Inicio Autores Posts por Elisabete Teixeira

Elisabete Teixeira

3556 POSTS 0 COMENTÁRIOS

José Fonte ao Observador: “Para vocês já é difícil. Para nós, as pernas tremem”

Ele está com boa cara, a falar quase sempre com um sorriso com um grupo de jornalistas ingleses, mesmo ao meu lado. Sinto-me com sorte e fico ali à espera que José Fonte se despache no seu inglês mais do que impecável. Os britânicos perguntam-lhe uma série de coisas, a maioria mais relacionada com a Premier League, o Southampton e o novo treinador que vai ter na próxima época.

Eu quero é saber como foi estar ali na linha do meio campo, entre os braços dos jogadores da seleção, a ver, um a um, os portugueses levarem a melhor aos polacos. Até que o central da seleção, 32 anos, se despede dos ingleses na zona mista e aceita falar em português.

Sofrer um golo aos 100 segundos não é a melhor maneira de começar um jogo.
Foi difícil, mas mostrámos que temos uma grande personalidade, que acreditámos até ao fim. Pegámos no jogo, tentámos ir atrás do prejuízo, como tinha de ser. Acabámos por conseguir o empate, ter uma ou outra oportunidade e um penálti que não foi marcado. Depois, nos penáltis, tivemos a cabeça mais fria que eles. E o Patrício, que fez uma grandíssima defesa.

Estavas preparado para marcar um penálti?
Sim, já me estava a preparar mentalmente, se tivesse que ser, não é? Calha a todos.

Já sabias a tua ordem?
Acho que era o sexto, não tenho a certeza, mas acho que o mister o disse. Mas não interessa. O que interessa é que ficou resolvido e não tive que ser chamado [ri-se, quase em jeito de alívio]. É um momento de tensão, graças a Deus que se resolveu antes.

Como é aquele momento em que estão no meio campo, abraçados, a olhar para quem vai marcar?
Pffff [suspira]. Para vocês, que estão de fora, já é difícil. Para nós, que estamos lá dentro, ainda é mais. As pernas tremem. É preciso ter calma e personalidade para chegar lá e bater o penálti. Por isso, crédito vai para os jogadores que bateram e para o Patrício, que defendeu. Parece que é fácil, mas é um momento muito difícil.

O que é mais difícil: os penáltis ou marcar o Lewandowski?
É um grande jogador, de enorme qualidade. Mas eu e o Pepe tivemo-lo mais ou menos controlado. Óbvio que, num jogo inteiro, vai haver alguma situação. Ele teve aquela oportunidade logo ao início, aos 100 segundos, como disseste. Bateu bem na bola. Depois disso acho que estivemos irrepreensíveis, não me lembro de uma oportunidade dele. Mas tem muita qualidade, como é óbvio. Estamos contentes por termos defendido bem.

Disseste-lhe alguma coisa no final do jogo?
Desejei-lhe boa sorte, disse-lhe que tinham estado bem e que o futebol é assim mesmo.

E vamos chegar à final só com empates nos 90 minutos?
Se tiver que ser. Não interessa — se tiver que ser, será. O que interessa é chegar lá e ganhar.

MARSEILLE, FRANCE - JUNE 30: (L to R) Nani, Jose Fonte and Pepe of Portugal celebrate their team's win through the penalty shootout after the UEFA EURO 2016 quarter final match between Poland and Portugal at Stade Velodrome on June 30, 2016 in Marseille, France. (Photo by Laurence Griffiths/Getty Images)

EUA. Pessoas transgénero já podem entrar para as Forças Armadas

As pessoas transgénero já podem ser militares e fazer parte das tropas americanas. Até agora, o acesso ao Exército, Marinha e Força Aérea estava barrado a quem tinha uma identidade de género diferente da que lhe foi atribuída à nascença.

A abolição da proibição foi anunciada esta quinta-feira pelo secretário de Estado da Defesa norte-americano e era uma das últimas barreiras que faltava cair. No ano passado ficou decidido que as mulheres já podiam ir para as frentes de combate, posição que lhes estava antes negada por “não terem as condições físicas adequadas”. Barack Obama também condenou e aboliu a política Don’t Ask Don’t Tell (DADT), que impelia os militares homossexuais a não revelarem a sua orientação sexual, caso contrário seriam expulsos das Forças Armadas.

Transgénero = Transexual?

Uma pessoa transgénero tem uma identidade de género diferente da que foi atribuída à nascença, quando se basearam no sexo com que nasceu. Ser transexual implica ter feito alguma mudança física, como uma cirurgia genital ou mamária. Quem é transexual é transgénero, mas há pessoas transgénero que não fazem alterações no corpo.

A lei aplica-se agora tanto aos militares já em funções, que estejam a fazer a transição para o outro género, como aos novos militares que chegarem às Forças Armadas. “É a coisa certa a fazer. Estamos a falar de americanos talentosos que estão a servir com distinção ou que querem ter a oportunidade de servir como militares. Não podemos permitir que haja barreiras à entrada das pessoas — barreiras que não têm nada a ver com as suas qualificações para aqueles lugares”, defendeu Ash Carter, em conferência de imprensa. “Temos de ter acesso a 100% da população”, rematou o secretário de Estado.

Segundo um estudo da RAND Corp., há entre 1320 a 6630 pessoas transgénero nas Forças Armadas, num total de 1,3 milhões de militares nas Forças Armadas. Até agora, essas pessoas escondiam a sua verdadeira identidade de género. Dentro desse grupo, a empresa estima que entre 30 a 140 irão fazer tratamento hormonal e de 25 a 130 farão alterações cirúrgicas.

Esta alteração foi estudada durante um ano e entra agora em vigor. Carter contou aos jornalistas presentes que, para a definição da lei, reuniu com pessoas transgénero. “Foi um processo muito educativo para muita gente no departamento de Defesa. Temos de ter em conta a natureza de toda a equipa militar”, sublinhou o responsável.

Descida no IVA, aumento no tabaco e 35 horas de trabalho entram hoje em vigor

O início de julho fica marcado pela entrada em vigor de várias medidas algumas já previstas no Orçamento do Estado, outras que só tiveram concretização mais tarde, como é o caso da descida do IVA na restauração e as 35 horas na função pública. O tabaco também aumenta hoje, o preço do gás natural desce.

O Orçamento do Estado para 2016 entrou em vigor a 31 de março, com algumas das principais medidas orçamentais já em vigor desde janeiro, como a reposição trimestral dos salários da função pública ao longo do ano e a redução da sobretaxa em sede de IRS.

Outras medidas, como a redução do IVA na restauração e a reposição das 35 horas de trabalho semanal na função pública, começavam a ser aplicadas apenas em julho.

Também a legislação que permite a desblindagem de estatutos nos bancos, ao facilitar o fim da limitação de votos dos acionistas, entra hoje em vigor.

Eis algumas das principais medidas com início em julho:

IVA na restauração desce, mas não nas bebidas

O IVA na restauração volta aos 13% a partir de hoje no continente, com exceção do fornecimento de algumas bebidas, depois de ter sido 23% nos últimos anos e da grande contestação do setor.

Em termos globais, a taxa de 13% passa a ser aplicada à restauração, com exceção do fornecimento de bebidas, onde o imposto sobre o consumo será aplicado mediante a sua natureza.

A título de exemplo, as bebidas alcoólicas, refrigerantes, sumos, néctares, águas gaseificadas ou adicionadas de gás carbónico ou outras substâncias continuam a estar sujeitas à taxa máxima do IVA (23% no Continente, 18% nos Açores e 22% na Madeira), enquanto a água natural, chá, café, leite ficam com a taxa intermédia de 13%.

Por sua vez, os menus de restaurante voltam a estar tributados a 23% ou 13% de IVA conforme sejam refrigerantes ou refeição, respetivamente, ou, no caso de não se fazer a divisão de tributação, ambos devem ser tributados à taxa máxima.

Tabaco aumenta

A partir de hoje o preço do tabaco aumenta, para refletir o aumento do imposto inscrito no OE2016, que fará subir o preço médio do maço de cigarros para sete cêntimos, segundo cálculos da consultora PricewaterhouseCoopers (pwc).

Partindo de um valor base de 1,63 euros para um maço de 20 cigarros, o imposto específico, face à proposta do OE2016, aumentará de 1,76 euros para 1,82 euros. Já o elemento sobre o valor do tabaco deverá manter-se nos 0,28 cêntimos. Tudo somado, o acréscimo de tributação será de cinco cêntimos (de 2,04 euros para 2,09 euros).

A este valor ainda acresce a aplicação do IVA, pelo que o total dos impostos sobre este maço de cigarros atingirá 2,95 euros em 2016 face aos 2,89 euros de 2015. Ou seja, o maço de cigarros que custava 4,52 euros em 2015 passará para cerca de 4,59 euros em 2016, um aumento de sete cêntimos, ou de 1,4%.

Gás

As tarifas de gás natural descem a partir de hoje para todos os consumidores, com reduções que oscilam entre os 13% para as famílias e os 20% para a indústria.

Esta descida do preço, que é a segunda em 2016, beneficia todos os consumidores de gás natural (cerca de 1,4 milhões), devido à redução das tarifas de acesso às redes determinada pelo regulador do setor energético.

A redução é de 13,3% para os consumidores domésticos, 14,6% para os empresariais e de 20,2% para os consumidores industriais, segundo a Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE).

No global, a partir de hoje, a descida acumulada será de 18,5% para os consumidores domésticos, de 21,1% para os consumidores empresariais e de 28,4% para os consumidores industriais.

Reposição das 35 horas, mas não para todos

Os funcionários públicos portugueses recuperam a partir de hoje o horário de trabalho de 35 horas semanais, mas com algumas exceções, após quase três anos a trabalhar 40 horas com forte contestação.

A nova lei prevê a negociação com os sindicatos da função pública das situações de exceção que vão manter por mais algum tempo as 40 horas de trabalho para alguns funcionários, de modo a “assegurar a continuidade e qualidade dos serviços prestados”.

As exceções decorrem de uma norma transitória que permite a reposição do horário semanal de 35 horas ao longo do segundo semestre deste ano nos serviços em que se verifique a necessidade de proceder à contratação de pessoal, nomeadamente na saúde.

Devolvida mais uma parte do salário aos funcionários públicos

Em julho, os funcionários públicos recebem o ordenado com mais uma reversão do corte salarial aplicado desde 2011 aos vencimentos superiores a 1.500 brutos por mês.

A lei, que já está em vigor desde 01 de janeiro, prevê a devolução trimestral das remunerações dos funcionários públicos, sendo que esta reversão foi de 40% nas remunerações pagas a partir de 01 de janeiro, de 60% nas auferidas a partir de 01 de abril e será agora de 80%. Os cortes salariais deixam de existir a partir de 01 de outubro.

Estatutos da banca desblindados

A legislação que permite a desblindagem de estatutos nos bancos, ao facilitar o fim da limitação de votos dos acionistas, entra em vigor hoje, quando já está marcada uma assembleia-geral do BPI para discutir o tema.

O decreto-lei foi publicado em abril, no meio da ‘guerra’ entre os principais acionistas do BPI, o espanhol CaixaBank e a angolana Santoro, de Isabel dos Santos, que não se entendiam numa solução para resolver a exposição excessiva do banco a Angola.

A questão é que, apesar de o CaixaBank controlar 44% do BPI, a blindagem de estatutos dá à Santoro, que tem cerca de 19% do capital, praticamente o mesmo poder.

Com o diploma, que entra hoje em vigor, será mais fácil fazer mudanças nos estatutos do banco para desbloquear o direito de votos, fazendo equivaler os direitos económicos aos direitos de voto.

Ainda antes de este diploma entrar em vigor, em meados de junho, foi marcada a reunião magna de acionistas do BPI sobre o tema da desblindagem para 22 de julho, isto numa altura em que decorre a Oferta Pública de Aquisição (OPA) do CaixaBank sobre o banco português, que foi lançada pelo banco espanhol precisamente devido ao fracasso do entendimento com Isabel dos Santos.

Uma das condições para a oferta ir avante é a desblindagem de estatutos.

Confirmado: Zlatan Ibrahimović vai jogar no Manchester United

O jogador sueco confirmou através das redes sociais que o seu próximo clube será o Manchester United. Zlatan Ibrahimovic, de 34 anos, acabou um contrato de quatro anos o PSG.

Confirma-se assim o clube inglês como a próxima casa de Zlatan, após vários meses a ser apontado como possível reforço de José Mourinho.

Ibrahimović vai reencontrar o treinador português após terem trabalhado juntos no Inter de Milão. Zlatan despediu-se da seleção sueca, que ficou pela fase de grupos em último lugar do Grupo E, com 116 jogos e 62 golos marcados.

No seu currículo, ‘Ibra’ ostenta, entre outros títulos, quatro ligas de França, com o PSG, outras tantas de Itália, três com o Inter e uma com o Milan, uma de Espanha, com o ‘Barça’, e outra da Holanda, ao serviço do Ajax.

Croácia ergue muro de metal na fronteira com a Sérvia

O pretexto invocado, segundo a radiotelevisão pública croata HRT, relaciona-se com a presença de cerca de 700 refugiados em Sombor, na Sérvia, a uma dezena de quilómetros da fronteira. A informação não foi confirmada pelos media sérvios, e desmentida por testemunhas no local.

“Adotámos medidas técnicas por razões de pura prevenção”, para “impedir a entrada na Croácia a todos os que pretendessem fazê-lo”, anunciou o ministro do Interior croata, Vlaho Orepic, em declarações ao diário 24sata.

Orepic acrescentou que as medidas de prevenção foram adotadas ao “ser detetado um aumento do número de refugiados que passam da Sérvia para a Hungria”.

O ministro indicou que esta barreira de metal, com 11 metros de comprimento e dois metros de altura não significa o encerramento da fronteira mas antes uma medida de prevenção “para poder reagir rapidamente em caso de necessidade”.

A polícia croata referiu-se ao artigo 7 (Jornal oficial 83/13) sobre a vigilância das fronteiras que autoriza a colocação de obstáculos técnicos “para evitar eventuais tentativas de entradas ilegais na República da Croácia”, mas precisando que de momento a segurança não está ameaçada.

Esta é a primeira vez que a Croácia, Estado-membro da União Europeia desde julho de 2013, constrói um “muro” na sua fronteira comum com a Sérvia.

Um contingente policial foi enviado para Batina para travar o tráfico de imigrantes, segundo a versão oficial. Em paralelo, na Hungria, patrulhas de soldados armados circulavam em camiões militares ao longo da fronteira com a Sérvia.

Cerca de 700 refugiados estão registados na Voivodina, a província autónoma do norte da Sérvia, onde se incluem 40 por cento de menores, com 300 acolhidos num campo em Subotica e 50 em Sombor.

Mais de meio milhão de refugiados atravessaram a Croácia desde outono de 2015 até ao início de março, quando a Áustria, Eslovénia, Croácia, Sérvia e Macedónia chegaram a acordo para travar este fluxo, e que implicou o encerramento imediato da fonteira entre a Grécia e a Macedónia.

Angola já não vai pedir dinheiro ao FMI

Angola desistiu das negociações sobre um eventual “programa de financiamento ampliado” do FMI, mas pretende manter as conversações ao nível de consultas técnicas com os funcionários daquela organização, que regressam a Luanda antes do fim do ano.

“O Presidente da República [de Angola] informou o FMI sobre a decisão de manter o diálogo com o fundo apenas no contexto do artigo IV ‘consultas’ e não no contexto de discussão sobre o programa de ajuda EFF [Programa de Financiamento Ampliado]”, disse o porta-voz da instituição em conferência de imprensa na sede do Fundo em Washington.

Gerry Rice confirmou que “houve uma alteração” e que “as discussões respeitantes a um possível programa de assistência já não entram no âmbito dos técnicos”.

O porta-voz explicou que em 14 de junho último terminou uma missão a Luanda: “E essa foi a missão que teve a ver com a possibilidade de um programa de financiamento ampliado”, disse.

“Uma equipa do FMI irá a Luanda novamente, provavelmente em outubro, para ‘consultas’ ao abrigo do artigo IV”, disse Gerry Rice.

O Fundo Monetário Internacional (FMI) anunciou a 6 de abril que Angola solicitou um programa de assistência para os próximos três anos, cujos termos foram debatidos nas reuniões de primavera, em Washington, prosseguindo em Luanda na primeira quinzena de junho.

No final dessa visita, o chefe da missão do FMI, o economista brasileiro Ricardo Velloso, revelou que o Fundo estava à espera que o Governo angolano dissesse se mantém o seu pedido de assistência financeira, feito numa altura em que o preço do barril de petróleo estava mais baixo.

O FMI é uma organização que reúne 189 países, entre os quais Angola, com o objetivo de “promover a cooperação monetária global, assegurar a estabilidade financeira, facilitar o comércio internacional, promover elevados níveis de emprego e crescimento económico sustentável e reduzir a pobreza em todo o mundo”.

Sugestões para um fim de semana em cheio

agenda-cultural-verao-norte

Poesia no Castelo acontece na sexta-feira, 1 de julho, no Forte São João da Baptista da Foz no Porto. A partir das 18h30, a sessão de poesia que reúne alguns declamadores e músicos em redor das palavras, marca a sua oitava edição. O castelo das freguesias de Aldoar, Foz do Douro e Nevogilde tornou-se um local de encontro, principalmente na primavera e no verão, de vários eventos relacionados com a literatura portuguesa. A poetisa Conceição Lima e a professora universitária Isabel Ponce de Leão são duas das convidadas para declamar poesia. A entrada é livre.

Ainda na Invicta, a Casa da Música recebe dois concertos durante o fim de semana: Duquesa estará sábado, a partir das 22h, no Café Casa da Música/Super Bock Super Rock; já a Empire State Youth Orchestraatua às 18h no domingo na Sala Suggia. O primeiro vem de Barcelos e chama-se Nuno Rodrigues. Faz parte da banda Glockenwise onde é vocalista, Duquesa é o seu projeto a solo com canções como “Douchebag” e “Ice Cream”. A orquestra atua no dia seguinte e reúne os melhores alunos das escolas de música de Nova Iorque. A direção musical do concerto é do maestro Cha-Pyo. Ambos os concertos estão integrados no programa Verão na Casa. A entrada é livre no concerto de Duquesa, para ver Empire State Youth Orchestra paga-se oito euros.

Os Cais Sodré Funk Connection apresentam domingo o novo álbum no Hard Club. O Porto é o local escolhido para presentear o público comSoul, Sweat & Cut the Crap. Este é o segundo trabalho da banda, que encontra influência nos mais reconhecidos nomes do funk, R&B e da soul. Os bilhetes custam dez euros.

A exposição da ART-MAP Ponte de Lima inaugura esta sexta-feira. Após a submissão das candidaturas de vários artistas, a organização selecionou um conjunto de obras que vão estar expostas em lugares diversos da cidade. Desde uma antiga prisão até aos jardins públicos, a arte contemporânea estará um pouco por todo o lado. Mais de 140 artistas e 300 obras vão ser conhecidos a partir das 18h de 1 de julho.

Em Braga, é tempo de os livros assumirem protagonismo nos tempos livres. A Feira do Livro de Braga regressa à Avenida Central e lá permanece até 17 de julho. A edição deste ano conta mais de 58 stands e a animação para todos os gostos: o escritor Afonso Cruz estará presente na exposição “Escritores” no Theatro Circo, Samuel Úria dá um concerto e a dupla do espetáculo “Deixem o Pimba em paz”, Bruno Nogueira e Manuela Azevedo, também vai estar por lá.

Na mesma cidade, a Ponte Party People no Parque da Ponte vai garantir mais de seis horas de música. Acontece no sábado, com dois palcos, e alguns artistas do cartaz são Jibóia, Peixe:avião e Black Bombaim. Com entrada gratuita.

A Casa da Arquitetura em Matosinhos organiza o Be a Part Of! na sexta-feira e no sábado. O evento dá a conhecer as novas instalações da instituição na Real Vinícola, assim como a programação para os próximos meses. Numa tentativa de envolver a comunidade na vida da Casa da Arquitetura, o convite inclui um concerto da Orquestra Jazz de Matosinhos e visitas guiadas. De entrada livre, mas requer inscrição prévia.

O Rock Nordeste 2016 promete animar Vila Real durante este fim de semana. Muitos nomes da música portuguesa como Noiserv, Linda Martini e Orelha Negra fazem parte do cartaz deste festival. Começa na sexta-feira, a partir das 22h30 e termina no sábado, sempre com o mote de que “o melhor da música portuguesa está a Nordeste”. O Parque Corgo é o ponto de encontro, com entrada livre.

 

Os dias de calor podem ter uma solução, pelo menos em Bragança. OFestival Water Slide estará, a partir das 9h30, na Avenida das Forças Armadas. O evento é conhecido pelo escorrega gigante e pelo refresco que proporciona em centros urbanos a muitas famílias e grupos de amigos. Bilhetes individuais a partir dos cinco euros.

 

fim de semana

No Mosteiro de Alcobaça, a 24ª edição do Festival Cistermúsicaacontece até 31 de julho. O evento é uma parceria entre a Câmara Municipal e a Banda de Alcobaça. Este ano assinala os 400 anos da morte do dramaturgo William Shakespeare com o nome “Admirável Mundo Novo”. No sábado e domingo, a música renascentista, barroca e de câmara será apresentada em dois concertos, um do grupo português Ludovice Ensemble e outro do quarteto alemão Henschel Quartett. Bilhetes entre os 12 e os 18 euros.

Em Aveiro, a música também não fica fora dos dias de descanso. O Teatro Aveirense recebe na sexta-feira o concerto do brasileiro Rodrigo Amarante, que atuará durante esta semana em algumas salas portuguesas. O cantor foi um dos fundadores da banda Los Hermanos e hoje, a música de abertura da série norte-americana “Narcos” é da sua autoria. Os bilhetes custam entre 13 e 15 euros.

Já no Centro Sociocultural da Costa Nova, também na sexta-feira, é a vez da portuguesa Isaura subir a palco. “Serendipity” foi o single que a lançou para o reconhecimento, “Change It” é o seguinte. O espetáculo começa às 19h e está inserido no ciclo de concertos “Cânticos da Sereia”. Os bilhetes custam quatro euros. O preço aumenta para os 12 euros para todo o ciclo.

“Em julho, todos os caminhos vão dar a Águeda!” é uma das frases que a organização para o AgitÁgueda. A 11ª edição começa este sábado, onde para além de um cartaz recheado de artistas como António Zambujo, Dealema e Ana Moura, volta a colorir algumas ruas da cidade com milhares de chapéus de chuvas. Portanto, o melhor é preparar as câmaras fotográficas e os smartphones, porque o projeto “The Umbrella Sky” parece ser, mais uma vez, um dos destaques da edição.

O OCUPAI! — Festival Ibérico de Arte e Ação arranca na quinta-feira em São Pedro do Sul e prolonga-se até sábado. Um dos espaços para o evento é a antiga prisão da cidade, que durante os três dias, vai ser o local da poesia, da música e do teatro. As atividades iniciam-se a meio da tarde e vão até madrugada. A dança contemporânea e o jazz são duas das iniciativas em destaque, assim como o concerto de Old Jerusalem esta quinta-feira.

Em Castelo Branco, na Bienal do Azeite, Sérgio Godinho e Jorge Palma voltam a reunir-se em palco. Na sexta-feira, a partir das 22h, o álbum “Juntos” que reúne músicas dos dois cantores será à partida o repertório apresentado ao público. Depois de passarem pelos coliseus do Porto e de Lisboa e por várias salas de espetáculo do país durante este ano, o percurso continua no verão com muita música e cumplicidade.

No Fundão, o Concurso de Fado “Amália Rodrigues” promete animar a noite de domingo, a partir das 21h30. O serão do fim de semana é dedicado às finais do concurso, já que as primeiras fases vão ocorrer durante a manhã. Os fadistas amadores com mais de 15 anos estão convidados a mostrar o talento. Acontece tudo no Largo da Capela do Calvário.

A sessão de entrega do Prémio Eduardo Lourenço acontece na sexta-feira, a partir das 15h, na Biblioteca Municipal da Guarda. O escritor chileno Luis Sepúlveda é o vencedor da 12ª edição do prémio. História de um cão chamado Leal é o mais recente trabalho e foi um dos destaques da Feira do Livro de Lisboa deste ano. Reveja a entrevista que o escritor deu ao Observador.

 

agenda-cultural-verao-sul

O programa das Festas de Lisboa aproxima-se do fim e o concerto final dos Buraka Som Sistema parece ser o mais indicado para encerrar a euforia dos santos populares na capital. Após 10 anos de trabalho, a banda que levou o kuduro e o som da periferia de Lisboa e África até às massas (e a todo o mundo), vai fazer uma pausa. Os êxitos como “Sound of Kuduro”, “Hangover” e “STOOPID” são algumas das apostas para o repertório apresentado, no concerto da Torre de Belém, a 1 de julho. De entrada livre.

No Cinema São Jorge, em Lisboa, está de regresso o Festival de Cinema Argentino, que começou na quarta-feira e prolonga-se até domingo. A 2ª edição vai contar com a exibição de dez longas-metragens e quatro curtas-metragens. Os temas dos filmes são vários e para todos os gostos: desde o retrato do quotidiano, onde o documentário assume protagonismo, até ao cinema fantástico. A política, a economia e a sociedade são algumas das questões que o evento pretende debater com o público. As sessões realizam-se entre as 14h e as 22h e os bilhetes custam quatro euros.

Já no Cais do Sodré, o Festival Silêncio vai marcar a agenda do fim de semana. Num lugar particularmente conhecido pelo ruído noturno, será a vez de as palavras adquirirem um sentido mais lato e relevante. Desde a música, à arte e não esquecendo, as conversas, o evento pretende celebrar a palavra numa série de atividades no interior e ao ar livre. A edição deste ano conta ainda com uma homenagem à artista plástica Ana Hatherley.

Ainda em Lisboa, e pelas salas da Cinemateca, acontece durante este mês o ciclo Absolutamente Bowie. Oportunidades como esta são raras: ver ou rever os filmes em que David Bowie entrou como ator, para os quais cantou, aqueles que o inspiraram ou que o próprio inspirou. De “Velvet Goldmine a “Feliz Natal Mr Lawrence”, está lá tudo.

São de Lisboa, mas no sábado vão até Serpa para dar um concerto.André Matos e Sara Serpa são uma dupla lisboeta, a trabalhar em Nova Iorque, e juntos vão apresentar Primavera, o álbum de estreia do duo. Os poemas dos heterónimos de Fernando Pessoa e as letras originais compõem o trabalho dos dois intérpretes, que têm reunido consenso entre a crítica e o público. O novo álbum já tem nome, All The Dreams, com data de lançamento prevista para setembro deste ano.

Em Évora, a Feira de São João termina este fim de semana e traz alguns nomes da música nacional até ao Jardim Público da cidade. A banda Terrakota estará no sábado, a partir das 21h, no palco. O reggae e a sonoridade africana são uma garantia para quem assistir ao concerto. Já no domingo, é a rapper Capicua que fecha as hostes deste evento. Para quem gosta de hip hop português, a intérprete de “Vayorken” e “Maria Capaz” assegura a diversidade musical. Com entrada livre.

 

Em Loulé, o Festival MED concentra-se nas mais variadas culturas do mundo e isso incluirá, claro está, a música, a gastronomia e tantas outras atividades. O rapper brasileiro Emicida dá um concerto no “Palco Cerca”, na sexta-feira, a partir da 1h15. No dia seguinte, no “Palco Castelo”, é a vez da cantora moçambicana Selma Uamusse subir a palco. O festival tem cinco palcos e os bilhetes custam entre 12 e 25 euros.

[Os portugueses Marafona fazem parte do cartaz do festival MED]

“Concertos ao Entardecer” é nome de um evento que vai juntar A Jigsaw e The Great Moonshiners Band em Faro, no sábado, a partir das 19h30. As duas bandas vêm de Coimbra e as tradições folk americana e inglesa têm sido o elemento unificador de ambos os grupos, que começaram a colaborar em conjunto desde que A Jigsaw lançou o discoNo True Magic. Os bilhetes custam cinco euros.

A Festa do Cinema Italiano em Almada começou esta quarta-feira e termina no sábado. No Auditório Fernando Lopes Graça vão ser projetados algumas produções de cinema italiano, como “Lo Chiamavano Jeeg Robot” de Gabriele Mainetti.

 

agenda-cultural-verao-ilhas

Os Deolinda não param este verão. Se ainda esta semana deram alguns concertos no Norte do país, no sábado dão um concerto no Teatro Micaelense, em Ponta Delgada. O single “Corzinha de Verão” promete ser um dos êxitos em palco. “Seja Agora”, “Um contra o outro” e “Fado Toninho” podem completar o repertório da noite açoriana. Os bilhetes custam entre os 15 e os 18,5 euros.

Na sexta-feira é feriado no arquipélago da Madeira. O Dia da Madeiravai ser comemorado por toda a região autónoma, a par das cerimónias oficiais como o “Te Deum” na Sé Catedral do Funchal e a deposição de flores no Monumento à Autonomia, simbolizado por uma mulher feita de bronze e betão. Por todo o arquipélago, a tradição dita os piqueniques em família e os eventos locais em várias ilhas.

Efeito Brexit. Vodafone ameaça deixar Londres

A operadora de telecomunicações Vodafone alertou hoje que poderá deixar a sua sede em Londres, dependendo do resultado das negociações sobre a saída do Reino Unido da União Europeia.

Em comunicado, a empresa afirma defender o acesso “ao movimento livre de pessoas, capital e mercadorias” porque estes fatores ajudaram a impulsionar o crescimento da empresa.

A Vodafone, que emprega 13.000 pessoas no Reino Unido, acrescentou ser ainda prematuro chegar a uma “conclusão firme” sobre o lugar definitivo da sua sede, referindo que tudo dependerá das negociações.

No último ano fiscal, 55% do lucro da empresa teve origem nas operações europeias (11% no Reino Unido).

A Vodafone é uma das empresas mais importantes do índice principal da Bolsa de Londres, o FTSE-100, empregando cerca de 108.000 pessoas fora do Reino Unido.

A advertência da Vodafone sobre o futuro da empresa ocorre depois do Reino Unido ter votado a favor da saída da União Europeia.

Para iniciar a separação, o Reino Unido terá que invocar o artigo 50 do Tratado de Lisboa, que estabelece um período de dois anos para iniciar as negociações sobre os termos da nova relação entre as duas partes.

Táxis anteriores a 1996 deixam de circular na Baixa de Lisboa

Os táxis com matrículas anteriores a 1996 vão deixar de circular entre o Marquês de Pombal e o Terreiro do Paço, em Lisboa, a partir de sexta-feira, no âmbito das Zonas de Emissão Reduzida (ZER) impostas pela autarquia.

Em declarações à agência Lusa, o presidente da Federação Portuguesa do Táxi disse que os seus associados vão respeitar essa norma, uma vez que este “é um compromisso que já assumiram com a Câmara de Lisboa”.

“Queremos contribuir um pouco para a melhoria do ambiente na cidade de Lisboa”, afirmou Carlos Ramos.

Segundo este dirigente, a introdução desta norma não será problemática para a maioria dos taxistas da cidade de Lisboa, porque “foi feito um grande investimento na renovação da frota nos últimos dois anos e meio”, que resultou na substituição de cerca de dois mil carros.

Pelas contas do presidente da FPT, dos cerca de três mil táxis existentes em Lisboa, apenas 150 devem ter a matrícula inferior a 1996.

“Tem sido feito um esforço muito grande”, reafirmou o dirigente, acrescentando que “lamenta apenas que não se apliquem as mesmas regras para os tuc-tuc”.

“Por esta altura já devia estar pronto o regulamento definitivo para os tuc-tuc. É importante para penalizar também quem não cumpre com estas exigências e com as do ruído”, frisou.

Por outro lado, o presidente da Associação Nacional dos Transportadores Rodoviários em Automóveis Ligeiros (ANTRAL), Florêncio Almeida, considerou que as ZER “não têm efeitos para os taxistas e para os particulares” porque, segundo o Provedor de Justiça, não foi aprovada de forma legal.

De acordo com uma notícia publicada pelo jornal Sol no dia 19, na sequência de uma queixa apresentada por um cidadão, a Provedoria de Justiça interpelou o presidente da Câmara “acerca da competência do executivo para aprovar normas regulamentares em matéria de restrições ao trânsito de certas categorias de automóveis”, por “parecer tratar-se da reserva de competência da Assembleia Municipal de Lisboa”.

Para Florêncio Almeida, “não há qualquer problema” em circularem naquela zona carros com matrículas inferiores a 1996.

Entretanto, a associação ambientalista ZERO já veio hoje exigir uma “fiscalização séria” nas ZER, recordando que no ano passado a estação de monitorização da qualidade do ar da Avenida da Liberdade “voltou a apresentar resultados para os poluentes partículas inaláveis (PM10) e dióxido de azoto (NO2) acima dos valores-limite previstos na legislação nacional e europeia”.

Afirmando que as ZER são “uma medida relevante na promoção da melhoria da qualidade do ar”, a ZERO defendeu que só terão “o efeito desejado se estiver associada a uma maior informação e fiscalização, devendo esta última iniciativa ser promovida pela PSP e pela Polícia Municipal com frequência suficiente para credibilizar as limitações impostas e, acima de tudo, obter resultados mais expressivos”.

As ZER foram criadas em 2011 numa tentativa de diminuir as emissões poluentes em Lisboa, que ultrapassavam as normas europeias e ameaçavam a aplicação de multas ao país. Desde 15 de janeiro de 2015 que os carros com matrículas anteriores a 2000 passaram a estar proibidos de circular, entre as 07:00 e as 21:00 dos dias úteis, no eixo da Avenida da Liberdade à Baixa (chamada zona 1).

Na altura, os carros com matrículas anteriores a 1996 ficaram impedidos de circular na zona 2 (definida pelos limites da Avenida de Ceuta, Eixo Norte-Sul, Avenidas das Forças Armadas, dos Estados Unidos, Marechal António Spínola, do Santo Condestável e Infante D. Henrique).

São exceção à proibição de circulação nas ZER os veículos de emergência, históricos, de residentes, de polícia, militares, de transporte de presos, blindados de transporte de valores, os carros a gás natural, GPL e os motociclos.

Os táxis tiveram um período de exceção até hoje.

Miguel Relvas perde a licenciatura

A licenciatura tirada na Universidade Lusófona por Miguel Relvas, ex-ministro dos Assuntos Parlamentares de Pedro Passos Coelho entre 2011 e 2013, foi considerada “nula” pelo Tribunal Administrativo de Círculo de Lisboa, avança a TSF.

A sentença, com data de quarta-feira, 29 de junho, refere que foi anulado o despacho de dezembro de 2012, emitido pelo reitor da universidade, Mário Moutinho, que validava a avaliação de Relvas a uma cadeira com uma alteração retroativa feita nesse mês. Contactado pela TSF, o ex-ministro admitiu conhecer a decisão do tribunal, mas adiantou que nem ele nem os seus advogados tinham sido notificados, recusando-se a fazer qualquer outra declaração.

Em abril, o Público já tinha noticiado que o Ministério Público tinha emitido um despacho em que determinava que Mário Moutinho tinha tentado mudar o Regulamento Pedagógico do curso de Ciência Política, que Miguel Relvas frequentou, para poder salvaguardar a licenciatura do ex-ministro. Nesse despacho, citado pelo jornal, era referido que a decisão do reitor “é ilegal e padece de desvio de poder, violando também os princípios da legalidade, da imparcialidade e da igualdade”.

O processo relacionado com a licenciatura de Miguel Relvas entrou no Tribunal Administrativo no verão de 2013, depois de o Ministério Público ter concluído que, das 36 disciplinas necessárias, Miguel Relvas fez apenas quatro. Pelas restantes recebeu equivalências, tendo em conta a “experiência e formação profissionais”.

EMPRESAS