Inicio Tags Ano Novo

Tag: Ano Novo

Operação Ano Novo registou menos acidentes, vítimas mortais e feridos graves do que me 2016

“Foram também contabilizadas três vítimas mortais, menos quatro do que em 2016, sete feridos graves, menos 11 do que em 2016 e 256 feridos leves, menos 21 do que no ano passado”, adiantou.

No que diz respeito a segunda-feira, primeiro dia de 2018, o tenente-coronel Jorge Amado adiantou que a GNR registou 106 acidentes, sem vítimas, mas que causaram dois feridos graves e 51 ligeiros.

“Foram fiscalizados até à meia-noite 22.662 condutores, dos quais 219 por excesso de álcool, 34 por falta de habilitação legal e 33 por outros motivos”, disse.

Segundo a GNR, das 5.612 contraordenações registadas pela corporação, 700 foram por excesso de álcool, 1.813 por excesso de velocidade, 162 por falta de cintos de segurança ou sistemas de retenção, 153 por uso indevido do telemóvel e 244 por falta de inspeção periódica.

A GNR intensifica, desde sexta-feira e até hoje, o patrulhamento rodoviário nas vias de maior tráfego no âmbito da operação “Ano Novo”.

De acordo com a GNR, o reforço do patrulhamento nas estradas tem como objetivo “prevenir a sinistralidade rodoviária, garantir a fluidez do tráfego e apoiar todos os utentes das vias, no sentido de lhes proporcionar uma deslocação em segurança”.

Ano Novo: Além das uvas passas saiba que outros alimentos lhe podem dar sorte

Mas quem procura mais sorte no próximo ano não precisa de comer o dito alimento ‘abençoado’ apenas no momento de passagem para o novo ano, há quem acredite que deva ser comido ora na última refeição do último dia do ano ou logo no primeiro dia do ano que acaba de chegar.

Timings à parte, estes são os alimentos que prometem dar sorte para 2018.

1 – Sayerkraut. Este alimento fermentado é uma das iguarias alemãs na passagem de ano por estar associada à boa sorte e riqueza.

2 – Salsicha de porco fresca com lentinhas. Em Itália, este é um dos pratos que conta no menu de passagem de ano e por dois motivos distintos: o porco dá sorte e as lentinhas assemelham-se a pequenas moedas de ouro.

3 – Vasilopita. Trata-se de um bolo grego que contém no seu interior uma moeda. A primeira fatia é cortada ao som das 12 badaladas e a quem calhar a ‘boa fava’ espera-lhe um ano cheio de sorte.

4 – Arroz doce. Na Suécia e na Finlândia, o arroz doce é feito com a adição de uma única amêndoa. A pessoa que encontrar este fruto seco terá sorte no ano que acaba de chegar.

5 – Vegetais de folha verde escura. Seja na última refeição do ano ou na primeira do novo ano, estes vegetais (kale, espinafre, etc.) são associados a prosperidade e a dinheiro, muito por culpa da cor que têm.

6 – Pão de milho. No sul dos Estados Unidos, este pão é associado ao ouro e, por isso, reina em muitas meses na Passagem de Ano.

7 – Feijão. Por serem associados a pequenas moedas, os feijões constam também no Réveillon, não sendo necessário comê-los.

Festa de Ano Novo em Lisboa com três noites de concertos gratuitos

Festa de celebracao da contagem decrescente para o Rock in Rio - Lisboa 2010 com espectaculo de pirotecnico na Ponte 25 de Abril em Lisboa, 30 de Maio de 2009. Foto: Agencia Zero
Três noites de concertos gratuitos na praça do Comércio, em Lisboa, assinalam, nos dias 29, 30 e 31 a entrada no Ano Novo.

No dia 31, e antecipando a chegada de 2018, haverá três concertos e um espetáculo de fogo-de-artifício ao som de música original do duo Beatbombers (Stereossauro e DJ Ride).

Apresentada por Filomena Cautela, a festa começa às 22:00, ao som da soul e do funk de Marta Ren & The Groovelvets.

Uma hora depois, atua a banda Capitão Fausto e após a meia-noite vão tocar Ana Bacalhau, Ana Deus, Lena D’Água, Luís Portugal, Miguel Ângelo, Viviane, Xana, Rui Pregal da Cunha e Samuel Úria.

Onda de ataques sexuais em Colónia deixa a polícia na mira do governo

Thomas de Maizière

As forças policiais de Colónia reconheceram ter, pouco antes das agressões, evacuado a praça devido ao perigo do fogo-de-artifício, mas as agressões ocorreram mais tarde. No dia seguinte, a 1 de janeiro, a polícia emitiu um comunicado no qual sublinhava que a noite havia decorrido sem incidentes. “Não é possível que a praça tenha sido evacuada e que em seguida se tenham verificado” as agressões, no mesmo local, e que a polícia “espere as queixas” das vítimas para reagir, lamentou o ministro do Interior alemão. “Exijo urgentes esclarecimentos”, sublinhou Maizière.

Um homem contou à BBC como a sua mulher e a filha de 15 anos foram rodeadas por uma multidão e ele não conseguiu ajudá-las: “Os atacantes agarraram os seios delas.” “Eles sentiram que estavam a controlar a situação e que podiam fazer o que quisessem com as mulheres que estavam na rua a festejar. Eles tocaram-nos em todo o lado”, relatou à televisão alemã uma das mulheres que estavam no local.

Ontem soube-se que a polícia já identificou três suspeitos relacionados com os ataques, adiantou ontem o ministro do Interior do governo estadual da Renânia do Norte-Vestefália. Ralf Jaeger acrescentou, porém, que ainda não tinham sido feitas detenções e que esperava um “relatório muito detalhado” da polícia ainda nesta semana.

Na terça-feira, a polícia de Colónia explicou que 90 mulheres denunciaram ter sido roubadas, ameaçadas ou molestadas sexualmente nas celebrações de ano novo junto à catedral da cidade por jovens, entre os 18 e os 35 anos, do sexo masculino, na sua maioria alcoolizados. A polícia descreveu estes acontecimentos como “uma nova dimensão no crime”.

O líder da polícia de Colónia afirmou que os alegados atacantes parecem ser de origem “árabe ou norte-africana”, levando os grupos de extrema-direita a atribuir as culpas aos refugiados e a criticar mais uma vez a política de acolhimento do governo de Angela Merkel.

“Não deve haver uma suspeita generalizada mas, ao mesmo tempo, também nenhum tabu”, considerou Thomas de Maizière, sublinhando ser necessário saber se os autores “chegaram recentemente ou se estão há muito tempo” na Alemanha. “Isto não é sobre as origens [das pessoas], mas sobre aquilo que fizeram”, afirmou, por sua vez, o ministro alemão da Justiça Heiko Mass, advertindo que associar este assunto à questão dos refugiados “não é mais do que exploração”.

O partido eurocético e anti-imigração Alternativa para a Alemanha (AfD), que tem subido nas sondagens, já veio dizer que a chanceler deve considerar a hipótese de fechar as fronteiras. “Senhora Merkel, a Alemanha é “colorida e cosmopolita” o suficiente para si depois desta onda de crimes e ataques sexuais?”, questionou, através do Twitter, Frauke Petry, o líder do AfD.

Merkel também foi questionada pelas cerca de 150 pessoas que se juntaram em frente à catedral de Colónia para protestar contra a violência sobre as mulheres. “Senhora Merkel onde estás? O que tens a dizer? Isto assusta-nos” era uma das mensagens dos cartazes empunhados pelos manifestantes.

Mais segurança para o Carnaval

A chanceler alemã falou na terça-feira com a presidente da Câmara de Colónia a quem expressou a “sua indignação sobre estes ataques e agressões sexuais repugnantes”. Angela Merkel disse a Henriette Reker que tudo deverá ser feito para “encontrar os perpetradores o mais depressa possível e puni-los, independentemente das suas origens ou passado”.

Após uma reunião do gabinete de crise, Reker enfureceu a opinião pública ao concentrar-se na forma como as mulheres devem comportar-se e não nos atacantes. A autarca explicou que as mulheres devem adotar um “código de conduta” de forma a prevenir futuros ataques e onde é sugerido que se mantenham um braço de distância de desconhecidos ou fiquem sempre junto ao seu grupo de amigos. Reker – que foi esfaqueada em outubro, ficando gravemente ferida, aparentemente por causa do apoio aos refugiados – prometeu um reforço policial nas ruas já a pensar no Carnaval da cidade, o mais famoso da Alemanha.

Feliz 2016!

CP lança promoção especial na noite de passagem de ano

Dada a grande afluência de pessoas que habitualmente se desloca aos centros de Lisboa e Porto na noite de passagem de ano, a CP – Comboios de Portugal vai reforçar a sua oferta nos serviços urbanos, lançando uma promoção especial: a compra de viagens de ida e volta a 2 euros.

Assim, na madrugada de 1 de janeiro de 2016 vão circular comboios especiais em Lisboa, com origem na estação do Rossio e destino a Sintra, com partidas pelas 1h30, 2h00, 3h00, 4h00 e 5h00 e da estação do Cais do Sodré para Cascais, às 2h00, 3h00 e 4h00.

Para deslocação aos festejos na Invicta, a 31 de dezembro efetuam-se comboios especiais, provenientes de diversos pontos das linhas urbanas do Porto e com destino a Porto São Bento, entre as 21h58 e as 23h07. Para o regresso, será igualmente disponibilizada uma oferta especial, com origem na mesma estação, na faixa horária compreendida entre a 1h50 e as 5h20.

A CP recomenda a compra antecipada do bilhete especial para ida e volta.

De janeiro a dezembro, Frutorra está sempre consigo

João Fernandes

Começou como uma brincadeira nos anos 80. Das suas idas constantes ao Algarve, o avô de João Fernandes teve a ideia de começar a levar para o centro do país o amendoim com casca. No início, era em pastelarias que mandava torrar este fruto seco. Mais tarde começou a fazê-lo na sua própria fábrica. Com a evolução do próprio país e a procura por produtos diversificados, a Frutorra começou igualmente a crescer. Atualmente, comercializa frutos secos, aperitivos, frutas desidratadas, legumes secos e, em parceria com a Azeitoneira Pimenta, distribui azeitonas e tremoços. Mas o mais importante é a excelência e qualidade com que tem vindo a progredir enquanto marca especializada. João Fernandes explica que a empresa que representa distingue-se por ter como único foco e objetivo a comercialização destes produtos, ao invés de outras marcas que possuem diferentes setores de atividade. “Nós somos especialistas”, “dedicamo-nos aos nossos produtos de 1 de janeiro a 31 de dezembro”, explica o CEO da Frutorra, assumindo que “temos dado todas as garantias de qualidade, segurança e preço”. Por este motivo, os produtos Frutorra podem ser encontrados em todas as grandes cadeias de hipermercados nacionais e em países onde se encontram portugueses emigrados, como França, Luxemburgo, Suíça, Cabo Verde, Angola ou Moçambique.

Saudável e saboroso? Sim, é possível!

É um dado cientificamente provado que o miolo de noz faz bem ao sangue e que a ameixa melhora o trânsito intestinal. Apesar de não estar comprovado, vários estudos sugerem também que os frutos secos são benéficos para a saúde dos seus consumidores. Por outro lado, os frutos secos são cada vez mais procurados por praticantes de desporto, devido ao elevado valor energético. Ou seja, a ciência não deixa dúvidas sobre as vantagens destes alimentos.

Já os aperitivos, esses são assombrados por quem afirma serem pouco benéficos para a saúde. “Demasiado sal, muita gordura” é o que mais se ouve quando falamos destes produtos. Por isso mesmo, a Frutorra aposta numa confeção cada vez mais saudável. “Temos vindo a reduzir o sal aos artigos todos. Por outro lado, temos uma gama de produtos sem sal, que está a ter muito sucesso. No caso dos fritos, usamos óleos de girassol alto oleico, que é o melhor em termos de fritura, e cumprimos com todas as normas de controlo de óleos e temperaturas”, garante João Fernandes.
Deste modo, é possível escolher Frutorra sem culpas ou arrependimentos.

Frutorra Snacks, habitue-se a vê-los

Atualmente, apenas o amendoim com casca em embalagem de 500 gramas se encontra à venda. Contudo, a gama Frutorra Snacks pretende marcar a diferença com outros aperitivos, como o amendoim com sal, o pistachio, o milho e o caju. São ideais para “ver a bola, ir ao cinema, ouvir música ao vivo, navegar na internet ou mesmo nada”, afirma a marca. São momentos únicos entre si e a Frutorra. Poderá encontrá-los, de futuro, em bombas de gasolina, bares e cafés, acima de tudo em momentos de convívio e festa. Não se esqueça de provar.

Produtos Frutorra

Torrefação do Amendoim
Torrefação do Amendoim

Provenientes dos quatro cantos do mundo, os produtos Frutorra têm símbolo de qualidade e sabor. Os frutos e legumes secos e as frutas desidratadas são provenientes das zonas que apresentam maior qualidade e embalados em Portugal, na presença de especialistas, que selecionam aqueles que merecem ir para a mesa dos portugueses. Os aperitivos chegam a Soure em cru e são preparados pelas mãos de quem tão bem sabe o que o consumidor pretende encontrar quando opta por Frutorra.
Assim, no contexto dos frutos secos, pode encontrar:
•    Ameixa;
•    Tâmara;
•    Alperce;
•    Pinhão Nacional;
•    Pinhão da China;
•    Sultana Orange;
•    Sultana Dourada;
•    Sultana Preta;
•    Passa de Uva;
•    Noz em Casca;
•    Miolo de Noz;
•    Avelã com Casca;
•    Miolo de Avelã;
•    Castanha Maranhão.

Para um serão agradável, opte pelos aperitivos:
•    Amendoim Frito com Sal ou Piri-piri;
•    Amendoim Torrado;
•    Pistachios Torrados com Sal;
•    Caju Frito com Sal ou Piri-piri;
•    Pevide Torrada com Sal;
•    Miolo de Pevide Torrado com Sal;
•    Fava Frita com Sal;
•    Coktail de Frutos Secos;
•    Amêndoa Torrada;
•    Milho Frito com Sal.

Sem esquecer as frutas desidratadas, como a maçã ou o abacaxi, e os legumes secos, como o feijão e o grão-de-bico. As amêndoas, essas, são para todos os gostos: com ou sem pele, palitada, laminada, granulada ou inteira com casca.

Natal e Passagem de Ano, tempo de frutos secos    

Seleção das passas da uva
Seleção das passas da uva

João Fernandes admite que, nas épocas festivas, o consumo de frutos secos dispara. As passas de uva são, por exemplo, um produto comercializado em abundantes quantidades. Contudo, não deve esquecer estes saborosos alimentos nos restantes meses do ano. Sabem sempre bem, desde que procure a máxima qualidade.

Governo concede tolerância de ponto a 24 e 31 de dezembro

De acordo com um resolução do Conselho de Ministros hoje publicada em Diário da República, o Governo decidiu conceder tolerância de ponto aos trabalhadores que exercem funções públicas nos serviços da administração direta do Estado, sejam eles centrais ou desconcentrados, e nos institutos públicos, nos dias 24 e 31 de dezembro de 2015.

«Determinar que se excetuam do disposto (…) os serviços e organismos que, por razões de interesse público, devam manter-se em funcionamento naquele período, em termos a definir pelo membro do Governo competente», pode ler-se na resolução.

EMPRESAS