Inicio Tags Canon

Tag: Canon

Cinco dicas para fotos incríveis na neve

1. Planeie com tempo para proteger o seu equipamento!

“Hoje em dia, muitos dos materiais fotográficos já são à prova de água, mas ainda assim é importante ter uma ideia clara sobre como proteger os seus equipamentos antes de sair para a neve. Para mim, isso significa evitar usar a câmara ao pescoço ou segurá-la nas minhas mãos. Geralmente, a sensação de calma e tranquilidade que se tem quando se está na neve não nos faz pensar nestes pormenores, mas não se deixe enganar. Já caí na neve vezes sem conta, nunca consigo ver as valas! Para evitar danificar o equipamento de forma irreversível, coloque-o numa mochila pequena e viaje com ele protegido dessa forma, e pegue nele apenas quando tiver uma visão clara da imagem que quer capturar.”

 

2. Calce botas à prova de água e explore

“De todas as vezes que visitei o Ártico, há um conselho que fica sempre comigo – é sempre necessário que estejamos prontos a adaptar-nos. Explore com antecedência – tente compreender o ambiente que o envolve e não coloque pressão em si mesmo para obter aquela imagem. É isto que faz com que as fotos que tiramos na neve sejam únicas e se destaquem. Aproveite a oportunidade para explorar ângulos diferentes, a iluminação e várias posições, sem ter uma câmara na mão e confie na sua visão. Quando chegar a hora de tirar a fotografia, não importa o clima que faça, esteja preparado e tenha uma visão da narrativa que quer construir. Depois, a tarefa de criar a história que a fotografia precisa está nas suas mãos e na paisagem envolvente.”

 

3. Dedique-se à “blue hour”

“Quando toda a gente está confortável no quentinho das suas casas, ou a trabalhar, durante o inverno, a “blue hour” torna-se num dos segredos mais bem escondidos da natureza. Na minha opinião, algumas das imagens mais deslumbrantes que já captei foram tiradas uns minutos depois do pôr do sol. O céu enche-se de cores fantásticas – rosas, laranjas, amarelos – e oferece à sua foto a justaposição perfeita com o chão branco gelado. Consegue captar o último brilho da neve mesmo antes de a luz se extinguir, e é nessa altura que a paisagem se transforma em algo mais e pode tirar uma fotografia absolutamente fascinante.”

 

4. A paciência é fundamental – pense duas vezes!

“Quando acorda e descobre que nevou pela primeira vez nesse inverno, é quase impossível não se deixar encantar pelo ar intocado e limpo que tudo à sua volta ganha. Claro, enquanto fotógrafo, a sua primeira reação é pegar numa câmara e sair para a rua, mas deve resistir! Quando penso no tempo que passei no Ártico, lembro-me que estava completamente estupefacto com tudo aquilo – estava determinado em tirar fotografias a tudo, imediatamente. Mas na verdade, dois dias depois de lá chegar, aquilo que tinha tirado eram fotografias apenas banais. Então, a minha solução? Limitar-me a mim mesmo. Quando der por si pensar “aquilo vai dar uma boa fotografia”, pense duas vezes. Questione-se sobre que aspetos quer destacar, e de que ângulos – e então tire as fotografias e avance. Foi dessa forma que consegui alguns dos meus trabalhos mais dinâmicos e cativantes na neve.”

 

5. Confie no seu trabalho e em si mesmo

“Não vai querer passar muito tempo ao frio e à chuva a trocar as lentes, quando há o risco de poder deixar cair o equipamento e o danificar. Antes de sair, recomendo que prepare desde logo a sua câmara com a lente que pensa que vai precisar. Quando estive no Ártico, eu preparava duas câmaras – a combinação da Canon 5DS R com a 5D Mark IV funcionava perfeitamente. Confiava absolutamente em ambas.
Quando estiver na neve, um conselho algo surpreendente que lhe posso dar é para simplesmente confiar que a sua câmara tem a exposição correta – não tente compensar e fazer a mais ou a menos. Tire algumas fotografias de teste e use o seu ecrã digital para decidir se precisa de mudar algo. As fotografias estão demasiado iluminadas? Quão nítida está a sua paisagem? A imagem reflete, ou até aumenta, a beleza que está a ver? Se tiver que compensar, tente evitar a subexposição, pois pode criar complicações mais tarde, quando as suas imagens estiverem prontas para ser reveladas e impressas.”

Cinco dicas para melhorar as suas fotografias de Natal

1. Faça experiências com as interações

“Com toda a excitação desta quadra festiva, desde a comida à socialização sem fim, é difícil decidir o que fotografar. Como sou fotógrafa de família, para mim a magia reside em descobrir a história por detrás das interações – entre irmãos, avós ou amigos. Há muitas oportunidades para tentar fazer coisas diferentes, como por exemplo colocar a sua câmara num tripé e documentar a mesa a ser posta várias vezes durante o dia.”

 

2. Teste novos estilos

“Para contar uma história coerente, é importante não subestimar a necessidade de manter um estilo de fotografia consistente. Para mim, isso significa fotografar a preto e branco. Adoro o facto de fazer com que as imagens e as histórias pareçam intemporais. Este Natal, encorajo-o a fazer o oposto daquilo que habitualmente fazer, e avaliar o impacto que isso terá no seu trabalho. O seu estilo é natural ou mais tradicional? Talvez costume editar as suas fotografias de uma forma peculiar? Experimente, encontre um novo estilo e adote-o durante o Natal.”

 

3. Misture as suas perspetivas

“Pense na sua infância e nas memórias festivas que se destacam. Como fotógrafo, tem a oportunidade de recriar esses momentos, se alterar a sua perspetiva. Leve a sua fotografia a um novo nível (literalmente) ao contar a história do Natal a partir da perspetiva de uma criança, ou até de um animal de estimação! Um ecrã traseiro rotativo, como o da EOS R, facilita muito esta tarefa, pois permite-lhe tirar fotografias em locais e de ângulos que normalmente não veria (ou, sequer, caberia neles!). Combine essa funcionalidade com uma abertura larga, como f/1.2, e poderá captar imagens fantásticas com as luzes da árvore de Natal a cintilar em pano de fundo. Se quiser outra alternativa, vá até à cozinha e teste as suas capacidades de fotografia “close-up” no peru fumegante, ou no pudim de Natal flambeado! Vai surpreender-se com o quanto uma mudança de perspetiva pode transformar o seu trabalho!”

 

4. A fotografia evoluiu – adote a naturalidade

“Há dez anos atrás, quase todas as famílias tinham um retrato tirado em estúdio, conservador e formal. Desde então, a fotografia evoluiu com uma tendência para estilos mais naturais e informais. Se adotar uma abordagem mais natural nas suas fotografias, há uma série de oportunidades para fazer as coisas de forma um pouco diferente. Experimente fotografar os diferentes elementos da sua rotina familiar. Na minha casa, temos a tradição de pendurar as nossas meias na chaminé na noite antes do Natal. Neste caso, poderia experimentar fazer uns “close-ups” das meias com uma lente macro, ou captar a excitação na cara dos miúdos, ao pensarem nas suas meias cheias de presentes – muitas vezes em ambientes com pouca luz. Sendo fotógrafos, podemos ter medo de aparecer nas nossas próprias fotos, mas não pode ser! Ligue o temporizador, brinque um bocadinho e veja como isso pode mudar o seu estilo de fotografia – pode até ensinar-lhe algo novo sobre como interagir com as próximas pessoas que fotografar.”

 

5. Imprima as suas fotos e analise a técnica

“Hoje em dia é tão fácil armazenar as suas fotos em formato digital, que pode até esquecer que elas existem, até que alguém lhe pergunte sobre elas. No entanto, reunir uma série de imagens consistentes e imprimi-las é uma forma fantástica de documentar o seu progresso enquanto fotógrafo e o seu crescimento ao longo do tempo. Pode olhar para trás e dizer, ‘bem, esta fotografia resultou bem porque x, y e z, por isso vou utilizar essas técnicas no meu próximo projeto’. É muito mais fácil fazer isto do que examinar as 15.000 fotografias que tem armazenadas no seu computador.
Imprimir as fotografias que tirou aos seus familiares e amigos durante o Natal também pode ter um grande valor sentimental. Boas fotografias podem fazer-nos recordar como as coisas eram e levam-nos a valorizar como as coisas são agora. Negligenciamos frequentemente o impacto que uma fotografia impressa pode ter e as memórias incríveis que estão associadas a ela – desde os projetos profissionais às fotografias pessoais. Na minha opinião, se conseguir tirar uma foto que faça algum familiar seu pegar no telefone, quando fizer 40 anos, e dizer ‘vamos encontrar-nos’, então essa imagem é realmente poderosa.”

Canon lança novos scanners de cheque ultracompactos

Máxima precisão e velocidade

Criadas com a eficiência em mente, o imageFORMULA CR-L1 e o imageFORMULA CR-L1 UV têm a capacidade de digitalizar com precisão 3.000 cheques por dia, com até 45 cheques processados por minuto respetivamente, e suportam recolhas de imagens de duas faces numa única passagem.

A série CR-L1 está equipada com uma cabeça magnética única da Canon que lê dados codificados da linha MICR (magnetic ink character recognition) com tinta magnética. Um mecanismo automático de alimentação de 50 folhas, fácil e fiável, maximiza a velocidade e a produtividade e permite que cheques adicionais sejam introduzidos num processo de digitalização contínuo.

Para um reconhecimento com um elevado nível de precisão, a série CR-L1 pode utilizar MOCR para combinar tanto a leitura de tinta magnética (MICR) como a tecnologia do reconhecimento ótico de caracteres (OCR) que aplica um algoritmo único para verificação dos caracteres. 

Tim Brosnihan, European Product Marketing Manager, da Canon Europa, refere “Esperamos que a procura por scanners de cheques mais pequenos aumente onde o processamento de cheques é realizado no balcão do contabilista ou no comerciante ao invés de um processo de digitalização centralizado. Em 2017, 405 milhões de cheques foram utilizados para pagamentos e para aquisição de dinheiro só1 no Reino Unido. Devido ao seu pequeno tamanho, estes últimos scanners de cheques são perfeitos para balcões pequenos ou secretárias de contabilistas. Concebidos para proporcionar a precisão de imagem máxima e velocidade num design ultracompacto, o CR-L1 e o CR-L1 UV podem ser perfeitamente adaptados a pequenos espaços de trabalho.”

Qualidade de imagem superior

Os equipamentos compactos e elegantes incorporam um número de ferramentas de processamento de imagem impressionante, incluindo uma unidade CIS avançada (Contact Image Sensor). Os benefícios incluem imagens mais nítidas e menor distorção de imagens, com melhor legibilidade de texto para precisão OCR avançada. A tecnologia de filtragem fina de texto reduz significativamente ruído indesejado de fundos de documentos estampados e imagens para assegurar sempre um resultado claro e nítido. O modelo CR-L1 suporta também digitalização em cores até uma resolução de 300dpi.

Digitalização UV e impressão simples

O modelo exclusivo CR-L1 UV aplica a melhor tecnologia antifraude graças aos sensores de digitalização que proporcionam uma visibilidade clara das camadas de tinta UV e outras impressões anti falsificação para ajudar a minimizar o risco de processar cheques fraudulentos ou adulterados. Os utilizadores podem também contar com a impressão incorporada para captar e imprimir informação relevante na parte de trás do cheque, incluindo caracteres, data e numeração sequencial, tempo ou símbolos.

O imageFORMULA CR-L1 e o CR-L1 UV podem ser utilizados em conjunto com o software integrado Scanning Utility da Canon, e para uma integração com os sistemas atuais é fornecido com um Driver da Canon e um driver Ranger Transport API. O Kit de Desenvolvimento de Software (SDK) também está disponível para os programadores integrarem facilmente os Scanners de Cheque CR-Series da Canon com soluções personalizadas ou específicas.

Especificações do produto

  • Scanner de cheques compacto para atendimento bancário ao balcão
  • Velocidade rápida de digitalização até 45 cpm (B&W, 200dpi, Cheques Pessoais) suporta digitalização a cores a 300dpi
  • Modelo UV específico: CR-L1 UV
  • Pré-digitalização com impressão incorporada
  • Alta precisão MICR com funcionalidade MOCR
  • Deteção de alimentação dupla com sensor infravermelho
  • Impressora de Recibos opcional
  • Modelo energeticamente eficiente
  • ADF: capacidade de alimentação para 50 folhas
  • Ciclo de funcionamento diário recomendado: 3.000 cheques por dia
  • Consumo de energia
    • Digitalização: 15.8W ou menos
    • Em modo de espera: 2.3W ou menos
    • Desligado: 0.1W ou menos

 

EMPRESAS