Inicio Autores Posts por Vanessa Ferreirinha

Vanessa Ferreirinha

391 POSTS 0 COMENTÁRIOS

Mazars regista excelente desempenho em 2019

“Este é o mais elevado valor de crescimento orgânico registado pela Mazars desde 2011/2012. Este desempenho extraordinário resulta da combinação de um alto nível de especialização e do forte compromisso das nossas equipas em oferecer aos nossos clientes uma experiência excelente em todo o mundo, além de um verdadeiro reconhecimento dos benefícios do modelo de partnership integrado da Mazars. A Mazars é um parceiro de confiança para organizações de todos os tipos, não apenas para empresas cotadas”, diz Hervé Hélias, CEO & Chairman do Grupo Mazars.

2019: um ano marcante na expansão internacional

Para além dos resultados financeiros, 2019 assistiu também à assinatura do acordo Mazars North America Alliance, em julho. A Mazars North America Alliance representa um acordo marcante entre a Mazars e cinco empresas líderes na América do Norte e Canadá – BDK, Dixon Hughes Goodman, Moss Adams, Plante Moran (EUA) e MNP (Canadá).  A Mazars North America Alliance representa uma grande mudança para a Mazars, que passa a ter total cobertura na América do Norte e a disponibilizar aos clientes internacionais acesso a mais de 16.000 profissionais na região. A Mazars conta agora com 40.400 profissionais em todo o mundo (24.400 fazem parte do partnership integrado) e 318 escritórios em 91 países e territórios.

Relativamente ao crescimento estratégico da firma, Hervé Hélias acrescenta: “há quatro anos atrás, definimos um plano estratégico ambicioso chamado Next-20. A nossa expansão na China para alcançar dimensão crítica neste vasto mercado e o desenvolvimento de uma oferta competitiva e forte na América do Norte estavam no topo das nossas prioridades, em conjunto com uma transição suave na gestão de topo, com uma sucessão bem planeada de Phillip Castagnac no papel de Presidente do Grupo. Hoje, orgulho-me em poder dizer que esses objetivos foram alcançados. A nossa meta para 2020 é atingir 2 mil milhões de euros de volume de negócios, e sinto-me confiante de que conseguiremos lá chegar.”

Crescimento global

A expansão internacional da Mazars reflete-se na distribuição geográfica das suas fontes de receita, com mais de um terço do volume de negócios proveniente de fora da Europa.

Todas as regiões registaram um forte crescimento em 2018/2019: 7,8% na Europa Ocidental, 13,6% na Europa Central e Oriental, 12,1% na América do Norte, 13,1% na América Latina, 9,4% na África e Meio Oriente, com o maior crescimento registado na Ásia-Pacífico (22,6%). A Ásia-Pacífico representa agora 15% do volume de negócios total da Mazars. Na China, a empresa possui mais de 4.000 colaboradores e mais de 30 escritórios. As operações da Mazars na China integram 137 grandes empresas cotadas e registaram um crescimento de 19% no ano passado. Na Austrália, a Mazars cresceu 100% em 2019, graças à integração de duas empresas locais.

Uma expertise ampla e equilibrada

A auditoria está no centro da expertise da Mazars e continuará a ser o seu principal negócio nos próximos anos. Para dar suporte às crescentes necessidades dos clientes, a Mazars construiu uma oferta significativa em serviços de consultoria, fiscalidade e compliance. Hoje, auditoria e contabilidade representam 63% da receita total e a consultoria 37%.

À medida que se expande geograficamente, a Mazars regista um crescimento sustentado em cada uma das linhas de negócio. O crescimento em 2018/2019 foi: auditoria +8,5%, serviços de contabilidade e outsourcing +8,2%, consultoria +24,2%, assessoria fiscal +9,9%, jurídico (não contemplado na oferta de serviços em Portugal) +34,9% e serviços de consultoria financeira +9,5%.

Uma estratégica de crescimento sustentado

A força da Mazars reside também na sua capacidade de crescer de forma rentável e sustentada. Com pessoas e excelência técnica no centro do nosso desenvolvimento, investimos constantemente nas nossas equipas e na inovação tecnológica, integrando inteligência artificial, machine learning e análise abrangente de dados nos nossos serviços de auditoria e consultoria. Em 2019, 92% das equipas participaram em programas de formação.

A Mazars em Portugal

Em Portugal, a Mazars registou um desempenho positivo em 2018/2019. No horizonte 2020 perspetiva-se que a conjugação do crescimento orgânico com operações de crescimento externo permita um crescimento a dois dígitos.

A firma conta com 180 colaboradores, distribuídos por três escritórios e liderados por uma equipa de seis partners.

Olhar mais além

“2019 foi um ano crucial para a Mazars. Acreditamos que as conquistas e a aceleração da nossa transformação confirmam a excelência técnica dos nossos profissionais e a relevância da nossa estratégia. Permanecemos fiéis aos nossos valores e espírito empreendedor, crescendo de forma responsável e sustentável. A nossa empresa está mais bem posicionada do que nunca para acompanhar o desenvolvimento dos nossos clientes. Em 2020 e nos próximos anos, aspiramos continuar a ser a empresa escolhida por uma gama diversificada de talentos e clientes, num setor que precisa de alternativas, e estamos empenhados em ajudar a construir as bases económicas de um mundo justo e próspero”, conclui Hervé Hélias.

 

Embarque numas férias inesquecíveis em 2020 a bordo da MSC Cruzeiros com Bebidas Incluídas

A promoção do pacote Bebidas às Refeições (Dine & Drinks), criado exclusivamente para esta campanha, está disponível para camarotes Interior e Vista Mar, experiência Bella e Fantastica. Já o pacote Bebidas Tudo Incluído (Premium) é válido para reservas em camarotes Varanda, experiência Bella e Fantastica, Suite Fantastica, camarotes com experiência Aurea (Interior, Vista Mar e Suites) e ainda MSC Yacht Club.

As propostas de itinerários e navios com esta promoção são variadíssimas de Março a Novembro deste ano. Se pretende partir à descoberta das deslumbrantes Caraíbas, a MSC Cruzeiros disponibiliza pacotes especiais de Cruzeiro e Voo, com partida de Miami, a bordo do MSC Seaside e do MSC Armonia. Estes pacotes especiais incluem o cruzeiro de 7 noites, voos Lisboa/Miami/Lisboa, 2 noites de hotel em Miami (MSC Armonia) ou uma noite de hotel em Miami (MSC Seaside), as taxas de aeroporto e transfers aeroporto/hotel/navio/aeroporto. Ambos os navios farão escala na nova e exclusiva ilha privada da companhia nas Bahamas, a Ocean Cay MSC Marine Reserve

Existem também vários itinerários no Mediterrâneo Ocidental, com partidas de Barcelona, Marselha, Génova, Civitavecchia ou Valência, com destaque para o novíssimo MSC Grandiosa, inaugurado em Novembro de 2019, onde estão disponíveis dois novos e exclusivos espectáculos do Cirque du Soleil at Sea. A navegar por uma das regiões mais populares de cruzeiros vão estar também o MSC Divina, o MSC Fantasia, o MSC Opera, o MSC Splendida, o MSC Poesia e ainda o inovador MSC Seaview.

Para os itinerários de 7 noites pelo Mediterrâneo Oriental, com partidas de Veneza, existe a opção Cruzeiro e Voo incluídos em 6 navios da companhia: MSC Lirica, MSC Magnifica, MSC Musica, MSC Opera, MSC Orchestra e MSC Sinfonia.

O Norte da Europa estará também em destaque para conhecer e visitar as Capitais Bálticas e os Fiordes da Noruega a bordo do MSC Meraviglia e do MSC Poesia, com a opção Cruzeiro e Voo incluídos, para partidas de Copenhaga, com itinerários de 7 noites.

A bordo do MSC Splendida e do MSC Preziosa será possível explorar os magníficos Fiordes da Noruega e as belíssimas paisagens do Cabo Norte e Spitzbergen, com partidas só cruzeiro de Hamburgo e Kiel, oferecendo itinerários de 10 e 14 noites, respectivamente. Para itinerários pelo Mar do Norte, poderá ainda embarcar a bordo do MSC Preziosa numa aventura de 7 noites, com possibilidade de embarque em Hamburgo ou em Southampton, no Reino Unido.

Os hóspedes que preferem embarcar ‘à porta de casa’, a promoção Bebidas Incluídas também está disponível a bordo dos tão desejados cruzeiros com partidas e/ou chegadas a Lisboa pelo Mediterrâneo Ocidental a bordo do MSC Splendida, entre Setembro e Novembro deste ano. Poderá usufruir ainda destas vantagens, no mini cruzeiro de 5 noites também a bordo do MSC Splendida, com partida de Génova e chegada a Lisboa.

Para os viajantes que preferirem embarcar e desembarcar no Funchal, o MSC Poesia vai proporcionar itinerários de 12 noites pelo Mediterrâneo Ocidental. A promoção Bebidas Incluídas estará também disponível para o itinerário de 7 noites do MSC Poesia com embarque em Génova e desembarque no Funchal e para o mini cruzeiro de 5 noites com partida do Funchal em direcção a Génova.

A promoção de Bebidas Incluídas é válida para novas reservas, em partidas seleccionadas, limitada à disponibilidade e não acumulável com outras ofertas e/ou promoções, excepto o MSC Voyagers Club, abrangendo todos os passageiros no camarote. Para mais informações sobre preços ou itinerários, sugerimos consulte o seu agente de viagens ou visite o seguinte link Promoção ‘Bebidas Incluídas’.

www.msccruzeiros.pt

Acordo assinado entre AEP e aicep Global Parques fomenta emprego, coesão territorial e investimento

Através das plataformas N-Invest (AEP) e Portugal Site Selection (aicep Global Parques) é reforçado e alargado o processo de captação e facilitação do investimento e da instalação de empresas nacionais e estrangeiras em todo o território nacional, fomentando a criação de economias de rede, através da utilização de bens e serviços comuns, para alcançar ganhos de eficiência decorrentes da proximidade e das sinergias criadas.

Para o Presidente da AEP, Luís Miguel Ribeiro, “este acordo permite o desenvolvimento de um trabalho em rede e é um exemplo de boas práticas ao nível da colaboração entre entidades públicas e privadas em torno de um objetivo comum: criar as melhores condições para o desenvolvimento da iniciativa privada, promovendo a atratividade de investimento e a competitividade das empresas”.

Para o CEO da aicep Global Parques, Filipe Costa, “Este protocolo de cruzamento e intercâmbio de informação vai permitir aumentar as bases de dados quer da N- Invest, quer da Portugal Site Selection, tornando ambas ferramentas mais eficazes. É importante que sejam cada vez mais abrangentes e detalhadas na sua cobertura da oferta nacional de localizações empresariais, por forma a nos posicionarmos sempre com as nossas soluções mais competitivas quando concorremos com outros países por determinado investimento.”

Para o Secretário de Estado da Internacionalização, Eurico Brilhante Dias, “A cooperação entre a Associação Empresarial de Portugal – AEP e a aicep Global Parques, no âmbito da promoção e qualificação da oferta de áreas de localização empresarial é mais um passo para a promoção de Portugal como destino de investimento. A organização da informação e a promoção da localização de investimentos em parques empresariais gera, sem dúvida alguma, ganhos de eficiência coletiva, maior eficiência no investimento em infraestruturas, contribuindo para o estabelecimento de sinergias entre as empresas.”

Tendo em conta que o fator localização está entre as condições que o investidor pondera para o desenvolvimento da atividade, a disponibilização de espaços vocacionados para a instalação de novas empresas é fundamental para potenciar o investimento produtivo. Neste sentido, as duas plataformas oferecem aos potenciais investidores nacionais e internacionais uma ferramenta que permite encontrar a localização mais adequada para se instalarem em Portugal.

N-Invest: www.n-investportugal.pt
Portugal Site Selection: www.portugalsiteselection.pt

EM 2020, OS INVESTIDORES IMOBILIÁRIOS EUROPEUS IRÃO CONCENTRAR AS SUAS ATENÇÕES EM TEMAS COMO INFRAESTRUTURAS, ACESSIBILIDADE, SUSTENTABILIDADE, REUTILIZAÇÃO E ESPAÇO COMO UM SERVIÇO

“A quantidade limitada de ativos de qualidade e o sentimento de final de ciclo conduzirá os investidores a uma procura diversificada em vários setores e geografias”, refere Eri Mitsostergiou, Diretora da Savills European Research. “Com estas excelentes oportunidades de investimento nos setores imobiliários tradicionais a tornarem-se cada vez mais raras, estamos a assistir a um número crescente de investidores a centrarem as suas estratégias de investimento europeu no setor residencial e segmentos alternativos”.

Segundo Alexandra Gomes Portugal, Senior Analyst do Departamento de Research da Savills Portugal:” A realidade europeia tem um paralelo perfeito em Portugal, onde no ano 2019 já começámos a verificar de forma mais consistente um aumento do interesse e da procura por segmentos alternativos, como é o caso de projetos direcionados para Residências de Estudantes. Não obstante, o segmento de escritórios continuará a ser um setor chave para investidores core, a par de projetos de Development”.

As tendências demográficas da Europa e os centros urbanos crescentes têm originado um aumento da procura por habitação, especialmente no que se refere a habitação a preços acessíveis, assim como tem gerado também procura nos sectores de senior living e alojamento para estudantes.

“Com estes ativos a oferecerem grandes oportunidades a investidores que procuram um fluxo de receitas a longo prazo e perspetivas para um crescimento imobiliário anual, não é surpresa que 2019 tenha visto o setor residencial a ser nomeado como o segundo setor preferencial para o investimento imobiliário a nível global”, comenta Marcus Roberts, Diretor, da equipa Savills European Operational Markets. “No novo ano, o lançamento de diversos fundos direcionados para o setor living e operacional intensificará a competição por ativos disponíveis em mercados já limitados, mas esperamos que esta situação conduza a mais negócios de financiamento antecipado e iniciativas de development”.

Em 2020, os investidores terão que partilhar as suas políticas sobre a integração dos riscos de sustentabilidade nas suas decisões de investimento. Com edifícios responsáveis por mais de um terço do consumo de energia global e 40% de emissões totais de CO2, a realidade é estabelecer uma correlação direta entre o baixo risco de ESG (fatores ambientais, sociais e de governança) e melhores rendimentos continuará a ser um desafio. No entanto, e a longo prazo, a Savills espera que as classes de ativos residenciais, como o alojamento acessível e Senior Living, os setores de saúde e educação, beneficiem das políticas ESG, dado que a sua natureza intrínseca identifica-se mais “à prova de ESG” do que outras.

A rutura que, recentemente, temos visto em vários setores imobiliários tem forçado os investidores do setor a assegurarem que o seu espaço se adapta à mudança tecnológica, especialmente durante os períodos de incerteza económica. Devido à necessidade urgente de mais alojamento acessível nas cidades europeias, o reposicionamento de ativos obsoletos ou geradores de rendimentos insatisfatórios tem-se tornado e continuará a ser uma alternativa viável e lucrativa para os investidores.

As taxas de ocupação encontram-se num nível mínimo histórico nas CBDs da Europa e a Savills tem constatado que os ocupantes têm assistido a um aumento das rendas mais elevadas entre os 4 e os 6% por ano, em média, desde 2014, restringindo, por sua vez, as suas margens de lucro operacional. Em resposta, os ocupantes corporativos, em cidades como Paris, estão a transformar-se em fornecedores de espaços de trabalho flexíveis durante épocas de incerteza financeira. Apesar de um espaço de secretária ser mais económico, os serviços adicionais fornecidos no tradicional espaço de trabalho “cool” interligam-se todos com a sua estratégia para atrair talentos. “O espaço como um serviço tem sido um tema quente este ano, mas 2019 também tem sido outro ano de expansão para o take-up de escritórios de espaços flexíveis, que representava 12% do total de take-up em toda a Europa, em comparação aos 10,5% em 2018,” acrescenta Eri. “O caso da WeWork é um bom exemplo das oportunidades e riscos envolvidos neste modelo, mas apesar da publicidade negativa, a tendência é irreversível e com vários operadores de nicho, está a espalhar-lhe pelos setores.”

 Rodrigo Canas, Associate Director do Departamento de Agência da Savills Portugal: ”Em Portugal, a falta de disponibilidade tem sido um dos temas com maior relevância quando falamos de escritórios, principalmente nas grandes cidades. É cada vez mais comum empresas internacionais optarem por Lisboa e Porto, concentrando assim alguns dos seus serviços nas duas maiores cidades do país. Neste sentido, tem sido para estas empresas um enorme desafio encontrar não só o espaço ideal que permita o seu crescimento bem como na obtenção de talento necessário. A procura por espaços flexíveis tem vindo a aumentar, no entanto a intenção futura das empresas, na maior parte dos casos, é de se estabelecerem num projeto de escritórios tradicional, este método tem como objetivo principal “testar o mercado”. Deste modo, a tendência durante os próximos 2 a 3 anos verificar-se-á na escolha de modelos tradicionais de escritórios, assim que as empresas tiverem o seu negócio mais estabilizado e assim que existir nova construção concluída”.

Com a previsão do mercado do retalho online a representar 15% das vendas totais de retalho na Europa Ocidental em 2023, os proprietários com altos níveis de exposição a lojas de retalho estão a ser forçados a adaptar e “reutilizar” o seu espaço para aumentar o rendimento. Dark rooms, lojas pop-up e food halls estão todas a ser incorporadas em projetos de reposicionamento, onde os operadores estão a tornar-se mais inovadores com o seu espaço, no sentido de se envolverem com os seus clientes. Por outro lado, para ajustar a procura à necessidade de espaço logístico direcionado para “last-mile”, os proprietários de retail parks em localizações com boas acessibilidades podem converter espaços menos rentáveis em centros de logística urbana e assim melhorar o seu desempenho.

Para Cristina Cristóvão, Director do Departamento de Retalho da Savills Portugal: “Em Portugal o cenário é diferente no sentido em que a exposição às vendas online está ainda bastante aquém do cenário Europeu, prevendo-se que, para 2023 em Portugal, a percentagem seja de 6,5%, ou seja, menos de metade das previsões para a Europa.

A escassez de oferta nas zonas prime de comércio de rua de Lisboa e Porto, motivada pela dimensão reduzida destas cidades, tem mantido a pressão de subida nas rendas, especialmente nas zonas da Baixa, onde a pressão turística tem também motivado o aumento da procura dos operadores de restauração, nacionais e internacionais.

Este aporte turístico e o interesse geral por Portugal sentido nos últimos anos continua a motivar ainda operadores de moda internacionais a abrir a sua primeira loja em Lisboa.

Apesar da menor exposição ao e-commerce, quando comparado com outros países da Europa (por exemplo em UK, 78% da população compra online, contra apenas 34% em Portugal), coube no entanto aos principais retalhistas um ajuste dos seus canais de venda e aos gestores de áreas comerciais a criação de ferramentas que facilitem e potenciam o ato de comprar, ao mesmo tempo que potenciam as suas áreas de lazer para captar um público que privilegia a experiência em detrimento da aquisição.”

Na última década, a forte urbanização e a densidade crescente em todas as capitais Europeias têm tido um efeito em cadeia severo no crescimento urbano, sendo que para que estas cidades se mantenham bem-sucedidas, a conectividade é a chave. Em resposta, várias cidades periféricas têm visto diversos projetos de infraestruturas urbanas em curso e prevê-se que vejam a luz do dia num futuro próximo, como em Londres (Elizabeth Line), Paris (Grand Paris Express) e Berlim (Extensão do U-Bahn e Tram). “Desenvolver atividade em novas localizações ou expandir para hot spots terciários oferece ao mercado oportunidades excelentes e competitivas para investidores, especialmente em mercados onde os ativos principais são escassos ou muito caros, como sejam Paris e Londres”, menciona Eri Mitsostergiou.

EM 2020, FATURA DE ELETRICIDADE SERÁ MAIS REDUZIDA PARA AS FAMÍLIAS PORTUGUESAS COM A CONTRIBUIÇÃO DAS RENOVÁVEIS

A ERSE aponta também um aumento dos Custos de política energética, ambiental ou de interesse económico geral (CIEGs) a repercutir nas tarifas do Uso Global do Sistema, no valor de 246 M€, em resultado da contabilização de um significativo aumento do Diferencial de Custo da produção em regime especial (PRE).

Contudo, interessa perceber as rúbricas contabilizadas neste aumento do Diferencial de Custo, pois uma análise simplista pode conduzirmos a conclusões equivocadas. De facto, nesta rúbrica, para além do sobrecusto com a PRE, estão contabilizados os ajustamentos dos dois anos anteriores, os alisamentos quinquenais relativos ao mecanismo parcelar de pagamentos do diferencial de custo, as medidas de sustentabilidade do Sistema Elétrico Nacional (SEN) com impacto na PRE e o mecanismo regulatório de equilíbrio da concorrência no mercado (“clawback”).

O significativo aumento que se verifica no Diferencial de Custo da PRE deve-se, essencialmente, a acertos nas medidas mitigadoras ou de sustentabilidade do SEN em 266 M€, questões que são externas à geração de eletricidade renovável e se encontram fora do controlo dos electroprodutores. As medidas mitigadoras incluem os montantes referentes às licenças de emissão de carbono, as compensações anuais pagas pelos produtores eólicos ao SEN decorrentes do DL n.º 35/2013, as transferências do Fundo de Sustentabilidade Sistémica do Setor Energético (FSSSE), as garantias de origem, o Imposto sobre os Produtos Petrolíferos (ISP) e outras potenciais medidas identificadas pelo regime fiscal e SEN.

A redução do montante associado às medidas mitigadoras foi resultado do acerto de receitas sobrestimadas e contabilizadas em exercícios tarifários anteriores e que nunca chegaram a constituir proveitos no SEN:

  • Um montante equivalente a 140 M€ que foi contabilizado enquanto receita do SEN nas tarifas de 2018, mas que nunca poderia ser concretizado. Este valor foi definido na Portaria n.º 268-B/2016, posteriormente revogada pela Portaria n.º 69/2017 e resultou de uma estimativa dos apoios recebidos à promoção e ao desenvolvimento das energias renováveis em programas nacionais, integrados nos apoios públicos europeus. Não foi dada continuidade a esta medida, porque os apoios públicos da Comissão Europeia tinham em linha de conta o regime de remuneração aplicável à data dos programas de incentivo ao setor, inseridos na estratégia europeia de promoção das energias limpas e que, a existir reduzidíssima probabilidade de ser identificada alguma eventual incongruência, os valores a reverter deveriam sê-lo para a Comissão Europeia e não para o SEN.
  • Estimativa de transferências do FSSSE em 130 M€ para tarifas de 2019, que não foram realizadas, tendo este desvio de previsão um reflexo negativo no acerto para 2020.

De facto, o que se torna verdadeiramente importante concluir é que o valor efetivo do sobrecusto da PRE, estimado pela ERSE, terá uma redução de 38 M€, de 2019 para 2020. Para 2020 verifica-se um valor de sobrecusto PRE de 1 034 M€, o mais baixo desde 2012.

Figura. Variação do nível de proveitos a recuperar com a tarifa de Uso Global do Sistema (UGS) de 2019 para 2020.

Como resultado do aumento dos CIEGs, verifica-se um aumento da tarifa de uso global do sistema em 5,9 %, que por sua vez é incorporado e refletido na tarifa de acesso às redes, que em 2020 aumenta 1,3 %.

No que se refere à composição dos encargos na tarifa de eletricidade do consumidor doméstico, as taxas e impostos (taxa de exploração DGEG, ISP, Contribuição Audiovisual e IVA) representam na tarifa 22% do seu valor global. Desta rúbrica, a Contribuição Audiovisual representa 27 % e é destinada ao financiamento do serviço público de radiodifusão e televisão e paga por todos os consumidores domésticos com consumo de eletricidade anual acima dos 400kWh. Ainda, a parcela da energia representa 55%, enquanto as atividades de transporte e distribuição de eletricidade têm um peso relativo de 18%.

7ª edição dos Prémios E! Red Carpet 2019

As categorias dos Prémios E! Red Carpet são:

  • E! Revelação
  • E! Carreira
  • E! Influencer
  • E! Música
  • E! Red Carpet Homem
  • E! Red Carpet Mulher
  • E! Icon

O júri desta edição, que anunciaremos brevemente, irá reunir-se no próximo dia 16 de janeiro para proceder à votação dos vencedores para cada uma das categorias, que só serão conhecidos no dia 30 de janeiro, durante a cerimónia.

As agências participantes no evento são: AGM, Blast, Brandfire, Cecília Mateus, Central Models, Cheese Me, Elite Lisbon, Face Models, Glam, HIT Management, Karacter, L’Agence, Leonor Babo Actores, Luvin, Milenar, Mohit, Naughty Boys, NEXT, Notable, Rita Carrelo, True Sparkle, Vanda Correia Management, What About Agency, WOW Me.

 

 

Temperaturas vão descer esta sexta-feira. Seis barras do continente fechadas por causa da agitação marítima

Texto e Foto : LUSA

As temperaturas vão descer esta sexta-feira, baixando ainda mais durante a noite e a agitação marítica levou ao encerramento à navegação de seis barras de Portugal continental, estando outras seis condicionadas.

As barras marítimas de Caminha, Vila Praia de Âncora, Vila do Conde, Esposende, Póvoa de Varzim e Ericeira estão fechadas a toda a navegação, informou a Autoridade Marítima Nacional (AMN).

De acordo com a AMN, as barras marítimas de Viana do Castelo, Aveiro, Figueira da Foz, S. Martinho do Porto, no continente, e as de Santa Cruz das Flores e Lages das Flores, nos Açores, estão condicionadas.

Por causa da agitação marítima, o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) colocou os distritos de Viana do Castelo, Braga, Porto, Aveiro, Coimbra, Leiria e Lisboa sob aviso amarelo até às 18h desta sexta-feira.

O aviso amarelo traduz situações de risco para determinadas atividades dependentes da situação meteorológica.

O IPMA prevê para esta sexta-feira na costa ocidental ondas de noroeste com 4 a 5 metros, sendo 3 a 4 metros a sul do Cabo Raso, diminuindo para 3 a 3,5 metros a partir do final da tarde.

Está igualmente prevista uma descida da temperatura, sobretudo a mínima, com acentuado arrefecimento noturno.

As temperaturas mínimas vão variar entre os 0º (Bragança e Guarda) e os 9º (Lisboa e Sagres) e as máximas entre os 6º (Guarda) e os 16º (Faro).

SAVILLS PATROCINA ATLETA FEDERADO DE TÉNIS EM CADEIRA DE RODAS

A prova teve como objetivo apurar o Campeão do Circuito Nacional 2019, sendo que dos 14 atletas que ao longo do ano participaram neste circuito composto por 10 provas pontuáveis, foram apurados os 4 melhores classificados. Durante três dias, os finalistas tiveram a oportunidade de disputar o título de Campeão.

No último dia do circuito, João Couceiro terminou o Masters TCR, no Jamor, na terceira posição da classificação geral, com um triunfo sobre Francisco Aguiar (CS Nun’Álvares), por 4-6, 6-2 e 6-3. O primeiro classificado foi Carlos Leitão e o segundo João Sanona.

“O João é um exemplo de esforço, trabalho e dedicação. Características muito valorizadas na Savills. Apoiámo-lo neste percurso logo que soubemos da forte aposta que queria fazer nesta modalidade, e só não o fizemos mais cedo porque sendo o João um elemento muito discreto foi realizando provas e somando sucessos de forma muito silenciosa. Gostamos de desporto e de apoiar iniciativas desportivas dos nossos colaboradores, logo, não podíamos ficar indiferentes ao sabermos dos objetivos do João a uma escala mundial, numa iniciativa tão meritória e com que tão bom exemplo de força de vontade nos dá. Acima de tudo acreditamos nas capacidades desportivas do João e na sua tenacidade, que seguramente o levará longe. Toda a equipa da Savills quer estar com o João neste caminho e foi por isso que vários colegas estiveram no Jamor para o apoiar. Foram três dias muito enriquecedores, que refletiram momentos de inspiração através do ténis em cadeira de rodas” comenta Patrícia Liz, CEO da Savills Portugal.

Um dos principais objetivos do João Couceiro para a temporada de 2020, é conseguir integrar a Seleção Nacional  que irá participar na fase final do Campeonato do Mundo que se irá realizar em Maio 2020, em Vilamoura e aumentar a sua presença em torneios ITF, com vista a melhorar o seu ranking mundial. Este atleta, natural de Coimbra, representa o Clube Nacional de Ginástica e – em 2019 realizou 12 torneios nacionais e 6 ITF Futures Series (Portugal, Espanha e França).

No Campeonato Nacional Absoluto 2019 revalidou o título de Vice-Campeão Nacional na vertente de pares.

A 30 de Dezembro de 2019, obteve a sua melhor classificação no UNIQLO Wheelchair Tennis World Ranking, estando no lugar #305, sendo o 3º atleta português mais cotado da atualidade a nível internacional.

CONSUMIDORES CONSIDERAM QUE O MAR SHOPPING MATOSINHOS É O MELHOR CENTRO COMERCIAL DO GRANDE PORTO

O MAR Shopping Matosinhos foi avaliado pela “Escolha do Consumidor”, o principal sistema de monitorização do nível de satisfação e aceitabilidade das marcas pelos seus atributos individuais, com a garantia de que estas são avaliadas, sempre, por consumidores com experiência corrente de consumo e de acordo com os seus critérios específicos de satisfação.

Nesse sentido, o MAR Shopping Matosinhos e sete centros comerciais concorrentes, nomeadamente NorteShopping, Shopping Cidade do Porto, Via Catarina Shopping, Campus S. João, ArrábidaShopping, GaiaShopping e Parque Nascente, foram avaliados num universo de 913 marcas pelo grau de satisfação e recomendação que proporcionam aos consumidores. No culminar do processo, a “Escolha do Consumidor” premeia este ano 154 marcas. A cerimónia de entrega de prémios realiza-se hoje, 9 de janeiro, no Capitólio em Lisboa, às 18h00.
Nesta 8ª edição, foram envolvidos cerca de 20 mil consumidores nas 132.952 avaliações de setores tão diferentes como Comunicação Social, Alimentação, Festivais, Viagens e Lazer, Produtos, Equipamentos e Higiene para o Lar, Cuidados Pessoais, Serviços e Comércio Especializado, Produtos e Serviços de Beleza, Cuidados Infantis, Financeiro, Automóvel e Telecomunicações.

MAR Shopping Matosinhos com nível de satisfação acima da média da edição

Quando avaliado em comparação com a concorrência, o MAR Shopping Matosinhos obteve um nível de satisfação de 77,8% que, de acordo com a ConsumerChoice – Centro de Avaliação da Satisfação do Consumidor, é um “valor acima da média desta edição”. Aquele que foi considerado o melhor centro comercial do Grande Porto obteve um score de satisfação 2,1 pontos percentuais acima do segundo classificado, 4,1 do terceiro e 16,2 do último.

Os atributos mais valorizados pelos consumidores nesta categoria de Centros Comerciais do Grande Porto, foram: parque de estacionamento gratuito, variedade de lojas/lojas para todas as carteiras, limpeza dos espaços, proximidade, disponibilidade de equipamentos/serviços, climatização e localização/proximidade.

“Para nós é muito importante esta avaliação, porque se baseia na perceção dos clientes para os quais damos o nosso máximo todos os dias, há mais de 11 anos. Quando abrimos, o nosso objetivo foi oferecer uma experiência de compra diferente aos nossos visitantes, mas que incluísse momentos culturais e de lazer, que tornasse o nosso centro comercial um ponto de encontro de famílias e amigos. Este estudo mostra que estamos no bom caminho, o que nos deixa muito satisfeitos”, sintetiza Sandra Monteiro. A diretora-geral do MAR Shopping Matosinhos recorda ainda que este foi um dos primeiros centros comerciais do grupo Ingka Centres a ser ancorado numa loja IKEA, o que “só trouxe resultados positivos”. “Permitiu-nos criar laços com a comunidade e com os nossos clientes porque seguimos a mesma filosofia de tornar mais feliz a vida de quem nos visita”, acrescenta.

De referir que a “Escolha do Consumidor 2020” premeia as marcas, com base na sua performance em 2019, através de um processo que envolve a identificação dos atributos mais importantes para os consumidores e uma avaliação efetiva das marcas de cada categoria, permitindo aferir quais as que apresentam maiores níveis de satisfação e intenção de compra ou recomendação. É o sistema de avaliação de marcas n.º 1 em Portugal, liderando todos os índices (notoriedade, credibilidade, isenção e transparência e motivação de compra) junto dos consumidores portugueses (estudo More Out.2019), com 90% de notoriedade.

Médicos apresentam aos partidos seis propostas para combater problemas no SNS

Texto: LUSA Foto: Mário Cruz - LUSA

Os sindicatos dos médicos apresentaram esta quarta-feira aos grupos parlamentares do PSD, BE e PCP seis propostas para combater os problemas do Serviço Nacional de Saúde (SNS), entre as quais a dedicação exclusiva e a redução do horário de urgência.A Federação Nacional dos Médicos (FNAM) e o Sindicato Independente dos Médicos (SIM) reuniram-se com os grupos parlamentares destes três partidos, aos quais “manifestaram preocupação com o estado atual do SNS e reafirmaram a necessidade de valorização da Carreira Médica para atrair e reter os médicos no SNS”.

Em comunicado conjunto divulgado após as reuniões, FNAM e SIM defenderam ainda que os sindicatos dos médicos “constituem parte da solução para o problema”, apresentando seis propostas.

Rever a carreira médica para contemplar nas grelhas salariais a possibilidade de dedicação exclusiva dos médicos, uma tabela de valorização do trabalho em urgência e uma redução dos horários dos turnos em serviço de urgência das 18 horas para as 12 horas, “permitindo mais tempo para a atividade assistencial e a diminuição das listas de espera” estão entre as propostas.

Propõem ainda rever o número de utentes por médico de família, um estatuto de “desgaste rápido, risco e penosidade acrescidos para a profissão médica” e “medidas de proteção e segurança dos médicos nos seus locais de trabalho”.

“Os recentes casos de violência contra médicos são reflexo da deterioração dos cuidados de saúde e à passividade governamental na sua resolução”, criticam os sindicatos.

A 15 de janeiro as duas estruturas sindicais vão reunir-se com os grupos parlamentares do PS, CDS-PP e PAN, aguardando ainda que seja agendada uma reunião com a comissão parlamentar de Saúde.

EMPRESAS