Inicio Autores Posts por Ricardo Andrade

Ricardo Andrade

298 POSTS 0 COMENTÁRIOS

Campanha europeia informa sobre direitos dos consumidores

Portal da Queixa, a maior rede social de consumidores de Portugal, associou-se à União Europeia na divulgação dos direitos dos consumidores online. Pedro Lourenço, CEO e fundador do Portal da Queixa, foi convidado a ser embaixador da iniciativa #yourEUright, um projeto que visa contribuir para que os consumidores conheçam e exerçam os seus direitos quando compram na Internet. A campanha arrancou, há um mês, e vai estar estender-se por 2020. 

Ao longo do próximo ano, a Comissão Europeia vai desenvolver uma série de ações concertadas entre dez países (Dinamarca, Espanha, Eslovénia, Portugal, Itália, Croácia, Chipre, Grécia, Roménia e Bulgária), que visam esclarecer os consumidores online acerca dos seus direitos. O objetivo da iniciativa #YourEUright é garantir a segurança e os direitos dos consumidores, capacitando-os para que possam fazer escolhas online que maximizem o seu bem-estar. “Como cidadão europeu, ao comprar bens e serviços dentro da UE, beneficie dos seus direitos de consumidor, tanto online como offline”, esta é a mensagem geral da campanha.

Em  Portugal, a campanha de sensibilização já está disponível em https://europa.eu/youreuright/home_pt e as ações estarão, maioritariamente, focadas na divulgação de quatro direitos do consumidor: Package Travel, Mudança de banco vs. Transparência Bancária; Publicidade honesta; Devolução em 14 dias.

 

UE CONVIDA CEO DO PORTAL DA QUEIXA, PEDRO LOURENÇO, PARA EMBAIXADOR DO PROJETO EM PORTUGAL

O convite para ser embaixador da iniciativa #yourEUright da União Europeia, enquanto fundador do Portal da Queixa, é sem dúvida um enorme orgulho que consolida o esforço diário que toda a equipa dedica à comunidade de consumidores portugueses, com vista a facilitar-lhes a resolução dos problemas apresentados através da nossa plataforma social. O Portal da Queixa enquanto meio de comunicação entre marcas e consumidores, não só possibilita um contacto mais ágil e democratizado, como permite o acesso a experiências de consumo partilhadas por centenas de milhares de consumidores, que servem de guia e barómetro de satisfação, qualificando o mercado de forma justa e transparente. Assim, entendemos ser o canal privilegiado para a divulgação de iniciativas pedagógicas como esta, tendo em conta o público-alvo a quem se dirige, como também possibilitar o nosso contributo, de forma ativa, para o aumento da literacia digital dos consumidores portugueses, potenciando a confiança num consumo ponderado, informado e consciente.”, refere  Pedro Lourenço, CEO e fundador do Portal da Queixa

 A campanha terá um forte foco digital. As ações estarão focadas na divulgação dos direitos dos consumidores que optam por uma compra online dentro da União Europeia, com enfoque nos que se situam na faixa etária entre os 18 e os 35 anos, compradores cujos estudos apontam como sendo os mais ativos.

 Entendemos que a eficácia na proteção dos direitos dos consumidores, deve ser garantida através da transmissão de conhecimento acerca dos seus direitos. Só assim, será possível criar um movimento de consciência global que garanta a pró-atividade necessária para reduzir o risco no momento da decisão de compra. Este esforço de aprendizagem deve ser potenciado por todos os intervenientes, começando pelas instituições de ensino, organismos de proteção dos consumidores, organizações não-governamentais e principalmente por parte dos vendedores, que ao assumirem um papel educador, estarão a garantir a confiança dos seus clientes num ecossistema de consumo transparente.”, defende Pedro Lourenço.

eDreams ODIGEO nomeia Thomas Vollmoeller como novo presidente do seu Conselho de Administração

A empresa tem o prazer de dar as boas vindas a Thomas Vollmoeller, que conta com uma grande experiência em cargos de liderança em empresas globais. Desde 2012 que ocupava a posição de CEO da XING SE, uma rede de negócios online líder de mercado, com mais de 16 milhões de utilizadores na região DACH (Alemanha, Áustria e Suíça). É também membro dos Conselhos de Administração da Ravensburger e da Conrad Electronic. Anteriormente, tinha ocupado diversas posições de relevo, tanto executivas como não executivas, tendo sido CEO da Valora Holding AG, uma empresa de comércio internacional cotada na bolsa, e também CEO, COO e CFO da Tchibo CmbH, uma das maiores cadeias de retalho da Alemanha. Thomas Vollmoeller tem um Doutoramento por parte da Universidade de St. Gallen e um MBA por parte da Universidade da Califórnia.

Esta nova nomeação para a Direção da eDreams acontece na sequência da demissão de Phillip C. Wolf, Presidente e Administrador Independente da empresa desde 2015 e 2014, respetivamente. O Conselho de Administração deseja agradecer a Phillip C. Wolf a sua dedicação, notáveis contribuições e liderança contínua ao longo do seu mandato, que chegará ao fim no dia 31 de dezembro de 2019. O seu papel foi fundamental para ajudar a empresa a marcar o seu rumo nos últimos ano e deixa a Direção e a empresa numa posição muito forte.

Phillip C. Wolf afirmou: “Foi uma grande honra ser um dos membros deste Conselho durante os últimos cinco anos. Durante este período, a eDreams ODIGEO atravessou uma transformação emocionante, que resultou numa empresa muito mais forte na atualidade. Thomas Vollmoeller é um líder de negócios altamente bem-sucedido e com um historial impressionante, que obteve em alguns dos setores mais competitivos do mundo. A eDreams ODIGEO irá beneficiar da sua experiência internacional e das suas habilidades para impulsionar o crescimento dos negócios a longo prazo”.

Thomas Vollmoeller declarou: “Estou encantado por contribuir para uma empresa líder a nível global como a eDreams ODIGEO. É uma grande companhia, com marcas potentes e tecnologia e capacidades de inovação de classe mundial. Estou desejoso por contribuir para a próxima fase de crescimento desta empresa.”

A próxima Assembleia Geral de Acionistas vai realizar-se no dia 30 de setembro de 2019.

Nova plataforma dá apoio ao mundo do desporto

A partir de setembro, os Atletas e Equipas de Alto Rendimento terão ao seu dispor uma rede informal de apoio que promove e operacionaliza um serviço à medida das necessidades de cada desportista de elite. A plataforma Sports Performance Unit (SPU) é um projeto criado pela MBU – empresa nacional de business intelligence e corporate performance.

A SPU funcionará como um serviço holístico de suporte financeiro, jurídico, médico e de gestão de carreira aos atletas mediante um valor mensal. A plataforma será gerida por uma equipa de atletas de renome, nomeadamente Susana Feitor, Bessone Basto, Juliana Sousa, Ricardo Andorinho, Judite Paris, João Benedito, Filipa Cavalleri e Eduardo Filipe e terá o apoio de um grupo multidisciplinar de 40 profissionais com uma vasta experiência na promoção do rendimento desportivo.

“A SPU quer estar próxima dos desportistas e ser uma estrutura de confiança na tomada de decisões importantes na sua carreira profissional. Desta forma, oferecemos uma diversidade de serviços como ortopedia, radiologia, psicologia, economia e finanças, gabinete jurídico ou segurança social para que o atleta se sinta em boas mãos, sendo sempre o centro de decisão”, indica Ricardo Andorinho, administrador da MBU e co-fundador da SPU. Através de um acompanhamento personalizado conduzido por grandes nomes no universo desportivo nacional, pretendemos combater o abandono precoce, a falta de apoios financeiros e a ausência de conhecimento especializado na prevenção e tratamento acelerado de patologias desportivas, com o intuito de promover a performance dos nossos atletas”, conclui.

 

Carros elétricos da Hertz chegam ao Centro Comercial Colombo

A Hertz 24/7 City, inovador serviço mobile de aluguer ao minuto de carros 100% elétricos, chegou no dia 29 de agosto, ao Centro Comercial Colombo, em Lisboa, adicionando mais um ponto à sua rede.

No piso -1 do estacionamento do Centro Comercial Colombo – zona J 08, estarão disponíveis as viaturas elétricas que apresentam também a vantagem de ter o parquímetro gratuito desde que estacionem a viatura nos lugares destinados a este serviço Hertz 24/7 City.

O novo ponto de rede Hertz 24/7 City visa disponibilizar aos seus clientes o serviço de carsharing ao minuto, numa óptica de proximidade e conveniência, podendo aqui encontrar uma solução de mobilidade urbana imediata que lhes garanta autonomia e flexibilidade nas suas deslocações.

Com o alargamento do serviço de aluguer de carros elétricos ao Centro Comercial Colombo, passam a estar disponíveis 8 pontos de rede específicos da Hertz 24/7 City na Rua Castilho, no Aeroporto de Lisboa, no Parque das Nações, no Tagus Park, no Lagoas Park, no Estoril e em Cascais, com viaturas elétricas que podem ser alugadas ao minuto. Adicionalmente a estes pontos, os clientes poderão ainda terminar as suas viagens em mais seis lugares destinados a serviços de carsharing criados pela Câmara Municipal de Lisboa localizados nas zonas entre Saldanha/ Picoas, Campolide e Príncipe Real.

Para utilizar este serviço, os utilizadores têm apenas de fazer o download da aplicação na App Store (iOS) ou no Google PlayStore (Android), ou ir à página https://www.hertz247city.pt/ e fazer o registo e adesão. Depois basta dirigir-se aos carros disponíveis na rede e mais próximos da sua localização, reservar a viatura pretendida, desbloquear as portas com o PIN atribuído e seguir viagem. Para concluir a reserva, o utilizador apenas tem de estacionar o carro na zona de cobertura da rede de carsharing do serviço Hertz 24/7 City e terminar a viagem através do smartphone.

Até ao dia 4 de setembro, a Hertz contará com uma ativação na Praça dos Navegantes para dar a conhecer a extensão deste serviço ao Centro Comercial Colombo e a oferta de um código promocional que poderá ser utilizado neste serviço.

 

Parque Atlântico recebe exposição “Caminhos das Mulheres”

“Caminhos das Mulheres” apresenta testemunhos reais de mulheres açorianas que atravessaram o Oceano em busca da mudança. Recorrendo ao texto e à fotografia, são expostas as dificuldades, aventuras, tristezas e alegrias da adaptação à nova vida nos Estados Unidos da América e no Canada, locais onde procuraram recomeçar.
Da exposição faz parte também um vídeo realizado por Nisa Remígio, com os testemunhos que recolheu em conjunto com Rui Faria. O audiovisual é um recurso pertinente para enfatizar o fenómeno da emigração das mulheres açorianas.
Promovida pela Associação dos Emigrantes, a Mostra conta ainda com o apoio da Câmara Municipal da Ribeira Grande e do Governo Regional dos Açores, através da Direção Regional das Comunidades.
De 1 de setembro a 15 de setembro, está patente no Piso 0 do Parque Atlântico a exposição “Caminhos das Mulheres”, onde os visitantes vão poder conhecer histórias reais de mulheres açorianas que decidiram emigrar. No dia 14 de setembro, o Piso 0 é ainda palco de um concerto intimista, que acontece a partir das 19h30.

Sequelas para a vida: como prevenir Lesões Vertebro Medulares

Fonte: Notícias ao Minuto

Todos anos, 12.000 pessoas, na sua maioria homens (80%), sofrem lesões vertebro-medulares nos EUA, uma de muitas estatísticas que levou a International Spinal Cord Society a definir o dia 5 de setembro como o Dia Internacional das Lesões Vertebro-Medulares.

“Os dias internacionais são celebrados para marcar aspetos importantes da história ou da vida humana. Neste caso, falamos de uma patologia que tem um impacto tremendo na qualidade de vida dos pacientes, estando normalmente associada a limitações profundas como paraplegia, necessidade de utilizar cadeira de rodas ou outros aparelhos de locomoção e nalguns casos, dependência total ou parcial de um cuidador. Este dia pretende, portanto, sensibilizar o grande público, na expetativa que contribua para melhorar a inclusão de pessoas com esta patologia na sociedade, e para prevenir o aparecimento de novos casos, já que podem resultar em grande parte de comportamentos de risco”, começa por explicar Luís Teixeira, médico especialista nas lesões da coluna e presidente da Associação sem fins lucrativos “Spine Matters”.

A paralisia dos membros, a incapacidade motora e o funcionamento parcial do sistema nervoso são apenas algumas das consequências que podem advir de uma lesão da coluna vertebral e medula espinhal, interferindo no desempenho das mais simples atividades rotineiras e na qualidade de vida, não só do paciente, mas também do seio familiar.

Principais causas:

  • Acidentes de Viação (mais de metade)
  • Quedas de alturas elevadas
  • Mergulhos
  • Agressões
  • Lesões desportivas
  • Em pessoas idosas, quedas em casa

A principal causa desta lesão está, na grande maioria dos casos, relacionada com os acidentes de viação. De acordo com as estatísticas da Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária, esta tendência tem vindo a aumentar cerca de 20% ao ano, desde 2016, passando de 127 mil registos para 132 mil, causando cerca de 2.100 feridos graves só no ano passado. Os números revelam ainda que 1 em cada 100 portugueses está envolvido neste tipo de sinistros.

De forma a prevenir acidentes nas estradas nacionais, sobretudo nesta época do regresso às rotinas laborais, o médico especialista deixa alguns conselhos práticos:

  • De mota / bicicleta / trotineta elétrica: utilize sempre capacete, mesmo em distâncias curtas ou em propriedades privadas: uma queda aparentemente pequena, mesmo a baixa velocidade, pode provocar uma lesão vertebro medular irreversível.
  • É importante regular a inclinação do banco para um ângulo entre 100 a 120º. Uma inclinação excessiva pode ser prejudicial, mas também um banco demasiado reto, exerce tensão e desconforto muscular, podendo ser igualmente perigoso. Certifique-se de que a sua coluna esta totalmente apoiada no encosto do banco e nunca conduza só com um braço, uma vez que leva a uma maior tendência de inclinação do corpo, o que no momento do embate pode ser muito prejudicial.
  • A distância do assento deve ser ajustada de forma a que a coluna esteja totalmente apoiada no banco, com as pernas e braços levemente fletidos. Ao pressionar os pedais de travagem e embraiagem, os joelhos devem permanecer ligeiramente fletidos. Este pormenor é muito importante uma vez que se os joelhos estiverem esticados no momento do impacto a energia pode provocar fraturas graves ao nível das pernas, bacia ou mesmo na coluna vertebral. No entanto, a flexão exagerada dos joelhos, poderá potenciar uma má circulação do sangue, o que é negativo quando conduz muitas horas seguidas, podendo igualmente contribuir para lesões graves numa colisão.
  • Ajuste do volante: quando existe essa opção no veículo, o volante deve ser posicionado de forma a que o condutor tenha visibilidade total do painel de controlo sem ter que mover a cabeça para ler a sua informação. No entanto, o mesmo não deve tocar nas coxas. Deve ainda segurar o volante com as duas mãos. O condutor deve ainda estar posicionado corretamente de forma a que o encosto de cabeça absorva o impacto causado pelo efeito chicote ao nível da coluna cervical no caso de uma colisão.
  • Faça pausas a cada duas horas: válido para todas as viagens longas, mas também para quem trabalha sentado o dia todo – a possibilidade de hérnia discal é maior, pela sobrecarga lombar.
  • Evite o excesso de velocidade; utilize um sistema de GPS com alerta para as velocidades máximas em cada troço ou defina o cruise control / limitador de velocidade de forma evitar ultrapassar os limites legais.
  • Não use o telemóvel enquanto conduz: a maioria dos smartphones já possuem modo ‘Não incomodar’, oferecendo a possibilidade de esconder as notificações e enviar mensagens automáticas com o texto ‘estou a conduzir’.

Para além dos acidentes rodoviários, deve ter em atenção as seguintes situações, de forma a evitar estas lesões:

  • Não arrisque: não faça saltos para a água de alturas elevadas, em especial quando desconhece a sua profundidade.
  • Seja cuidadoso: sempre que tiver que subir a um telhado, não o faça sozinho. Utilize uma escada robusta e peça a ajuda de alguém para garantir que está bem fixa; afaste-se das bermas, use calçado adequado, capacete e arnês de segurança. Sempre que sente que o risco é demasiado grande, peça ajuda a um profissional.

Concerto Solidário junta artistas portugueses para ajudar doentes oncológicos em tratamento

Os fundos angariados neste concerto solidário revertem para o apoio à construção da Casa Porto Seguro, um projeto da APCL que permitirá a doentes hemato-oncológicos deslocados e com carências económicas e respetivos familiares ficarem alojados numa casa, onde poderão receber todo o apoio que necessitam durante o período de tratamentos.

“A Casa Porto Seguro é já um sonho antigo da APCL, para que possamos prestar um maior apoio aos doentes que nos procuram e é, por isso, muito importante conseguir erguer esta casa. Este concerto vai poder ajudar-nos a ficar mais perto do nosso objetivo e em simultâneo criar uma noite com valor artístico e animada para todos os espectadores”, afirma Carlos Horta e Costa, vice-presidente da APCL.

O concerto será no Campo Pequeno e vai ter início pelas 21h15. Os bilhetes estão à venda na ticketline e os preços variam entre 38€ e 60€. O valor será revertido na totalidade para a construção da Casa Porto Seguro.

A “Casa Porto Seguro” será construída na rua Dom Luís de Noronha, num edifício cedido pela Câmara Municipal de Lisboa, a 1 km do Instituto Português de Oncologia e a 2km do Hospital de Santa Maria, as duas Unidades de Transplante de Medula óssea de Lisboa e o grande objetivo é conseguir albergar até 16 pessoas (8 famílias) de cada vez.

Mobilidade elétrica pode desbloquear 2 biliões de dólares no setor das utilities

Segundo o estudo, o número de veículos elétricos irá aumentar para 10 milhões em 2025 e ultrapassar o número de veículos convencionais em 2040. De acordo com o relatório da Accenture Strategy, as empresas do setor das utilities terão ganhos singnificativos ao agruparem serviços em função das necessidades dos proprietários de veículos elétricos.

Além de uma oportunidade de 1.7 biliões de dólares, com uma margem de lucro reduzida, através do fornecimento de energia para veículos elétricos, estas empresas podem adicionar 250 mil milhões de dólares através de novos serviços de mobilidade elétrica, com margem de lucro mais elevada, como apps de carregamento remoto, gestão integrada de energia de veículos elétricos em casa, processamento de pagamentos e até financiamento para a compra destes veículos. Ao combinarem estes serviços numa única plataforma, as empresas do setor podem ajudar a melhorar a experiência do consumidor.

Os operadores que consigam ajudar a tornar mais fácil e acessível a vida de um proprietário de um veículo elétrico vão acelerar a adoção e melhorar a competitividade nas suas indústrias. Isto torna-se mais importante à medida que os consumidores tomam cada vez mais decisões de compra com base no propósito de uma empresa e no seu compromisso com princípios importantes como a preocupação com o ambiente. As empresas do setor estão bem posicionadas para ter um papel relevante no mercado da mobilidade elétrica ao fornecerem experiências de consumidor diferenciadoras e relevantes ao mesmo tempo que estabelecem parcerias críticas de ecossistemas.

Segundo um estudo complementar conduzido pela Accenture Strategy a 6.000 consumidores em todo o mundo, as razões ambientais são, atualmente, as principais impulsionadoras para a compra dos veículos elétricos, seguidas pelas oportunidades de poupança que estes veículos permitem. Aproximadamente 2/3 dos futuros proprietários de carros elétricos trocaria para um veículo elétrico para poupar dinheiro a longo-prazo. No entanto, enquanto se verificam avanços na tecnologia das baterias e surgem novas opções de leasing, os custos de compra destes veículos e o acesso a carregamentos – como os sistemas domésticos de energia ou as estações públicas de carregamento – continuam a ser uma barreira para os proprietários.

Exemplo disso são os mais de 80% de consumidores que pretendem ser proprietários de carros elétricos no futuro e que planeiam carregar os seus veículos primeiramente a partir de casa. No entanto, apenas 55% destes têm garagem própria.
As empresas do setor de utilities podem capitalizar esta oportunidade através de ações que acelerem a adoção de veículos elétricos e, assim, afirmarem o seu papel na indústria como impulsionadoras de mercado:

1. Ajudar os consumidores a tomar as decisões corretas: com a relação de confiança com os consumidores e a coleção de insights a que têm acesso – desde padrões de consumo a preferências de pagamento e a capacidades de carregamento em casa – as
empresas do sector estão bem posicionadas para ajudar os consumidores a tomarem as decisões corretas enquanto estes se tornam proprietários de veículos elétricos.

2. Criar hiper-relevância nos ecossistemas: criar parcerias de ecossistemas será crítico para estabelecer uma abordagem de plataforma para agrupar ofertas altamente relevantes que vão melhorar a experiência do consumidor. As empresas de utilities podem selecionar parceiros complementares que vão aumentar a proposição de valor do consumidor – desde fabricantes automóveis e concessionários a gestores de frota, operadores de pontos de carregamento, empresas de partilha de carros e donos de espaços de estacionamento. Com os incentivos certos, ofertas conjuntas vão favorecer os proprietários de veículos elétricos e multiplicar o valor para todos os parceiros do ecossistema.

3. Ultrapassar a concorrência: aproveitar insights dos consumidores em tempo real para melhorar rapidamente o serviço ao cliente e a experiência do consumidor será um fator chave para ultrapassar a concorrência. As empresas do setor devem investir estrategicamente num portefólio de serviços destinado a simplificar a experiência dos proprietários e a remover barreiras à adoção.
Há um tremendo potencial de valor no mercado da mobilidade elétrica, mas as empresas precisam de agir já. Munidas de um profundo conhecimento do mercado energético e as suas regras e regulação, e com relações de confiança com o consumidor e com fornecedores, as empresas que invistam de forma inteligente e que proporcionem ofertas direcionadas irão prosperar neste mercado, afirma Pedro Galhardas, Managing Director da Accenture Strategy em Portugal.

ROC discutem Auditoria e Novos Caminhos no XIII Congresso

A Ordem dos Revisores Oficiais de Contas (OROC) organiza a 12 de setembro, no Fórum Lisboa, o XIII Congresso dos ROC. O evento tem como tema “Auditoria – Novos Caminhos” e o desenvolvimento e novas tecnologias, a cibersegurança e a globalização são alguns dos assuntos em destaque, num programa marcado pela participação de oradores de mérito reconhecido a nível global.

O futuro da economia e das finanças passará por caminhos determinados pela evolução tecnológica e social e a OROC trabalha para que a auditoria esteja na frente dos percursos, eventualmente desconhecidos, apresentando soluções e fornecendo respostas para os problemas e questões em constante evolução e mudança.

A cada três anos, o Congresso dos ROC tem-se posicionado como o evento de referência para a reflexão sobre as temáticas mais pertinentes e na sua XIII edição, a 12 de setembro, conta com um painel de oradores que dispensa apresentações e garante que a discussão a ter lugar neste evento seja incontornável.

A abertura do XIII Congresso dos ROC cabe a José Rodrigues de Jesus, Bastonário da Ordem dos Revisores Oficiais de Contas, num painel que conta ainda com as intervenções do Professor Mário Centeno, Ministro das Finanças, da Dra. Gabriela Figueiredo Dias, presidente da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) e do Conselheiro Ernesto Cunha, Vice-Presidente do Tribunal de Contas.

Para debater o tema Desenvolvimento e Novas Tecnologias está confirmado um painel composto pela Professora Fernanda Ilhéu, Investigadora e Professora do ISEG, o Padre Afonso Seixas Nunes, Sacerdote Jesuíta e Docente na Universidade de Oxford e o Professor Arlindo Oliveira, Presidente do Instituto Superior Técnico.

Depois do almoço discute-se Governo das Sociedades, Cibersegurança e Globalização com o Professor Nadim Habib, Docente da Nova School of Business da Universidade Nova de Lisboa, o Almirante António Gameiro Marques, Diretor-Geral do Gabinete Nacional de Segurança e com Nicolau Santos, Presidente da LUSA e jornalista.

O painel seguinte, composto pela Dra. Isabel Ucha, Presidente da Euronext, pelo Dr. Francisco Miranda Rodrigues, Bastonário da Ordem dos Psicólogos Portugueses e por Alan Johnson, Vice-Presidente da International Federation of Accountants (IFAC), irá abordar o tema Mercados, Pessoas e Informação.

Tal como a abertura, o encerramento cabe a José Rodrigues de Jesus, Bastonário da Ordem dos Revisores Oficiais de Contas, numa sessão que terá ainda as intervenções de Óscar Figueiredo, Coordenador da Comissão Organizadora do XIII Congresso da OROC e do Professor Pedro Siza Vieira, Ministro adjunto e da Economia.

Segundo o Presidente da Comissão Organizadora do XIII Congresso da Ordem dos Revisores Oficiais de Contas (OROC), em tempos de volatilidade e mudanças constantes na realidade económico-financeira global, é papel da auditoria fortalecer as organizações e ajudar a desenvolver as economias”. O XIII Congresso da OROC é o “palco privilegiado para a partilha de experiências e conhecimentos com impacto na abordagem dos riscos atuais e futuros da auditoria, seja de empresas privadas ou de entidades públicas”. O Bastonário da OROC, José Rodrigues de Jesus, reforça lembrando que a OROC tem “investido nas melhores práticas e quer partilhar desse esforço com todos os agentes com responsabilidades na qualidade da informação”, insiste que devemos “caminhar juntos”.

As inscrições no XIII Congresso da OROC, abertas até 12 de setembro e com um custo de 100 euros, poderão ser feitas utilizando a ficha de inscrição que está no site da OROC – http://www.oroc.pt/ – e enviadas para sec.orgsociais@oroc.pt  ou para  XIIICongresso@oroc.pt. Também poderão ser feitas através do telefone 213 536 158.

WeDo Technologies adquirida pela Mobileum Inc.

Esta é a segunda aquisição da Mobileum após a conclusão da compra da Evolved Intelligence em outubro de 2018.

Baseada em Lisboa, a WeDo é líder global no fornecimento de soluções de gestão de negócio e de risco a operadoras de comunicações de todo o mundo, ajudando-as a gerar receitas, mitigar riscos e prevenir fraude nas suas redes. O vasto portfólio de produtos e soluções da WeDo está suportado por análise avançada de dados, consultoria, managed services e serviços especializados.

“A WeDo é uma empresa líder em gestão de risco, e gestão e otimização de negócio. A empresa desenvolveu um conjunto impressionante de produtos e tecnologias de grande valor para operadoras de comunicações”, diz Bobby Srinivasan, CEO da Mobileum. “Estamos muito entusiasmados por nos juntarmos à WeDo e apoiá-los na sua próxima fase de crescimento. À medida que continuamos a fazer a Mobileum crescer, orgânica e inorganicamente, a inclusão da forte engenharia de produto, da base de clientes e das equipas de consultoria e serviços da WeDo na nossa força de trabalho, ajuda-nos a expandir a diversidade e a abrangência das nossas ofertas. Estamos ansiosos por combinar as capacidades de ambos os portfólios e criar propostas de excelente valor aos nossos clientes”.

“A Mobileum, com o seu negócio complementar e cobertura global de clientes, é o parceiro ideal para a WeDo Technologies iniciar a sua próxima fase de crescimento” diz Rui Paiva, CEO da WeDo Technologies. “Este negócio combinado, oferece aos nossos clientes um portfólio de soluções mais rico e diverso nas áreas da Garantia de Receita, Gestão de Fraude, Segurança de Rede, Roaming e Interconexão. À medida que a indústria mobile continua a evoluir, esta transação vai permitir-nos continuar a investir na futura arquitetura, assegurando o sucesso dos nossos clientes ao longo de uma jornada de transformação contínua”.

A Mobileum tem expandido consistentemente a sua oferta de produtos analíticos após ter sido adquirida pela Audax Private Equity em 2016. Com 18 anos de liderança na esfera do roaming, a Mobileum tem utilizado o seu grande conhecimento sobre as comunicações móveis para criar a sua plataforma ‘Active Intelligence’ que gera dados analíticos em tempo real sobre roaming, fraude e segurança. A combinação das soluções de gestão de risco e gestão de negócio da WeDo com a plataforma de análise avançada de dados da Mobileum vai criar uma abordagem inovadora e abrangente à gestão de fraude e de risco e à garantia de receitas das operadoras de telecomunicações. O conhecimento especializado da WeDo vai enriquecer ainda mais este portfólio integrado de soluções e beneficiar os clientes e parceiros da Mobileum.

Esta aquisição também serve para reforçar a presença global da Mobileum. A atual arquitetura e plataforma da WeDo será assegurada e desenvolvida para posterior integração com a plataforma Mobileum Active Intelligence. A Mobileum e a WeDo terão uma equipa combinada com mais de 1.100 colaboradores em mais de 30 localizações em todo o mundo, servindo mais de 700 clientes em 180 países.

 

EMPRESAS