Inicio Tags Braga

Tag: Braga

Festival Vira Pop já tem data marcada

Cinco anos depois, a organização avança com um vídeo teaser de revelação das datas, deste que já é um festival de tradição, tanto na origem das raízes minhotas de onde se inspira, como na assiduidade de edições e de público fiel que ano após ano não para de crescer.

As restantes novidades ficam para breve mas André Fernandes, membro da organização do festival, garante que não vão faltar motivos para rumar ao Minho para mais uma edição do festival.

Ainda sem revelar nenhuma banda, André Fernandes explica que o conceito desta edição é claramente inspirado no património cultural e musical de Amares, concelho que viu nascer um dos mais importantes ícones da música portuguesa, António Variações. “A maioria das bandas e artistas que fazem parte do cartaz desta edição foram escolhidos porque, de alguma forma, o trabalho discográfico alia música moderna com música tradicional. Tal como em tempos António Variações foi denominado como “um cantor de folclore moderno” queremos que o cartaz de 2019 respire exatamente essa premissa. Vamos, por isso, trazer bandas que se inspiram nas sonoridades tradicionais do nosso país, e até de países vizinhos, para criar música de agora com um twist de outros tempos.”

O cartaz completo irá ser revelado muito em breve mas há 4 coisas que já foram confirmadas: campismo gratuito, piscina, um anfiteatro natural de perder de vista e claro, muita boa música.

Braga recebe Final Four da Allianz Cup

Durante a próxima semana, Braga será palco para a Final Four, a última fase da competição Allianz Cup, que irá animar a cidade com múltiplas atividades que vão além das quatro linhas do campo.

José Francisco Neves, Membro do Comité de Direção e Diretor de Market Management e de Produto P&C da Allianz Portugal, refere: “Para além dos aspetos competitivos, o futebol deve ser cada vez mais um fator agregador na sociedade. É nisto que acreditamos e estamos convictos que a Allianz CUP tem aqui um papel de destaque, sobretudo pelo forte contributo na vertente do desporto associado a uma atitude plenamente positiva. Estamos ansiosos pela Final Four que se avizinha, não só porque representa o apuramento do Campeão de Inverno, como também por toda a dinâmica concebida para envolvermos o público amante de futebol e a sociedade em geral. Será um momento chave na História do futebol português, que irá muito mais além das quatro linhas: desde música, desporto, e-sports, discussão do futebol no futuro, animação e divertimento, são inúmeras as oportunidades para celebrarmos o Futebol no nosso país. Estamos verdadeiramente entusiasmados por fazermos parte da Festa do Futebol. Será, sem qualquer dúvida, um acontecimento a não perder.

Fan Zone repleta de atividades culturais e desportivas

A partir deste sábado, a avenida Central irá acolher a Fan Zone, um ponto de encontro que promete animar e envolver no espírito da Final Four os adeptos das equipas que se classificaram para esta Fase, a comunidade bracarense e o público em geral.

No dia 19, tem lugar a cerimónia de Abertura Oficial da semana da Final Four, pelas 12h. Neste dia, realizam-se também os concertos de António Zambujo e Miguel Araújo no Altice Fórum Braga, pelas 22h, com entrada gratuita.

Durante toda a semana, a Fan Zone irá proporcionar inúmeras atividades em celebração da Festa do Futebol, como pinturas faciais, oficinas de graffiti com o ilustrador Mesk, música para crianças no espaço DJ Kids e ainda meet & greets na Tenda do Adepto com jogadores conhecidos do futebol português e com influencers do momento. A pensar nos atletas digitais, decorrerá também o torneio de eAlianzCUP, com início agendado para as 10h00 de dia 22.

Na sexta-feira, dia 25, o Jogo das Estrelas de Futsal irá juntar várias caras conhecidas em campo e, no dia seguinte, a Corrida do Adepto irá reunir apaixonados de atividades desportivas, entre os quais atletas da Allianz Portugal, numa prova de 10Km e caminhada de 5Km.

Torneio Empresarial e Conferências “Thinking Football”

No dia 20, a Allianz Portugal irá participar no Torneio Empresarial, em conjunto com equipas da Liga Portugal, da Câmara Municipal de Braga e do Holmes Place. A equipa vencedora irá defrontar no dia 25 a equipa das Lendas, composta por antigos jogadores de futebol.

Entre os dias 21 e 25 de janeiro, a Final Four da Allianz Cup será palco de vários momentos dedicados, em exclusivo, aos verdadeiros agentes de futebol: treinadores, jogadores, árbitros e dirigentes vão refletir e apresentar propostas para o futuro do futebol profissional nas mais diversas áreas, nas Conferências “Thinking Football” a decorrer no Hotel Vila Galé Collection. A 24 de janeiro, José Francisco Neves (Allianz) fará o encerramento da conferência FuteCom, onde será discutida a importância da Comunicação no Futebol Profissional, enquanto principal driver na criação de valor neste desporto.

Durante os próximos dias, a seguradora irá oferecer Kits-Adepto compostos por um bilhete duplo e duas camisolas para cada um dos jogos, através de passatempos nas suas páginas oficiais de Facebook e Instagram.

Poderá consultar o programa completo da Final Four e acompanhar todas as atividades da semana do futebol no Facebook, Instagram e LinkedIn da Allianz Portugal e na app “F4 Allianz CUP” disponível para Android e IOS.

Emirates recruta pela primeira vez em Braga

© Revista Embarque

Para participar, os requisitos são os mesmos: os candidatos apenas precisam de comparecer no Open Day e levar um currículo atualizado em inglês e uma fotografia recente. Não é necessário pré-registo, apenas preparação para passarem o dia inteiro no local. Os candidatos pré-selecionados serão informados dos novos horários para novas avaliações e entrevistas.

A tripulação de cabine beneficia de uma série de vantagens que compõem o pacote salarial, desde um rendimento livre de impostos, uma casa moderna gratuita no Dubai para partilhar, transporte gratuito de ida e volta para o trabalho, cuidados de saúde assegurados, além de descontos especiais em compras e atividades de lazer na cidade. A companhia aérea também oferece benefícios de viagem interessantes para a tripulação de cabine, bem como para os seus amigos e familiares, particularmente vantajosos, uma vez que a crescente rede global da Emirates oferece muitas oportunidades de viagem nos seis continentes da companhia aérea.

Embora não seja necessária nenhuma experiência anterior, há vários critérios a ser considerados, como: os candidatos terem, pelo menos, 21 anos no momento de inscrição e um alcance de braço de 212 cm quando estão em ponta dos pés. Para mais informação acerca dos requisitos para o processo de seleção, bem como salário inicial e benefícios da tripulação de cabine, podem ser encontradas aqui.

Atualmente, a Emirates voa para cerca de 160 destinos, em seis continentes, operando uma frota de 270 aviões de larga dimensão. A companhia aérea é a maior operadora global de aviões Boeing 777 e Airbus A380. A Emirates oferece aos candidatos uma excelente oportunidade de carreira, formação detalhada e uma troca de experiências culturais inigualável, tendo a oportunidade de trabalhar numa equipa completamente internacional, com colaboradores de mais de 135 nacionalidades, dos quais mais de 500 são portugueses.

Sobre a Emirates:

A companhia aérea Emirates foi fundada em 1985 com apenas duas aeronaves. Voando atualmente para mais de 160 destinos, em 86 países, em seis continentes, a Emirates opera as maiores frotas do mundo de Airbus A380 e Boeing 777, oferecendo aos passageiros o conforto dos mais recentes e eficientes aviões de larga dimensão. Inspiramos viajantes de todo o mundo com a nossa rede de destinos crescente, um sistema de entretenimento a bordo líder na indústria, cozinha de inspiração regional e serviço de classe mundial.

O Grupo Emirates liga ainda milhões de pessoas em terra todos os anos, através de outras das suas operações que incluem o Emirates Holidays, a sua subdivisão dedicada a marketing de viagens, bem como o seu operador de turismo Arabian Adventures.

A Emirates SkyCargo, a divisão de carga, apoia ligações comerciais contínuas. Empregando equipas multinacionais e multiculturais, com mais de 160 nacionalidades, a Emirates está empenhada em ligar pessoas em todo o mundo, ajudando-as a descobrir, usufruir e partilhar novas experiências. Este compromisso reflete-se no seu vasto portfólio de patrocínios culturais e de desportos internacionais.

Semana do Piano em Braga de 7 a 15 de abril

Apresentado hoje, o programa da edição de 2018 do evento, organizado pelo Conservatório de Música Calouste Gulbenkian em colaboração com a Câmara Municipal de Braga, contará com a presença de “nomes de referência”, como Javier Negrín, Miguel Borges Coelho, Luís Pipa e o duo Duo Jost Costa, segundo a responsável artística, Ana Paula Correia.

A “grande novidade” é a “evolução” do concurso de piano integrado no programa do evento, “um passo muito grande” uma vez que a competição passou de regional a ibérica.

“O concurso tornou-se bastante mais exigente, distribuído em cinco categorias, do elementar aos alunos do Ensino Superior mas continua a aposta em pianistas nacionais, queremos que seja uma imagem de marca desta semana se piano, divulgar os nossos pianistas”, segundo a responsável.

A organização apontou ainda como objetivo para edições futuras fazer o evento crescer: “Queremos tentar consolidar, engrandecer e que se constitua como uma parte integrante do roteiro cultural da cidade, que seja mais abrangente e passe a fazer parte do roteiro cultural do país”.

O programa inicia-se no sábado no Conservatório Calouste Gulbenkian com o I Concurso de Piano Ibérico Adelina Caravana, seguindo-se o concerto de Javier Negrín no dia seguinte.

A 09 de abril, sobe ao palco do auditório Adelina Caravana o Duo Jost Costa e, a 11 de abril, o evento “sai para a rua” com a celebração do ‘Piano Day’, na avenida Central de Braga.

No palco no Theatro Circo assiste-se, a 12 de abril, ao lançamento de novo trabalho de Luís Pipa com obras para piano de Mozart e que contará com a apresentação do escritor José Manuel Mendes.

Miguel Borges Coelho encerra a programação a 15 de abril no Auditório Vita.

Lembra-se do vídeo da lagarta na comida da cantina da escola? A aluna que o fez está a ser alvo de um processo disciplinar

Em declarações à Lusa, a presidente da Associação de Pais e Encarregados de Educação da Escola Básica 2/3 André Soares, Dulce Campos, explicou que a mãe da estudante em causa foi chamada à escola para lhe ser comunicado que a filha seria alvo de um processo disciplinar, por ter partilhado um vídeo filmado no estabelecimento de ensino, o que será proibido pelo regulamento interno da instituição.

A Lusa tentou entrar em contacto com a direção da escola mas até ao momento não foi possível.

A encarregada de educação da aluna [que partilhou o vídeo na página pessoal do Facebook] foi chamada à escola para lhe informarem que está a ser instaurado um processo disciplinar. Os contornos ainda não sabemos“, adiantou Dulce Campos.

A responsável disse esperar “que o desfecho seja positivo”, lembrando que está em causa “uma situação verdadeira, que toda a gente assumiu”, incluindo a direção da escola e a empresa que confeciona as refeições servidas na cantina.

“É verdade que o regulamento proíbe aquela divulgação, mas está em causa um bem maior. As denúncias e queixas sobre a qualidade das refeições têm sido muitas desde o início do ano, o que não é compreensível”, disse.

Na terça-feira começou a circular um vídeo na rede social Facebook que mostrava uma lagarta viva no prato de uma refeição servida na cantina da André Soares, uma situação que a direção da escola classificou como “reflexo” da “falta de funcionários” na empresa que ali serve refeições.

Num esclarecimento dirigido à Associação de Pais e Encarregados de Educação da Escola André Soares, publicado na página da rede social Facebook daquela associação, a diretora da escola, Maria da Graça Moura, explicou que a falta de funcionários no serviço de refeições já foi denunciada e considerou que a empresa contratada pelo Ministério da Educação para servir as refeições escolares, a UNISELF, “deve rever os seus procedimentos”.

“A situação da alface mal lavada é o reflexo da falta de funcionários que a empresa tem ao serviço do refeitório. Foi feita a devida chamada de atenção, o cuidado que se deve ter com a higiene dos alimentos”, aponta a diretora da escola no referido esclarecimento.

Segundo Maria da Graça Moura, “a empresa responsável, UNISELF, contratada pelo Ministério da Educação, deve rever os seus procedimentos no que respeita ao serviço de refeições, principalmente, deve colocar ao serviço o número de funcionários contratualizado, o que não acontece a maior parte dos dias”.

A direção da escola André Soares garantia ainda que iria continuar a “denunciar” a falta de funcionários que a empresa coloca na escola à hora das refeições.

“Esperamos que nunca mais se repita esta situação. É uma situação que nos entristece, pois é o nome André Soares que está em causa”, referiu a diretora da escola.

Braga: Homem detido por balear vizinhos

Em comunicado, a PSP refere que os factos terão sido praticados “por motivos aparentemente fúteis e na sequência de uma discussão entre vizinhos”.

Os disparos, com arma de caça, causaram “vários ferimentos” numa das vítimas, bem como danos num portão e numa viatura estacionada no local.

“Para o local foram entretanto acionados os meios de emergência médica e profissionais da PSP das demais valências policiais, da Esquadra de Investigação Criminal e da Unidade da Polícia Técnica, que recolheram os vestígios e efetuaram as diligências tidas por convenientes, com vista à preservação da prova e responsabilização criminal do autor do crime”, acrescenta o comunicado.

O detido vai ser apresentado na sexta-feira nos Serviços do Ministério Público junto do Tribunal Judicial da Comarca de Braga.

Braga: Suspeitos de matar empresário em silêncio no tribunal

Pedro Bourbon, advogado de profissão, apenas usou da palavra para dizer que pretendia falar após a prova do Ministério Público (MP) e do depoimento de duas testemunhas “essenciais”, classificando a acusação de “especulativa”.

Os outros dois arguidos no processo, um dos quais é acusado dos crimes de falsificação ou contrafação de documento e de incêndio e o outro de furto qualificado, também ficaram em silêncio.

Durante o julgamento, o advogado de Pedro Bourbon, Filipe Guimarães, requereu que fosse feita uma perícia psicológica ao arguido para avaliar a sua perigosidade, a junção de mais testemunhas e a entrega de algumas sessões de escutas telefónicas.

O julgamento, que esteve agendado para 01 de junho, foi adiado por ter sido considerado nulo o primeiro interrogatório, pelo que o processo voltou ao Tribunal de Instrução Criminal (TIC) do Porto.

Em prisão preventiva (medida de coação mais gravosa), os arguidos estão acusados dos crimes de associação criminosa, furto qualificado, falsificação ou contrafação de documentos, sequestro, homicídio qualificado, profanação de cadáver e incêndio.

Três daqueles arguidos vão ainda responder pelo crime de detenção de arma proibida.

De acordo com a acusação do Ministério Público (MP), a que a Lusa teve acesso, aqueles sete arguidos “organizaram-se entre si, criando uma estrutura humana e logística, com o propósito de sequestrar um empresário de Braga, de o matar e de fazer desaparecer o seu cadáver”.

Com isso, pretendiam “impedir de reverter um estratagema” mediante o qual o património dos pais da vítima fora passado para uma sociedade controlada por dois dos arguidos, refere a acusação.

Na execução daquele propósito, e depois de terem monitorizado as rotinas da vítima, quatro dos arguidos dirigiram-se, em 11 de março de 2016, a Braga, em dois carros roubados no Porto, numa empresa de comércio de automóveis, sustenta o MP.

“Abordaram o empresário por volta das 20:30, meteram-no no interior de um dos veículos automóveis e levaram-no para um armazém em Valongo, onde o mataram por estrangulamento, acabando por dissolver o cadáver em 500 litros de ácido sulfúrico, já noutro armazém, sito em Baguim do Monte”, realça a acusação.

Segundo o MP, “os crimes imputados aos arguidos são, além de extremamente graves, complexos e de difícil investigação, sendo sabido que os seus agentes procuraram dificultar e perturbar a ação policial, escondendo, destruindo e complicando as provas necessárias à descoberta da verdade, o que aconteceu de forma flagrante, em que os arguidos fizeram desaparecer o corpo da vítima”.

No âmbito desta investigação, o Gabinete de Recuperação de Ativos da Polícia Judiciária (PJ) arrestou e apreendeu ativos no valor de aproximadamente um milhão de euros.

A investigação, segundo esta força policial, “visou identificar, localizar e apreender património financeiro e imóvel no montante de cerca um milhão de euros que se encontrava em 24 aplicações financeiras, distribuídas por dez instituições bancárias e património imobiliário na titularidade ou domínio e benefício dos visados”.

Braga: No dia Mundial da Fotografia vai haver workshop

No âmbito do Dia Mundial da Fotografia, Braga decidiu lançar uma iniciativa para quem quiser aprender mais sobre fotografia. Para participar basta fazer-se acompanhar “por uma câmara fotográfica com as baterias carregadas”.

O workshop de iniciação à fotografia, refere um comunicado enviado às redações pelo Município de Braga, “terá lugar entre as 14h30 e as 17h30 de dia 19 de agosto”, no Museu da Imagem e será ministrado pelo fotógrafo António Rocha,  “artista cujo trabalho está patente na exposição Art-Map 2017”.

“Esta oficina pretende proporcionar uma primeira abordagem ao mundo da fotografia e dotar os participantes dos primeiros conhecimentos técnicos relevantes para efectuarem registos em modo manual, além de conhecerem e explorarem as funções básicas do equipamento fotográfico”, pode ler-se.

Para a realização do workshop, cujo participação “é gratuita”, será necessária a “presença mínima de cinco participantes e a máxima de dez”. Se estiver interessado, efetue a inscrição através do endereço electrónico: cultura@cm-braga.pt

Notícias ao Minuto

Mas há mais. Para além do workshop, no Dia Mundial da Fotografia, “os visitantes do Museu da Imagem poderão fruir a exposição patente Art-Map Pensar Barroco, projecto curatorial que procura trazer à cidade de Braga obras que reinterpretem nas mais diversas expressões artísticas da contemporaneidade o universo do barroco”.

A velocidade dos carros é um problema para quem anda de bicicleta em Braga

Domingo, 21 de Agosto. Um grupo de mais de uma dezena de ciclistas em passeio circula na avenida António de Macedo, junto à saída para o Hospital de Braga, quando um automóvel a alta velocidade atinge vários dos seus elementos. Há três feridos ligeiros e um grave que, minutos depois, a caminho do hospital, morre. A vítima tinha 63 anos. Este acidente mortal voltou a pôr Braga a discutir as condições de segurança para o número crescente de utilizadores de bicicleta na cidade. O diagnóstico é unânime: o principal problema é a velocidade a que circulam os carros.

Durante anos, Braga fez gala da sua rodovia que, além da avenida António de Macedo, onde aconteceu o acidente, é constituída pelas avenidas Júlio Fragata e Frei Bartolomeu dos Mártires (eixo Norte-Sul) e Imaculada Conceição e João XXI (eixo Este-Oeste). Estas estão classificadas como vias urbanas, com velocidades máximas fixadas nos 50 quilómetros por hora na generalidade dos percursos e, pontualmente, 70 quilómetros por hora. “Mas as velocidades concretas estão muito acima desses valores”, denuncia Mário Meireles do Braga Ciclável, um grupo de utilizadores da bicicleta que, a partir de um blog, tem discutido as condições da cidade se tornar mais amiga dos ciclistas. “São atingidas velocidades verdadeiramente escandalosas”, confirma o vereador do Urbanismo da Câmara de Braga, o geógrafo Miguel Bandeira.

Este não é um problema exclusivo bracarense, analisa o professor da Universidade de Aveiro e um dos autores do Compromisso pela Bicicleta, José Carlos Mota. “As cidades foram sendo construídas para facilitar a vida ao automóvel, privilegiando sempre o aumento da carga e da velocidade”, afirma. As avenidas que compõem os principais eixos viários da cidade têm quatro vias de trânsito e são continuadas por variantes de entrada e saída na cidade, onde são permitidas velocidades superiores a 70 quilómetros por hora.

Apesar destas avenidas atravessarem zonas habitacionais e de serviços, durante as últimas três décadas todas as intervenções foram no sentido de reforçar a velocidade dos carros, com a criação de passagens desniveladas para peões, por exemplo. Este primado do automóvel prolonga-se para o miolo da cidade de Braga, onde há uma mão cheia de parques de estacionamento subterrâneo, por exemplo.

Se isto pode ter feito sentido no final do século XX, hoje torna-se vez mais um problema numa cidade onde o número de utilizadores de bicicleta não tem parado de crescer. Entre 2011 e 2014, subiu quatro vezes (de 196 para 724) o número de ciclistas regulares. Como Braga é relativamente plana, com a maioria das inclinações inferior a 3%, a população percebeu o potencial da ciclável da cidade, para movimentos quotidianos, mas também para desporto e lazer.

O acidente do dia 21 de Agosto não foi o primeiro envolvendo automóveis e ciclistas que terminou com vítimas mortais. Os dados do boletim estatístico de acidentes de viação mostram que, entre 1999 e 2015 houve 227 acidentes (dá mais de um acidente por mês, em média, ao longo de 17 anos) entre carros e bicicletas. Destes, resultaram 19 feridos graves e duas mortes. No mesmo período, houve 49 mortes por atropelamento de peões em Braga e 2026 acidentes envolvendo automóveis e pessoas que circulavam a pé.

“Há sempre outras questões, mas o fundamental é sempre a velocidade”, sintetiza Mário Meireles, do Braga Ciclável. “Em todos os exemplos europeus de uso da bicicleta, a primeira medida é sempre a acalmia da velocidade”, acrescenta, dando o exemplo de Pontevedra, na Galiza, que generalizou a limitação de velocidade a 30 quilómetros por hora na cidade. O modelo a que recorrer José Carlos Mota também é ibérico, mas vem de uma cidade de maior dimensão: Barcelona. Na metrópole catalã há “várias vias estruturantes com velocidade máxima limitada a 30 km/hora. Se numa cidade daquela dimensão é possível, nas cidades portuguesas também, desse que haja vontade política”.

Há dois anos, a autarquia tinha prometido criar uma rede ciclável com 76 quilómetros e pôr ciclovias à porta de casa de 100 mil pessoas. O projecto ainda não saiu, porém, do papel o que, segundo o vereador Miguel Bandeira, deve-se ao atraso na execução dos fundos comunitários. O investimento foi incluído no Plano Estratégico de Desenvolvimento Ubbano, assinado recentemente pela autarquia com a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte, mas essas transferências ainda não foram concretizadas.

Longa é a Noite Branca em Braga

Aquelas festas em que não conseguimos controlar os convites e uma multidão acaba a bater-nos à porta? A Noite Branca de Braga começou, em edições passadas, por ser exatamente isso, apenas uma noite, mas a adesão da população, dos forasteiros, das instituições e do comércio local foi tanta que, de ano para ano, a organização (a cargo do município bracarense) tornou-se mais ambiciosa. Em 2016, a festa vai chegar às 48 horas, entre esta sexta, 2, e domingo, 4, e terá mais de 70 espetáculos, numa celebração coletiva caiada de branco. “É uma marca da cidade”, diz Ricardo Rio, o presidente da Câmara Municipal de Braga.

A música terá uma fatia generosa da programação. Pelo palco principal, nos jardins da Praça do Município, irão passar Carminho, Miguel Araújo, os HMB, The Gift, além de Jorge Palma e Sérgio Godinho, no concerto juntos. Para outras sonoridades, há que rumar ao palco do GNRation, com concertos dos Boogarins, do dj Midnight, de Branko (um dos fundadores dos Buraka Som Sistema), dos Linda Martini e do produtor chileno Matias Aguayo. A interação com os visitantes será habitual no programa, estando os espetadores convidados a explorar as paisagens sonoras da cidade, a integrar uma banda de jazz virtual ou uma orquestra de sinos. Algumas das instituições e monumentos mais significativos de Braga, como a Sé, o Museu Nogueira da Silva e o Museu Pio XII, envolvem-se na festa e ficam de portas abertas pela noite dentro, com visitas guiadas gratuitas. E até o comércio do centro da cidade participa, com as montras a vestirem-se de branco para a ocasião.

Nesta edição, as propostas para as crianças foram reforçadas, criando-se um espaço infantil no Largo do Pópulo com oficinas, ateliês e sessões de contos, narrados por Saphir Cristal. Pelas ruas, a animação será uma constante, com mercados, instalações, espetáculos de Novo Circo e paradas musicais. Para além da restauração instalada no centro, haverá uma zona de street food, no Largo do Pópulo. Para facilitar os acessos, foram criados três parques de estacionamento e uma linha específica dos transportes urbanos de Braga para fazer a ligação ao coração da festa (bilhetes de ida e volta por €1).

O programa da Noite Branca encerrará às 19 e 30 do próximo domingo, 4, com o concerto de sinos Bracara Augusta, que envolve as igrejas do centro histórico e conta com a participação de 80 populares.

Noite Branca > Centro histórico de Braga > 2-4 set, sex 18h-04h, sáb 10h-05h, dom 10h-19h30 > grátis

EMPRESAS