Inicio Autores Posts por Vanessa Ferreirinha

Vanessa Ferreirinha

265 POSTS 0 COMENTÁRIOS

Portugal Renewable Summit 2019 recebe importantes especialistas nacionais e internacionais do setor das renováveis

A Conferência será dividida em três grandes painéis, que englobam os mais atuais e relevantes temas relacionados com as energias renováveis. O primeiro, dedicado à cidadania na transição energética, abordará as alterações climáticas, a digitalização e a regulação na adoção de novos modelos de negócios. No segundo painel serão discutidas ferramentas de financiamento e decisões de investimento, com foco na energia solar, PPAs, leilões e projeções de preços de eletricidade para 2030. Por fim, no terceiro painel serão apresentados os principais desafios do setor energético até 2030, como a regulamentação dos mercados, a adaptação das redes ao novo paradigma energético, o licenciamento ou o repowering. Pelo meio, haverá ainda um segmento dedicado à análise do PNEC – Plano Nacional de Energia e Clima.

 A abertura e o encerramento do evento estarão a cargo, respetivamente, da Secretária de Estado do Ambiente, Inês Costa e do Secretário de Estado da Energia, João Galamba. Paralelamente, terá lugar a cerimónia de atribuição do Prémio APREN 2019  – uma iniciativa que visa divulgar teses académicas relacionadas com a eletricidade de origem renovável.

São esperados cerca de 450 participantes – a maior afluência de sempre a um evento da APREN e um marco histórico no âmbito dos eventos do género em Portugal –, que ouvirão oradores de entidades como a Huawei, ENEL Green Power, Smartenergy, WindEurope, CaixaBank e Comissão Europeia.

Mudanças no comportamento e necessidade de afirmação aumentam risco de anemia entre adolescentes

Lino Rosado, pediatra, dá conta daquela que é uma característica comum nos adolescentes: “as mudanças nos hábitos alimentares resultantes da influência dos amigos e a necessidade de autoafirmação no seio da família. São estes fatores sociais e comportamentais que originam na grande maioria dos casos a carência em ferro”, responsável principal da anemia neste grupo etário.

“A deficiência em ferro ou ferropenia é a mais frequente deficiência nutricional, sendo a anemia o último estádio desta deficiência”, explica o médico. “A ferropenia resulta principalmente de uma dieta na qual a biodisponibilidade do ferro é inadequada, associada a uma necessidade aumentada de ferro durante um período de rápido crescimento e desenvolvimento muscular, que resulta num aumento do volume de sangue. A adolescência é efetivamente um desses períodos”, acrescenta.

Apesar de haver poucos dados disponíveis sobre a prevalência da deficiência em ferro nos adolescentes, Lino Rosado refere que “as estatísticas mostram taxas de prevalência de 9% em raparigas dos 12 aos 15 anos e de 16% em raparigas dos 16 aos 19 anos”. No caso dos rapazes, “a prevalência é mais baixa e isso deve-se sobretudo às perdas mensais das raparigas durante o período menstrual”.

O especialista não tem dúvidas: “É muito importante que haja uma adequada quantidade de ferro na dieta e este seja biodisponível para satisfazer as necessidades neste período particular da vida.”

E é importante também estar atento aos sinais e sintomas, uma vez que, na maioria dos casos o início da anemia é pouco percetível. “Os sintomas vão aparecendo progressivamente, tais como o cansaço, a palidez, as palpitações, a irritabilidade, as cefaleias e até alterações no comportamento escolar”, esclarece o pediatra.

Porque os sintomas se confundem, muitas vezes, com outros problemas de saúde, importa conhecê-los, divulgá-los, partilhá-los. É o que se pretende com uma nova aplicação, disponível em www.orostodaanemia.pt/, que tem como principal objetivo sensibilizar a população para o que é considerado já um problema de saúde pública.

A prevenção deve ser a palavra de ordem. No que diz respeito às adolescentes, o especialista aconselha que sejam “seguidas anualmente após a menarca e os adolescentes durante o seu período de maior crescimento”. Em caso de dúvidas, o melhor mesmo é consultar um médico.

Recorde-se que, por cá, o estudo EMPIRE, trabalho pioneiro realizado em todo o território continental pelo Anemia Working Group Portugal, avança que 20,4%, ou seja, um em cada cinco portugueses, são afetados por anemia em algum momento da sua vida, com 52,7% de todos os casos a serem resultado de uma deficiência de ferro.

Medicina personalizada na artrite reumatóide em destaque no Colóquio A.N.D.A.R. 2019

FUNDAÇÃO CALOUSTE GULBENKIAN

Abrir uma porta, pegar numa caneta, calçar uns sapatos. Para as 70 mil pessoas que vivem, em Portugal, com artrite reumatóide, estes gestos simples tornam-se tarefas complicadas, dolorosas, difíceis.

É sobre técnicas destinadas a melhorar o diagnóstico e o tratamento destes doentes que se vai falar no Colóquio A.N.D.A.R. 2019, uma iniciativa da Associação Nacional dos Doentes com Artrite Reumatóide, que se realiza no dia 29 deste mês, na Fundação Calouste Gulbenkian. Este ano, a biópsia sinovial é o tema em destaque, um exame que “é a base para o conhecimento que se está a juntar sobre a medicina personalizada nestes doentes: diagnosticar mais cedo e tratar da forma mais correta”, explica João Fonseca, especialista do Serviço de Reumatologia e Doenças Ósseas Metabólicas do Hospital de Santa Maria.

Trata-se, refere o especialista, de um exame que implica a colocação de “uma agulha guiada por ecografia, que retira tecido sinovial do interior da articulação para análise”. Um exame que continua por generalizar, apesar de “ajudar a caracterizar melhor o tipo de doença”.

No evento, que conta com o Alto Patrocínio do Presidente da República, a biópsia sinovial na artrite reumatóide vai ser a grande protagonista, procurando-se aqui encontrar a resposta à questão: será agora que a promessa se concretiza? Uma discussão que, segundo o especialista, teve início há 20 anos.

Recorde-se que a artrite reumatóide é uma doença reumática inflamatória crónica, que pode ocorrer em todas as idades, afetando sobretudo as estruturas articulares e periarticulares. Quando não tratada precoce e corretamente, a artrite reumatóide acarreta, em geral, graves consequências para os doentes, traduzidas em incapacidade funcional e para o trabalho.

O evento contará ainda com a participação de Manuel Sobrinho Simões e Maria Carmo-Fonseca, cientistas e investigadores mundialmente reconhecidos e com vários prémios nacionais e internacionais, e que farão as suas intervenções sobre “Da inflamação à neoplasia: primado da medicina narrativa” e “Medicina de precisão”, respetivamente.

Condé Nast coloca a região dos Vinhos do Alentejo no Top 6 dos destinos vinícolas para 2020

Cinco dos maiores especialistas em vinho nos Estados Unidos foram questionados sobre onde planeavam estar na sua passagem de ano e o Alentejo foi um dos destinos eleitos. O resultado são seis regiões do mundo com muito para explorar, tanto ao nível do enoturismo, como de toda a sua envolvente.

Laura Ginnatempo, autora do artigo, visitou o Alentejo em 2017 e descreve a região como próxima de Lisboa e do Algarve, cuja principal atração é o enoturismo. A especialista destaca a oferta heterogénea de excelentes vinhos, brancos e tintos, produzida com uvas autóctones tais como a touriga nacional, a aragonez e a alicante bouschet.

Michele Gargiulo, sommelier na Jean Georges do Hotel Four Seasons Filadélfia, também referido neste artigo, define locais como a Herdade do Freixo como exemplo das melhores e mais modernizadas adegas da Europa, refere ainda que os vinhos da Herdade do Arrepiado Velho estão entre os seus favoritos, colocando assim o Alentejo no top do ranking mundial. Quanto ao vinho, a sua preferência é a touriga nacional que classifica como um produto de uma complexidade, mineralidade e estrutura deslumbrantes.

A par com a Lombardia e a Sicília em Itália, Western Cape na África do Sul, o Vale Willamette no estado de Oregon (EUA) e a Península do Niágara no Canadá, o Alentejo português foi assim eleito como destino a não perder para os amantes de um vinho de ótima qualidade.

Para Francisco Mateus, Presidente da Comissão Vitivinícola Regional Alentejana, “É um orgulho este reconhecimento de um meio tão reputado, que confirma que o Alentejo continua a encantar e a marcar quem por cá passa. Esta é mais uma importante menção para o turismo do nosso Alentejo e uma prova que estamos a fazer um excelente trabalho”.

Se já está a planear as férias de 2020, o Alentejo vai ser, sem dúvida, um destino a não perder.

GRUPO OLIVIER ESTABELECE PARCERIA COM SPORT TV

No SPORT TV Guilty Stadium, conceito desenvolvido em exclusivo pelo canal desportivo português para os restaurantes Guilty by Olivier, é possível assistir aos principais campeonatos de futebol, nomeadamente a Liga NOS, as Ligas Italiana e Inglesa, jogos das seleções e Liga Europa. Mas há modalidades para todos os gostos e quem prefere NBA, Moto GP, atletismo, golfe ou ténis também tem lugar cativo.

Seja no Guilty Avenida, que foi recentemente remodelado, no Guilty Parque das Nações, inaugurado há um ano no piso térreo do Tivoli Oriente, ou no Guilty Porto, aberto em maio passado, o espaço “veste-se” a preceito e a equipa dá as boas vindas aos clientes com cachecóis ao pescoço, recriando a típica atmosfera das bancadas.

Para acompanhar as emoções da partida, o Guilty sugere alguns pratos para picar e bebidas para todos os gostos. Quem não se quiser ficar pela simples imperial, pode optar por diversos tipos de cerveja, além de uma seleção variada de vinhos, licores, aperitivos, bebidas espirituosas e cocktails de autor.

Se o horário do jogo não pede uma refeição completa, propõe-se petiscos para dividir entre golos e momentos decisivos, como os incontornáveis Mexican Appeal Nachos, com queijo cheddar, sour cream, guacamole e pico de gallo, a Focacheese, com queijo, manteiga de ervas e alho, ou as asinhas de frango picantes. Caso o estômago peça algo mais substancial, o difícil será escolher entre um dos mais emblemáticos pratos da carta, de que fazem parte hambúrgueres, pizzas e massas. No fim, haja ou não motivos para festejar, sobra sempre espaço para uma das indulgentes sobremesas Guilty.

E porque ver a bola entre amigos traz ao de cima o espírito competitivo de qualquer um, implicando quase sempre tentar acertar nos resultados, o SPORT TV Guilty Stadium lança um desafio a todos os aficionados. Em dias de jogo selecionados, os participantes recebem um formulário de inscrição onde podem colocar o seu palpite até ao intervalo; no fim do jogo, quem acertar no resultado, ganha um voucher com mensalidades gratuitas de SPORT TV Premium, ao som de We Are The Champions, dos Queen.

PROCURA DE EMPREGO CRESCE 50% EM 2019

Para além de todas as conclusões já enunciadas, é interessante perceber-se quais os empregos/palavras-chave mais procurados em cada setor:

  • Restauração, Hotelaria e Turismo: cozinheiro, empregado de mesa, pasteleiro, ajudante de cozinha
  • Domésticos e Limpezas: empregada doméstica, empregada de limpeza, part-time, limpeza em lisboa, limpezas porto
  • Construção Civil: pedreiro, pintor, servente, eletricista, pintores
  • Transportes e Logística: motorista de pesados, motorista uber, estafeta, motorista ligeiros
  • Comercial: vendedor, part-time comercial, comercial seguros

O contexto positivo que Portugal vive atualmente em termos de empregabilidade reflete-se, naturalmente, nos números divulgados neste estudo. A taxa de desemprego é a mais baixa de há muitos anos a esta parte e, pela importância que cada vez mais temos na vida das pessoas, o OLX torna-se num parceiro óbvio para encontrar inúmeras soluções a este nível. Portanto, e mais do que destacar o impressionante crescimento dos números, apraz-nos constatar que somos efetivamente um parceiro ideal para os diferentes momentos da vida dos nossos utilizadores”, considera Andreia Pacheco, Brand Manager do OLX em Portugal.

Uma outra curiosidade interessante prende-se com o ranking das palavras-chave mais pesquisadas nesta categoria, dando uma perspetiva mais precisa sobre o que as pessoas mais procuram: 1º – “8 ano”, 2º – “professor”, 3ª – “5 ano”, 4º – “6 ano”, 5º – “livros escolares”.

III Fórum da Pioneer®, a divisão de sementes da Corteva Agriscience™, junta mais de 750 agricultores em Santarém

A Corteva Agriscience™, empresa líder no setor agrícola em tecnologia aplicada a sementes, proteção de culturas e agricultura digital, celebrou em Santarém o seu fórum que ocorre a cada dois anos, sob a marca Pioneer®, que dá nome à divisão de sementes da empresa. Um evento, que se tornou um ponto de encontro obrigatório para os principais players do setor da agricultura extensiva em Portugal.

Agricultores, técnicos, entidades oficiais, distribuidores e todos os protagonistas de um setor fundamental para a economia portuguesa, reuniram-se no CNEMA (Centro Nacional de Exposições e Mercados Agrícolas S.A.), para acompanhar as intervenções dos principais oradores deste setor.

No discurso de boas-vindas, Luis Grifo, Diretor Comercial de Sementes da Corteva Agriscience em Portugal, destacou que: “O objetivo fundamental deste encontro foi retirar conclusões claras sobre se é possível, e de que forma, a prática de uma agricultura mais sustentável na atual conjuntura de mercado”.

O evento foi articulado através de dois grupos de debate. O primeiro deles, celebrado sob o título: “Por uma agricultura sustentável” foi moderado por Francisco Gomes da Silva, da Agroges, e contou com a participação de João Coimbra (agricultor); Paula Carvalho (DGAV); Isabel Ribeiro (Elaia) e João Pedro Salema (EDIA) tendo-se centrado numa primeira fase na definição do conceito de sustentabilidade na agricultura e posteriormente  no esforço necessário a ser realizado pelas  empresas fornecedoras de matérias primas e pelas explorações para a incorporação de uma política clara e eficiente de sustentabilidade nos processos de produção.

Por outro lado, Paula Carvalho, subdiretora da DGAV, realçou a importância
da regulamentação para as empresas do setor: “Após a retirada massiva de produtos fitossanitários, algumas culturas ficaram numa situação muito delicada contra a pressão das pragas”. Além disso, conclui ainda “os reguladores têm a obrigação de desenvolver uma estrutura reguladora estável para que as empresas possam investir no desenvolvimento de soluções”.

O segundo grupo, moderado por Jorge Neves, Presidente da direção da Anpromis, focou-se na análise dos mercados no panorama atual. Uma conjuntura marcada por uma grande volatilidade derivada de vários fatores internacionais, desde as alterações climáticas até à reviravolta produzida pelas limitações no acesso a alguns mercados fundamentais, motivadas pela imposição de taxas, passando a nível europeu pela revisão em curso da Política Agrícola Comum. Uma política que certamente trará importantes novidades em termos de volume de subvenções, requisitos de perceção, culturas contempladas, entre outras. Tudo isto tendo em consideração a agricultura europeia pós-Brexit.

A jornada foi concluída por Víctor Hernández, Business Manager para Portugal da Corteva, que destacou a importância deste tipo de fóruns de debate e agradeceu ao público, moderadores, oradores e copatrocinadores pelas suas contribuições num evento em que a “Corteva quis lançar novamente luz sobre os desafios presentes e futuros, renovando o seu compromisso com os produtores e os consumidores”.

Os debates foram realizados no interior do pavilhão e, no mesmo complexo do evento, os diferentes patrocinadores (Lagoalva, Repsol, Hidrosoph, Tecniferti e Forte) aproveitaram a ocasião para apresentar as suas novidades no recinto anexo.

A Corteva dedicou este espaço à sua divisão de proteção de culturas, com uma ênfase especial sobre no seu novo produto Zorvec, um fungicida destinado principalmente à vinha, tomate e batata, cujo novo modo de ação implica uma revolução no mercado. Este produto não apresenta qualquer tipo de resistência cruzada com os fungicidas existentes e, por outro lado, oferece diversos efeitos no ciclo de vida do agente patogénico (preventivo, curativo, erradicante e antiesporulante) para uma melhor eficácia e extensão do controlo.

SIBS REFORÇA INVESTIMENTO EM CASTELO BRANCO CRIANDO MAIS 200 POSTOS DE TRABALHO

De recordar que a SIBS está presente neste Município desde 2012, empregando, atualmente, 300 pessoas nas suas equipas de continuidade de operações de BPO, nomeadamente em serviços de Backoffice.

 Estas novas instalações cumprem o objetivo da SIBS de reforço e complemento das suas equipas em Lisboa, descentralizando as operativas de BPO e garantindo um sistema ativo-ativo operacional.

A criação destes postos é um investimento da SIBS para o desenvolvimento da economia desta região, sendo, em paralelo, uma oportunidade para jovens albicastrenses poderem desenvolver carreira na sua localidade de origem, numa das maiores empresas que aqui tem desenvolvido atividade no Município, permitindo igualmente demonstrar o potencial do centro do País.

Este Município tem visado criar condições para a domiciliação de empresas na região, ajudando empresas como a SIBS a eleger Castelo Branco como local ideal para, descentralizar a sua atividade e serviços prestados, criando assim externalidades positivas para o próprio concelho.

“Castelo Branco é uma localidade com uma população jovem, ativa e com excelente capacidade profissional que tem ajudado a SIBS a fazer crescer o seu negócio na região”, afirma João Luís Baptista, COO e Administrador Executivo da SIBS, acrescentando que “estamos certos que o investimento nestas novas instalações demonstra o reforço da aposta da SIBS na região, garantindo a empresa níveis adequados de resiliência operacional mediante a localização do seu negócio em diferentes áreas geográficas seguindo assim as melhores práticas de mercado”.

A SIBS é uma empresa de referência nacional de Business Process Outsourcing, prestando serviços que combinam de forma única, tecnologia e pessoas. Complementando as suas soluções tecnológicas com equipas eficientes e eficazes, a SIBS posiciona-se como um importante parceiro de negócio no mercado de transformação digital de processos, trabalhando em segmentos como a Banca, Seguros, Saúde, Telecomunicações, Utilities e Distribuição

Profissionais de saúde debatem o futuro da Oncologia em Portugal

Ao longo de três dias, mais de 600 profissionais de saúde vão discutir os importantes avanços no diagnóstico e tratamento das doenças oncológicas, sob o mote “uma visão sobre o futuro da Oncologia em Portugal – ciência, estrutura e decisão”. O Congresso conta com o Alto Patrocínio da Presidência da República.

 Nesta que é a reunião magna da oncologia serão apresentados pela primeira vez alguns dos projetos que estão a ser desenvolvidos pelos grupos de trabalho da SPO dedicados a áreas prioritárias em Oncologia: dados em oncologia, sobreviventes de cancro, cuidados de suporte e paliativos, tumores hereditários e prevenção.

Os participantes vão ainda poder assistir a sessões científicas em que se abordarão as mais recentes conquistas no combate ao cancro, quer ao nível do conhecimento da doença, quer no desenvolvimento de terapêuticas cada vez mais direcionadas, mas também políticas de saúde mais assertivas.

Destaque ainda para as sessões plenárias que irão debater os grandes “desafios da Oncologia na atualidade” e a importância da “literacia em Oncologia”.

O programa completo e todas as informações sobre o 16.º Congresso Nacional de Oncologia podem ser consultados em www.congressonacionaloncologia.pt

Jungheinrich lança reboque eléctrico compacto para transporte de artigos pequenos

Jungheinrich EZS130

Projectado para espaços estreitos e com um elevado grau de flexibilidade, o EZS 130 com uma largura de 600 mm destina-se ao transporte ágil de artigos pequenos em comboios logísticos que poupam espaço. Este reboque é ideal para o transporte de carrinhos de bagagem nos aeroportos, para além de outras aplicações.

Devido ao seu motor de 24 V com a tecnologia CA trifásica, o novo reboque eléctrico pode acoplar uma variedade de diferentes tipos de atrelados com um peso total de/até 3.000 kg. A tecnologia de acionamento do EZS 130 garante um nível mais alto de eficiência com a máxima eficiência energética. A Jungheinrich disponibiliza o EZS 130 com as baterias de chumbo-ácido, bem como com a mais avançada tecnologia de iões de lítio. Com tempos de carregamento rápidos, sem necessidade de manutenção e com uma longa vida útil da bateria, o utilizador obtém benefícios económicos e ecológicos com as baterias de iões de lítio. De salientar que actualmente a Jungheinrich já disponibiliza quase toda a sua gama de equipamentos de movimentação de carga com esta tecnologia.

O acoplamento de fácil acesso, a altura baixa da plataforma para facilitar a entrada e a saída do condutor e o encosto reclinável permitem um trabalho ergonómico. O volante multifunções jetPILOT, o travão de estacionamento acionado automaticamente e os sistemas de assistência inteligentes para aumentar a segurança na condução garantem conforto e segurança.

O EZS 130 é particularmente seguro graças ao curveCONTROL, que ajusta de forma flexível as propriedades de direção do reboque e reduz automaticamente a sua velocidade nas curvas. O equipamento tem ainda uma luz LED integrada o que permite aumentar a sua visibilidade em áreas pouco iluminadas, assim como um sistema de floor spot opcional que reduz o risco de colisão em áreas congestionadas, através da projecção de luzes vermelhas ou azuis no chão.

A Jungheinrich disponibiliza ainda vários acessórios para o EZS 130 para ajuste individual, a fim de garantir um uso versátil.

EMPRESAS