Inicio Autores Posts por Elisabete Teixeira

Elisabete Teixeira

3762 POSTS 0 COMENTÁRIOS

Já é conhecida a programação geral do Festival B

Para além dos 4 dias do Festival estão preparadas várias iniciativas de celebração oficial dos 350 anos das Cartas Portuguesas, de que se destacam a produção de um filme de reconstituição histórica em 3D, um documentário televisivo a traduzir em Inglês, Francês e Japonês, a edição de um livro de Banda Desenhada criado por Paulo Monteiro e destinado ao público infantil, a edição de livro e construção de um espetáculo musical a partir de 12 poemas de amor criados pelo compositor Paulo Abreu Lima e, ainda, exposições bibliográficas, instalações artísticas e uma exposição e homenagem a Leonel Borrela, artista plástico e grande dinamizador e estudioso da figura de Mariana Alcoforado.

À semelhança do ano anterior, nesta edição a organização desafiou vários artistas para a criação e adaptação de espetáculos de acordo com a figura de Mariana Alcoforado e das Cartas Portuguesas, tendo recebido com enorme entusiasmo respostas positivas e empenhadas que conduzirão à apresentação de concertos e espetáculos únicos, de teatro, de música e de bailado, de que se destaca o concerto, criado propositadamente para o Festival, que junta Jorge Palma e Mafalda Veiga, dois cantores e compositores que nunca antes haviam atuado em conjunto.

Integrado no programa geral do Festival insere-se, ainda, a primeira produção da CADAC – Companhia Alentejana de Dança Contemporânea, recentemente criada em Beja e que corresponde, assim, ao desafio lançado pelo FESTIVAL B.

Anunciados os espetáculos, brevemente será divulgado o programa diário e os locais onde se realizarão.

Plataforma avalia o impacto da felicidade na Esclerose Múltipla

Para Portugal é um privilégio poder contar com a comunidade da EM portuguesa, num estudo-piloto de dimensão internacional.

Cerca de 60% das pessoas com Esclerose Múltipla reportam níveis altos de stress, fadiga, ansiedade ou depressão: os utilizadores terão acesso a mais de 300 meditações guiadas, 60 programas sobre vários tópicos, e mais de 3 000 jogos e atividades baseadas na ciência para ajudar os portadores de EM e os mais de 8 000 portugueses que vivem e convivem com esta doença.

As pessoas poderão inscrever-se no estudo-piloto através das redes sociais (Facebook e Instagram). Os utilizadores selecionados serão progressivamente avaliados, com base em dados recolhidos pela aplicação. A parceria com a Happify vai criar uma verdadeira experiência do mundo real: avaliar o impacto da felicidade na qualidade de vidas das pessoas com Esclerose Múltipla.

Demonstrar que a felicidade ou os pensamentos positivos são importantes também para uma melhor gestão da doença e para melhores resultados de qualidade de vida, é um dos principais objetivos deste teste, que vai ter uma duração de quatro meses, e do qual se esperam resultados significativos em maio de 2019.

Como um dos principais agentes na investigação sobre a esclerose múltipla, a Sanofi tem testado formas inovadoras de medir o impacto da redução de stress e depressão e aumentar o bem-estar emocional de pessoas com a doença.

A aplicação é gratuita e vai estar disponível na Play Store e na APP Store, em Português, Inglês, Espanhol, Francês e Alemão.

A divulgação deste Estudo-Piloto que se inicia no dia da Felicidade, conta com o apoio das várias associações de doentes portuguesas: ANEM; TEM; SPEM, que irão divulgar esta iniciativa através dos seus meios de comunicação. 

Sobre a Esclerose Múltipla

A EM é uma doença crónica, inflamatória e degenerativa, que afeta o Sistema Nervoso Central (SNC). É uma doença que surge frequentemente entre os 20 e os 40 anos de idade, ou seja, entre os jovens adultos. Afeta com maior incidência as mulheres do que os homens. Esta patologia é diagnosticada a partir de uma combinação de sintomas e da evolução que a doença apresenta na pessoa afetada, com recurso a exames clínicos/exames complementares de diagnóstico (Ressonância Magnética Nuclear, Estudo de Potenciais Evocados e Punção Lombar). A EM pode produzir sintomas idênticos aos de outras patologias do SNC, pelo que o diagnóstico poderá demorar anos a acontecer.

Estima-se que em todo o mundo existam cerca de 2.500.000 pessoas com EM (dados da Organização Mundial da Saúde) e em Portugal mais de 8.000 (Gisela Kobelt, 2009).

Make-A-Wish coloca 1.200 crianças e jovens a sorrir

Recorde-se que a Make-A-Wish é uma organização sem fins lucrativos, que tem por missão realizar os desejos de crianças e jovens em território nacional, entre os 3 e os 17 anos, com doenças graves, progressivas, degenerativas ou malignas, proporcionando-lhes um momento de força, alegria e esperança, capaz de transformar as suas vidas.

Uma ideia corroborada pelo estudo “The Make-A-Wish Impact Study”, promovido pelo guru da felicidade, Tal Ben-Shahar, que visita Portugal esta quarta-feira para participar na Happy Conference, e que demonstrou que a concretização de desejos a crianças com doenças graves melhora a sua condição física e mental, transmitindo a ideia de que tudo é possível.

O estudo, realizado junto de 66 crianças com doenças que colocam a sua vida em risco, reforça a relevância da atividade da organização, pois demonstra que o desejo realizado tem um caráter mágico e inatingível e que a sua concretização proporciona às crianças a alegria, esperança e força necessárias para combaterem a doença.

 “Termos já concretizado 1.200 desejos em Portugal é uma experiência verdadeiramente extraordinária e transformadora para todas as partes envolvidas. É algo que nos deixa profundamente orgulhosos! O nosso objetivo é continuar a levar felicidade a mais crianças elegíveis e contribuirmos para que essas crianças acreditem que tudo é possível. ”, afirma Mariana Carreira, Diretora Executiva da Make-A-Wish, que acrescenta “ todo o trabalho que desenvolvemos só é possível graças ao inestimável contributo de todos os parceiros, voluntários, doadores e profissionais de saúde que nos apoiam diariamente e a quem aproveito para agradecer!

Em 2019, a Make-A-Wish pretende “chegar a mais crianças elegíveis e Juntos, realizarmos mais desejos capazes de transformar vidas!”

Sobre a Make-A-Wish

A Make-A-Wish tem como missão realizar desejos a crianças e jovens, entre os 3 e os 18 anos, com doenças graves, degenerativas ou malignas, para lhes levar um momento de força, alegria e esperança.

A Fundação Realizar um Desejo nasceu em 2007, foi reconhecida pela Make-A-Wish Internacional no mesmo ano e torna-se IPSS em 2009. Com sede em Lisboa, tem uma rede de 380 voluntários para cobrir todo o território nacional. Atualmente, a Make-A-Wish Portugal trabalha em parceria com todos os hospitais distritais do país.

A Fundação Realizar Um Desejo é a filial portuguesa da Make-A-Wish® Internacional, que se encontra fortemente presente nos Estados Unidos e em mais de 52 países, nos cinco continentes. Em cada 17 minutos algures no mundo é realizado um desejo. A Make-A-Wish é oficialmente reconhecida pela ONU, e é hoje uma das organizações de beneficência mais conhecida e respeitada a nível mundial.

Alexandre Soares dos Santos recebe Doutoramento Honoris Causa da Universidade de Aveiro

Com intervenções do Reitor Paulo Jorge Ferreira, do economista José Pinto dos Santos, padrinho do homenageado, e do próprio Alexandre Soares dos Santos, a cerimónia tem início às 14h30, dia 27 de março, no Auditório da Reitoria.

“O Sr. Alexandre Soares dos Santos presidiu ao primeiro Conselho Geral da UA [entre 2009 e 2014] e foi nesse contexto que o conheci. A UA tinha optado recentemente pelo estatuto fundacional, tema em que as incógnitas eram muitas e as oportunidades também”, lembra Paulo Jorge Ferreira. Nesses “tempos de grande incerteza”, aponta o Reitor da UA, “a visão e rigor do Sr. Soares dos Santos foram decisivos para inspirar e reunir todos em torno de objetivos comuns”. Por isso, o responsável maior da Academia de Aveiro não tem dúvidas: “Quanto mais agitadas estão as águas, mais importante é o papel do timoneiro. A UA deve-lhe muito”.

Um dos maiores empresários do país

Presidente do Conselho Geral da UA, entre 2009 e 2014, e membro do Conselho de Curadores da Academia, no período de 2016 a 2018, Alexandre Soares dos Santos nasceu no Porto em 1934. Na Cidade Invicta, concretamente no Colégio Almeida Garrett, concluiu os estudos liceais para rumar depois para o curso de Direito da Faculdade de Direito de Lisboa.

Mas quis o destino que o país perdesse um advogado para ganhar um empresário. Após um convite da multinacional Unilever, para iniciar a sua carreira profissional, abandonou o curso em 1957. Nesta empresa passou pelas delegações da Alemanha e Irlanda e depois foi nomeado diretor de marketing da filial no Brasil, função que desempenhou de 1964 a 1968.

Em 1968, regressou a Portugal, e assumiu a liderança da Jerónimo Martins. Alexandre Soares dos Santos passou a exercer diretamente funções no Conselho de Administração do Grupo Jerónimo Martins, como administrador-delegado. Seguiu-se a presidência da Comissão Executiva, missão que acumulou com o de presidente do Conselho de Administração, desde 1996 até 2013. Durante este período desenha uma estratégia de diversificação e inicia uma firme trajetória de crescimento e internacionalização do Grupo e, ao mesmo tempo, reforça e aprofunda a parceria com a Unilever.

Em 2009, criou a Fundação Francisco Manuel dos Santos que visa estudar os grandes temas nacionais e levá-los ao conhecimento da sociedade. Esta fundação gere o portal “Pordata”, Base de Dados do Portugal Contemporâneo, e lançou uma coleção de livros de Ensaio, a preços reduzidos, acessíveis a todos, sobre temas da atualidade. Neste âmbito destacam-se temas como a economia, educação, justiça e política. Para além disso, esta Fundação dinamizou diversas conferências e seminários, com elevado impacto na sociedade.

Em 2017 a Fundação intervém na Fundação Oceano Azul, uma organização que tem como propósito a sustentabilidade dos oceanos, contribuindo para um oceano produtivo e saudável em benefício do planeta.

Uma enorme mais-valia para a UA

“O Sr. Alexandre Soares dos Santos, como gosta que o tratem, é um empresário de grande relevo a nível nacional e internacional, mas também um humanista e uma pessoa com grande rigor pessoal”, aponta a Reitoria da UA.

Convidado por Helena Nazaré, em 2009, para integrar o primeiro Conselho Geral da Universidade, Alexandre Soares dos Santos haveria de o presidir até 2014. Olhando para trás, a atual Reitoria lembra de Soares dos Santos “o rigor de empresário e a convicção de que o motor de uma instituição é a força do trabalho e o rigor das contas” e a maneira como introduziu “uma forma distinta e rigorosa de análise do orçamento da Universidade e da elaboração de planos estratégicos e de ação”.

A iniciativa “Exit Talks – Conversas sobre Exportação”, que em 2013 congregou na UA empresários, consultores, cientistas e investigadores, artistas e criadores e as jornadas do Caramulo sobre “UA2020 a Universidade que queremos”, onde os gestores da Universidade e um conjunto de individualidades, nacionais e internacionais, discutiram os desafios da Academia do futuro foram algumas das iniciativas que se destacam da passagem de Soares dos Santos pela UA e que o próprio promoveu.

Recorde-se ainda o importante protocolo de cooperação celebrado entre a UA e a Jerónimo Martins com vista a promover a formação de gestores que melhor se adequam ao setor do Retalho e Distribuição, uma parceria que envolve a atribuição de bolsas aos estudantes da Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Águeda que ingressem no Mestrado em Gestão Comercial com classificação e competências adequadas e a receção nas suas empresas dos alunos da Licenciatura em Comércio, em regime de estágio. Para a história fica também o financiamento pela Jerónimo Martins de uma Cátedra Internacional Convidada.

O papel interventivo de Soares dos Santos, de grande dinamismo e como um agente de mudança, foi mais uma vez notório quando assumiu, entre 2016 e 2018, as funções de Membro do Conselho de Curadores da UA.

Candidaturas ao Prémio Maria José Nogueira Pinto já arrancaram

Todas as entidades que integram a economia social (art. 4º da Lei nº 30/2013), que se tenham destacado na área da responsabilidade social, poderão submeter os seus projetos através da ficha de candidatura digital que se encontra disponível no website oficial do prémio http://www.premiomariajosenogueirapinto.pt/ 

O Prémio Maria José Nogueira Pinto confere, anualmente, um valor pecuniário de 10.000€ ao Grande Vencedor e a cada uma das Menções Honrosas é atribuído o valor de 1.000€. Esta é uma iniciativa de Responsabilidade Social Corporativa da MSD Portugal com o propósito de apoiar e incentivar as instituições a continuar o seu trabalho, reconhecendo o seu impacto na comunidade e a sua natureza inovadora.

Em 2018, o Prémio Maria José Nogueira Pinto alcançou novamente um número recorde de candidaturas, registando um total de 125 projetos inovadores, provenientes de instituições de vários pontos do país. “EKUIzar para mudar o Mundo!”, da Associação Leque, foi o grande vencedor da 6ª Edição. Um projeto que pretende levar mais longe uma metodologia de alfabetização inclusiva única: tendo por base um baralho composto por 26 cartas, pretende ajudar as crianças a ler e a escrever, ensinando, simultaneamente, a fonética, braille, língua gestual e o alfabeto.

O Júri é presidido pela Dr.ª Maria de Belém Roseira e constituído por mais seis elementos de reconhecido mérito, idoneidade e reputação: Eng.º Anacoreta Correia, Dr.ª Clara Carneiro, Dr.ª Isabel Saraiva, Monsenhor Vítor Feytor Pinto, Prof. Dr. Jaime Nogueira Pinto e o Dr. Pedro Marques, em representação da MSD.

O Prémio será atribuído no início de julho de 2019, numa cerimónia pública, em local e hora a definir.

Para consultar o regulamento do Prémio e a ficha de candidatura, visite o site.

Seaventy celebra 5 anos com uma programação especial até ao dia 31 de maio

Para Bernardo Castro, CEO ou SEO (Smile Executive Officer – como gosta de ser reconhecido) desta empresa, cuja missão é aproximar as pessoas do mar e continuar a promover o desenvolvimento desta economia, “o dia que se aproxima traz um misto de emoções, pois é o dia do 5º aniversário da Seaventy que começou precisamente no dia da morte do meu pai”. Tal marco não impede, de todo, que se celebrem estes cinco anos, pois “podem ser apenas cinco anos, mas para nós é muito mais que isso. É a prova de que uma equipa coesa, forte e com um grande sentido de propósito é capaz dos maiores feitos”, afirma.

Serão mais de dois meses com um reforço no número de passeios regulares no Barco Évora, com ações diferenciadoras e várias surpresas pelo caminho, a terminar com uma festa de encerramento no dia 31 de maio. Durante as comemorações, a Seaventy irá aproveitar para lançar um novo logo, que representa a sua evolução sem esquecer as suas origens, nem o seu destino. Uma marca através da qual se pretende continuar a eliminar as barreiras físicas e mentais que dificultam o acesso de todos ao Mar!

Mesmo antes de chegar aos 30 anos, Bernardo Castro e a sua equipa têm mostrado que cinco anos são apenas o início de uma grande e vitoriosa jornada que começa em 2014 com 150.000€ de faturação, para chegar ao fim de 2018 com mais de 1 Milhão. “Orgulhamo-nos muito destes primeiros 5 anos, da cultura criada e de todo o percurso que nos levou a ser a única empresa presente nos três principais segmentos: aluguer de barcos para pequenos grupos, eventos de grandes grupos e operação regular”.

Com o ano de 2018 fechado com 200 passeios para grupos até 18 pessoas, 200 eventos corporate até 300 pessoas (média 100 pessoas por evento) e os três meses de inverno (dezembro 2018 a fevereiro de 2019) com a venda de 1.300 bilhetes é caso para dizer que “estão lançadas as bases para um ano melhor ainda”, defende Bernardo.

É urgente uma resposta mais agressiva na gestão do risco cardiovascular em pessoas com diabetes

“Atualmente é muito clara a necessidade de gerir de forma mais agressiva o risco de doença cardiovascular nas pessoas com diabetes, visto que são as doenças cardiovasculares a causa mais comum de morte entre os adultos com diabetes”, alerta José Luís Medina, presidente do 2.º O Coração da Diabetes, encontro organizado pela Associação Protectora dos Diabéticos de Portugal (APDP), que junta no Porto centenas de profissionais de saúde em torno das principais questões relevantes na diabetes e doenças cardiovasculares.

A segunda edição deste encontro nacional realiza-se a 22 e 23 de março na Fundação Engenheiro António de Almeida, centrando o debate na diabetes e na relação desta doença crónica com as doenças cardiovasculares e outras complicações, o seu peso na qualidade de vida dos doentes e cuidadores e para o próprio Estado e Serviço Nacional de Saúde.

A prevalência da diabetes tem vindo a aumentar nos últimos anos, o que realça a importância de diagnosticar e tratar a diabetes de forma adequada e explica o empenho da APDP na organização deste encontro.

“A diabetes afeta mais de um milhão de portugueses. 30% dos internamentos por acidente vascular cerebral (AVC) são em pessoas com diabetes e perto de 1/3 dos internamentos por enfarte agudo do miocárdio ocorrem em pessoas com diabetes. Não podemos ignorar esta doença nem as complicações a ela associadas”, afirma o endocrinologista.

O 2º O Coração da Diabetes vai juntar mais de 200 participantes, entre profissionais de endocrinologia, cardiologia, medicina interna e medicina geral e familiar, as áreas que mais lidam com o flagelo da diabetes e das suas complicações.

“Apesar dos progressos já alcançados na gestão dos níveis glicémicos e no tratamento dos fatores de risco cardiovascular, a taxa de mortalidade em pessoas com diabetes tipo 1, por exemplo, ainda é elevada”, explica José Luís Medina, acrescentando que “por se manifestar mais cedo na vida do doente [por exemplo em criança ou adolescente] na diabetes tipo 1 as complicações vasculares começam a desenvolver-se cedo, logo no início da doença, embora se manifestem depois na idade adulta”. Os temas a abordar no encontro têm uma relação direta com a prática clínica, procurando respostas para as importantes questões que assolam médicos e doentes na gestão da diabetes e das complicações a ela associadas. Obesidade, hipertensão arterial e insuficiência cardíaca, cirurgia bariátrica como meio de proteção vascular, síndrome metabólica na mulher e biomarcadores e outras formas de diagnóstico em doentes sem sintomas são alguns dos temas em foco neste encontro.

A diabetes é hoje uma das principais causas de morte, principalmente por implicar um risco significativamente aumentado de doença coronária e de AVC. Em 2014 a diabetes representou cerca de oito anos e meio de vida perdida por cada óbito por diabetes na população com menos de 70 anos.

Sobre a APDP

Fundada em 1926, a APDP é a associação de pessoas com diabetes mais antiga do mundo. Com cerca de 15 mil associados, desenvolve a sua atividade na luta contra a diabetes e no apoio à pessoa com esta doença, tendo sempre como meta a integração das pessoas com diabetes enquanto elementos ativos na sociedade. A APDP tem sido pioneira na prevenção, na educação e no acompanhamento personalizado. Conhecer melhor a doença e explorar novas formas de tratamento são os seus principais objetivos, a par da criação de estruturas capazes de dar resposta aos diversos problemas que envolvem a diabetes. www.apdp.pt

Liderança crítica na gestão de cliente

O relatório “Executive Monitor: The C-Suite: Evolving Client Relationship Management”, desenvolvido pela Boyden Global Executive Search, aponta o envolvimento da gestão nas organizações como fator crítico para o sucesso no que à implementação de estratégias de Client Relationship Management (CRM) diz respeito. Apesar da totalidade da organização ter de estar alinhada com a estratégia desenhada, o CEO, CDO, CMO e CIO têm um papel fundamental para evidenciar a relevância e as mais-valias de uma aplicação correta deste tipo de processos, bem como na resposta aos desafios associados à sua implementação.

O estudo, desenvolvido com base nos insights de Partners da Boyden a nível global, especifica as oportunidades e as vantagens a serem retiradas de um modelo  aperfeiçoado de CRM: 1) a síntese de informação de fontes complementares ajuda a desenhar uma imagem mais detalhada e precisa das necessidades e preferências dos clientes; 2) a informação recolhida permite às organizações adaptar a interação com clientes, possibilitando uma experiência mais eficiente e positiva; 3) o CRM disponibiliza uma orientação para uma gestão eficaz de receitas, despesas e inventário; 4) através de ferramentas de CRM as organizações podem assegurar que promoções e campanhas realizadas alcançam o target apropriado.

Para Fernando Neves de Almeida, Managing Partner da Boyden Global Executive Search Portugal, “o envolvimento da gestão é crítico num processo de carácter tão transformacional como o da relação de uma organização com os seus clientes. É à liderança nas organizações que cabe a responsabilidade de decisão estratégica, alocação de recursos, a garantia de compliance e a adaptação da cultura organizacional”. Para o responsável da Boyden, o papel da gestão é indiscutível no momento de “conferir relevância a este processo na organização, assegurando que o mesmo é executado adequadamente em todos os seus níveis e que impacta positivamente na relação com o seu público e na procura de diferenciação no mercado. À liderança cabe o papel de apontar um rumo claro neste contexto e definir e delegar ações para a sua equipa”.

Apesar das mais-valias encerradas numa estratégia de CRM, são vários os desafios que se apresentam às organizações neste âmbito, desde a definição de uma estratégia que suporte objetivos de negócio e conduza a organização rumo a metas predefinidas, à ameaça causada pela utilização de forma parcial ou inconsistente destes processos ou as especificidades de determinados setores de atividade.

A transformação associada às plataformas e ferramentas de CRM, sustentada em big data e data analytics, tornaram mecanismos anteriormente desempenhados manualmente, lentos e compartimentados, em ações mais ágeis e consistentes. Através da utilização destas ferramentas avançadas as organizações podem agora identificar e interpretar mais dados, e utilizá-los para conseguir um entendimento aprofundado acerca das necessidades dos seus clientes e do seu processo de negócio. 

About Boyden

A Boyden é uma empresa líder em consultoria de liderança e talento com mais de 65 escritórios em mais de 40 países. O nosso alcance global permite-nos atender às necessidades de clientes em qualquer local no qual estes desenvolvam o seu negócio. Unimos organizações de referência a líderes de topo através de processos de executive search, interim management e soluções em consultoria de liderança. Para informações adicionais, por favor visite www.boyden.com.

Konica Minolta anuncia os primeiros passos para a drupa 2020

A presença da Konica Minolta irá pautar-se por uma abordagem centrada no cliente, visando concretizar oportunidades de negócio com valor real no que diz respeito ao seu portefólio extenso de impressão profissional e industrial. No stand da Konica Minolta será possível assistir a demonstrações ao vivo, a testemunhos de clientes e a várias apresentações.

Charles Lissenburg, Diretor Geral da Divisão de Impressão Profissional da Konica Minolta Business Solutions Europe GmbH, afirma: “Temos um grande legado como líderes globais em impressão profissional e, neste sentido, continuamos a expandir as nossas soluções de impressão industrial no nosso negócio de impressão. Uma vez mais, a drupa vai proporcionar-nos a plataforma perfeita para interagir com os nossos clientes, bem como conhecer novos.”

 “Temos um compromisso sustentado com a inovação e no nosso stand estaremos a demonstrar as nossas abordagens únicas para os mercados de impressão profissional e industrial. Desta forma, estaremos capacitados para ajudar os clientes com experiência e ferramentas de negócio para captar novas oportunidades e aumentar a rentabilidade através de soluções significativas. O diálogo constante com os clientes na drupa também os ajudará a reconhecer mudanças e desenvolvimentos nos mercados.”, acrescenta Charles Lissenburg.

Sobre a Konica Minolta

A Konica Minolta, como líder em serviços abrangentes de TI, destaca-se pela sua filosofia de consultoria, implementação e gestão de negócios. Com origem japonesa, a Konica Minolta apresenta uma ampla gama de equipamentos e soluções de impressão, quer para o mercado office, como para o de impressão profissional, assim como soluções disruptivas de gestão documental para otimizar e automatizar processos de negócio, implementação de soluções em infraestruturas de TI, segurança, ambientes virtuais ligados na cloud, entre outros.

A inovação faz parte do ADN Konica Minolta, que aposta constantemente no desenvolvimento de novos produtos de acordo com as tendências do mercado. Através dos seus Business Innovation Centres, continua na vanguarda no que diz respeito à inovação trabalhando, continuamente, em investigação e desenvolvimento e através da colaboração com os seus clientes e parceiros.

Essa vertente inovadora tem resultado no reconhecimento por parte de entidades de renome, como é o caso da Key Point Intelligence, que atribuiu o prémio “2018-2019 Buyers Lab PaceSetter award for Smart Workplace Vision”, sendo que a Konica Minolta foi a única na indústria ser reconhecida com esta categoria.

Em Portugal, foi no ano de 2003 que a Konica Minolta Business Solutions Portugal adotou esta designação com a fusão entre a Konica e a Minolta. Representada pela sede em Lisboa, tem escritórios no Porto, Coimbra e Faro, contando com 200 colaboradores. Foi considerada uma das 100 melhores empresas para trabalhar em Portugal, pelo 3º ano consecutivo, e está concentrada na Transformação Digital dos seus Clientes.

Associação Mãos à Obra Portugal celebra 9º aniversário

Com Alto Patrocínio de Sua Excelência o Presidente da República, fomos mais de 100.000 pessoas a pôr Mãos à Obra, recolhemos mais de 50.000 toneladas de resíduos… tratamos, denunciamos, corrigimos, intervencionamos, sensibilizamos, educamos, agimos, melhoramos, georreferenciamos, classificamos, quantificamos, alertamos, brincamos, vivemos…

Nestes 9 anos muito trabalho foi feito mas muito mais haverá para fazer.

Este ano não vamos limpar, não vamos mostrar que andamos por cá, sucessivamente, a limpar o que alguns não respeitam.

ESTE ANO VAMOS CONTINUAR A DAR O EXEMPLO! E TU?

Para saber mais, para inscrição individual ou para participar como parceiro, visite http://www.AMOPortugal.org.

EMPRESAS