por entidades oficiais.

Mesmo em domínios onde não é legalmente exigível a intervenção de entidades independentes, e onde se exigem apenas declarações de conformidade dos fabricantes, estes têm vindo, cada vez mais, a recorrer a laboratórios acreditados, ou à acreditação dos seus próprios laboratórios, a fim de obterem maior confiança e maior credibilidade perante terceiros.

Sem a rede de laboratórios acreditados que presentemente existe em Portugal, as empresas ver-se-iam na necessidade de recorrer, com custos muito mais elevados, a laboratórios estrangeiros para certificar a conformidade dos seus produtos com a legislação aplicável ou com as exigências dos seus clientes.

Os laboratórios acreditados são, por isso, um elemento fundamental no ecossistema empresarial.

Cedo sentiram a necessidade de dialogarem entre si, trabalharem em rede e promoverem-se e fazerem-se representar externamente.

A credibilização dos laboratórios portugueses no exterior, sobretudo, é uma necessidade permanente, uma vez que, independentemente das exigências legais, asseguradas no mercado europeu por qualquer laboratório acreditado, é preciso que as certificações que atribuem sejam percebidas pelos clientes estrangeiros como tão credíveis como as dos laboratórios dos seus próprios países.

Para isso se constitui, há 25 anos, a RELACRE, entidade que é um exemplo vivo da relevância do associativismo, causa a que tenho dedicado grande parte da minha vida.

A sua presença como membro da CIP atesta também a importância que a RELACRE dá ao movimento associativo empresarial.

Por tudo isto, é com todo o gosto que, nesta ocasião do 25º aniversário da RELACRE, reconheço e destaco o modo como tem cumprido a sua importante missão de apoiar e representar a comunidade de laboratórios, contribuindo para o seu reconhecimento na sociedade e para o desenvolvimento e credibilização da sua atividade.

25 Anos de Valor

O contributo da ASAE é dar testemunho do papel do nosso Laboratório de Segurança Alimentar (LSA) na segurança e qualidade de vida da sociedade, não deixando, contudo, enquanto membros da A. G. de saudar calorosamente os órgãos sociais e toda a Equipa da RELACRE por este quarto de século!

A ASAE dotada de autonomia administrativa, detém poderes de Autoridade e é Órgão de Polícia Criminal, tendo por missão a fiscalização e prevenção do cumprimento da legislação reguladora do exercício das atividades económicas, nos setores alimentar e não alimentar, bem como a avaliação e comunicação dos riscos na cadeia alimentar, sendo o organismo nacional de ligação com as suas entidades congéneres, a nível europeu e internacional.

Na área laboratorial, tem como principais atribuições:

Proceder à realização de ensaios laboratoriais de natureza físico-química, microbiológica e sensorial de géneros alimentícios com vista a verificar a sua conformidade legal no âmbito de ações de prevenção e repressão de fraudes, bem como com vista a aferir a autenticidade e genuinidade dos mesmos;

Prosseguir com as políticas de qualidade de acordo com a s normas em vigor, de forma a garantir a acreditação do LSA pelo organismo nacional competente (IPAC);

Desenvolver estudos tendentes à caracterização dos géneros alimentícios e colaborar com as demais entidades nacionais e internacionais nas medidas tendentes ao estabelecimento de limites e de legislação adequada aos géneros alimentícios;

Colaborar com os restantes laboratórios nacionais e regionais oficiais nos domínios da formação profissional e execução das tarefas inerentes à respetiva acreditação, e

Participar em cadeias de avaliação de capacidade laboratorial com vista ao reconhecimento no âmbito do controlo europeu coordenado.

O Laboratório de Segurança Alimentar da ASAE é suportado por 4 valências laboratoriais:

Laboratório de Bebidas e Produtos Vitivinícolas é o único laboratório nacional que executa e está acreditado para análises isotópicas por SNIF-NMR em vinhos, aguardentes e álcoois;

A Câmara de Provadores da ASAE, além de proceder à análise sensorial de variados alimentos, tem acreditada a análise sensorial de azeite e, conjuntamente na área de análises físico-químicas, o LSA tem estatuto de laboratório reconhecido pelo Conselho Oleícola Internacional (COI), encontrando-se em processo de candidatura a acreditação da análise sensorial de vinhos e aguardentes;

Laboratório de Físico-Química é Laboratório Nacional de Referência para: a determinação de Dioxinas e PCB’s em géneros alimentícios e alimentos para animais, para a determinação de Micotoxinas em géneros Alimentícios e para PAH’s em óleos e gorduras;

Laboratório de Microbiologia e Biologia Molecular é o único laboratório de Controlo Oficial Nacional com métodos acreditados no âmbito da Autenticidade Alimentar, pela implementação robusta de métodos na área da biologia molecular, permitindo à ASAE intensificar o combate à fraude alimentar, pela deteção e quantificação de várias espécies animais, por PCR em tempo real. Esta metodologia permite resposta célere, quer na deteção de bactérias patogénicas, quer na identificação de ADN de espécies animais e vegetais em géneros alimentícios.

Destaca-se a atividade do LSA pela solidez do seu Sistema de Qualidade numa nova abordagem integrada e inovadora que vai ao encontro dos seus clientes externos, e, que, acima de tudo visa dar resposta multidisciplinar aos desafios da segurança alimentar e ao combate à fraude alimentar. A ASAE com uma equipa dinâmica e qualificada que otimiza os seus processos de gestão, aposta assim no alcance de resultados mais ambiciosos, enformados numa perspetiva mais ampla e realista relativa à identificação dos setores dos alimentos que são alvo de práticas fraudulentas, evoluindo de um regular Laboratório estatal para um prestigiado Laboratório de Polícia Científica.

EMPRESAS