Inicio Autores Posts por Elisabete Teixeira

Elisabete Teixeira

3637 POSTS 0 COMENTÁRIOS

Octapharma entrega medicamentos derivados do fracionamento do plasma português, concretizando o objetivo do programa estratégico nacional

© cleo

A disponibilização ao IPST dos medicamentos resultantes do fracionamento de 30 mil litros de plasma é o culminar de um importante programa nacional, o qual vinha sendo ambicionado há várias décadas pelos vários intervenientes da saúde. A Octapharma foi a empresa adjudicada para o fracionamento do plasma, na sequência de um procedimento de Diálogo Concorrencial.

O fracionamento do plasma e a sua transformação em medicamentos vem possibilitar melhores cuidados de saúde que se traduzem numa melhor qualidade de vida dos doentes que deles beneficiam. Concomitantemente, permitirá ao Estado português conseguir uma significativa poupança de aproximadamente 4 milhões de euros. Com a aquisição destes medicamentos o Estado pagaria mais de 8 milhões de euros, dado que o plasma que resultava das dádivas dos dadores de sangue era desaproveitado e a sua destruição implicava custos adicionais.  A utilização do plasma português permite, agora, abastecer o país com uma quantidade significativa de medicamentos derivados do plasma, embora ainda insuficiente para o objetivo da autossuficiência.

“A Octapharma orgulha-se de ter sido a entidade adjudicada para o desenvolvimento deste programa pioneiro, tendo sido a empresa selecionada por apresentar a melhor proposta para os critérios definidos neste procedimento que concretiza parte de um exigente programa nacional. Este acontecimento vem reforçar as décadas de experiência e rigor científico que a Octapharma tem na inativação e fracionamento de plasma, que faz da empresa líder nesta área”, diz Eduardo Marques, Diretor Geral e Gerente da Octapharma em Portugal.

Os medicamentos hemoderivados são obtidos a partir da sujeição do plasma (enquanto matéria-prima) a um processo industrial de fracionamento durante o qual são purificadas determinadas proteínas, ou conjuntos de proteínas plasmáticas, que irão constituir os diferentes medicamentos derivados do plasma disponíveis para administração aos doentes.

Os medicamentos derivados do plasma humano tratam uma grande variedade de doenças congénitas e adquiridas e, em muitos casos, salvam o doente em risco de vida. A Hemofilia e outras doenças da coagulação, imunodeficiências primárias e secundárias, doenças oncológicas, doenças autoimunes, doenças neurológicas, doentes queimados ou doentes em estado crítico, são algumas das áreas médicas que beneficiam destes medicamentos.

“O nosso objetivo é continuar o trabalho de desenvolvimento científico dos nossos produtos farmacêuticos com rigor e responsabilidade para dar resposta às necessidades existentes e possibilitar, aos vários Estados, os melhores cuidados de saúde, que se traduzem numa melhor qualidade de vida para os seus doentes”, reforça Eduardo Marques. Para o Diretor Geral da Octapharma em Portugal, “não fazia sentido que Portugal continuasse a não aproveitar o plasma nacional, pelo que a concretização deste programa traz uma grande satisfação a todos os que participaram neste projeto”.

Sobre a Octapharma

A Octapharma é uma empresa especializada na pesquisa, desenvolvimento, fabrico e comercialização de proteínas humanas. A sua história começou com a evolução dos processos de fracionamento de plasma humano, sendo atualmente um dos principais fracionadores de plasma a nível mundial.

A atividade da Octapharma está centrada em duas áreas: produção e disponibilização de proteínas humanas e a participação em projetos de autossuficiência de derivados do plasma (inativação e fracionamento do plasma humano), estando presente em Portugal desde 1992. Para mais informações, visite  http://www.octapharma.pt/pt.html

Portugueses aderem cada vez mais às entregas de refeições ao domicílio

© RÁDIO REGIONAL

Segundo o Nielsen Connected Commerce Report 2018, os portugueses com acesso à internet compraram online especialmente viagens, produtos de moda, bilhetes para eventos, produtos de papelaria e produtos tecnológicos. No entanto, o dinamismo é claro no que diz respeito à compra de refeições para entrega ao domicílio, tendo este consumo aumentado 9% em relação a 2017.

“Num cenário de crescente confiança e de recuperação do consumo, a Nielsen tem vindo a observar uma maior procura por soluções que ofereçam uma maior qualidade de vida e mais tempo para atividades de lazer. Com efeito, também no e-commerce verificamos esta tendência, com as soluções de conveniência (como a entrega de refeições) e de lazer (como as viagens) a crescerem de uma forma muito notória”, comenta Mafalda Silva Ferreira, Client Development Senior da Nielsen.

No que diz respeito à compra online de produtos de mercearia embalada e frescos, a Nielsen registou aumentos de 3% e 2%, respetivamente, e as oportunidades de crescimento são evidentes. Este relatório revela que os consumidores estão mais disponíveis para a compra online de produtos de mercearia quando lhes são oferecidas determinadas opções de compra e garantias de qualidade. Questionados sobre quais as ações que os encorajariam a comprar este tipo de artigos através da internet, os portugueses demonstraram especial interesse na possibilidade de devolução caso os produtos não cumpram o pretendido (51%), na substituição de artigos no próprio dia (42%) e no serviço de entrega gratuita (42%).

Enquanto no passado o comércio eletrónico se focava essencialmente em produtos não perecíveis como viagens, moda e livros, temos assistido nos últimos tempos a um crescimento de compras online noutras categorias. Para Mafalda Silva Ferreira, “a oportunidade do e-commerce em Portugal existe e é real também para os Bens de Grande Consumo. O desafio para marcas e retalhistas é exatamente ir ao encontro das necessidades e missões de compra do shopper, desenvolvendo uma oferta específica para a compra online, com base na segurança, no sortido, na conveniência e na simplicidade”.

____________________________

 Sobre o estudo Connected Commerce Report 2018

O Nielsen Connected Commerce Report 2018 analisa o comportamento do consumidor global conectado, o seu comportamento de compra e a evolução das diferentes categorias, apontando perspetivas futuras de crescimento. Este relatório identifica ainda as categorias mais procuradas e com maiores crescimentos, assim como as expetativas dos consumidores no que se refere à sua experiência online. Os insights irão ajudar as empresas de Bens de Grande Consumo a formular estratégias para melhorar as experiências de compra dos consumidores no mundo digital. 

Sobre a Nielsen

A Nielsen Holdings plc (NYSE: NLSN) é uma empresa global de gestão de medição e análise de dados, que proporciona a mais completa e confiável visão sobre os mercados e os consumidores em todo o mundo. A Nielsen reúne os seus próprios dados com dados de outras fontes, de forma a ajudar os seus clientes em todo o mundo a compreender o que está a acontecer no presente e o que irá acontecer no futuro e qual a melhor forma de utilizar esse conhecimento. Há mais de 90 anos, a Nielsen oferece dados e análises inovadoras e com grande rigor científico, e continua a desenvolver continuadamente novas formas para dar resposta às mais importantes questões que as indústrias de media, publicidade, retalho e Bens de Grande Gonsumo enfrentam atualmente. A Nielsen, empresa cotada na Standard & Poors 500, está presente em mais de 100 países, representando mais de 90 por cento da população mundial. Para mais informações, visite www.nielsen.com.

Canon apresenta a nova PIXMA TS705, a mais pequena impressora de cinco tinteiros

A Canon Europa anuncia hoje a sua nova impressora de cinco tinteiros, a mais pequena da linha PIXMA. A Canon PIXMA TS705, ideal para casa ou para um pequeno escritório, tem capacidade até 350 folhas através de um alimentador de papel duplo, um conjunto de opções de conectividade (inclui a integração da Amazon Alexa[1] e da Google Home[2]) e compatibilidade com uma vasta gama de papel e aplicações criativas para uma personalização sem limites. 

Para os que estão a aderir às mais recentes inovações inteligentes para casa, a Canon PIXMA TS705 é compatível com os dispositivos[3] conectados da Amazon Alexa e do Google Home de forma a integrar-se facilmente no quotidiano dos utilizadores e na sua casa conectada. Quando solicitados, o Assistente Alexa e Google irão instruir a Canon PIXMA TS705 para imprimir um conjunto selecionado de páginas coloridas para crianças, puzzles sudoku ou uma listagem de apoio e modelos de relatório. As tecnologias conectadas também fornecerão avisos sonoros indicativos do estado e dos níveis de tinta da Canon PIXMA TS705. 

Com tamanho compacto, até 18% mais pequena do que a anterior PIXMA iP7250, a Canon PIXMA TS705 impressiona positivamente, com características que incluem controlo de voz, conectividade e tinteiros económicos. A Canon PIXMA TS705 com capacidade para 350 folhas é perfeita para pequenas empresas que requerem impressão em série contínua de papel normal. Com um alimentador de papel de dois modos para uma produtividade máxima, o alimentador de papel na parte de trás da Canon PIXMA TS705 consegue operar todo o tipo de papel, incluindo mate e de brilho, bem como todos os tamanhos desde 3.5 x 3.5 polegadas até A4. A operação mantém-se simples com um ecrã LCD de matriz de pontos completa.

A Canon PIXMA TS705 imprime com 5 tinteiros individuais, oferecendo um texto nítido, documentos com elevada qualidade bem como fotografias vibrantes e um conjunto de conteúdo criativo. Além disso, os tinteiros opcionais XL e XXL permitem aos utilizadores imprimir mais por menos, e 5 tinteiros individuais significam que apenas a tinta que imprime necessita de ser substituída.

A aplicação Canon PRINT compatível com iOS e Android permite aos utilizadores imprimir diretamente a partir de um dispositivo inteligente, com Wi-Fi. A característica de cópia da aplicação do telemóvel permite aos utilizadores copiar facilmente e imprimir ao tirar uma fotografia do documento e convertê-la num PDF. Com a compatibilidade Ethernet, os utilizadores da Canon PIXMA TS705 irão aproveitar os benefícios de segurança e de conexões de alta velocidade.

O acesso ao PIXMA Cloud Link simplifica tudo, ao permitir aos utilizadores a impressão de documentos e fotografias de serviços cloud pública como o Facebook, Instagram, GoogleDrive, DropBox e outros, assegurando que os funcionários administrativos com muito trabalho possam sempre aceder e imprimir documentos importantes remotamente. A Canon PIXMA TS705 é também compatível com AirPrint (iOS), Mopria (Android) e Windows 10 Mobile para imprimir sem ser necessária qualquer aplicação adicional.

As pequenas empresas que procuram eficiência e as famílias ambientalmente conscientes não necessitam de procurar mais do que a Canon PIXMA TS705. A função de On/Off automática pode alinhar-se com as horas de expediente de um negócio ou com as rotinas familiares, para assegurar que está sempre pronta para utilizar enquanto economiza no consumo de energia. A impressão frente e verso também reduz a utilização de papel.

O Easy-PhotoPrint Editor da Canon para PC ou dispositivos inteligentes oferece oportunidades infinitas para desfrutar de impressões personalizadas, incluindo calendários, colagens e autocolantes. Estes podem ser impressos numa vasta gama de suportes, incluindo magnéticos, adesivos e papel fotográfico quadrado de 3.5 x 3.5 polegadas. Além disso, a aplicação Nail Sticker Creator da Canon tem mais de 200 modelos para imprimir adesivos personalizados para as unhas com a Canon PIXMA TS705.

Ao utilizar a Canon PIXMA TS705 e a tinta original da Canon irá ganhar pontos de utilizador com o programa de fidelização Print Rewards, que podem ser trocados por produtos, presentes engraçados e serviços digitais. Os avisos do Easy Ink Delivery asseguram também que os pedidos de tinta nunca são esquecidos com uma notificação de e-mail quando a tinta está a acabar.

Oferecendo uma vasta gama de características surpreendentes para o seu tamanho, a mais pequena impressora de 5 tinteiros da Canon é a opção perfeita para necessidades de impressão familiares ou para um novo negócio que procura erguer-se e desenvolver-se rapidamente a um preço acessível.

A Canon PIXMA TS705 estará disponível a partir de Fevereiro de 2019.

Para mais informações, visite: https://www.canon-europe.com/printers/pixma-ts705/

Principais benefícios

  • Impressões de fotografia de qualidade e documentos nítidos com 5 tinteiros individuais
  • Rede sem fios inteligente e ligação à cloud
  • LCD de matriz de pontos completa
  • Alimentador de papel de dois modos e impressão frente e verso automático
  • Capacidade de 350 folhas
  • Design inteligente e compacto
  • Impressão de adesivo para unhas e discos.

O que está na caixa:

  • Canon PIXMA TS705
  • Depósitos de tinta configurados
  • Cabo de alimentação
  • Instalação CD-ROM
  • Manuais e outros documentos

[1] Amazon e Alexa são marcas registadas da Amazon.com, Inc. ou os seus parceiros

[2] Google e Google Home são marcas registadas da Google LLC

[3] Está disponível apenas o suporte de idioma inglês e japonês na capacidade de loja no Reino Unido. O suporte de idioma pode variar nas outras lojas

Em dia de Reis, Zomato adoça a mesa dos mais carenciados

Para assinalar a data de Dia de Reis, as equipas da Zomato do Porto e Lisboa vão entregar, nos dias 7 e 8 de janeiro, mais de 70 bolos-rei a comunidades carenciadas de vários espectros: Sem-abrigos, mães, bebés e jovens em risco e imigrantes.

A ação solidária conta, até à data, com 9 pastelarias envolvidas e irá ajudar 5 Instituições de Cariz Social: Ajuda de Mãe, Comunidade Vida e Paz e CEPAC, em Lisboa, Coração da Cidade e o Lar Luísa Canavarro, no Porto.

Serão os membros da equipa Zomato, tanto em Lisboa como no Porto, que farão a recolha dos bolos-rei pessoalmente em várias pastelarias de ambas as cidades para, depois, entregaram em mão a várias instituições e associações solidárias.

Esta Ação conta com a imprescindível ajuda da Confeitaria Nacional, Pastelaria Batalha, Pastelaria Marianita, Rice Me, Choupana Caffé, Sam Croissants, Confeitaria da Moura, Tavi e Doce Alto, para adoçar os primeiros dias do ano a quem mais precisa.

A missão da Zomato é garantir que ninguém tem uma má refeição. Assim, esta ação dá a oportunidade aos estabelecimentos de restauração de contribuir para a felicidade e para uma refeição com mais amor destas pessoas que não têm a possibilidade de aceder a uma refeição familiar festiva, mantendo viva a tradição da pastelaria característica desta época.

Zomato,

Porque Partilhar é a melhor forma de Celebrar

Sobre a Zomato

A Zomato é uma app de descoberta de restaurantes, que disponibiliza informação sobre mais de um milhão de restaurantes em 23 países.

O conteúdo detalhado e atualizado da Zomato inclui os menus dos restaurantes, fotos tiradas pelas equipas que percorrem as ruas nas várias cidades onde está presente, coordenadas e outras informações; os utilizadores podem avaliar e dar opinião sobre os restaurantes, bem como criar a sua própria rede de foodies com recomendações personalizadas.

Em Portugal, a plataforma conta com 1,9 milhões de visitas por mês, sendo a plataforma descoberta de restaurantes mais completa para quem procura opções para comer fora, entregas ao domicílio, serviço de take-away ou sair à noite. A plataforma está disponível nas versões web (www.zomato.com) e mobile (iOS, Android e Windows Phone).

The Bi Life é a primeira estreia do E! em 2019

The Bi Life, a mais recente novidade do Canal E!, tem estreia marcada para o próximo dia 4 de janeiro, às 21h. É a primeira série exclusivamente dedicada a encontros bissexuais (bissexuais, pansexuais, fluidos, etc.) e é apresenta do Shane Jenek (também conhecido como Courtney Act).

O reality show segue dez solteiros britânicos numa aventura internacional em busca do amor. Em cada episódio, os participantes descobrem a cidade de Barcelona e têm encontros bissexuais – e para alguns deles, esta é mesmo a primeira experiência em que exploram quem verdadeiramente são. De volta a casa, um dos encontros é visualizado em conjunto, de forma a poderem comentar o que correu melhor e pior e trocarem, entre todos, dicas e conselhos. Ao contrário do que acontece na maioria dos reality shows, The Bi Life não tem um vencedor ou prémio final, o objetivo é mesmo explorar as histórias de amor que se desenrolarem.

O apresentador do programa é Shane Jenek, também conhecido como Courtney Act, que comenta a importância de existir um programa neste formato, que quer quebrar todos os estereótipos: “Há tantos preconceitos e ideias erradas sobre pessoas bissexuais; uma delas é que os bissexuais se sentem atraídos 50/50 por homens e mulheres, e isso não é de todo verdade.”

Ros Coward, Executive Producer, também afirma: “Este é um programa de televisão que melhor reflete a diversidade dentro da sociedade. The Bi Life é um programa de encontros moderno para uma geração moderna de daters e o E! é o local perfeito para isso.” 

CONHEÇA O APRESENTADOR

Courtney Act – Rapaz, rapariga. Artista, porta-voz. Courtney Act é mais do que a soma das suas partes. Cantora e drag queen, concorrente no Australian Idol e no RuPaul’s Drag Race e vencedora da edição de 2018 do Celebrity Big Brother no Reino Unido, Courtney procura trazer à atenção do público diversas questões de género e sexualidade que são agora mais pertinentes do que nunca.

CONHEÇA OS PARTICIPANTES

Carmen Clarke (21, Manchester) – Carmen é modelo, define-se como bissexual e sente que o mundo em que trabalha a julga pela sua sexualidade. Está mais interessada em descobrir quem é, do que em se apaixonar, mas procura, ainda assim, alguém que a faça rir todos os dias e a faça ver o mundo de forma mais positiva.

Daisie Thilwind (26, Manchester) – Daisie é oficial de prevenção de fraudes e tem muito orgulho da sua bissexualidade. Solteira há cinco anos, decidiu entrar na série para esquecer as desilusões amorosas do passado – agora procura alguém com dentes perfeitos e um sentido de humor que iguale o seu.

Irene Ellis (23, Londres) – Irene é fotógrafa e assume-se como nerd. Chega ao reality show com o objetivo de aumentar a sua confiança nos relacionamentos. Quer, também, voltar a sentir-se verdadeiramente bissexual, uma vez que nos últimos tempos tem estado com mais homens do que mulheres.

Kyle McGovern (23, South Wales) – Estudante de Neurociência Cognitiva e tutor de crianças com necessidades especiais. Kyle assumiu a sua bissexualidade há um ano e quer explorar quem é, com pessoas que pensem da mesma forma e que não vivam na sua pequena cidade. Procura pessoas com interesse em manter um físico saudável e voltadas para a família.

Leonnie Cavill (27, Manchester) – Promotora de uma discoteca, recém-chegada de uma temporada em Ibiza, Leonnie gosta de viver sempre em festa e não tem uma relação séria há 7 anos. Agora que vê todos os amigos a “assentar”, pensa em fazer o mesmo – mas procura alguém que partilhe a sua vida agitada, seja rapaz ou rapariga.

Mariella Amodeo (33, Londres) – Maquilhadora, é filha de pai italiano e mãe caribenha e viveu em Itália até aos 14 anos. Descrevendo-se como apaixonada, divertida e carinhosa, procura alguém sério que queira começar uma família, e não desistirá até conseguir o seu final de conto de fadas!

Matt Brindley (27, Chester) – Matt é agente de influenciadores e tem muito orgulho no seu físico cuidado. Dizendo-se “pronto para tudo”, não dá ouvidos a quem fala sobre a sua sexualidade. Procura alguém confiante, extrovertido, aventureiro e que goste de socializar.

Michael Gunning (24, Manchester) – Michael é nadador e faz parte da equipa nacional da Jamaica; quer representar o país nos Jogos Olímpicos de 2020. Até agora, nunca teve um relacionamento, devido ao seu compromisso com a natação. Com medo de que lhe partam o coração, diz que entrar neste programa é a última coisa que pensava fazer e que foi por isso mesmo que aceitou.

Ryan Cleary (27, Londres) – Influenciador de fitness, Ryan já esteve em vários relacionamentos, tanto com homens como mulheres. Diz que os homens são mais leais e carinhosos, enquanto as mulheres são mais selvagens. Confiante e charmoso, procura alguém que queira partilhar a sua vida caótica e divertida.

Sol, praia, o ambiente descontraído de Barcelona e dez solteiros bissexuais em busca do amor: são estas as promessas que The Bi Life vai trazer às noites frias de inverno, que ainda estão para vir – não perca a estreia, dia 4 de janeiro às 21h00, em exclusivo no E!

Toda a informação sobre esta série está disponível na página de Facebook e do Instagram do canal.

O Canal E! pode ser visto em:

MEO: E! HD: Posição 101 // E!: Posição102

NOS: E! Posição 56 // E! HD Posição 82

NOWO: E! HD: Posição 396 // E!: Posição 96

VODAFONE TV: E! HD: Canal 142 // E! Canal 143

Sobre Universal Networks International

A Universal Networks International, divisão global de canais da NBC Universal, é um dos maiores distribuidores mundiais de entretenimento, marcando presença com conteúdos atrativos e de qualidade em 176 países da Europa, Médio Oriente, África, América Latina, Ásia e Pacífico. Do seu leque de canais fazem parte os canais Universal Channel, Syfy, Calle 13 Universal, Studio Universal, E! Entertainment Television, The Style Network, DIVA Universal e Golf Channel. Estes canais únicos proporcionam várias hipóteses de entretenimento a diferentes públicos, independentemente da sua localização. A Universal Networks International também detém o canal Movies 24 e tem uma participação maioritária na parceria que gere o canal Kidsco.

A Universal Networks International faz parte da NBC Universal, uma das empresas mundiais líder em produção, desenvolvimento e comercialização de entretenimento, notícias e informação. A Comcast Corporation é a proprietária da NBC Universal, detendo a maioria das ações (51%), enquanto a General Electric conta com os restantes 49%.

Drones para que vos quero

Rui Ribeiro Project Manager na ASDT-SEN&DES

Os drones civis e é sobre estes que nos debruçamos, porque quanto ao seu uso militar são outros segredos, estes surgem no mercado a preços relativamente acessíveis, o que significa que estão disponíveis a qualquer cidadão. Os apelos constantes ao seu uso consciente e se somarmos a recente publicação do Decreto-Lei 58/2018 este, pioneiro no seu âmbito, o Legislador finalmente despertou para a necessidade de regrar o uso destes dispositivos. Mas ainda há muito que pensar e discutir sobre estas matérias antes de legislar, mas essa abordagem deixamo-la para uma outra oportunidade.

O recente “ataque dos drones” ao aeroporto de Gatwick veio evidenciar mais uma vez o perigo e os riscos que decorrem do seu uso malicioso, mas também um “murro no estomago” dos fabricantes pela imagem negativa que este triste episódio causou ao sector. As consequências, relembro, obrigaram a uma paralisação dos voos perto de 36 horas e pergunta-se, quanto custou esta “brincadeira”? Estes casos repetem-se quase diariamente por todo o mundo em diferentes escalas, mas Gatwick tornou-se o mais mediático pelas suas repercussões inéditas, pelo menos até ao momento. Então como podem as entidades gestoras aeroportuárias (e não só!) proteger-se?

Existem hoje tecnologias capazes de criar verdadeiros escudos defensivos, detectando e/ou anulando os voos de drones. Este tipo de tecnologia é usada em contexto militar mas que, devido ao crescente fabrico e o uso exponencial de drones comerciais, a sua utilização em contexto não militar tornou-se já uma necessidade premente. Gatwick é só um dos exemplos. Mas crescem os casos do seu uso malicioso por todo o mundo, casos em que drones são usados para transportar droga e armas para o interior de prisões, usados para fazer espionagem, escutar, filmar e gravar conversas de uma reunião importante e sigilosa num 20.º andar, vigiar e participar em assaltos, voyeurismo, violação de privacidade, detectar redes wifi e introduzir software malicioso e os mais graves, usados para transporte de material explosivo para ataques terroristas. Não se trata de ficção, isto é uma realidade já muito presente e há que criar medidas de protecção.

 

Os modelos de segurança desenhados e implementados actualmente em muitas infra-estruturas não detectaram uma vulnerabilidade? O que pode chegar vindo do céu. E os drones, se usados de modo malicioso, exploram essa vulnerabilidade. Os nossos vizinhos espanhóis há muito que pensaram nisso e implementaram medidas de protecção ao criarem no seio das forças de segurança unidades especiais antidrone (ver imagem). Mas em Espanha já são muitas as operações de segurança em que se usa tecnologia antidrone (ver imagem). Em Barcelona, para se ter dados objectivos e pensar como implementar medidas de protecção, procedeu-se a uma análise de voos de drones na cidade e no espaço de uma semana foram detectados mais de duzentos voos (ver imagem).

O futuro é hoje! E nos que diz respeito ao uso indevido de drones, as diferentes organizações portuguesas, sejam elas públicas ou privadas devem pensar em rever os seus modelos de segurança implementado tecnologia que proteja 24/7, considerando que há males que vêm do céu e aconselha-se a serem pró-activas qb antes que este lhes caia em cima.

Marionetas de Alcobaça estreiam ópera e levam bonecos a sete países

© Facebook / SA Marionetas

“Um ano de grandes viagens e aventuras” é como a S.A. Marionetas – Teatro & Bonecos define 2018, ao longo do qual a companhia de Alcobaça realizou “uma estreia e 103 apresentações”, em “sete países e 35 localidades”.

Do balanço do ano, revelado hoje, o diretor artístico, José Gil, destaca “a estreia de ‘As guerras do Arlequim e Manjerona'”, uma ópera barroca que a companhia foi convidada a realizar, pelo Festival Cistermúsica e pela Artemrede.

A obra, da autoria de António José Da Silva, “que só escrevia para marionetas”, e do compositor António Teixeira, composta para o setecentista Teatro do Bairro Alto, foi, para José Gil, “a grande produção de 2018”, com a S.A. Marionetas a “ensinar os atores e cantores a manipular” os seus ‘bonecos’.

Completamente realizada por portugueses a ópera (a segunda da mesma dupla de autores, encenada pela companhia, depois de ‘As variedades de Proteu’) foi a maior produção da companhia que, em 2018, “a par desta aventura”, participou em vários festivais pelo mundo apresentado as suas produções na Polónia, Rússia, Suécia, Turquia, Tailândia e Espanha.

Em Portugal, os bonecos de Alcobaça subiram ao palco em “35 localidades de norte a sul”, divulgou a companhia, salientando as participações “no festival Eixos, em Santa Maria da Feira, nas comemorações do 25 de Abril, na Residência Oficial do primeiro-ministro, em Lisboa, na Feira Afonsina, em Guimarães, e em Ponta Delgada, nos Açores, no Prenda, entre outros”.

À Lusa, José Gil destacou igualmente a apresentação do espetáculo ‘Lúmen uma história de amor’, em Faro, no festival FOME organizado pela ACTA – A Companhia de Teatro do Algarve.

O espetáculo contou “com a participação da população local que foi incansável na colaboração e preparação desta grande produção”, que envolveu “entre 60 a 70 pessoas da localidade” e que, no final, foi visto por “mais de sete mil espetadores que assistiram a esta história de amor”, afirmou o diretor artístico.

O ano da companhia ficou ainda marcado pela organização do 21.º festival ‘Marionetas na Cidade’ que, durante quatro dias, reuniu em Alcobaça 11 companhias de cinco países.

Em 2019, a companhia tem por objetivo “reforçar a internacionalização” (cujo recorde foi batido em 2015 com representações em dez países), com a presença em mais festivais e países do mundo, e prevê apresentar em março a primeira de duas estreias preparadas para subir aos palcos no próximo ano.

A companhia, fundada em 1997, conta no palmarés com prémios como ‘Melhor produção nacional de videoclips’ (2001), Troféu Afonso Lopes Vieira – (2006), Louvor da Câmara de Alcobaça pela exposição ’12 anos a trabalhar para o boneco’ (2009), ‘Preservação e continuidade do teatro de marionetas europeu’ (Praga, 2010), o prémio do 21.º UNIMA – Congresso e Festival de Marionetas (China, 2012), ‘Alcoa d’Ouro’ (2013), ‘Melhor espetáculo tradicional de marionetas de rua’, no Wayang World Puppet Carnival (Indonésia, 2013), e ‘Best Traditional Show’ no Harmony World Puppet Carnival (Tailândia, 2014).

Em 2016, a companhia foi distinguida na China com o prémio ‘Artistic Innovation Award’ – 5th Golden Magnolia Shanghai International Puppet Festival – e, em 2017, recebeu dois prémios no Cazaquistão (melhor diretor e melhor manipulação) e um prémio na Ucrânia pela preservação da tradição do teatro de marionetas.

LUSA

Música nas ruas e viagem em balão de ar quente levam Cerveira até 2019

© Reuters

Em comunicado enviado hoje à agência Lusa, o município de Cerveira adiantou que os passeios de balão de ar quente, inicialmente previstos para o período de Natal, mas adiados para domingo devido às condições climatéricas, vão decorrer entre as 10:00 e 12:00 e 14:00 e 16:00, são dia 30.

O passeio será feito “em voo cativo, amarrado com cordas”, e se as condições meteorológicas o permitirem, tendo o balão uma ocupação para entre cinco a sete pessoas.

Aquela atividade, que se realiza pela primeira vez, e que terá um “custo simbólico”, permitirá observar o centro histórico da Vila das Artes”.

Na noite de passagem de ano, a partir das 22:30, a animação preparada pela autarquia do distrito de Viana do Castelo, de entrada livre, irá distribuir-se por vários espaços.

Designado de “Noite Velha no Castelo”, o programa municipal começa no terreiro da vila com a atuação da Orquestra Costa Rica e continua, a partir das 00:15 e até às 07:00, no interior do Castelo de Vila Nova de Cerveira, com a participação de 12 DJ’s, distribuídos por três espaços.

Para a entrada em 2019, que contará com um espetáculo de fogo de artifício, a Câmara Municipal oferece uvas passas e champanhe.

LUSA

Negociações na próxima semana, mas já há paralisações agendadas

© MadreMedia / Lusa

Os presidentes da Associação Sindical Portuguesa dos Enfermeiros (ASPE) e do Sindicato Democrático dos Enfermeiros de Portugal (Sindepor) adiantaram à agência Lusa que haverá uma reunião negocial no dia 3 de janeiro à tarde.

Carlos Ramalho, presidente do Sindepor, salienta que o Sindicato “pretende dialogar e negociar”, esperando que o mesmo se passe do lado do Governo.

Ainda assim, o Sindepor tem já emitido um pré-aviso para uma greve geral de enfermeiros, em todos os serviços e em todas as instituições públicas, de 8 a 11 de janeiro.

Contudo, Carlos Ramalho frisa que o objetivo “é negociar, dialogar e chegar a um entendimento”.

Pelo lado da ASPE, há dois pré-avisos de greve emitidos. Um de 7 a 20 de janeiro e outro de 14 a 28 de janeiro.

No caso da ASPE, segundo explicou à agência Lusa a presidente Lúcia Leite, a ideia é replicar o modelo de greve em blocos operatórios como a que está a decorre até ao final de ano e que já dura mais de um mês.

Nesta segunda fase de greve, a paralisação poderá afetar blocos cirúrgicos de sete centros hospitalares: os dois centros do Porto, Braga, Vila Nova de Gaia/Espinho, Entre Douro e Vouga, Tondela/Viseu e Garcia de Orta.

Os enfermeiros reivindicam uma carreira, que contempla a categoria de enfermeiro especialista, além de exigirem uma redução na idade da reforma.

A atual greve em blocos operatórios, que decorre desde dia 22 de novembro, teve origem num movimento de enfermeiros que lançou uma recolha de dinheiro para ajudar a financiar os colegas durante a paralisação.

Para a greve atual foram angariados mais de 360 mil euros. Atualmente decorre outra recolha de fundos através de uma plataforma na Internet que pretende angariar mais de 400 mil euros até ao dia 14 de janeiro e que até hoje ao início da tarde tinha recolhido 98 mil euros.

LUSA

Síria: Retirada das tropas deverá levar a intervenção militar da Turquia

© Reuters

Em declarações à agência Lusa, o especialista em questões de segurança e estratégia pensa que, face ao vazio deixado pelos Estados Unidos, o cenário mais provável e o pior é o da intervenção militar da Turquia no nordeste da Síria.

As milícias curdas Unidades de Proteção Popular (YPG), parte essencial da coligação das Forças Democráticas Sírias (FDS) apoiada pela coligação internacional, são consideradas terroristas por Ancara pelas ligações ao Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), proibido na Turquia, e o presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, tem vindo a ameaçá-las.

Álvaro Vasconcelos pensa que aquele é o cenário mais provável por considerar que “é o que os turcos sempre quiseram fazer”, impedir “uma área curda na Síria com um grande grau de autonomia política” que temem poder ser “um apoio para os movimentos independentistas separatistas curdos da Turquia”.

Se Ancara não intervier, as forças do presidente sírio, Bashar al-Assad, e dos seus aliados (Rússia e Irão) provavelmente fá-lo-ão, disse, assinalando que o nordeste “continua a não estar sob controlo do Governo” de Damasco, sendo “o que resta da resistência síria”.

Em qualquer dos casos, a zona autónoma que os curdos instauraram no norte da Síria está ameaçada e perspetiva-se, “de novo, um conflito com uma dimensão de tragédia humanitária grande e que levará de novo a mais refugiados, a mais mortos e a mais deslocados internos”, adiantou.

Desencadeada em 2011, a guerra na Síria já causou mais de 360.000 mortos e obrigou milhões a abandonarem as suas casas.

O presidente norte-americano, Donald Trump, anunciou há uma semana a retirada dos cerca de 2.000 militares destacados na Síria, levando à demissão do seu secretário da Defesa, Jim Mattis, e suscitando preocupação entre os aliados europeus.

Trump alega que os ‘jihadistas’ do Estado Islâmico foram praticamente vencidos, deixando de haver razão para os militares norte-americanos continuarem na Síria.

O grande inimigo do grupo extremista tem sido os combatentes curdos, que conseguiram reconquistar ao Estado Islâmico grande parte do território que ocupavam no norte da Síria, contando com a ajuda da coligação internacional conduzida pelos Estados Unidos.

Álvaro Vasconcelos prevê “um novo fôlego” para o que resta do Estado Islâmico em ambos os cenários que indicou, ou seja, que o grupo ‘jihadista’ aproveite “para se tentar consolidar” perante as dificuldades dos curdos.

França, que integra a coligação internacional anti-‘jihadista’, foi um dos países que lamentou a decisão dos Estados Unidos de retirarem as suas forças do combate ao Estado Islâmico na Síria. “Um aliado deve ser fiável e coordenar-se com os outros aliados”, disse o presidente Emmanuel Macron.

Segundo Erdogan, Washington decidiu retirar as tropas depois de Ancara ter garantido que poderia erradicar o que resta do Estado Islâmico e Trump falou com o homólogo turco para que a saída dos militares da Síria fosse feita de forma “lenta e altamente coordenada”.

Antigo diretor do Instituto de Estudos de Segurança da União Europeia, Álvaro Vasconcelos assinalou que a Europa é onde “as repercussões do conflito sírio fora da Síria têm sido mais terríveis, para além do Iraque”, lembrando os “ataques do ‘Daesh’ (acrónimo árabe do Estado Islâmico) em cidades europeias”.

“Os europeus são os primeiros interessados na estabilidade da Síria, numa Síria democrática, numa Síria pacífica, mas não têm mostrado capacidade para o fazerem, têm estado ausentes praticamente”, afirmou.

Álvaro Vasconcelos considera que os europeus “têm uma capacidade militar para substituírem de certa forma a presença americana” na Síria, mas duvida se “terão capacidade política” se “estarão em condições de se unirem e de aceitarem participar num conflito que é fundamental para a Europa”.

Um cenário “altamente improvável, mas desejável perante o caos do alargar do conflito” seria uma intervenção da comunidade internacional, nomeadamente dos europeus, para apoiar os curdos, disse.

“Vamos pensar que haveria um acordo das Nações Unidas, um cenário altamente improvável, que os próprios americanos aceitariam para não terem ali um desaire tremendo com a sua retirada. (…) nessa altura considerar-se-ia uma região mais democrática e mais pacífica no nordeste. (…) O ‘Daesh’ terminaria por ser varrido dessa região da Síria e o governo do Assad não triunfaria no conjunto da Síria e seria obrigado a determinada altura a uma negociação e a encontrar uma saída pacífica para o conflito”, precisou.

Este é um cenário “um pouco utópico”, reconheceu Álvaro Vasconcelos, mas considerando a época, estarmos quase no princípio de um novo ano quando “sonhar faz sentido”, foi ainda mais longe: “Quem sabe se 2019 não nos vai dar uma boa surpresa que era a União Europeia acordar, dizer que chegou a hora”.

Tal significaria a Europa assumir-se “como um ator político internacional de primeiro plano”, unir-se e pôr “as suas capacidades militares significativas ao serviço de uma política clara na região” intervindo “militarmente na Síria”.

LUSA

EMPRESAS