Inicio Autores Posts por Vanessa Ferreirinha

Vanessa Ferreirinha

462 POSTS 0 COMENTÁRIOS

Saiba como obter um sorriso saudável e qual a sua importância

Quem o diz é Pedro Nicolau, médico dentista da Best Quality Dental Centers (BQDC), que, no âmbito do Dia Mundial do Sorriso, alerta para a importância do sorriso para um bem-estar pleno, explicando como o podemos conseguir.

O sorriso é um dos traços mais marcantes da expressão humana e da personalidade. “Alguns sorrisos transmitem confiança e determinação, outros receio e indecisão. Há sorrisos que transmitem uma cuidada higiene oral, outros não. Assim, sentir-se bem com o seu próprio sorriso não é apenas uma questão de estética é um fator determinante no bem-estar psíquico e social de qualquer ser humano e na perceção que os outros têm da sua higiene oral. É importante que nunca se iniba um sorriso nem se tenha vergonha do mesmo,” começa por explicar o médico dentista.

Um sorriso saudável não é um mito e está ao alcance de todos.  Para Pedro Nicolau, “ter um sorriso bonito e sem doenças não implica investimentos avultados em tratamentos dentários ou de estética, mas sim hábitos de vida saudáveis, algumas medidas de prevenção de saúde oral e visitas, pelo menos anuais, ao médico dentista.”

Relativamente às medidas de prevenção, o especialista alerta que: “é importante prevenirmos toda a patologia oral que possa levar a alterações na integridade, forma, estrutura, posição e cor dos dentes. A prevenção das doenças periodontais, também assume um papel crucial na manutenção da saúde e estética oral a médio e longo prazo. Quando olhamos para a nossa boca e vemos placa bacteriana ou tártaro nas superfícies dentárias, para além do aspeto desagradável, é sinal de maus hábitos de higiene oral. E embora a higiene oral seja uma prática que se deve aprender corretamente desde a infância, nunca é tarde para ser implementada adequadamente, de preferência com a ajuda de profissionais habilitados.”

Já sobre hábitos de vida, o médico esclarece que: “deve-se procurar reduzir ou eliminar maus hábitos como o tabaco ou o excesso de bebidas que pigmentam e alteram a cor e superfície dos dentes, como o café, o chá ou o vinho tinto. Devemos procurar ter hábitos alimentares adequados sem excessos de hidratos de carbono, sobretudo aqueles ricos em açúcares refinados como são o caso da maioria cereais e sumos que são consumidos diariamente e que levam a alterações na estrutura do esmalte (camada externa do dente), tornando-o mais rugoso, suscetível à pigmentação, às cáries e ao desgaste ficando os dentes mais opacos e com menos brilho.”

Por último, o médico afirma que “nunca descurar a ida às consultas de medicina dentária de uma forma regular, com consultas programadas e adaptadas às necessidades de cada paciente, apostando primeiro na prevenção e conservação antes da necessidade de tratamentos complexos. Em Portugal o problema é que ainda não existe o hábito de ir regularmente ao médico dentista, e assim cai-se na tentação de procrastinar, recorrendo já em instâncias muito avançadas do prejuízo estético e funcional da cavidade oral. Infelizmente muita patologia oral não é reversível e ficam sequelas para toda a vida que podiam ser perfeitamente evitadas.”

Relatório de Sustentabilidade da Brambles apresenta os resultados positivos dos compromissos de sustentabilidade do grupo

A Brambles, empresa global de soluções de cadeia de abastecimento a operar em quase 60 países, apresenta conclusões sobre o seu sucesso em termos de sustentabilidade para o ano fiscal de 2019, no Relatório de Sustentabilidade recentemente lançado. Em conjunto com os seus clientes, as soluções da Brambles ajudaram a poupar:

  • 2 milhões de toneladas de CO2
  • 1,7 milhões de metros cúbicos de madeira
  • 2595 megalitros de água
  • 1,3 milhões de toneladas métricas de resíduos sólidos
  • 1,7 milhões de árvores

Estas poupanças foram conseguidas através da simples substituição de embalagens de utilização única ou embalagens sem retorno por alternativas reutilizáveis que são continuamente partilhadas, reparadas e reutilizadas ao longo da cadeia de abastecimento.

Em 2015, a Brambles comunicou os seus compromissos de sustentabilidade para 2020 e as questões abordadas pelo programa, como silvicultura sustentável e eliminação de resíduos das cadeias de abastecimento, são agora mais importantes do que nunca para as respetivas partes interessadas. À medida que a empresa entra no ano final para o período dos objetivos para 2020, aproxima-se cada vez mais de conseguir um fornecimento de materiais 100% sustentáveis para madeira, atingindo os 99,7% (no ano fiscal de 2018, o valor era de 99,4%). Além disso, 60% da eletricidade que alimenta os centros de serviços da Brambles tem origem em fontes de energias renováveis certificadas, representando um aumento de 34 pontos percentuais no ano fiscal de 2018, o que torna as suas soluções já com baixas emissões de CO2 ainda mais sustentáveis.

A empresa está no processo de definir um novo horizonte de sustentabilidade, com a ambição de tirar partido da sua posição enquanto espinha dorsal invisível das cadeias de abastecimento globais, visando um impacto positivo nas comunidades, nos clientes e no planeta.

Moldar um futuro sustentável

Como parte do objetivo Melhor Colaboração da Brambles, a empresa lançou recentemente o programa Um mundo com zero desperdício (ZWW, Zero Waste World), orientado para a criação de parcerias com fabricantes e retalhistas, com o objetivo de resolver desafios importantes e partilhados, ao mesmo tempo que se economiza tempo, dinheiro e recursos naturais. O programa ajuda a fazer a transição para uma economia circular de forma mais rápida e simples, com iniciativas centradas em três áreas fundamentais: eliminação de resíduos, erradicação de quilómetros de transporte em vazio e corte nas ineficiências através de soluções inovadoras.

No ano passado, as Soluções de Transporte Colaborativo oferecidas pela CHEP, empresa da Brambles, em colaboração com o seu braço digital, a BXB Digital, ajudou mais de 246 clientes a alcançarem poupanças de 69,6 milhões de quilómetros e 84,600 toneladas de CO2.

Brambles está entre as empresas mais sustentáveis do mundo

Todas estas conquistas foram reconhecidas pela revista Barron’s, publicação da Dow Jones & Company, que nomeou a Brambles a segunda empresa internacional mais sustentável em todo o mundo. Além disso, a Brambles manteve a sua posição de líder da indústria nos ratings Morgan Stanley Capital International ESG (Environmental, Social and Governance) pelo quinto ano consecutivo, bem como a segunda posição na categoria de Serviços e Abastecimentos Comerciais no Índice Mundial de Sustentabilidade da Dow Jones de 2019.

Juan José Freijo, Head of Global Sustainability da Brambles, afirmou: “Estamos extremamente orgulhosos por sermos reconhecidos como um líder mundial em sustentabilidade. O nosso modelo de negócios circular ajuda a eliminar o desperdício e a reduzir a procura por recursos naturais ao longo da cadeia de abastecimento. Continuaremos a esforçar-nos no sentido de termos um impacto positivo nos nossos clientes e nas comunidades que servimos”.

Lisboa é a primeira cidade com planos mensais para as bicicletas JUMP

NIT

Uber está empenhada em garantir viagens mais económicas e, por isso, decidiu lançar planos de subscrição mensal para as bicicletas JUMP. O projeto piloto, apenas disponível em Lisboa, vai ter a duração de quatro meses, até 31 de janeiro do próximo ano.

O objetivo é “disponibilizar uma solução rápida e sustentável para a mobilidade urbana no dia a dia”, diz a Uber.

Existem dois planos possíveis: o Eletric dá direito a 15 minutos todos os dias por 24,90€ por mês, o que permite poupar até 65€ mensalmente; e o Eletric +, que inclui 30 minutos todos os dias por 39,90€ por mês, o que permite poupar até 140€.

Mas, atenção, a disponibilidade é limitada. Só serão aceites subscrições até 30 de novembro. A subscrição será automaticamente renovada mensalmente e, caso exceda o tempo de utilização da sua subscrição diária, será cobrada a tarifa normal para os minutos excedentes. Deve também saber que os minutos diários não podem ser acumulados.

Há mais uma mudança: a partir de 1 de outubro, a tarifa das viagens nestas bicicletas elétricas fora do plano de subscrições passa a ser de 0,20€ por minuto.

Fonte: NIT

Festa do Outono de Serralves com quase 80.000 visitantes

Quase 80.000 pessoas participaram este fim de semana na Festa do Outono da Fundação de Serralves, no Porto, mais 30% do que na edição anterior, anunciou este domingo a instituição.

De acordo com um comunicado de balanço da Fundação, passaram durante o fim de semana na XI edição da festa que celebra o outono 79.091 pessoas, a maior afluência de sempre.

Nos dois dias, a festa centrou-se na celebração da natureza e na importância da sua proteção e ofereceu aos visitantes “centenas de propostas em todos os espaços da Quinta e do Parque de Serralves”, lê-se no comunicado.

Este ano houve também um número crescente de parcerias, de diversas câmaras a associações, e a festa contou com iniciativas que foram de workshops a oficinas, de percursos a espetáculos de teatro, música e circo, ou de performance a instalações e jogos.

Ainda de acordo com o comunicado, os visitantes que responderam a um inquérito avaliaram positivamente a iniciativa e a maioria disse que não tinha estado na edição anterior. Ainda se concluiu que 30% dos que passaram por Serralves no fim de semana não eram portugueses.

Mais de 80% dos inquiridos disseram que querem voltar no próximo ano.

A Festa do Outono, dirigida a todos os públicos e gratuita, terminou na noite deste domingo.

Ornatos Violeta atuam no Porto a 31 de outubro para inaugurar novo Rosa Mota

Foto Agência Lusa

Os Ornatos Violeta vão inaugurar o novo Super Bock Arena – Pavilhão Rosa Mota, no Porto, no dia 31 de outubro, encerrando uma série de concertos comemorativos dos 20º aniversário do lançamento do álbum “O Monstro Precisa de Amigos”, anunciou esta terça-feira a promotora do espaço. O concerto da banda portuense terá um formato especial de 360 graus.Segundo um comunicado da promotora, “Ouvi Dizer”, “Chaga” ou “Capitão Romance” vão ser algumas das músicas a ecoar no palco daquela estrutura rebatizada”.

Os bilhetes vão ser postos à venda esta quinta-feira nos locais habituais, como a Ticketline e as lojas FNAC, e os preços variam entre os 25, os 30 e os 35 euros.

Desde a formação da banda em 1991, os Ornatos Violeta mantiveram-se em atividade cerca de uma década, período no qual editaram dois álbuns: “Cão” e o “Monstro Precisa de Amigos”. Em 2002, o grupo anunciava a sua separação. Manel Cruz (voz), Nuno Prata (baixo), Peixe (guitarra), Kinörm (bateria) e Elísio Donas (teclados) viriam a juntar-se novamente em 2012 para assinalar os 20 anos da formação da banda com oito concertos. Este ano voltaram a juntar-se agora com o mote “O Monstro (ainda) Precisa de Amigos”.

Com capacidade para 5.500 mil lugares sentados, o pavilhão consegue aumentar a sua capacidade para 8.000 pessoas, quando retiradas as bancadas que ocupam parte da arena. Está ainda previsto um restaurante com vista para o lago e para os Jardins do Palácio de Cristal e ainda um food court que abrirá diariamente.

Para além da reconversão do interior do pavilhão, o projeto, desenvolvido pelo consórcio composto ainda pela construtora Lúcios, foi pensado para permitir ter uma experiência de 360 graus da cidade do Porto, com a introdução de visitas ao ponto mais alto da cúpula do edifício.

Para além dos Ornatos Violeta, em julho, estavam já confirmados vários espetáculos e eventos como é o caso do WordCamp 2020 e os concertos de “Amar Amália” e de Alexandre Pires.

Fonte Agência Lusa

Mercer recebe estágio de vida da Girl Move Academy, integrado no programa de liderança e empreendedorismo social para o desenvolvimento estratégico de Moçambique

Tunelga Almiro

Esta é uma iniciativa que decorre da parceria da consultora com a Academia da ONG (Organização Não Governamental) Girl Move, que promove um Programa Avançado de Liderança e Empreendedorismo Social.

É a partir de Nampula, em Moçambique, que a Academia desenvolve o projeto Estágios com Vida para jovens universitárias finalistas ou recém-licenciadas, com potencial de liderança e que revelem uma forte vontade de serem elementos de mudança e desenvolvimento social. Através deste movimento de vida, pretende-se formar uma nova geração de líderes ao serviço do desenvolvimento do seu país, de apoio e capacitação de jovens mulheres moçambicanas através da sua educação e da criação de redes humanas de entreajuda a nível inter-geracional e internacional. Para isso, é-lhes dada a oportunidade de angariar conhecimento e estratégias de liderança e de empreendedorismo em Portugal, que posteriormente, possam ser aplicados, de forma autónoma, na sua Terra Natal.

“A Mercer orgulha-se de ser um dos agentes dinamizadores desta iniciativa tão arrojada e nobre e de proporcionar um desenvolvimento ímpar a nível pessoal e profissional destas jovens mulheres. Há dois pontos fundamentais que tornam esta experiência memorável: o espírito de entreajuda dos colaboradores da Mercer que se demonstram sempre disponíveis para apoiar e desenvolver estas jovens e, por outro lado, a capacidade das mesmas para mobilizar, inspirar e partilhar a sua cultura connosco. A Tunelga, a nossa Girl Move deste ano, está a usufruir da “máquina” da Mercer (ferramentas, know-how, especialistas….) para desenhar e arrancar com o seu projeto social que acreditamos que vai ter um impacto muito positivo na comunidade moçambicana. Nesse sentido estamos a apoiar não apenas a Tunelga, mas todos os que ela conseguir impactar”, refere, Sónia Nunes, People Leader da Mercer Portugal.

A “Girl Move” de 2019 e que já se encontra a estagiar na Mercer trata-se de Tunelga Almiro, de 26 anos, licenciada em Administração Pública pelo Instituto Superior de Relações Internacionais, em Moçambique. É apaixonada por comunicação, ativista em matéria de saúde sexual e reprodutiva e considera que o seu contributo para o mundo pode ser feito através dos media. Acredita que comunicação é o contributo basilar para que os media sejam um veículo de educação, de inclusão social e equidade de género.

“Consigo definir esta experiência com uma única palavra: transformação. A Girl Move transformou-me. Aqui trabalhamos em três fases: liderar o eu; liderar com os outros e transformar o Mundo. Aprender a lidar connosco e com os nossos medos é importante para trabalhar com os outros e tornar o Mundo num lugar melhor. Neste caso, vamos mudá-lo a partir de Moçambique”, comenta Tunelga Almiro.

Durante o estágio, que terminará em meados de outubro, Tunelga será acompanhada por vários mentores da Mercer e da Girl Move que irão garantir que todas as necessidades da jovem, a todos os níveis, serão asseguradas. O estágio foi pensado ao detalhe e a Mercer está comprometida com a Girl Move para que este projeto tenha um forte impacto positivo em todos os envolvidos.

1 de outubro, Dia Internacional da Doença de Gaucher

Através de um evento criado no Facebook, chamado Dia Internacional da Doença de Gaucher, a APL vai promover uma série de posts com informação sobre a doença. A APL vai ainda distribuir tatuagens temporárias por todos aqueles que queiram partilhar a imagem e valorizar as pessoas que vivem com esta doença rara bem como os seus cuidadores e apoiantes.

Com os hashtags #estrelasraras #rarosmasnaosozinhos #diamundialdegaucher a campanha pretende dar a conhecer e providenciar mais informação sobre esta doença rara e também evidenciar o trabalho fenomenal tantas vezes esquecido dos cuidadores e pessoas que apoiam estes doentes.

Para mais informação, consulte materiais em anexo, evento do Facebook ou site da APL.

Doença de Gaucher:

  • É uma doença genética, que se pode apresentar em qualquer idade, no entanto uma parte significativa dos casos só é diagnosticada na idade adulta.
  • ,
  • A falta da enzima glucocerebrosidase, leva à acumulação de substâncias dentro dos lisossomas dos macrófagos que estão presentes em vários órgãos e tecidos, principalmente no baço, fígado, medula óssea, sistema nervoso central, pulmão e gânglios linfáticos.Nestes doentes, o risco relativo para o surgimento de outras doenças parece também ser superior, como por exemplo doença de Parkinson e demência ou à ocorrência de doenças hematológicas e/ou oncológicas.
  • É uma doença grave, crónica, progressiva e multissistémica que se pode apresentar com um conjunto muito variado de sinais e sintomas que são comuns a outras doenças. Este facto faz com que o diagnóstico da Doença de Gaucher nem sempre seja equacionado, provocando o seu atrasado, por vezes em vários anos.

Como o trabalho flexível mudou na última década

Foto Greenme

Sem dúvida que um dos maiores impulsionadores do trabalho flexível e dos espaços de trabalho flexíveis foi a tecnologia. A internet, telemóveis e computadores portáteis iniciaram a tendência do trabalho remoto nos anos 90. Nos últimos 10 anos, no entanto, melhorar a velocidade da Internet e as instalações de videoconferência de melhor qualidade significam que os funcionários externos podem comunicar com os colegas cara a cara mesmo estando a quilómetros de distância. Com o 5G no horizonte, mais tecnologia futurista como robótica e realidade aumentada a entrar no local de trabalho comum, facilitará ainda mais este contacto de profissionais que estão em pontos diferentes do globo.

Mas não foram apenas as novas tecnologias que ajudaram ao crescimento do trabalho flexível. Os profissionais estão cada vez mais a exigir esta opção às empresas. Embora a diferença entre homens e mulheres na força de trabalho tenha diminuído consideravelmente, as responsabilidades de cuidar dos filhos ou família ainda permanecem em grande parte com as mulheres. A sociedade em geral está a pedir formas de diminuir ainda mais a diferença de emprego entre os géneros. O trabalho flexível é uma solução possível, permitindo equilibrar melhor o trabalho e a vida doméstica. As empresas inteligentes estão a introduzir políticas para ajudar a alcançar este objetivo, abrindo a possibilidade de trabalho flexível.

A competição por novos talentos, também levou ao crescimento do trabalho flexível. Um estudo do McKinsey Global Institute constatou que os empregadores na Europa e na América do Norte exigirão de 16 a 18 milhões a mais de trabalhadores com formação universitária em 2020 do que os disponíveis. A previsão é de que as empresas não consigam preencher uma em cada dez funções. Como resultado, o equilíbrio de poder nas negociações de contratos de trabalho tem mudado para os funcionários e muitos agora sentem-se à vontade para exigir condições de trabalho que melhor se adaptem às suas vidas fora do trabalho.

Por que cada vez mais queremos trabalhar com flexibilidade

Obviamente, há tendências que estão a influenciar o desejo de as pessoas também quererem trabalhar com flexibilidade. Por um lado, há um impulso crescente para que as pessoas procurem um melhor equilíbrio entre vida profissional e pessoal. O movimento de bem-estar geralmente encoraja as pessoas a cuidar melhor do seu bem-estar físico e mental, por isso os profissionais procuram empregos que corresponda ao desejo de equilíbrio profissional e pessoal. Como as deslocações para o trabalho costumam ser uma das partes mais stressantes do dia das pessoas, muitos procuram oportunidades de trabalhar em casa ou num escritório num local mais conveniente.

Benefícios

Apesar da pressão dos profissionais por trabalho flexível, um verdadeiro impulsionador da mudança foi o despertar das empresas ao ver os benefícios comerciais deste conceito.

A pesquisa do IWG sobre o espaço de trabalho constatou que os empregadores reconhecem cada vez mais os benefícios dos seus negócios ao oferecer estratégias de trabalho flexíveis aos seus funcionários. Nove em cada 10 (89%) acreditam que ajuda os seus negócios a crescer, 87% veem isso como um aumento da sua competitividade e 82% dizem que melhora a produtividade.

Da mesma forma, atrair e reter os melhores talentos está diretamente alinhado ao sucesso de uma empresa. 80% dos líderes empresariais dizem que o trabalho flexível os ajuda a reter os melhores talentos e dois em cada três (64%) estão a oferecer trabalho flexível para ajudar nas estratégias de recrutamento.

Garcia Garcia assegura ampliação da germânica KIRCHHOFF Automotive em Portugal

A subsidiária portuguesa, que fornece peças complexas de metal e estruturas híbridas para aplicação em carroçarias e chassis para a indústria automóvel e que se destinam essencialmente aos mercados externos, irá aumentar a sua capacidade de produção com um processo inovador de estampagem a quente.

A Garcia volta, novamente, a ser o parceiro escolhido por uma multinacional a investir em Portugal. Trata-se de um projeto que reflete o dinamismo que a filial portuguesa tem vindo a demonstrar e que tem como objetivo aumentar a capacidade de resposta para com as principais fabricantes de automóveis.

O projeto implica a ampliação do complexo industrial com a construção de um novo edifício, contíguo a um pavilhão existente, dividido em dois blocos estruturalmente independentes. O primeiro, em betão armado, materializa a transição entre o edifício existente e a ampliação, tendo forma retangular e sendo composto por três pisos elevados, destinados a aumentar as áreas sociais e administrativas do complexo. Por sua vez, o segundo, em estrutura metálica, será destinado ao aumento da capacidade produtiva da KIRCHHOFF Automotive, recebendo mais linhas de produção.

Todos os trabalhos estão a ser realizados enquanto o restante complexo produtivo da KIRCHHOFF Automotive continua a laborar. Este foi um dos desafios intrínsecos à obra, que a Garcia teve de planear, por forma a ter um impacto reduzido na atividade normal da empresa e não provocar constrangimentos ao nível do processo logístico e produtivo. A construtora assegurou, assim, a manutenção das instalações em total funcionamento e a gestão de todas as condições de segurança para todos aqueles que trabalham no complexo.
A KIRCHHOFF Automotive Portugal integra o grupo KIRCHHOFF Automotive, que conta com 9.000 colaboradores e 30 fábricas distribuídas por 11 países.

Esta obra para a KIRCHHOFF Automotive junta-se ao vasto portefólio da Garcia Garcia para a indústria automóvel. Anteriormente, a construtora foi responsável pela conceção e construção de cinco unidades em Viana do Castelo, quatro instaladas no Parque Empresarial de Lanheses – BorgWarner, Eurostyle Systems, Steep Plastique e Bontaz e, uma outra, a Serratec, na Zona Industrial de Neiva. Além das anteriores, a construtora teve também intervenção no projeto de ampliação da franco-nipónica Uchiyama.

Cervejeiros de Portugal promovem ação de sensibilização com jovens e influenciadores

O evento, integrado no projeto de responsabilidade social da associação, “Falar Claro”, vai contar com a presença do ator Tiago Teotónio Pereira e do humorista e youtuber Diogo Batáguas, que irão conversar com os estudantes sobre os perigos do consumo de bebidas alcoólicas por jovens menores de idade. A iniciativa tem o apoio da Câmara Municipal de Matosinhos.

“Apesar de o consumo de álcool entre os adolescentes, em Portugal, ter diminuído nos últimos anos, vários estudos revelam que o consumo de bebidas alcoólicas por menores de idade é cada vez mais precoce. Os Cervejeiros de Portugal têm procurado desenvolver, de forma continuada, em parceria com a sociedade civil e as comunidades locais, ações e ferramentas que auxiliem professores e educadores a abordar esta questão e alertem os jovens para os malefícios do consumo precoce de bebidas alcoólicas”, explica o secretário-geral dos Cervejeiros de Portugal, Francisco Gírio.

O encontro, subordinado ao mote “Para seres curtido não tens de ter bebido”, vai decorrer num formato informal e descontraído. “Sabemos que os influenciadores têm hoje uma grande capacidade de impactar e influenciar a tomada de decisões dos jovens, como tal consideramos esta parceria estratégica para chegar a este público alvo  e potenciar os efeitos de ações de sensibilização como esta”, sublinha Francisco Gírio.

Na condição de representantes do setor cervejeiro nacional, os Cervejeiros de Portugal têm assumido um forte compromisso com as questões de responsabilidade social que passa pela promoção, de forma permanente, do consumo moderado de bebidas alcoólicas e do não consumo por menores de idade. A associação é um dos membros fundadores do Fórum Nacional do Álcool e Saúde (FNAS), uma plataforma liderada pelo SICAD/ Ministério da Saúde, que reúne um conjunto alargado de representantes da sociedade civil que se comprometeram a desenvolver ações relevantes nesta área.

Através do projeto “Falar Claro”, dirigido a escolas e famílias, e desenhado em parceria com a Confederação Nacional das Associações de Pais (CONFAP) e a Associação Nacional de Professores (ANP), os Cervejeiros de Portugal têm assumido um papel ativo na educação dos jovens menores de idade, no que respeita aos perigos associados ao consumo precoce de bebidas alcoólicas. “É fundamental a aposta em programas educacionais dirigidos aos menores e às famílias que permitam combater o consumo ilegal de bebidas alcoólicas por menores”, destaca.

Numa primeira fase do projeto, os Cervejeiros de Portugal editaram o manual “Falar Claro”, da autoria do psiquiatra de infância e adolescência, António Lorena Trigueiros, distribuído a professores, educadores e técnicos que atuam na área, que visou ser uma ferramenta para ajudar os pais a abordar a questão do consumo de álcool  junto dos filhos.

Já este ano, foi lançado um vídeo pedagógico de animação que, através de uma linguagem simples e imediata, procura  alertar os menores de idade para as implicações do consumo excessivo e extemporâneo de bebidas alcoólicas e desmistificar os principais mitos associados a este consumo.

Depois de Matosinhos, os Cervejeiros de Portugal pretendem, a breve prazo, levar o “Falar Claro” ao centro e sul do país, também em parceria com autarquias ou outras entidades que permitam criar sinergias que potenciem os resultados do projeto.

EMPRESAS