Inicio Autores Posts por Ricardo Andrade

Ricardo Andrade

1249 POSTS 0 COMENTÁRIOS

Roche lança edição de 2016 das “bolsas de cidadania”

A Roche Portugal lança hoje a segunda edição do programa de bolsas de financiamento para projetos de cidadania, no valor de 45 mil euros. Estas bolsas pretendem viabilizar as melhores iniciativas desenvolvidas por Associações de Doentes ou outras Organizações Não Governamentais (ONG) que promovam a saúde junto de doentes e da população em geral. As candidaturas à edição de 2016 podem ser entregues até ao dia 31 de Março.
Esta ação enquadra-se na Política de Responsabilidade Social da empresa e resulta do seu compromisso em assumir um papel ativo na sociedade apoiando, de forma transparente, iniciativas inovadoras e orientadas para a missão de suporte ao doente.
Os projetos candidatos a estas bolsas serão avaliados por um júri independente que escolherá os mais originais, mais focados na defesa dos direitos dos doentes e na promoção da saúde na comunidade.
Robin Turner, Diretor Geral da Roche, refere que “a Responsabilidade Social é algo que faz parte do nosso ADN empresarial. É algo que fazemos naturalmente. Desde sempre. Este programa de bolsas é mais um exemplo do compromisso que assumimos diariamente com os doentes. Espero que esta iniciativa, tal como aconteceu em 2015, possa viabilizar projetos inovadores e que façam realmente a diferença na vida dos doentes portugueses.”
Em 2015 a Roche Portugal atribuiu cinco bolsas de financiamento, igualmente no valor de 45 mil euros. O Grupo Português de Activistas sobre Tratamentos de VIH/SIDA (GAT), a Fundação Gil, a Pulmonale – Associação Portuguesa de Luta Contra o Cancro do Pulmão, os Amigos da Pediatria da Ilha Terceira e a Associação Protetora dos Diabéticos de Portugal (APDP) foram as instituições selecionadas.
Para mais informações sobre o Programa de Bolsas, regulamento e formulário de candidatura, aceda ao seguinte endereço: http://www.roche.pt/bolsas

COLÔMBIA OFERECE GRANDES OPORTUNIDADES DE NEGÓCIO PARA AS EMPRESAS PORTUGUESAS

A Colômbia é atualmente um mercado estratégico favorável e de elevado potencial de sucesso para as empresas portuguesas. Esta foi a conclusão natural de um grupo restrito de empresários convidados pelo BICMINHO, que se reuniram numa sessão “à porta fechada”, no passado dia 19 de fevereiro, para refletir e trocar experiências sobre os sucessos e insucessos de “Como internacionalizar para a Colômbia e Espanha com o Portugal 2020?”.

Na abertura dos trabalhos, Nuno Gomes, CEO do BICMINHO, lançou a discussão referindo que para exportar e internacionalizar com sucesso para a Colômbia é muito importante assegurar a resposta a duas questões fundamentais. Em primeiro lugar, para fazer negócio com a Colômbia temos de ter pessoas colombianas a trabalhar connosco para nos ajudar. Depois, temos de estar preparados para financiar à partida e na íntegra todo o esforço de internacionalização no primeiro ano. Se assim for, o sucesso está garantido. E é por isso que o BICMINHO, enquanto instrumento certificado pela União Europeia, trabalha com pessoas e instituições parceiras na Colômbia, e tem vindo a ajudar as empresas da Região a obter financiamento a fundo perdido no Portugal 2020, nas quais o BICMINHO regista uma taxa de sucesso muito próxima dos 100%.

Segundo dados da AICEP, em 2014 as exportações de bens e serviços de Portugal para a Colômbia atingiram cerca de 100 milhões de Euros. Embora a economia colombiana seja de uma dimensão equivalente à da Dinamarca ou da Venezuela (e 40% maior do que a portuguesa), as exportações de Portugal para esses dois países são 11 vezes maiores. Esta situação reflete fatores de ordem geográfica e histórica, mas é uma ilustração do enorme potencial que existe para as empresas portuguesas, em particular da Região Norte.

As oportunidades de negócio neste mercado em afirmação não podem, por isso, escapar às empresas portuguesas” afirma Nuno Gomes. “Não existe qualquer motivo para que Portugal não consiga subir na lista de fornecedores à Colômbia (40ª posição) e alargar a sua cota de mercado. O sucessivo aumento do número de empresas a exportar para aquele país (de 138 em 2010 para 331 em 2014) vem apenas confirmar esta possibilidade”, conclui aquele responsável desafiando os empresários da região.

Conhecer bem a empresa e o produto é o primeiro passo do BICMINHO junto de um cliente que pretende apostar na internacionalização. “Porque nem sempre o empresário pode concretizar o seu desejo de atravessar fronteiras nacionais” afirmou João Paulo Ferreira, Consultor Sénior do BICMINHO, que abordou as ferramentas de apoio à internacionalização. “Internacionalizar é arriscado e fica caro, mas vale a pena. Temos por isso no BICMINHO um conjunto de serviços de apoio integrado, certificados pela EU, e à medida das necessidades das PME da nossa Região para implementar um processo de exportação sustentável e rentável”.

Piedad Rojas, a especialista colombiana parceira do BICMINHO, apresentou inúmeras oportunidades de negócio ao nível da exportação de bens e serviços especializados, referindo que o Governo colombiano tem fomentado a criação de uma rede de infraestruturas de apoio ao desenvolvimento económico e social, gerando oportunidades de negócio para as empresas portuguesas em áreas como a construção, tecnologias de informação e comunicação e sector agro-industrial. “A Colômbia é um país em franco crescimento em todas as áreas de negócio, com um mercado interno dinâmico e incentivos únicos para os empreendedores que ali pretendam investir”.

A entrada em vigor, em 2013, do Tratado de Livre Comércio entre a União Europeia e a Colômbia, tem contribuído para abrir a porta a mais exportações portuguesas. A facilidade de implementação de novas empresas, a existência de 30 zonas francas, a não obrigatoriedade de ter sócio local, o índice Doing Business que coloca a Colômbia em 34º lugar, à frente de países como o México, a segurança e o dinamismo económico foram alguns dos exemplos destacados como motivos para a aposta dos empresários portugueses. “Nós os colombianos gostamos muito dos portugueses, somos muito parecidos em termos culturais, no trato e na maneira de ser. E isso muitas vezes é determinante no momento de fazer negócio.” Concluiu Piedad Rojas, de forma enérgica e muito expressiva.

Sobre as oportunidades de negócio em Espanha, o mercado natural para as exportações, Blanca Fafián, especialista da EOSA Consultores, destacou o crescimento económico que o país vizinho atravessa apesar da crise política que vive atualmente. Como setores de oportunidade nomeou o setor automóvel, têxtil, alimentar e metalomecânica. A proximidade geográfica, a afinidade cultural, a posição de Portugal no índice de importações espanholas, e os mais de 11 mil milhões de euros em exportações de Portugal para Espanha foram outros dos argumentos apresentados.

Sobre os objetivos e prioridades visadas pelo Sistema de Incentivo à Internacionalização falou Sílvia Amaral, Consultora do BICMINHO. “Os apoios financeiros são concedidos desde que reforcem a capacitação empresarial das PME para a internacionalização, com vista ao aumento das exportações e aumentem a qualificação específica dos ativos em domínios relevantes para a estratégia de inovação, internacionalização e modernização das empresas”.

 

Farmácias, ourivesarias ou lojas de arte obrigadas a ter sistema de segurança Grau 3

A Prosegur Alarmes tem já no seu portfólio equipamento Grau 3, cuja instalação é obrigatória até junho de 2016, em locais como farmácias, ourivesarias/joalharias, lojas de arte ou gasolineiras.

Com a entrada em vigor da lei nº 34/2013 da portaria nº 273/2013, passa a ser obrigatório que estes estabelecimentos comerciais passem a deter um sistema de videovigilância e sistemas de deteção de intrusão, ligados a uma central de vigilância.

A adoção dos sistemas de segurança Grau 3, em instituições financeiras, ourivesarias, lojas de arte, farmácias e postos de abastecimento de combustível, tornou-se obrigatória desde setembro de 2014 e estamos praticamente no deadline para que estas medidas de segurança regulamentadas estejam concretizadas”, refere Francisco Cunha Carvalho, Diretor Comercial e de Marketing da Prosegur Alarmes.

Os sistemas de Alarme de Grau 3 são utilizados essencialmente em instalações de médio e alto risco. Esta designação diz respeito a sistemas instalados em estabelecimentos obrigados a adotar medidas de segurança e ligados a central.

No caso dos estabelecimentos de exibição, compra e venda de metais preciosos e de arte, além do sistema de intrusão Grau 3 e CCTV (Closed-Circuit Television), é ainda requerido uma caixa-forte ou cofre, com um nível de segurança mínimo de Grau 3 de acordo com a norma EN 1143-1 ou equivalente, dotada de sistema de abertura automática retardada, e dispositivo mecânico e eletrónico de bloqueio da porta, fora do período de funcionamento.

“A Prosegur Alarmes está disponível para apoiar as empresas que atuam no âmbito destas áreas, para que se salvaguardem e adotem estas especificidades de segurança, fundamentais para protegerem o seu negócio”, conclui Francisco Cunha Carvalho.

 

 

Monumentos de Sintra apagam as luzes em ação simbólica pelo planeta

A Parques de Sintra volta a juntar-se à iniciativa “Hora do Planeta”, organizada pela WWF (World Wildlife Fund), e durante uma hora vai apagar as luzes de alguns monumentos de Sintra.

No sábado, dia 19 de março, o Palácio Nacional da Pena, o Palácio Nacional de Sintra, o Palácio de Monserrate e o Castelo de Mouros ficarão às escuras entre as 20h30 e as 21h30.

Este é o quinto ano consecutivo em que a Parques de Sintra demonstra o seu apoio e compromisso com o planeta, juntando-se a centenas de milhões de pessoas em todo o mundo. “Faça brilhar uma luz sobre a ação climática” é o mote da edição da Hora do Planeta deste ano.

A “Hora do Planeta” é uma iniciativa da WWF que começou em 2007 em Sidney, na Austrália, quando 2,2 milhões de pessoas e mais de 2.000 empresas apagaram as luzes por uma hora numa tomada de posição contra as mudanças climáticas.

VIII recolha de medicamentos do Banco Farmacêutico vai apoiar 90 IPSS

O Banco Farmacêutico realiza no último sábado de fevereiro, dia 27, a VIII Jornada de Recolha de Medicamentos, entre as 09h e as 19h. A iniciativa conta com a adesão de 160 farmácias e os medicamentos recolhidos chegarão aos utentes de 90 instituições particulares de solidariedade social (IPSS) nos distritos de Lisboa, Setúbal, Santarém, Leiria, Coimbra, Évora, Beja, Faro, Aveiro, Braga, Porto, Vila Real e Bragança.

A Jornada de Recolha de Medicamentos do Banco Farmacêutico quer sensibilizar os portugueses para a doação de medicamentos e produtos de saúde não sujeitos a receita médica, numa dinâmica semelhante à do Banco Alimentar Contra a Fome.

A recolha é feita nas farmácias aderentes, onde o farmacêutico está informado sobre as necessidades mais prementes das instituições que serão ajudadas. Só podem ser doados medicamentos novos, seguros e de qualidade e que ainda não tenham estado fora do circuito do medicamento (não são aceites medicamentos vindos de casa) e que correspondam à lista de necessidades de cada uma das instituições de solidariedade social contempladas pela recolha.

As doações serão recolhidas nas farmácias aderentes por 500 voluntários e distribuídas posteriormente pelas IPSS abrangidas pelo projeto. Na edição anterior foram recolhidos mais de 10.500 medicamentos e produtos de saúde, num valor superior a 42 mil euros. As doações foram distribuídas a 77 instituições das zonas centro e sul do país e chegaram a cerca de 80 mil pessoas. À edição de 2015 aderiram 132 farmácias.

Luís Mendonça, presidente do Banco Farmacêutico nota que “a solidariedade dos portugueses tem crescido nos últimos anos, apesar do contexto de crise económica. É com muita satisfação que constatamos que cada nova edição conta com mais farmácias, mais doações e chega a cada vez mais pessoas, o que nos permite alcançar o nosso principal objetivo”.

A VIII Jornada de Recolha de Medicamentos conta com o apoio de cada uma das farmácias aderentes, da Ordem dos Farmacêuticos, da Associação Nacional de Farmácias (ANF) e da Logista Pharma.

Para saber mais sobre o projeto e quais as farmácias e instituições abrangidas pela recolha de 2016 visite o site www.bancofarmaceutico.pt.

 

 

 

Fundação Vodafone Portugal recebe Galardão da Inclusão na categoria “Acessibilidades”

O galardão foi atribuído pelo Centro de Recursos para a Inclusão Digital (CRID) da Escola Superior de Educação e Ciências Sociais – Instituto Politécnico de Leiria (IPLeiria), por um júri composto por Adalberto Fernandes, do Instituto Nacional de Reabilitação, Jorge Fernandes, da Fundação para a Ciência e Tecnologia, e Rui Carreteiro, em representação dos pais das crianças e jovens com deficiência. De entre as várias iniciativas da Fundação Vodafone que levaram à entrega deste Prémio, destacam-se:

O programa Praia Saudável, que assenta na doação de meios que contribuam para a melhoria das zonas balneares em termos ambientais, de segurança, acessibilidades e sensibilização e informação dos utentes. Ao longo da última década, a Fundação tem oferecido centenas de equipamentos com vista à melhoria das condições de acessibilidade a pessoas com mobilidade condicionada, como passadeiras especiais ou cadeiras de rodas anfíbias. Em 2009, lançou o prémio Praia + Acessível que galardoa as zonas balneares que reúnam as melhores condições de acessibilidade.

A Fundação Vodafone tornou-se também, em 2012, a primeira operadora de telecomunicações a disponibilizar o Serviço de Apoio a Clientes em Língua Gestual Portuguesa para surdos e pessoas com deficiência auditiva. Disponível através do número nº 12717 (Chamada e Videochamada gratuitas), facilita o acesso de pessoas com deficiência auditiva aos serviços prestados pelo Apoio a Clientes da Vodafone.

Além disso, desde 2005 que a operadora disponibiliza tarifários com condições especiais e equipamentos adaptados a pessoas com incapacidade igual ou superior a 60%, visando contribuir eficazmente para o acesso à Sociedade de Informação desta comunidade.

Na área da literacia digital, a Fundação Vodafone, em parceria com municípios e Organizações Não-Governamentais, tem vindo a desenvolver um programa de Formação em Novas Tecnologias para Seniores, com o nome de Geração Net Sénior, que tem como objetivo contribuir para a redução do isolamento dos idosos mas também prestar apoio em tarefas burocráticas e obrigações quotidianas, nomeadamente no pagamento de serviços, movimentação das contas bancárias ou no acesso a serviços de saúde e marcação de consultas. Já usufruíram deste programa mais de 1000 idosos das freguesias de Odivelas, Carnide e Olivais, com idades compreendidas entre os 65 e os 95 anos.

O Galardão agora recebido é uma motivação adicional para a Fundação Vodafone continuar a sua estratégia na área da Acessibilidade, de modo a contribuir decisivamente para a melhoria da qualidade de vida dos cidadãos com necessidades especiais.

 

 

 

 

 

 

 

Solução para Agricultura Urbana vence PITCH DAY do UPTEC

A Noocity Growbed, uma cama de cultivo com um sistema de auto-rega integrado, venceu o Pitch Day da 6ª da Escola de Startups do UPTEC. A startup luso-brasileira oferece uma solução que permite aos cidadãos urbanos cultivar alimentos, de forma sustentável, em plena cidade. Apresentar as ideias de negócios em 180 segundos era o desafio de 30 empreendedores presentes no Pitch Day do UPTEC – Parque de Ciência e Tecnologia da U.Porto, que decorreu ontem no I3S – Instituto de Investigação e Inovação em Saúde. O vencedor do Pitch Day terá direito a incubação em regime cowork no UPTEC e acesso direto à ronda de investimento da Red Angels, com montantes até 50 mil euros.

O sistema criado pela Noocity garante uma autonomia até 3 semanas, diminui consideravelmente a evaporação, a frequência da rega e permite reter água das chuvas, ajudando a consumir 80% menos água que uma horta convencional e possibilitando quase o dobro da produtividade. Por ser modular, pode ser utilizada individualmente ou em conjunto, permitindo várias configurações de horta e adaptando-se a diferentes tipos de espaço.

No evento foram, também, atribuídas três menções honrosas: tecnológica, criativa e bio/mar. Na área tecnológica, o Quant-UX foi o selecionado. Trata-se de um software para desenvolvimento de design de interface gráfica, que se diferencia porque combina 3 fatores: design, testes e análise de dados. Na categoria das criativas, o Iguaneye reuniu as preferências. A startup criou um novo conceito de calçado: uma dupla pele protetora que cobre todas as partes do pé, permitindo caminhar confortavelmente em qualquer lugar – como se andasse descalço. Já na área bio/mar o júri selecionou o All in Surf, um sistema de aquisição de dados de navegação aquática aplicada ao Surf que permite medir e avaliar comportamentos físicos e biomecânicos do atleta. A Vodafone selecionou, também, dois projetos para integrarem o programa Vodafone Power Lab: a Quant-UX e Zarco, uma app para ligar os turistas a uma rede de guias locais. O Vodafone Power Lab tem como objetivo fomentar a criação de projetos tecnológicos, através de apoio na aceleração, mentoring, workshops e formação, entre outras condições que possibilitem às novas empresas desenvolverem-se. Foram, ainda, apresentados mais 15 projetos empresariais: uma plataforma de pesquisa de transportes de carga (WALcargo), um software de análise de dados através de câmaras de segurança para retalhistas (arealytic), uma app para compilar fotos de eventos (xphoto), drones para navegação e georreferenciação precisa de dados em explorações agrícolas (eye2map), uma plataforma de notícias para jovens (jornalíssimo), skates em materiais sustentáveis para prática de landsurf (bio boards), lâminas de barbear com design único (tatara razors), uma plataforma de transmissão de vídeos de desporto (str.deo), nano-dispositivos que transformam energia mecânica e térmica em elétrica(InanoE), uma organização que apoia a empregabilidade de jovens universitários em startups (U.project), materiais indústrias aplicados à joalharia (TelmaDa), projetos de bio-engenharia (EasyBio), uma plataforma de comunicação de ciência(Projecto Enzima), uma ferramenta de estratégias transmedia storytelling (MOOH) e luvas inteligentes para aliviar a artrose e frieiras (Smart Gloves).

As candidaturas para a próxima edição da Escola de Startups do UPTEC (www.escoladestartups.org), programa de mentoring e formação de 3 meses que visa acelerar ideias de negócio, abrirão em meados de Março.

 

PÓS GRADUAÇÃO DA LES ROCHES EM MARKETING MANAGEMENT PARA TURISMO DE LUXO ESTREIA EM ABRIL

A primeira pós graduação em Marketing Management para Turismo de Luxo da Les Roches Marbella tem estreia marcada para o próximo mês de abril e estão disponíveis as últimas vagas para os estudantes portugueses interessados em ingressar num curso que garante contacto direto com as principais marcas de luxo do mundo. Classificada entre as melhores escolas de gestão e administração hoteleira do mundo, a Les Roches criou este novo programa com o objetivo de colmatar uma necessidade crescente e formar profissionais altamente qualificados para responder às exigências específicas de um dos setores em maior expansão por todo o mundo, o turismo de luxo. “O turismo continua a ser um dos maiores geradores de empego, e nos últimos anos temos vindo a constatar um aumento particularmente notável nas oportunidades no segmento de luxo, e por isso sendo a Les Roches a escola de hospitality por excelência, considerámos que fazia sentido completar a nossa oferta formativa com este curso”, afirma Carlos Diez de la Lastra, Diretor Geral da Les Roches Marbella.

Com a duração de nove meses a um ano, esta pós graduação é constituída por um semestre académico no campus de Marbella, um período de 12 semanas para elaboração e apresentação de case study e, finalmente, um estágio também de 12 semanas (opcional para candidatos com experiência laboral comprovada) junto de algumas das principais marcas e cadeias hoteleiras de luxo do mundo. Projetado para preparar os estudantes a desenvolver estratégias e liderar projetos de marketing, este programa garante a aquisição das competências e conhecimentos essenciais e específicos para segmentos de serviços exclusivos, produtos premium e marcas de luxo. Para além de um curriculum completo e exigente, optar por esta pós graduação na Les Roches Marbella significa ingressar num ambiente exclusivo e multicultural, que proporciona aos alunos uma vantagem única no momento de entrarem no mercado de trabalho, tal como explica o Diretor da Escola de Alta Gestão Hoteleira, “as grandes marcas de luxo a nível mundial exigem e procuram profissionais que, para além do know-how e da ambição, estejam aptos para desempenhar funções em qualquer parte do mundo, e a Les Roches tem essa característica única de preparar e educar os alunos para serem líderes internacionais, no campus convivem diariamente com mais de 65 nacionalidades diferentes, o que lhes proporciona uma experiência multicultural e de vida única, e que faz com que tenham uma visão global do mundo. É isto que distingue a nossa Escola e que leva a que as empresas venham recrutar diretamente ao nosso campus”.

Lecionada na íntegra em inglês, a estreia desta pós graduação em Marketing Management para Turismo de Luxo tem já garantida a participação de alunos portugueses, e conta com a colaboração de profissionais de renome do setor e com parcerias com as melhores cadeias hoteleiras do mundo.

Crescimento de 50% levou a Boiron a repensar o modelo de negócio e a estratégia de colaboração inter-empresas

Com crescimento acentuado da sua atividade, a empresa enfrenta simultaneamente novos desafios: desde a gestão do volume crescente de informação logística, comercial e financeira transacionada diariamente com os seus parceiros de negócio, à adaptação aos regulamentos e proteção dos seus dados eletrónicos. “O crescimento de 50% da Boiron em Portugal nos últimos dois anos, levou à necessidade de repensar a forma como nos relacionamos com os principais players do mercado, sobretudo com os armazenistas”, afirma João Pedro Jorge, Responsável Administrativo e Financeiro da Boiron Portugal.

Num setor tão competitivo como o farmacêutico, para ganhar vantagem competitiva e manter o crescimento sustentável, a Boiron procurou o investimento inteligente em inovação e tecnologia. “Dado o grande número de troca de informação e de documentos entre os parceiros comerciais e a Boiron, percebemos que era tempo de reduzir o tempo dedicado a certas tarefas (receção e inserção manual de encomendas, por exemplo), reduzir custos de vária ordem e, por fim, libertar tempo dos colaboradores para a realização de outras tarefas”. Para o efeito, selecionou a plataforma de comunicação da Generix Group para homogeneizar a troca eletrónica de encomendas com a cadeia de armazenistas e a solução Ecofatura para desmaterialização das faturas enviadas aos seus clientes, evitando a utilização de papel e os respetivos processos manuais de elevado custo. “Escolhemos a solução da Generix Group por ser bastante funcional, flexível e adaptável às nossas necessidades”, afirma João Pedro Jorge.

Os principais armazenistas a atuar em Portugal privilegiam este modelo de comunicação com os laboratórios, pois as tarefas administrativas e a gestão da relação com fornecedores afeta o rendimento da empresa e acarreta custos elevados. “Pretendemos ter ganhos a nível da eficiência de processos e, adicionalmente, reduzir os custos associados às tarefas de gestão administrativa”, conclui João Pedro Jorge. Torna-se então vital a implementação de soluções tecnológicas de colaboração entre empresas. Paralelamente à transformação digital, em 2016, a Boiron prepara-se para lançar no mercado um novo produto, o Magnésium 300+, que acredita que irá ter um grande sucesso.

CARNAVAL DE TORRES VEDRAS 2016

O Monumento ao Carnaval, os cabeçudos, os Zés-Pereiras, os carros alegóricos, o Tó’Candar (carro de grandes dimensões com banda a tocar ao vivo) e milhares de mascarados são as “figuras” desta grande festa. Durante 6 dias/ 5 noites são esperadas cerca de 350 mil pessoas no Carnaval de Torres Vedras. Deixamos o convite! Venha fazer um figurão!

A Organização do Carnaval garante, desde já, a presença de várias “Figurinhas de ouro” em Torres Vedras, como o ex-primeiro-ministro José Sócrates, o futebolista Cristiano Ronaldo, o presidente do Sporting Bruno de Carvalho, Jorge Jesus, bem como do Presidente da República, Cavaco Silva, e até de Mário Soares. O primeiro-ministro António Costa também assistirá aos desfiles, do camarote, contando com a presença de outros políticos da cena internacional, como Angela Merkel ou François Holande. Outras figurinhas do nosso jet-set “falido” também podem ser visitadas no Monumento ao Carnaval de Torres, que inaugurou no passado dia 16 de janeiro e pode ser visto até ao dia 10 de fevereiro.

Para conhecer melhor a história deste grande evento, não deixe de visitar a exposição “Loucuras e rodas nas voltas do Carnaval”, patente na Paços- Galeria Municipal de Torres Vedras, de 3 a 20 de fevereiro, e que nos conta a evolução do Carnaval de Torres, dos “bois ao diesel”, as suas figuras marcantes, maquetes e carros alegóricos. Também a exposição “Figuras, Figurinhas e Figurões- 40 anos de caricatura de António” merece a sua visita e estará patente na mesma galeria até 20 de fevereiro.

Mas o grande arranque do Carnaval 2016 será marcado, como já é tradição, por cerca de 8100 “figurinhas” que vão compor o Corso Escolar, a realizar no dia 5 de fevereiro, a partir das 09h30, no centro da cidade. São 7200 crianças, acompanhadas por professores e auxiliares, de 80 estabelecimentos de ensino do concelho (do ensino pré-escolar ao secundário). Estas crianças vão fazer um “figurão” por todo o lado por onde passem, com milhares de pessoas/familiares a assistir ao desfile de minions, Zés- Povinho, palhaços, Topo Gigios e até de Caretos.
Este é um espetáculo que pinta as ruas de Torres Vedras, deixa uma enorme alegria no ar e envolve todos os pais e comunidade educativa.

A chegada de Suas Altezas Reais, El Rei Dom Figurão Embatukado do Belo Carrascão e Dona Figurona Perikita Rebulona, acontecerá na Estação da CP, às 22h00, seguindo-se o desfile de toda a comitiva real e povo folião até Casa Aristocrática do Carnaval – CAC (futuro Centro de Artes do Carnaval- antigo Matadouro Municipal), com a apresentação da primeira figura desta casa e o momento de entrega das Chaves da Cidade pelo presidente da Câmara Municipal. Milhares de pessoas assistirão à entronização do Rei e da Rainha do Carnaval de Torres e, a partir de então, são eles que decidem sobre o reino da folia e a eles caberá a honra de inaugurar a “Ponte do Pólo Norte do Carnaval”, a nova ponte pedonal do Parque do Choupal.

Até 10 de fevereiro, Torres Vedras não pára. A partir das 22h30, há Dj´s Carnaval na Praça Machado Santos e Jardins de Santiago. No sábado, 6 de fevereiro, o corso noturno traz os grupos organizados de mascarados para concorrer ao concurso do Carnaval de Torres. Esperam-se 4 mil participantes nesta mostra de criatividade, originalidade e muito trabalho. Matrafonas, cabeçudos, Zés-Pereiras animarão a festa, mas os carros alegóricos ainda não saem à rua. Fica a curiosidade no ar até ao domingo, mas o Tó’Candar vai dar muita música a todos os que querem dançar noite dentro. A partir das 22h30, a Praça Machado Santos, Jardins de Santiago e Mercado Municipal vão contar com Dj´s para tornar ainda mais explosivo este Carnaval.

Domingo, 7 de fevereiro, é dia de toda a família sair para a folia, com o corso diurno a ter lugar a partir das 14h30. Faça chuva ou faça sol, há milhares de mascarado, de todas as idades, preparados para arremessar os típicos cocotes. Tempo também para apreciar o trabalho de grandes artistas locais que, durante largos meses, trabalharam com afinco nos 8 carros alegóricos que agora são apresentados, carregados de sátira política e social e que, de tão bem realizados, são um “marco artístico” do Carnaval de Torres.

Os carros alegóricos merecem um olhar mais atento. Neste campo, o carro “Futemania” traz-nos personagens como gangsters, árbitros, Jorge Jesus ou Platini, mas Pinto da Costa e Luís Filipe Vieira também integram este “mundo”. Já na “Rota Cega” um porco capitalista comanda, deliberadamente vendado, um paquete de luxo que traz a bordo os 7 pecados capitais. Logo ao lado, num pequeno barco sobrelotado e à deriva, lutam os náufragos no limite da sobrevivência. Já na “Política Internacional”, numa ilha dourada, Angela Merkel ouve gritos de desespero e prepara-se para um resgate de solidariedade. Em “Sheriff mas pouco”, que retrata a política nacional, Lucky Luke (Cavaco Silva) dorme tranquilo, enquanto os nossos corruptos irmãos Dalton (José Sócrates, Duarte Lima, Armando Vara e Ricardo Salgado) se mantêm ativos no lançamento de bolas esmagadoras sobre o Zé (Povinho). Mas há ainda “As palavras sagradas de Jesus”, “Os cruzeiros europeus da Chanceler”, “Os terríveis figurinos do Zé”, “As Figuras da Aldeia” com António Costa, José Seguro, Passos Coelho, Paulo Portas e muitos outros e no “Tuga Circus” é possível ver o Zé Povinho a ser disparado de um canhão…
Carros alegóricos criativos na sua forma e carregados de ironia no seu conteúdo, à boa maneira torriense.

A tarde quer-se de participação e de espontaneidade, com os cabeçudos, grupos organizados de mascarados, Zés-Pereiras… todos a marcar a sua presença neste corso no qual todos são atores.

Para todos aqueles que não têm a oportunidade de assistir in loco ao Carnaval de Torres, a SIC fará transmissão do programa Portugal em Festa, em direto, a partir das 14h00.
A partir das 22h30, os Djs voltam a animar a Praça Machado Santos e os Jardins de Santiago.

Segunda-feira, 8 de fevereiro, vai mostrar que o Carnaval se faz também para ser vivido por grandes figuras seniores, com a realização do Baile de Máscaras Tradição, a partir das 14h30, na Expotorres. São cerca de 1500 seniores que se juntam para conviver e para um “pé de dança”.Corso

A espontaneidade volta a tomar conta das ruas do centro da cidade, a partir das 21h00, com a realização do Corso Trapalhão. Segunda-feira é de arromba. Tem trapinhos antigos lá por casa? Óculos, penas, chapéus? Traga o que quiser, mas traga e junte-se aos milhares que fazem deste corso uma verdadeira trapalhada e aproveitam intensamente a última noite- forte do Carnaval de Torres. Mas para os homens há dress-code: matrafona! para participar no concurso que se realizará a partir das 23h00 na Av. 5 de Outubro. A animação continuará noite dentro com djs a passar música nos palcos de animação.

No dia 9 de fevereiro, terça-feira, as cores alegres voltam a invadir o perímetro de corso, ao ritmo “bombástico” dos Zés-Pereira. A partir das 14h30 realiza-se o corso diurno da terça-feira de Entrudo. No Carnaval de Torres todos fazemos boa figura e ninguém consegue deixar de se divertir.

Na quarta-feira, 10 fevereiro, despedimo-nos do Carnaval de Torres 2016 com o enterro do Entrudo, bem carpido e com fogo-de-artifício, a acontecer a partir das 21h00, com ponto de encontro na Praça da República e término junto ao Tribunal.

Que venham todos ao Carnaval mais português de Portugal porque a vida são dois dias… e o Carnaval de Torres são 6! De 5 a 10 de fevereiro venha fazer um “Figurão” no Carnaval de Torres. Toda a informação em: www.carnavaldetorres.com

 

 

EMPRESAS