Inicio Autores Posts por Elisabete Teixeira

Elisabete Teixeira

3522 POSTS 0 COMENTÁRIOS

Konica Minolta apoia AEP Link

O Projeto AEP Link, que conta com o apoio da Konica Minolta, como parceira tecnológica, será apresentado no próximo dia 22 de novembro. O evento visa promover as práticas de cooperação e coopetição no tecido empresarial português em três regiões de convergência do país: Centro, Norte e Alentejo, atuando em três domínios críticos de competitividade: economia digital, inovação e investimento.

O lançamento deste projeto, dirigido a pequenas e médias empresas (PMEs), investidores ou facilitadores de negócios, será feito numa conferência em que serão debatidos fatores críticos de cooperação e Competitividade que afetam empresas contando com o contributo de Vasco Falcão, CEO da Konica Minolta para Portugal e Espanha que irá exemplificar como a Konica Minolta pode ser um parceiro tecnológico de referência em prol da competitividade.

De acordo com Vasco Falcão, “Este é um projeto muito importante para estas regiões e empresas. A liderança e a visão do mesmo foram os motivos que nos levaram a associar a esta iniciativa e estamos muito motivados para contribuir para uma mudança positiva. Termos oportunidade de mostrar às empresas presentes o valor que podemos aportar ao seu negócio num projeto continuado é para a Konica Minolta um reconhecimento da nossa capacidade como parceiro tecnológico de referência.”

O desenvolvimento do AEP Link inclui um roadshow composto por 12 eventos públicos, que se realizarão ao longo dos próximos 24 meses nas regiões Norte, Centro e Alentejo, e um evento de encerramento no início de 2020. O projeto contempla ainda a construção e disponibilização de um dashboard interativo para análise da performance empresarial nas diferentes NUTS III de Portugal, assim como a realização de um diagnóstico aos fatores críticos de competitividade nas PME, um diagnóstico à atividade e perfil dos investidores em Portugal e uma plataforma para registo das empresas e fomento das práticas de colaboração.

Para mais informações sobre o projeto consulte, por favor, o seguinte link: http://www.aeportugal.pt/

Sobre a Konica Minolta

A Konica Minolta, como líder em serviços abrangentes de TI, destaca-se pela sua filosofia de consultoria, implementação e gestão de negócios. Com origem japonesa, a Konica Minolta apresenta uma ampla gama de equipamentos e soluções de impressão, quer para o mercado office, como para o de impressão profissional, assim como soluções disruptivas de gestão documental para otimizar e automatizar processos de negócio, implementação de soluções em infraestruturas de TI, segurança, ambientes virtuais ligados na cloud, entre outros.

A inovação faz parte do ADN Konica Minolta, que aposta constantemente no desenvolvimento de novos produtos de acordo com as tendências do mercado. Através dos seus Business Innovation Centres, continua na vanguarda no que diz respeito à inovação trabalhando, continuamente, em investigação e desenvolvimento e através da colaboração com os seus clientes e parceiros.

Essa vertente inovadora tem resultado no reconhecimento por parte de entidades de renome, como é o caso da Key Point Intelligence, que atribuiu o prémio “2018-2019 Buyers Lab PaceSetter award for Smart Workplace Vision”, sendo que a Konica Minolta foi a única na indústria ser reconhecida com esta categoria.
Em Portugal, foi no ano de 2003 que a Konica Minolta Business Solutions Portugal adotou esta designação com a fusão entre a Konica e a Minolta. Representada pela sede em Lisboa, tem escritórios no Porto, Coimbra e Faro, contando com 200 colaboradores. Foi considerada uma das 100 melhores empresas para trabalhar em Portugal, pelo 3º ano consecutivo, e está concentrada na Transformação Digital dos seus clientes.

Internet of Things é a maior ameaça de fraude para a indústria das telecomunicações

 

Com especial enfoque nos riscos escondidos para as empresas a atuar neste setor, o evento WeDo Technologies User Group Americas 2018 contou com cerca de 100 participantes, representantes de 25 operadoras de telecomunicações de todo o mundo, a quem a tecnológica portuguesa desafiou a responder a um questionário para identificar quais consideram ser as principais ameaças do negócio.

 

Para 57% e 26% dos inquiridos a Internet of Things e o Internet Protocol «Everything» são as tecnologias diruptivas que representam maior fonte de risco para a indústria, respetivamente. Segundo as operadoras, as ameaças decorrentes desta Transformação Digital afetam principalmente os departamentos de TI (39%), Redes e Engenharia (39%) e Legal (10%), que lidam diariamente com os desafios impostos pela quarta revolução industrial.

 

Quando questionados sobre as medidas a tomar para minimizar ou evitar exposição a ameaças de fraude, 47% dos operadores admite adotar um modelo contra a Subscription Fraud (Fraude de Identidade) como solução de gestão de risco, seguido de soluções de High Usage Fraud (Fraude de Abuso de Serviço) com 27% e Bypass Fraud (17%). O Subscription Fraud continua a ser o principal método de fraude a afetar a indústria das telecomunicações, que graças à sua rápida propagação representa perdas anuais significativas para as operadoras. Torna-se assim essencial a aposta em soluções robustas e inteligentes contra este tipo de ameaças.

“Esta digitalização das empresas a que temos vindo a assistir cada vez com mais relevância, representam muitas vantagens para a forma como se fazem negócios tornando o mercado mais ágil e competitivo. No entanto, e tal como este inquérito confirma, as novas tecnologias trazem também consigo um conjunto de desafios e ameaças que têm de ser endereçadas de forma eficaz e efetiva, num momento em que a internet permite uma massificação instantânea de tudo”, explica Rui Paiva, CEO da WeDo Technologies. “É com estas ameaças em vista que desenvolvemos soluções robustas e flexíveis que previnem e detetam a fraude em tempo real, podendo bloquear instantaneamente qualquer chamada ou sessão de conetividade sempre que exista um risco inerente. É com esta confiança que os nossos clientes – Operadores de Telecomunicações – mantêm os seus clientes, protegidos, satisfeitos, fidelizados e livres de ameaças maliciosas.”

Sobre a WeDo Technologies 

Com presença nos Estados Unidos desde 2007, a WeDo Technologies é líder mundial no setor de garantia de receita e gestão de fraudes fornecendo soluções de software para gestão de risco.

A WeDo Technologies fornece software e consultoria especializada para operadoras de telecomunicações e fornecedores de serviços de comunicação em todo o mundo. Possui atualmente clientes em 108 países e uma rede de mais de 600 profissionais especializados e altamente qualificados. Possui escritórios em diversas partes do mundo, como nos EUA, Europa, na região Ásia-Pacífico, Oriente Médio, África, América do Sul e América Central.

O software da WeDo Technologies analisa grandes quantidades de dados e permite monitorizar, controlar, gerir e otimizar os processos, garantindo a proteção da receita e a redução dos riscos.

Com mais de 200 clientes, incluindo algumas das principais organizações blue chip do mundo, a WeDo Technologies é reconhecida como uma empresa que oferece inovações constantes para garantir o sucesso dos seus clientes ao longo de uma jornada de transformações contínua. 

WeDo Technologies . Know The Unknown

Black Friday: Portal da Queixa desafia marcas a garantir confiança e transparência

Consultar as melhores ofertas, comparar marcas com confiança e até denunciar casos de fraude são algumas das funcionalidades da plataforma que estará disponível esta quarta-feira (21 de novembro). A grande novidade deste ano é contar com a adesão de marcas como a Conforama, Prosegur, Phone House, La Redoute, Optivisão, Lion of Porches, Samsonite, Securitas Direct e Decenio que estarão online, no dia 23, para dar resposta às dúvidas, reclamações e pedidos de informação dos consumidores, no tempo máximo de 60 minutos, garantindo a proximidade necessária para que o consumidor possa comprar com confiança e transparência. 

Esta iniciativa, idealizada pelo Portal da Queixa, tem como principal objetivo facilitar o contacto entre marcas e consumidores.  Para além de permitir o rápido acesso – numa única plataforma – à consulta dos melhores preços, às promoções de várias marcas que se associaram ao website, possibilita, ainda, aos consumidores que estejam atentos à reputação das marcas, que efetuem compras seguras e conscientes. 

É tradição que, durante a Black Friday, os consumidores procurem fazer as compras mais vantajosas, de forma totalmente segura e, por isso, necessitam de ter confiança nas marcas a que pretendem adquirir os produtos. Todavia, o tempo disponível para o processo de decisão é normalmente muito curto e tomado por impulso, o que poderá resultar numa experiência negativa, na eventualidade deste não conseguir o apoio e proximidade necessária por parte da marca. Esse foi o principal motivo de reclamações na Black Friday 2017: a dificuldade de contacto e apoio com as marcas. Em 2018 queremos estar ao lado dos consumidores e das marcas, ao garantir uma comunicação mais eficaz e evitar assim reclamações desnecessárias, oferecendo boa fé e confiança. Este objetivo será garantido através da nossa plataforma em www.blackfriday2018.pt, onde iremos disponibilizar o contacto através de formulário apenas às melhores marcas no mercado, para que estas se comprometam a efetuar um contacto de resposta, até 60 minutos após a recepção do pedido, dentro do horário de atendimento definido pela marca. Acreditamos que esta proximidade e confiança, irá garantir a tranquilidade necessária aos consumidores que procurem as marcas com melhor reputação na nossa plataforma agregadora, para a Black Friday 2018, explica Sónia Lage Lourenço, COO e Co-Founder do Portal da Queixa. 

Esta plataforma – criada em exclusivo para a Black Friday – é totalmente gratuita e, para as marcas aderentes, tem apenas como contrapartida: que assumam o compromisso de proximidade e confiança com os consumidores. Neste sentido, durante a iniciativa, o processo será publicamente monitorizado e os resultados serão divulgados no final da campanha. “Entendemos que deve ser este o nosso contributo para a sociedade de consumo, com vista a potenciar uma relação entre marcas e consumidores baseada em reputação positiva”, sublinha a responsável.

Considerado já uma referência nacional em matéria de consumo, o Portal da Queixa reforça, com esta iniciativa, o seu papel dinamizador (entre consumidores e marcas) e promotor de um serviço público de informação útil que apoia e esclarece a sociedade de consumo e orienta ainda as suas reclamações. É neste sentido que a equipa de Sónia Lage Lourenço estará a postos na próxima Black Friday: “Vamos estar online junto das marcas e dos consumidores, comunicando através das redes sociais, para que as ofertas divulgadas sejam as mais vantajosas e estaremos atentos às denúncias e reclamações que nos forem chegando acerca das más práticas na Black Friday.” 

Sónia Lage Lourenço deixa ainda um conselho a todos os consumidores: “A pesquisa é fundamental para que ofertas com preço de sonho não se transformem em pesadelos por serem falsas promoções. Infelizmente, ainda existem muitas ofertas enganosas online que têm como objetivo o lucro fácil e, mesmo denunciadas às autoridades, não são sinónimo de recuperação da perda, pelo que, qualquer compra deve ser feita de forma segura e ponderada, comparando sempre marcas, produtos e preços. 

 PORTAL DA QUEIXA em números:

• Média de 10.000 reclamações registadas por mês

• de 5.000 marcas presentes na plataforma

• de 290.000 utilizadores registados ( de 10.000 novos /mês)

• 3 milhões de páginas visitas/mês

• 800.000 visitantes únicos (10% do universo de utilizadores de internet em Portugal)

• TOP 300 dos sites mais acedidos em Portugal (ranking Alexa)

• de 235 mil reclamações recebidas desde 2009 

Sobre o Portal da Queixa:

O facto de uma marca ter reclamações é uma natural consequência da sua presença no mercado. Agora, quando um cliente reclama de um produto ou serviço, é expectável que ambas as partes (marca e consumidor) iniciem um processo relacional, com vista a encontrar a solução para o problema apresentado. Esta é a verdadeira essência do Portal da Queixa: agilizar, estreitar e facilitar a comunicação entre os intervenientes, de uma forma isenta, sem intervir no processo de reclamação, sem mediar o conflito, mas tendo, sempre, como principal objetivo passar ‘Do Problema à Solução’.

Prémio Femina agracia Notáveis Mulheres

Conceição Zagalo irá receber o Prémio Femina 2018 de Honra.

O jantar do Prémio Femina será realizado numa cerimónia formal de investidura, onde as Agraciadas recebem o prémio pelos membros da Comissão de Honra, no dia 24 de Novembro de 2018, às 20H30, na Aura Lisboa, na Praça do Comércio, em Lisboa.

O Prémio Femina foi criado em 2010 por João Micael, fundador e Presidente da Matriz Portuguesa – MPADC – Associação para o Desenvolvimento da Cultura e do Conhecimento, para agraciar as Notáveis Mulheres Portuguesas e da Lusofonia – oriundas de Portugal, dos Países de Expressão Portuguesa, das Comunidades Portuguesas e Lusófonas, e Luso-descendentes, que se tenham distinguido com mérito ao nível profissional, cultural e humanitário no Mundo, pelo Conhecimento e pelo seu relacionamento com outras Culturas em Portugal ou no estrangeiro.

O Prémio Femina tem o Estatuto de Interesse Cultural, reconhecido pelo Ministério da Cultura, para efeitos de Mecenato Cultural.

O Prémio Femina tem como inspiração a Infanta Dona Maria de Portugal, patrona da Matriz Portuguesa – MPADC – Associação para o Desenvolvimento da Cultura e do Conhecimento, última descendente de Dom Manuel I; digna representante da Era de Ouro de Portugal, e extraordinárias mecenas das Artes e Ciências.

A insígnia do Prémio Femina foi criado por Raposo Jr. para a Matriz Portuguesa.
Agraciadas com o Prémio Femina 2018
Prémio Femina de Honra Conceição Zagalo

Vereadora da Câmara Municipal de Lisboa e presidente da direcção do GRACE – Grupo de Reflexão e Apoio à Cidadania Empresarial

Portugal

Por mérito nas Artes e Letras:

Artes musicais e canto

Mayra Andrade

Cabo Verde

Por mérito nas Ciências:

Investigação relevante

 

Maria de Jesus Trovoada

Ministra da Saúde

São Tomé e Príncipe

Por méritos relevantes na Excelência Profissional e, que tenha contribuído para o prestígio de Portugal e da Lusofonia:

Actos de Humanitarismo em prol da dignidade e direitos do Ser Humano

Susana Damasceno

Presidente da AID Global

Portugal

Pelo Estudo e Divulgação da Cultura e História de Matriz Portuguesa no estrangeiro e na Lusofonia Helena Carvalho Pereira

Vice-Presidente do Sintra Estúdio de Ópera

Portugal

Ad Femina Mundu (à Mulher do Mundo)

Categoria excepcional para Mulheres de nacionalidades extra Portuguesa e extra Lusófonas, pelo contributo, com o seu exemplo, em obras, conduta e estudo, a todas as Mulheres do Mundo.

Baronesa Antoinette Lukacs

Hungria

Comissão de Honra Prémio Femina 2018

Presidente | João Micael

Fundador do Prémio Femina

Fundador e Presidente da Matriz Portuguesa – MPADC – Associação para o Desenvolvimento da Cultura e do Conhecimento, Director da Academia de Protocolo, e Director da revista Portugal Protocolo.

Angélica Santos

Conselheira da Matriz Portuguesa – MPADC – Associação para o Desenvolvimento da Cultura e do Conhecimento.

Delmar Maia Gonçalves

Presidente da Mesa da Assembleia Geral da Matriz Portuguesa – MPADC – Associação para o Desenvolvimento da Cultura e do Conhecimento. Presidente da Direcção do Círculo de Escritores Moçambicanos na Diáspora. Membro da Direcção membro da direcção do MIL: Movimento Internacional Lusófono. Coordenador Editorial da Editorial Minerva.

Sobre a Matriz Portuguesa

É uma instituição sem fins lucrativos, criada para o desenvolvimento da Cultura e do Conhecimento. Trata-se de um conceito inédito cuja acção irá despertar consciências, iniciando um novo ciclo da Matriz Portuguesa no mundo.

No dia 29 de Abril de 2014, realizou-se, no Salão Nobre do Mosteiro dos Jerónimos, a apresentação da sua missão e propósitos, contando com a presença de distintos oradores como o Prof. Doutor Adriano Moreira, presidente da Academia das Ciências de Lisboa; o Dr. António Ferreira de Carvalho, presidente da AERLIS – Associação empresarial da Região de Lisboa e vice-presidente da CIP – Confederação empresarial de Portugal; o Dr. José Arantes, director dos Canais Internacionais da Rádio e Televisão de Portugal; e a Doutora Helena Águeda Marujo, professora Auxiliar Convidada do ISCSP – Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas.

Desafio de cortar a respiração quer pôr os portugueses a respirar por uma palhinha

É por isso que, a propósito do Dia Mundial da DPOC, que este ano se assinala a 21 de novembro, a Respira, a Fundação Portuguesa do Pulmão, e a APMGF (Associação Portuguesa de Medicina Geral de Familiar) representada pelo seu Grupo de Estudos GRESP (Grupo de Estudos de Doenças Respiratórias da APMGF), com o apoio da Boehringer Ingelheim, desafiam os portugueses a tapar o nariz e respirar através de uma palhinha, inspirar e expirar e fazê-lo, repetidas vezes, para dentro do pequeno tubinho. Porque este é também o desafio diário de quem vive com DPOC, um desafio de cortar a respiração.
Os pulmões vão fazer um esforço extra, as mãos vão suar e as pessoas vão poder parar quando quiserem, ao contrário dos 800 mil doentes em Portugal, a quem a doença corta a respiração a cada minuto. Para ajudar na divulgação, pede-se a quem aceitar este desafio que registe, com uma fotografia, esse momento de bravura e o partilhe nas redes sociais, com #cortararespiração. Para que, juntos, possamos dar um novo ar ao ar que os doentes sentem cortado.
“Esta é uma forma de chamarmos a atenção das pessoas para a sua saúde respiratória”, explica Isabel Saraiva. Isto porque, acrescenta, “a DPOC continua a ser subdiagnosticada, já que os sintomas não são valorizados”. De facto, acrescenta Rui Costa, especialista do GRESP, “as pessoas reconhecem a bronquite crónica, mas a DPOC ainda não”.
Tosse, cansaço frequente, dificuldades respiratórias são sintomas que, ainda que sentidos por muitos, tendem a ser desvalorizados, sobretudo pelos fumadores, os que mais sofrem com a doença. “Noventa por cento dos casos de DPOC estão relacionados com o tabaco”, esclarece José Alves, da Fundação Portuguesa do Pulmão, que junta outro número: “Um quinto dos fumadores vão desenvolver DPOC”. É por isso que realça a importância do diagnóstico cada vez mais precoce. “Não podemos esperar pelos 40 anos para fazer as espirometrias, o exame que confirma a DPOC. Temos de o fazer mais cedo, mesmo junto dos fumadores jovens, porque a doença leva a uma perda da função respiratória que não é recuperável. Por isso, quando mais cedo for detetada, menor será essa perda”.
Rui Costa concorda que a espirometria é “um exame essencial, fundamental e obrigatório”. No entanto, nem sempre de fácil acesso. “A nível nacional, há uma iniquidade no acesso a este exame, que a rede nacional de espirometrias tem procurado colmatar.”
Para os doentes, são vários os desafios. Isabel Saraiva identifica os principais e começa por  “deixar de fumar. Isto é muito difícil e não basta dizer que se vai deixar, mas é preciso procurar ajuda juntos das consultas de cessação tabágica”. Depois, manter alguma atividade, o que também nem sempre é tarefa fácil. “Os doentes devem andar, fazer exercício, mas como se cansam muito, costumam defender-se ficando parados.”
“Os doentes com DPOC são dos mais sedentários”, confirma Rui Costa. “Como têm dificuldade em respirar, vão evitando fazer exercício ou atividades da vida diária e isso leva a uma atrofia muscular, por alterações ao nível musculoesquelético. Quanto mais ativo fisicamente, melhor o prognóstico e melhor a sobrevida. Mesmo que seja difícil, em vez de uma caminhada de 30 minutos, devem fazer caminhadas mais curtas, ao longo do dia”.
À necessidade de exercício, José Alves junta a reabilitação respiratória, “que historicamente aparece no fim do tratamento, quando não há muito mais a fazer, quando de facto pode e deve ser feita desde o início, mesmo que não haja ainda a questão da falta de oxigénio. E pode ser feita por profissionais fora do ambiente hospitalar”.
No entanto, como salienta Isabel Saraiva, ainda que esta seja “uma das formas mais eficazes de dar aos doentes uma melhor qualidade de vida, há poucos centros que o disponibilizam e a maioria são nos hospitais, com ambientes que não são bons para os doentes com DPOC”.
A propósito deste Dia Mundial da DPOC, José Alves deixa duas mensagens simples, que podem fazer a diferença. “Quem não fuma, nem vale a pena começar. Para os fumadores, o conselho é fazer o diagnóstico tão precoce quanto o possível.”

10 razões para fazer o seu CV com um gerador de currículo

Os recrutadores têm muito pouco tempo para analisar todos os currículos que chegam à sua secretária. Para além disso, necessitam cada vez mais de conseguir dar resposta às necessidades da empresa em tempo recorde, perdendo por isso cada vez menos tempo a ler cada CV individualmente. É aqui que pode estar a maior vantagem de utilizar um gerador de currículo.

Hoje em dia temos à nossa disposição algoritmos que analisam currículos de candidatos, e criam uma versão mais resumida – não mais do que 2-3 linhas – do mesmo, salientando qual a experiência profissional de cada candidato bem como a sua formação e principais objectivos cumpridos.

Do lado do candidato, há então que criar um currículo que seja diferenciador e que lhe permita saltar para o topo da pilha dos candidatos. No entanto, não é fácil fazer isto, uma vez que os currículos têm um formato muito específico ao qual não pode fugir muito. Um gerador de currículo é sem dúvida uma das melhores respostas à situação actual de empregabilidade e aplicação para vagas.

Conheça as 10 principais razões para utilizar um gerador de currículo:

1.      Ter um currículo único e criativo

O facto de utilizar um gerador de currículos permite-lhe armazenar a informação em campos pré-definidos, usando depois templates estéticos para organizar essa mesma informação. Recorrendo a estes modelos estéticos diferentes, é possível ter um currículo único e criativo, sempre adaptado às vagas específicas a que está a concorrer.

2.      Profissionalismo

É importante ter em linha de conta que o que as empresas procuram, quer em candidatos quer em currículos, tem um certo padrão pré-definido. A probabilidade de conseguir obter uma vaga, caso tenha um currículo que se coaduna com os padrões que a empresa procura, é muito superior. É aqui que o gerador de currículo pode ajudar, até porque todos os seus modelos são muito profissionais e garantem-lhe um leque variado de opções.

3.      Edite de raiz ou preencha apenas os modelos

Há pessoas que pretendem criar um currículo de raíz, criando secções que vão sendo preenchidas com informação a seu gosto. Outras pessoas podem preferir introduzir informação em campos, premir um botão e obter a versão final imediatamente no seu ecrã. Com um gerador de currículos, ambas são fortes possibilidades.

4.      Ferramenta gratuita

A grande vantagem de poder utilizar um gerador de currículos em qualquer altura é a sua gratuitidade. Estando disponível online, pode e deve utilizá-lo sempre que quiser. Tornar o seu currículo em algo diferenciador, bonito e com muita informação não tem que passar necessariamente por um serviço pago!

5.      Estrutura adequada

Com muitos modelos e exemplos dos quais pode retirar ideias, é importante que o seu currículo tenha a estrutura adequada. Não só porque isto facilita, e muito, a extracção de informação do mesmo, mas também porque o recrutador será capaz de rapidamente obter informação sobre si. Isto é crucial, para que consiga a vaga que pretende sem problemas e em tempo recorde.

6.      Destaque-se e facilite a análise do seu currículo

Utilizando um gerador de currículo garante não só uma maior notariedade para o mesmo, bem como a possibilidade de aparecer mais vezes nos resultados de pesquisa utilizados pelos recrutadores. É também importante garantir que a estrutura é adequada, e provavelmente é melhor utilizar modelos que estejam comprovados pela sua eficácia.

7.      Aceda ao seu currículo em qualquer plataforma

Num mundo cada vez mais digital, é importante que possa aceder, editar e finalizar o seu currículo numa série de plataformas móveis. Quando utiliza um gerador de currículos, pode aceder ao seu documento no telemóvel, tablet ou computador e garantir que executa modificações de última hora, caso necessárias.

8.      Junte o seu portefólio

Com a ajuda de um gerador de currículos, é fácil agregar o seu portefólio ao seu CV. Profissionais da área de design, por exemplo, apreciam muito esta funcionalidade, que permite imediatamente mostrar ao seu possível empregador o que é realmente capaz de fazer.

9.      Extração em diversos formatos

Dependendo da empresa em questão, pode ter que enviar o seu currículo como foto, ficheiro .pdf ou ficheiro Word. A utilização de um gerador de currículos permite que consiga exportar o seu currículo em todos os formatos necessários, à distância de um clique.

10.  Tudo registado na sua conta

Ao criar um perfil numa plataforma de geração de currículos, poderá criar vários currículos e guardá-los no seu perfil. Quando necessitar de utilizar um destes, apenas tem que entrar na sua conta e fazer o download do mesmo!

Apresentamos aqui dez razões para que possa utilizar um gerador de currículos. Esperemos que o/a tenhamos convecido/a e que comece a utilizar esta ferramenta indispensável na busca por um novo trabalho. Boa sorte!

Segurança Rodoviária…”Boas viagens!”

Mas infelizmente, não é o que as estatísticas mostram, pois, os números dizem que a sinistralidade rodoviária tem vindo a subir nos últimos anos, após um período de agradável acalmia, devido a uma das maiores crises económicas de sempre.

O movimento de automóveis caiu mais de 30%, há menos de 10 anos, segundo algumas empresas internacionais de Consultoria automóvel. É uma certeza, que tivemos bons períodos, mesmo antes da crise, com um fantástico crescimento da rede de autoestradas, assim como um facilitado acesso ao crédito financeiro para aquisição de veículos mais seguros, há quase 20 anos…

As seguradoras acusam mais de 3000 participações, em todos os dias do ano, e os custos dos acidentes rodoviários, segundo a comissão Europeia, ascendem a cerca de 6.750 milhões de euros, por ano em Portugal! Mas nós portugueses até gostamos bastante, de automóveis, ou, será só do logotipo da marca?

Muitos dos que dizem gostar dos automóveis, têm medo de conduzir, gostam que apresentem um bom estado, limpos e brilhantes, mas muito poucos se preocupam em melhorar as técnicas e procedimentos duma condução automóvel mais económica, mais segura, ou mesmo mais rápida.

O automóvel tem mais de 130 anos, com muitos “players” há mais de 100 anos, sempre a evoluírem em segurança, conforto e eficiência, com uma produção anual quase a chegar aos 100 milhões por ano, de novos veículos automóveis.

Mas, porque é que desconsideramos tanto os acidentes na estrada, nas localidades ou mesmo, nas autoestradas? Será que conhecemos bem as causas mais frequentes dos acidentes rodoviários? Será que sabemos quais os órgãos automóveis mais importantes, em termos de segurança ativa e passiva? Saberemos o que podemos evitar, o que poderemos ganhar, com algum investimento pessoal para percebermos um pouco mais, como acontecem os acidentes rodoviários? Já pensámos alguma vez, em melhorar a observação sobre a nossa envolvente rodoviária, quando conduzimos um automóvel? Será que conseguimos impor uma distância mínima de segurança, ao longo dalgumas dezenas de quilómetros, num troço algo movimentado? Será que um Motorista profissional, num camião carregado de madeira, com um peso bruto de 60 toneladas sabe qual é a distância mínima de segurança, numa descida com um declive de 5%, viajando a uma velocidade de 50km/h? Talvez não…mas devíamos saber, prontamente, pois a sua inércia é brutal, nestas condições. E será que o condutor dum automóvel desportivo saberá que a 120km/h, depois de fazer atuar o sistema de travagem com a força máxima, o seu belo automóvel necessita de duas vezes mais espaço para parar do que precisa a somente 80km/h?

Mas sabemos que não devemos conversar ao telemóvel ou mandar mensagens, apesar de muitos de nós o fazermos, assim como andarmos muitas vezes, acima das velocidades permitidas, mesmo depois dum dia cansativo, debaixo duma chuva aborrecida.

Vale a pena sabermos um pouco mais das limitações impostas pelas leis da física, pela infraestrutura, pelo automóvel (mesmo sendo um topo de gama) e também por nós próprios, pois aos 40 anos, precisamos de quase o dobro do tempo de reação face a um imprevisto na estrada, do que temos aos 18 anos… Boas viagens!

Pedro Montenegro, Consultor & Auditor ISO 39001 Sistemas Gestão Segurança Rodoviária da APM Safe & Efficient Driving

Dorme ao lado de quem ressona? Há solução

São conhecidos os impactos negativos que os diferentes tipos de ruído podem ter sobre o nosso bem-estar, entre eles, a perturbação do sono. Uma noite mal dormida pode ser um transtorno no nosso dia-a-dia, criando maior irritabilidade e dificultando a nossa capacidade de concentração. Muitas vezes estas noites em claro são consequência de um sono profundo dos nossos companheiros – entenda-se homens e mulheres, embora todos saibamos que as mulheres não ressonam, respiram mais alto – com direito a ‘música’ de fundo.

Ninguém tem culpa de ressonar, é certo, mas a partir de hoje isto não tem de ser mais um problema para os parceiros de quem dorme profundamente. Atualmente existem soluções que permitem acabar com as noites mal dormidas. Dulce Martins Paiva, diretora-geral da GAES – Centros Auditivos , explica que “os moldes de descanso são uma solução neste tipo de situações, uma vez que permitem uma proteção auditiva em situações nas quais não é possível diminuir o volume do ruído.”

A partir de um estudo realizado pela GAES e recentemente divulgado, foi possível concluir que para 89% dos portugueses o silêncio é fundamental na hora de dormir. Para estes e para si, se for o seu caso, passar a dormir melhor é agora possível. E não tenhamos medo de começar a ressonar também, porque podemos sempre adquirir um molde de descanso para a nossa cara metade.

Moldes descanso

Sobre a GAES – Centros Auditivos

A GAES – Centros Auditivos  é considerada a empresa multinacional líder ibérica no setor da correção auditiva: há mais de 60 anos que desenvolve (I+D), produz, distribui e comercializa aparelhos auditivos para melhorar a qualidade de vida dos seus clientes. Atualmente a GAES – Centros Auditivos conta com mais de 500.000 clientes em todo o mundo, espalhados por mais de 600 centros auditivos.

Para além do seu trabalho empresarial, o compromisso da GAES com a sociedade tem-na levado a fomentar ações para sensibilizar de forma permanente a população sobre a perda auditiva e dar a conhecer as soluções existentes.

Transavia lança campanha para juntar emigrantes aos seus familiares este Natal

Este ano é em casa da Luísa. Não espere. Vá! Este é o mote da nova campanha de media em Portugal da Transavia que, em conjunto com a Boeing, visa promover a sua oferta conveniente e flexível junto dos familiares de emigrantes e diáspora portuguesa, convidando-os a viajar e celebrar juntamente com os seus mais próximos em França e na Holanda esta época de Natal e Ano Novo.

Desenvolvida pela b+, tem início hoje e termina a 30 de novembro. Reserve os seus voos a partir de 29 euros (ida simples) para Paris, Lyon ou Amesterdão com a low-cost do Grupo Air France-KLM, a companhia aérea europeia empenhada em making low-cost feel good. Transavia. É um prazer.

Sobre a Transavia

A Transavia, companhia aérea low-cost do Grupo Air France-KLM, opera mais de 220 rotas aéreas com partidas de França (Paris, Nantes e Lyon)  e Holanda (Amesterdão, Roterdão/A Haia, Eindhoven e Groningen) na Europa e bacia do Mediterrâneo. Com mais de 14,8 milhões de passageiros transportados em 2017, a Transavia é hoje a primeira companhia low-cost com partida de Orly e a segunda de Paris (Beauvais, Roissy, Orly). Para satisfazer cada vez mais e melhor os seus passageiros, a Transavia tem no centro dos seus compromissos a qualidade dos seus serviços e a proximidade das suas tripulações. Essa postura valeu-lhe a atribuição do prémio Skyscanner «Travel Trust 2018» e do rótulo Capital ‘Melhores Insígnias 2019’ na categoria Transportes.

Rotas portuguesas da Transavia em Portugal no inverno de 2018-19

De/para Paris Orly: Faro, Funchal, Lisboa e Porto | De/para Nantes: Faro, Funchal, Lisboa e Porto | De/para Lyon: Funchal, Lisboa e Porto | De/para Amesterdão: Faro, Funchal, Lisboa e Porto | De/para Roterdão/Haia: Faro, Lisboa | De/para Eindhoven: Faro, Lisboa | Do/para Porto: Funchal | De/para Funchal: Porto

Os Medicamentos Genéricos são “uma marca de todos”

Com o apoio das Farmácias Portuguesas e da Ordem dos Farmacêuticos, a campanha multimeios “Medicamentos Genéricos, uma marca de todos” foi lançada em outubro e promete chegar junto do grande público e das Farmácias através de diversos materiais, entre os quais folhetos e um microsite.

Em mg.marcadetodos.pt, é possível obter esclarecimentos sobre os benefícios e vantagens dos Medicamentos Genéricos, assim como os direitos dos doentes, o enquadramento dos Medicamentos Genéricos e a legislação que estabelece os critérios a que estes têm de cumprir.

Com recurso à animação, vários vídeos informativos, divididos em episódios, contam a história dos Medicamentos Genéricos, respondendo às perguntas mais frequentes, entre as quais as relacionadas com os preços (definição e alterações dos mesmos), e mostrando porque é que estes medicamentos reforçam o acesso da população à medicação.

Conscientes da importância e impacto que os Medicamentos Genéricos têm no Serviço Nacional de Saúde e na população, a Teva, como líder mundial1 e nacional2 de Medicamentos Genéricos (um em cada cinco dos Medicamentos Genéricos consumidos são do Grupo Teva), pretende desta forma assumir um papel ativo na educação e perceção de que os Medicamentos Genéricos são uma marca de confiança, são uma marca de todos.

1 Site: https://www.tevapharm.com/about/profile/, consultado em 07/11/2018

2 Dados HMR MAT.10.2018

Sobre a Teva

A Teva estabeleceu-se em Portugal no ano de 2004 e iniciou a sua atividade comercial em 2005 com apenas 4 colaboradores e cerca de 5 Medicamentos Genéricos na área Oncológica.

Atualmente com aproximadamente 100 colaboradores, a Teva lidera o mercado de Medicamentos Genéricos em ambulatório. Cerca de 20% do consumo de Medicamentos Genéricos do mercado nacional é das 3 marcas do Grupo Teva: Teva, ratiopharm e Mepha. A Teva em Portugal tem aprovadas mais de 900 Autorizações de Introdução no Mercado, nas diferentes áreas onde atua, potenciando o seu modelo híbrido – Medicamentos Genéricos e Inovação – e apresentando-se como um parceiro que permite aumentar as eficiências nos Sistema de Saúde.

No segmento de inovação a Teva tem hoje três áreas estratégicas: Neurociências, Respiratória e Oncológica, sempre com o propósito de melhorar a vida de cada vez mais pessoas.

EMPRESAS